Notícias

Youtuber Whindersson defende Carrefour em caso de cadela morta e recebe críticas

O youtuber Whindersson Nunes foi criticado ao defender o Carrefour no caso da cadela morta – inicialmente divulgada como um cão macho, sendo depois confirmado que tratava-se de uma fêmea – por um segurança contratado pela empresa. Após as críticas, ele voltou atrás e cobrou uma posição do supermercado.

(Reprodução/Instagram/Veja SP)

“Vale lembrar que não é empresa inteira que tem culpa, aconteceu no Carrefour de Osasco, um cachorro foi morto a pauladas por um segurança despreparado”, escreveu. As informações são do blog Bichos, da colunista Carolina Giovanelli, da Veja SP.

Indignados com o posicionamento do youtuber, internautas se pronunciaram. “Não entendo como tem gente que defende uma corporação desse tamanho”, escreveu um usuário do Twitter. “E falar que repudia a ação é o suficiente? Ah tá”, respondeu outro.

“Ok, mas a empresa tem que responder. Não dá pra passar pano”, disse um seguidor. “Despreparado sou eu indo fazer prova sem estudar! Isso aí foi maldade pura”, acrescentou outro.

Devido às críticas, Whindersson apagou a publicação e fez um novo post, dando explicações. “Me expressei mal, a palavra não era DESPREPARADO, e sim DESUMANO, que o Carrefour se pronuncie“, escreveu. “Fico triste por que mesmo depois de falar várias coisas certas, e ajudar animais com as minhas ações (só esse mês foram mais de 60 mil reais que ajudei para casas que cuidam de animais abandonados), as pessoas ainda por causa de um tweet que me expressei mal metem o pau em mim”, completou.

(Reprodução Twitter/Veja SP)

O Carrefour também emitiu nova nota sobre o caso na noite da última terça-feira (4). A empresa alega que “reconhece que um grave problema ocorreu em nossa loja de Osasco” e que não vai “se eximir da responsabilidade”.

“Somos os maiores interessados para que todos os fatos sejam esclarecidos. Por isso, aguardamos que as autoridades concluam rapidamente as investigações”, afirmou. “Desde o início da apuração, o funcionário de empresa terceirizada foi afastado. Qualquer que seja a conclusão do inquérito, estamos inteiramente comprometidos em dar uma resposta a todos. Queremos informar também que estamos recebendo sugestões de várias entidades e ONGS ligadas à causa que vão nos auxiliar na construção de uma nova política para a proteção e defesa dos animais”, concluiu.

Errata: a ANDA divulgou inicialmente que o animal morto no Carrefour era um cachorro e, momentos depois, informou que havia sido descoberto que, na verdade, tratava-se de uma cadela. A notícia correta, entretanto, é de que o animal era macho. Informações erradas divulgadas por ativistas do Instituto Luísa Mell e da ONG Bendita Adoção levaram a uma confusão sobre o sexo de Manchinha. No entanto, neste domingo (16) a ativista Beatriz Silva, da Bendita Adoção, reforçou que o cachorro era macho e afirmou que “depois de muita confusão dos funcionários”, o sexo do animal foi confirmado em vídeos.

​Read More