Destaques, Notícias

Institutos fazem experiências com ácido em cérebros de macacos

Os animais são submetidos a testes psicológicos bizarros após serem obrigados a ingerir ácido tóxico

Os experimentos são financiados pelo dinheiro público e resultam em danos no cérebro. Fotos Alexas/Pixabay

A vivissecção é um dos piores pesadelos para animais de diversas espécies. Pela semelhança com os seres humanos, os primatas são frequentemente feitos de cobaias para testes dos mais dolorosos. O grupo “White Coat Waste Project” – WCW, que luta contra a vivissecção nos EUA, está processando os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) e exigindo que divulguem imagens de experimentos feitos com primatas. O objetivo é mostrar aos americanos como seu dinheiro é usado na tortura de animais.

“As experiências gravadas em vídeo incluem danificar os cérebros dos macacos com ácido tóxico e submetê-los a testes comportamentais bizarros e cruéis. Em alguns dos testes, os macacos têm medo intencional de aranhas e cobras falsas. Em outros, os primatas são contidos e obrigados a assistir a documentários da natureza e a diferenciar entre fotos de frutas, imagens de rostos de macacos”, declara o grupo WCW.

Pesquisa realizada pela Gallup descobriu um recorde de americanos contrários à experimentação animal em 2017. Graças à atuação dos grupos de ativistas pelos direitos animais, as pessoas estão cada vez mais conscientes sobre o sofrimento das cobaias, mas apesar disso os experimentos prosseguem, inclusive, patrocinados com dinheiro público. Desde 2007 cerca de 95 milhões de dólares dos contribuintes  foram gastos em experiências com primatas.

O NIH admitiu ter pelo menos 50 horas de vídeo que considera relevantes para mostrar à sociedade, mas ainda não divulgou as imagens. Um vídeo com imagens angustiantes divulgado pelo WCW, no entanto, já deixa claro o cenário de dor e desespero criado por esses experimentos em primatas. Veja abaixo (cenas fortes)

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More