Macacos que serão utilizados em testes nos EUA foram transportados pela Royal Jordanian Airlines, quebrando acordo (Foto: Cruelty Free International)
Notícias

Companhia aérea quebra acordo e transporta macacos para testes nos EUA

A companhia aérea Royal Jordanian Airlines foi exposta por funcionário após ter quebrado acordo e transportado animais para serem utilizados em testes com animais.

Segundo informações da Plant Based News relatam ativistas estão “horrorizados e desapontados” com o posicionamento da empresa de aviação, que renegou sua promessa de parar de transportar macacos destinados a uso em experimentos científicos.

Macacos que serão utilizados em testes nos EUA foram transportados pela Royal Jordanian Airlines, quebrando acordo (Foto: Cruelty Free International)
Macacos que serão utilizados em testes nos EUA foram transportados pela Royal Jordanian Airlines, quebrando acordo (Foto: Cruelty Free International)

A Cruelty Free International foi contatada por um funcionário do aeroporto de Bangkok sobre centenas de macacos que voaram da Tailândia para os EUA pela companhia aérea Royal Jordanian Airlines.

De acordo com a organização contra crueldade animal: “Em 2014, a Royal Jordanian nos contatou comprometendo-se a transportar macacos para fins de pesquisa. Ficamos horrorizados e desapontados ao saber que a promessa de impedir essas remessas cruéis foi quebrada”, provando a quebra do acordo da empresa aérea de parar de compactuar com os testes com animais.

Registros chocantes mostrando caixas empilhadas com macacos impactaram os defensores dos direitos animais. As caixas estavam prestes a serem carregadas em um voo para os EUA pela Royal Jordanian no Aeroporto de Bangkok, que ainda não se pronunciou perante o ocorrido.

“É difícil imaginar o quão assustados e estressados ​​tais animais sensíveis devem se sentir. O caminho percorrido por esses aviões leva mais de 26 horas – para esses animais presos, é a jornada para uma vida de sofrimento, miséria e até morte em um laboratório”, lamentou a organização.

​Read More