cadela caramelo sentada com a língua pra fora após resgate dos socorristas
Notícias

Com vulcão Taal em alerta, voluntários arriscam suas vidas para salvar animais

O movimento veloz do fluxo do vulcão pode matar pessoas e animais nas proximidades do local, alerta especialista


 

cadela caramelo sentada com a língua pra fora após resgate dos socorristas
Cadela Palakitik/ Créditos: reprodução PETA

Embora a erupção do vulcão Taal possa ocorrer novamente a qualquer instante como no dia 5 de janeiro, e as autoridades do Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia (Phivolcs) alertem que os residentes do local devem se manter pelo menos 14 km afastados da zona de perigo – alguns moradores e equipes de resgate de animais da ilha de Filipinas ainda arriscam suas vidas ao voltar no local na tentativa de salvar os animais que ainda estão por lá.

Ainda de acordo com o especialista sênior em pesquisa científica da Phivolcs, Danniko Rivera, o movimento veloz do fluxo do vulcão pode matar alguém nas proximidades do local.

Com relação aos resgate de animais, um dos colaboradores foi Manolito Malaluan, que embarcou na última quinta-feira (16) para resgatar seus dois cavalos. Segundo o tutor dos cavalos, chamados Cristina e Bakasan,  assim que os animais viram o homem, os mesmos relincharam de felicidade.

Além de Cristina e Bakasan, pelo menos 1.000 cavalos ainda estão presos na ilha. Os moradores do local relatam ser dependentes dos animais como meio de subsistência – uma das utilidades do animal é o meio de transporte para turistas que desejam ir à borda da cratera do vulcão. Além de amor aos animais, os resgates, muitas vezes, também estão relacionados à renda dos habitantes.

Segundo informações do site Nature World News, a PETA, uma organização não governamental de pessoas para o tratamento ético dos animais, também conduziu uma  missão de resgate na última quarta-feira (15) – o resgate de Palakitik  – uma cadela amigável conhecida pelos colaboradores da organização.

Ainda segundo informações do site, de acordo com a publicação de um blog também na quarta-feira (15), os socorristas temiam que Palakitik não tivesse sobrevivido à explosão anterior. No entanto, no momento em que chamaram o nome dela, a cadelinha correu ao encontro dos socorristas, claramente feliz. Além do cão,  outros 70 animais foram retirados da ilha. Além de moradores locais, socorristas e a PETA, os animais também foram ajudados pela Guarda Costeira das Filipinas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More