Notícias

Poluição da água pode ter causado mortes de peixes e crustáceos no Rio Jacuípe

Cerca de dez toneladas de tilápias criadas em cativeiro, camarões e tucunarés foram encontradas mortas no leito do rio nesta segunda-feira (2)
Mortes dos peixes e crustáceos pode ter sido causada pela poluição das águas. Foto: Reprodução/ TV Bahia

Técnicos especializados em meio ambiente estão averiguando as possíveis causas da morte de peixes e crustáceos no Rio Jacuípe, no trecho localizado no município de São Gonçalo dos Campos, localizado a 108 km de Salvador (BA).

Cerca de dez toneladas de tilápias criadas em cativeiro, camarões e tucunarés foram encontradas mortas no leito do rio nesta segunda-feira (2). Os técnicos que trabalham na região desconfiam que a causa do desastre ambiental seja a poluição das águas.

Fonte: Correio 24h

​Read More
Notícias

Peixes mortos na Lagoa chegam a 77,7 toneladas

Foto: Fabio Motta / Agência Estado

A companhia de limpeza urbana Comlurb informou no início da tarde deste domingo (28) que 77,7 toneladas de peixes mortos foram removidas da lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, entre a manhã de sexta-feira (26) e as 6h deste domingo. Entre as espécies de peixes estão savelhas, corvinas, tilápias, baranas e bagres.

 Os peixes seguem sendo recolhidos por uma equipe. São 102 garis trabalhando 24 horas, com apoio de um catamarã e de um barco de alumínio, dois caminhões basculantes e duas caixas de entulho, além do barco da Rio Águas e do catamarã da EBX, do empresário Eike Batista.

A Comlurb constatou que a mortandade de peixes terminou e atua no recolhimento tanto nas margens quanto no espelho d’água. Para combater  o mal cheiro em alguns pontos da lagoa, a companhia destacou duas equipes para lavar a ciclovia utilizando uma solução com desinfetante e inibidor de odores.

Fonte: R7


​Read More
Notícias

Peixes mortos há uma semana aparecem no lago do Parcão

Foto: Ronaldo Bernardi
Foto: Ronaldo Bernardi

Dezenas de peixes que morreram em função de uma onda de frio na semana passada apareceram mortos na manhã desta segunda-feira no lago do Parcão. Os funcionários do parque removeram os peixes da água ontem.

Segundo Soraya Ribeiro, chefe do Serviço de Fauna Silvestre da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), eles morreram junto com os peixes encontrados mortos na terça-feira da semana passada, mas teriam ficado no fundo do lago até ontem, quando começaram a boiar.

Soraya afirma que as mortes são decorrentes do excesso de frio. “Os peixes que morreram são tilápias, espécie que não é nativa da região e sofre muito com o frio. O lago também é muito raso para eles”. afirma Soraya.

“Eles serão enterrados numa área própria para isso, dentro do parque mesmo”, completa.

Fonte: Zero Hora

​Read More
Notícias

Frio pode ter matado peixes em Parque de Porto Alegre (RS)

Cenas de peixes mortos em águas turvas impressionaram ontem moradores de Porto Alegre (RS) em um dos principais parques da capital. Os animais boiando surpreenderam quem passava pelo lago do Parque Moinhos de Vento, o Parcão. De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sman), o frio teria sido a causa da morte de cerca de 80 tilápias, que foram retirados da água pela administração do parque.

O biólogo Albano Schwarzbold, doutor em ecologia aquática e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), diz que é possível sim que a soma de dias gélidos tenha causado a morte dos peixes.

Originárias da África, na região norte do Rio Nilo, não conseguiriam resistir a temperaturas muito baixas.

– Abaixo de 5°C ou 6°C, elas começam a morrer. É uma espécie exótica e não aguentaria permanecer nos nossos rios pela temperatura – sustenta Schwarzbold.

– Não dá para dizer com certeza que foi o frio pois é necessário uma análise e um estudo do local. Mas não é incomum – afirma o biólogo.

De acordo com o trabalhadores do parque, a mortandade das tilápias não é incomum, pois outros registros já teriam ocorrido em anos anteriores.

– Há dois anos houve a mesma coisa – lembra o guarda-parques Davi Lopes Leite.

O administrador Ricardo Correa Gass, 28 anos, demonstrou tristeza ao ver a situação. Ele passeava com a mãe, Elba Maria Correa Gass, 59 anos, quando viu os animais boiando.

– Fiquei surpreso porque moro há bastante tempo aqui e é a primeira vez que vejo os peixes nesse estado. É estranho os peixes morrerem por causa do frio. Acho que pode ser outra coisa, como a qualidade da água – aponta.

Fonte: Zero Hora

​Read More