Notícias

Idosa lamenta morte de gatos em incêndio: ‘foi muito triste, eu só queria salvá-los’

Pixabay/Imagem Ilustrativa

Um incêndio que pode ter sido criminoso tirou a vida de 22 dos 40 gatos cuidados pela carreteira aposentada Maria Aparecida da Silva Brito, de 60 anos. Os animais viviam em uma mata em frente à casa da idosa, em Franca, no interior de São Paulo.

Há seis anos, a aposentada utiliza os R$ 2 mil de sua aposentadoria para alimentar os animais e nutre um sentimento de afeto por todos eles. Diante da morte dos gatos, Maria Aparecida vive um difícil período de luto.

“Foi muito triste. A sensação é indescritível. Só consegui ficar em pé porque Deus me segurou”, disse a aposentada sobre o incêndio ocorrido na última quarta-feira (7).

“Sempre amei animal. Já morei em chácara e tive mais de 150 animais. Sou pobre, luto, sempre trabalhei, tenho problemas no coração, mas isso não significa nada comparado com o quanto amo eles. Deixei de ter coisas mais luxuosas para cuidar deles”, acrescentou.

A rotina de Maria Aparecida começa às 4h, quando ela acorda para alimentar os animais. Duas horas depois, a aposentada retira os potes de ração distribuídos pela mata. Às 15h e às 18h, ela os alimenta novamente.

“São cinco quilos de carne e cinco quilos de ração por dia, e eu dou ração premium. Eles comem o dia inteiro. Gasto R$ 1,3 mil de carne e R$ 800 de ração. É todo meu dinheiro. É todo meu salário”, afirmou ao G1.

Quando o incêndio se iniciou, Cida, como é conhecida na vizinhança, desesperou-se. Para tentar salvar os animais, a aposentada os colocou dentro de seu vestido e os carregou para dentro de sua casa. A filha de Maria Aparecida, Elisandra, acionou o Corpo de Bombeiros e usou baldes de água para controlar o fogo até a chegada da corporação. Vizinhos também se uniram e, com uma mangueira, tentaram conter as chamas.

“Sozinha, não teria condições. Não chorei, não gritei. Eu só queria salvá-los. A única coisa que fiz foi levantar o vestido, no meio de todo mundo, e pôr eles dentro”, disse.

Câmeras de segurança de imóveis da região registraram o fogo. Sob perícia do Instituto de Criminalística, as imagens levantam a hipótese de incêndio criminoso. A análise é realizada a pedido da Polícia Civil, que investiga o caso.

No vídeo, é possível ver uma mulher entrando e saindo da área verde, que começa a pegar fogo minutos depois. Além dos gatos, outros animais, incluindo pássaros, vivem no local.

Identificada pela Polícia Civil, a mulher deve ser chamada para depor às autoridades nos próximos dias. Maria Aparecida e Elisandra já prestaram depoimento. A Comissão de Proteção e Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Franca foi acionada e está colaborando com a polícia nas investigações.

O crime foi registrado como crueldade contra animais. Caso o envolvimento da mulher no caso seja comprovado, ela poderá ser condenada a até cinco anos de prisão graças à Lei Sansão, recentemente sancionada.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Navio com 6 mil vacas afunda em meio a tufão na costa do Japão

Foto: Handout / 10th Regional Coast Guard Headquarters / AFP

Um navio que transportava cerca de 6 mil vacas afundou na costa do Japão em meio a um tufão. Quarenta e três pessoas também estavam na embarcação.

De acordo com o único sobrevivente resgatado até o momento, o motor da embarcação parou de funcionar e uma onda causou um capotamento seguido de naufrágio.

Antes de afundar, o navio “Gulf Livestock 1” emitiu um pedido de socorro na madrugada de quarta-feira (2). No momento do alerta, a embarcação estava a 185 km da ilha japonesa Amami Oshima, no sudoeste do país.

O homem resgatado na noite de quarta-feira é um filipino de 45 anos que trabalhava no cargo de chefe de oficiais e foi salvo pela Guarda Costeira do Japão. Segundo informações da AFP, ele vestiu um colete salva-vidas, chamou seus colegas que estavam a bordo e pulou no mar.

O filipino relatou não ter visto outros tripulantes enquanto aguardava o resgate. E embora um barco inflável tenha sido avistado nas proximidades, a Guarda Costeira não confirmou qualquer relação com o naufrágio.

No navio estavam 39 filipinos, dois neozelandeses e dois australianos, além de 5.800 vacas, que provavelmente morreram afogadas. A viagem tinha como destino um porto na China.

Três embarcações da Guarda Costeira, cinco aviões e mergulhadores estão trabalhando na operação de resgate.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Animais são resgatados durante a tempestade Dennis, no País de Gales

A Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra Animais está em alerta máximo por causa das inundações e chamadas recebidas de todo o País de Gales


 

Instagram RSPCA Cymru

Recentemente, ovelhas, cavalos e animais domésticos foram resgatados após serem vítimas da Tempestade Dennis, no País de Gales.

As equipes de emergência da  RSPCA (Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra Animais), salvaram ovelhas e cavalos na cidade de Carmarthenshire. No entanto, em uma cidade vizinha chamada Llandeilo, apenas uma ovelha conseguiu ser resgatada em um campo inundado.

Uma outra equipe de resgate também ajudou 22 ovelhas presas pelas águas da enchente em um campo em St Asaph, Denbighshire. No entanto, num primeiro momento, eles tomaram a decisão de não tentar um resgate.

Instagram RSPCA Cymru

O inspetor Anthony Joynes disse: “Levamos feno para as ovelhas e alimentamos elas: “Como as ovelhas estavam todas pesadas por conta da água, decidimos deixá-las onde estavam”.

E completou: “Quando a água da enchente começou a recuar, observamos que elas estavam mais seguras para deixar o local. Se tivéssemos começado a tentar resgatá-las antes, elas teriam se assustado e provavelmente fugido para a água, onde poderiam ter se afogado”.

Os inspetores também ajudaram as equipes de emergência a tirar os moradores de suas casas na vila de Nantgarw, perto da cidade de Cardiff.

A inspetora da RSPCA, Emma Williams, disse: “Os serviços de emergência estavam fazendo um trabalho incrível em circunstâncias tão difíceis e fico feliz em saber que os residentes e seus animais domésticos foram evacuados com segurança”.

E completou: “Embora tenhamos ouvido relatos de que um cachorro se afogou tristemente em Nantgarw, nossos pensamentos vão para o tutor, juntamente com todos que foram afetados”.

A RSPCA está em alerta máximo por causa das inundações e chamadas recebidas de todo o País de Gales. O vice-inspetor-chefe da RSPCA, Phil Lewis, disse ao site: “A Tempestade Dennis causou grande devastação em todo o país de Gales e nossos pensamentos estão com todos que foram afetados”.

E completou: “Vimos chuvas prolongadas chegando em áreas que já estão saturadas. Como resultado, no final de semana, estivemos tão ocupados que tivemos que priorizar as chamadas de emergência”.

“Todas as nossas equipes de resgate foram chamadas e a equipe de folga entrou para ajudar na emergência também “, concluiu ele.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Brinquedo de cão sobrevive ao incêndio australiano

Além do brinquedo de pelúcia, um vestido de noiva resistiu à tragédia


Twitter / WeRateDogs

Uma família em Waireza, na Austrália, chegou em sua casa e se deparou com uma cena inusitada e triste: a casa completamente destruída. “É simplesmente devastador … ter tudo retirado em um único golpe”, disse Matt Zagami à ABC Gippsland . “A fazenda é uma coisa que tínhamos, mas perdemos tudo em casa também… tudo”.

​Read More
Notícias

Centenas de animais se perdem dos tutores durante incêndios nos EUA

Uma página no Facebook tem publicado informações para tentar promover o reencontro entre animais e tutores


Centenas de animais se perderam dos tutores durante os incêndios que atingem a Califórnia, nos Estados Unidos. Ao menos 200 pessoas tiveram que abandonar suas casas e muitas delas acabaram deixando animais para trás.

Pet Rescue and Reunification/Facebook

Nas redes sociais, um grupo foi criado para publicar informações e fotos de animais desaparecidos para tentar levá-los de volta aos seus tutores. A página recebeu o nome de Kincade Fire Pet Rescue and Reunification.

Tai Bruce, responsável pelo grupo no Facebook, disse ao The Washington Post que compila diariamente, com a ajuda de voluntários, os avisos sobre animais perdidos ou encontrados.

As ações do ex-oficial da reserva de San Francisco, no entanto, não começaram durante o Incêndio Kincade. Isso porque Bruce agiu de maneira semelhante durante o Incêndio Valley, em 2015, e nos incêndios que atingiram a Califórnia em 2017 e 2018.

“Todo ano há algum tipo de incêndio, inundação ou outros desastres no Norte da Califórnia. É o que continua nos alimentando”, disse.

O objetivo de Bruce é centralizar os pedidos de ajuda dos tutores, que ficam desesperados à procura dos animais. “Abrigos locais, clínicas e consultórios veterinários são um bom lugar para começar a buscar. Mas, muitas vezes, os tutores de animais afetados pelas ordens repentinas de evacuação possuem poucas informações de identificação para seus animais, além de um nome, local e fotos no telefone”, contou.

Pet Rescue and Reunification/Facebook

Os voluntários reúnem informações e publicam na rede social. Em caso de linhas de evacuação serem acionadas, forçando o deslocamento emergencial das famílias, eles trabalham ainda mais – às vezes por mais de 18 horas diárias. As ações visam sempre promover o reencontro entre tutores e animais. “Eles choram com os tutores, é emocionante”, revelou.

O Kincade se tornou o maior incêndio do ano na Califórnia. Já são 30.519 hectares, ou 305 km², devastados – o correspondente a duas vezes e meia a área da cidade de San Francisco. De acordo com as autoridades, 15% das chamas foram contidas e o fogo deve avançar com a ajuda de ventos fortes registrados na região nesta época do ano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Manchas de óleo chegam ao Parque Nacional de Abrolhos

O Parque Nacional de Abrolhos é um dos principais berços de biodiversidade marinha do Atlântico Sul


Pequenas manchas de óleo foram registradas no Parque Nacional de Abrolhos neste sábado (2), na Bahia. O local é um dos principais berços de biodiversidade marinha do Atlântico Sul e a primeira unidade de conservação marinha do país. A substância foi encontrada na praia norte da Ilha de Santa Bárbara, uma das cinco ilhas do Arquipélago de Abrolhos.

Óleo encontrado na ilha de Santa Bárbara, em Abrolhos (Foto: Reprodução/Folha de S. Paulo)

A presença do óleo foi confirmada por uma nota assinada pela Marinha, pela ANP (Agência Nacional do Petróleo) e pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Para conter e monitorar o óleo, navios, fragatas e corvetas da Marinha e um navio da Petrobras realizam ações na região.

O arquipélago é berçário das baleias-jubarte e abrigo de diversos animais, inclusive espécies que não existem em nenhum outro lugar do mundo. A região conta também com alguns dos principais bancos de corais do litoral brasileiro.

Ao jornal Folha de S. Paulo, o biólogo Gustavo Duarte, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, afirmou que a chegada do óleo ao arquipélago “é uma tragédia”. Duarte é estudioso dos corais da região.

Óleo registrado em Belmonte, na região de Abrolhos (Foto: Reprodução/Folha de S. Paulo)

Em quase toda a extensão do litoral da cidade de Caravelas (BA), que abriga Abrolhos, foram registradas pequenas manchas de óleo neste sábado (2). A limpeza está sendo feita por voluntários e servidores da prefeitura.

As manchas chegaram até aos municípios de Prado, Alcobaça, Belmonte, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, de onde foram retirados cerca de 200 quilos de óleo.

Além de Abrolhos, há três reservas extrativistas na região – Canavieiras, Corumbau e Cassurubá – e unidades de conservação municipal, como o Parque Marinho Recife de Fora, em Porto Seguro, e o Parque Marinho da Coroa Lata, em Santa Cruz de Cabrália.

No litoral da Bahia, não foi registrado óleo apenas em Mucuri. Já na Região Metropolitana de Salvador, a substância voltou a aparecer nos últimos dias. Na quinta-feira (31), bastante óleo foi registrado na praia de Arembepe. Em Salvador, na praia de Stella, pequenas manchas surgiram na sexta-feira (1). Já no sábado (2), manchas de pequena dimensão foram registradas na praia de Vilas do Atlântico, em Lauro de Freitas.

Arquipélago de Abrolhos (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Seca severa mata 55 elefantes de fome em parque no Zimbábue

O parque onde os animais morreram tem capacidade para 15 mil elefantes, mas atualmente abriga mais de 50 mil


A grave seca que atinge o Zimbábue levou pelo menos 55 elefantes à morte no Parque Nacional Hwange nos últimos dois meses. Os animais morreram de fome.

Foto: Getty Images / BBC News Brasil

A sede também tem castigado a vida selvagem. Alguns dos corpos foram encontrados a 50 metros de lagos vazios, o que pode indicar que esses animais tenham percorrido longas distâncias a procura de água e tenham morrido nas proximidades do que, antes, era um lago.

“A situação é desesperadora”, afirmou Tinashe Farawo, porta-voz da Zimparks, uma agência que administra parques e cuida da vida selvagem do país. “Os elefantes estão morrendo de fome e isso é um grande problema”, completou. As informações são da BBC News Brasil.

O parque, que tem capacidade para 15 mil elefantes, atualmente abriga mais de 50 mil. Para tentar salvá-los, a Zimparks está tentando cavar poços na região. No entanto, segundo Farawo, faltam recursos. A agência não recebe repasses governamentais.

Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Além dos elefantes, a seca tem atingido também a população humana. Isso porque as colheitas no Zimbábue foram reduzidas de maneira drástica devido à falta de água.

As condições climáticas somadas a uma grave crise econômica que afeta o país fizeram com que o Programa Mundial de Alimentos, da ONU, publicasse um relatório em agosto alertando para o risco de dois milhões de pessoas passarem fome no Zimbábue.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cão é resgatado de escombros de prédio após desabamento em Fortaleza (CE)

Não se sabe ainda qual é o número de animais que vivia no prédio


Um cachorro que ficou preso nos escombros de um prédio que desabou em Fortaleza (CE) foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros na segunda-feira (14). As buscas por sobreviventes continuam a ser feitas nesta quarta-feira (16).

Foto: Reprodução / TV Globo

Com sete andares, o prédio estava localizado na esquina da Rua Tomás Acioli com a Rua Tibúrcio Cavalcante, no bairro Dionísio Torres. As informações são do O Globo.

Foi confirmada a morte de duas pessoas e o desaparecimento de nove. Outras nove foram retiradas do local com vida.

Pelas redes sociais, Jamylle Duarte relatou que a cadela da namorada de seu primo estava presa nos escombros. “Meu Deus do céu, a namorada do meu primo mora no prédio que desabou, nem ela nem ninguém da família dela estava em casa, só a cachorrinha. To sem chão”, escreveu.

Não se sabe quantos animais viviam no prédio. Devido ao risco de explosões graças a um possível vazamento de gás, os bombeiros pediram que os moradores da região deixem suas casas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Seis elefantes caem em cachoeira e morrem afogados na Tailândia

Seis elefantes selvagens caíram de uma cachoeira na Tailândia e morreram afogados. De acordo com autoridades do Parque Nacional Khao Yai, outros dois animais do grupo sobreviveram e tentaram resgatar um terceiro animal, mas não conseguiram.

Foto: PANUPONG CHANGCHAI / AFP

Um comunicado divulgado pelo Departamento de Parques Nacionais, Vida Selvagem e Conservação de Plantas da Tailândia relevou que funcionários do parque chegaram ao ouvir o barulho feito pelos elefantes para pedir ajuda e, horas depois, encontraram seis corpos no fundo da cachoeira Haew Narok (“O Abismo do Inferno”, em tradução livre).

De acordo com informações da agência AFP, os elefantes que conseguiram sobreviver aparentemente se salvaram após ficarem presos em uma rocha enquanto tentavam salvar um de seus companheiros que caiu na água.

Funcionários do parque jogaram alimentos misturados com suplementos nutricionais para os animais na tentativa de aumentar a energia deles, deixando-os mais fortes para voltar à floresta. Horas depois, os elefantes sobreviventes foram resgatados extremante exaustos.

Segundo o porta-voz do departamento de parques, Sompoch Maneerat, não se sabe a causa dos acidentes.

“Ninguém sabe ao certo a verdadeira causa do por que de terem caído, mas houve fortes chuvas ontem à noite”, disse à AFP.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Incêndio mata treze vacas carbonizadas em Jataí (GO)

Porcos e aves, que viviam em outras propriedades rurais, também morreram


Treze vacas morreram carbonizadas por conta de uma queimada que atingiu uma propriedade rural em Jataí (GO).

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O caso aconteceu no assentamento Rio Paraíso e, segundo o produtor rural Gelson Jorge Machado, o fogo teve início na quarta-feira (18), alastrou-se e atingiu sua propriedade no dia seguinte.

No local, viviam 86 vacas. Gelson as levou para perto da sede ao perceber o incêndio. Ele acredita, porém, que parte delas se assustou com o fogo, correu e acabou sendo atingida pelas chamas.

“É terrível, uma sensação muito ruim”, disse ao G1. “Só tinha visto isso pela televisão. Tem um veterinário que está me ajudando com outras duas vacas que ainda correm risco e uma que está desaparecida e acho que também poder ter morrido”, completou.

De acordo com o produtor rural, propriedades vizinhas também foram atingidas, o que levou mais animais, como aves e porcos, à morte.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Queimada mata animais e destrói área equivalente a 500 campos de futebol

Uma área equivalente a 500 campos de futebol foi destruída por uma queimada. O fogo, que teve início na terça-feira (17), só foi controlado na quinta-feira (19) e matou animais silvestres. O local atingido, que fica entre Jaú, Bocaina e Bariri, é uma área de preservação ambiental.

Foto: Reprodução/TV TEM

O Corpo de Bombeiros informou ao G1 que este é o maior incêndio da história da zona rural da região.

“Já não é a primeira vez. Há dois anos, o fogo chegou muito próximo aqui, mas não chegou a causar todo o dano que causou dessa vez”, lamentou o agricultor Emerson Luís Matielo.

Moradores da região, que ficaram sem energia elétrica devido à queimada, relataram que muitos animais morreram devido ao fogo.

“Ali mesmo, tinha uma seriema morta perto da entrada da minha casa, mas todas as cobras, bichinhos pequenos, não sobrou nenhum”, disse o agricultor José Aparecido Garcia.

A causa do incêndio florestal será investigada pela polícia.

Foto: Reprodução/TV TEM

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Tempestade de granizo mata milhares de aves nos Estados Unidos

Cerca de 11 mil aves, entre pelicanos, gansos e outras espécies, foram encontradas mortas em Montana, nos Estados Unidos. Uma tempestade de granizo foi responsável por tirar a vida dos animais.

Foto: Montana Fish, Wildlife and Parks/Reprodução/Twitter

Relatos indicam que algumas pedras tinham o diâmetro de uma bola de beisebol. As informações são do G1.

De acordo com a autoridade local de parques, além dos animais mortos, foram encontradas aves gravemente feridas. Algumas delas apresentavam afundamento de crânio. O estado desses animais é tão crítico que os cientistas não acreditam que elas possam sobreviver.

As aves que foram encontradas mortas ou feridas viviam em um lago preservado do estado de Montana. O número de animais atingidos pela tempestade representa um percentual de 20% a 30% da população de aves da reserva.

As autoridades temem agora que mais aves morram devido ao contato com doenças causadas pela decomposição dos corpos dos animais mortos.

A tempestade teve ventos de mais de 100 km/h e, além de matar as aves, destruiu casas e plantações.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More