Notícias

Morre uma das últimas “ursas dançarinas” do Nepal

Uma das últimas “ursas dançarinas” morreu após ser alojado em gaiolas pequenas e imundas pelo governo de Nepal, após o resgate de um grupo de direitos animais.

Dois ursos foram resgatados no sul do Nepal em dezembro do ano passado de um par de artistas de rua itinerantes que usavam os animais para entretenimento humano. Os ursos Rangila, de 19 anos e Sridevi, de 17 anos, foram transferidos para um zoológico perto da capital Kathmandu, onde foram colocados em gaiolas para exposição. Mas algumas semanas depois, a fêmea morreu.

Um grupo de defesa dos direitos animais envolvido no resgate afirmou que os animais foram levados para um zoológico conhecido e criticado por suas condições extremamente precárias e desumanas ao invés de um santuário, e que isso aconteceu sem o conhecimento deles.

um urso foi amordaçado em um zoológico de Nepal.
Animal amordaçado em um zoológico em Nepal. (Foto: World Animal Protection)

O Grupo “Word Animal Protection“, em tradução livre “Proteção Animal Global” declarou: “Discussões com autoridades nepalesas e indianas, antes e durante o resgate dos ursos, identificaram o santuário de ursos da organização de cuidados animais Wildlife SOS em Agra, na Índia, como o melhor lugar para lhes fornecer cuidados vitalícios. Mas os ursos infelizmente não foram levados para o santuário. Se tivessem sido, Sridevi ainda poderia estar viva”.

Niraj Gautam, do “Jane Goodall Institute Nepal“, em tradução livre “Instituto Jane Goodall em Nepal”, que também esteve envolvido no resgate dos ursos. acrescentou: “Disseram-nos que ela tinha algum problema no fígado e que era icterícia. Estes animais deveriam ter sido cuidadosamente examinados. Não havia nada. Essa é a negligência que queremos ressaltar.”

os animais foram resgatados na rua, mas o governo de Nepal apreendeu os animais.
Defensores dos direitos animais restaram os ursos, mas os animais foram apreendidos pelo governo do país. (Foto: World Animal Protection)

Os animais exibiam comportamentos que sugeriam que estavam angustiados e foram mantidos em pequenas gaiolas que não foram devidamente limpas. Apesar das denúncias de maus-tratos contra os ursos, o governo afirma que animais receberam cuidados e que zoológico é a única instalação no Nepal capaz de abrigá-los. O “Jane Goodall Institute” está fazendo um acordo com o governo do Nepal para que o urso sobrevivente seja transferido para um santuário especial para ursos dançarinos resgatados na Índia, onde a tradição de usar animais para entretenimento humano só foi erradicada em 2012.

“Há obstáculos legais na transferência do animal para outro país e o zoológico é a única instalação que temos”, disse Gopal Prasad Bhattarai, vice-diretor do Departamento de Parques Nacionais e Conservação da Vida Selvagem.

Uma fêmea morreu após ser mantida em uma gaiola pequena e sem alimentos necessários.
O governo manteve os animais presos em pequenas gaiolas sem o alimento necessário, uma fêmea não resistiu. (Foto: World Animal Protection)

O Nepal proibiu a prática manter ursos em cativeiro em 1973, um ano depois de ter sido oficialmente proibido na Índia, porém a prática permaneceu em partes do sul do país. Os ursos dançantes são caçados e treinados desde filhotes para dançar em suas patas traseiras. Seus focinhos são perfurados com uma aço aquecido para que possam ser controlados pelo puxão de uma corda ou corrente. Eles podem crescer até seis metros de altura e pesar até 310 quilos.

Os urso-preguiça dançam no subcontinente indiano desde do século XIII, quando os caçadores pertencentes à tribo muçulmana Qalandar. Esta é uma espécie criticamente ameaçada de extinção e são encontrados na Índia, Nepal, Sri Lanka e Butão. Mas o encolhimento de habitats e a caça causaram um declínio populacional, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Veja o vídeo abaixo sem legendas:

​Read More