Notícias

Joaquin Phoenix apoia campanha para evitar produtos de origem animal em janeiro

Foto: PETA
Foto: PETA

O ator Joaquin Phoenix está pedindo às pessoas que participem do “Veganuary” (Campanha Janeiro Vegano) e abandonem todos os produtos de origem animal durante o mês de janeiro.

A estrela do filme “Coringa” se uniu à Veganuary – uma organização global que incentiva as pessoas a experimentar uma alimentação vegana em janeiro e mais além – para incentivar o público a assinar o compromisso de 31 dias comendo apenas alimentos baseados em vegetais. Este ano, mais de 250 mil pessoas participaram – com 350 mil inscrições como a meta para 2020.

Ele se junta a uma série de outros ativistas pelos direitos animais, incluindo Alicia Silverstone, Mayim Bailik, Evanna Lynch, Monami Frost, George Monbiot, Jason Gillespie e muitos outros que apoiam a iniciativa.

“Violência no sistema alimentar”

“Se você olha para a crise climática ou a violência do nosso sistema alimentar e se sente impotente, pensando ‘eu gostaria que houvesse algo que eu pudesse fazer’ – você pode. Agora. Inscreva-se no compromisso para experimentar o veganismo em janeiro”, disse Joaquin Phoenix em uma declaração enviada ao Plant Based News.

Toni Vernelli, chefe de comunicações da Veganuary, acrescentou: “Cada um de nós pode ajudar a combater o caos climático com nosso garfo.

“A inscrição no Veganuary.com é uma maneira divertida e empoderadora de enfrentar essa séria ameaça global. Todos os nossos recursos são totalmente gratuitos, amigáveis e de apoio – então, por que não fazer sua parte pelo planeta e tentar?”

Anúncio de TV

O Veganuary espera que 2020 seja o seu maior ano da campanha até agora e, como parte disso, planeja exibir um anúncio pró-vegano na TV convencional nos EUA, Reino Unido e Alemanha entre o Natal e o Ano Novo.

A instituição lançou uma campanha de arrecadação de fundos para divulgar seu anúncio o mais amplamente possível. Cada doação feita na próxima semana será dobrada como parte do Desafio de Natal do “Big Give” – a maior campanha de arrecadação de fundos do Reino Unido.

"Se você olha para a crise climática ou a violência do nosso sistema alimentar e se sente impotente, pensando ‘eu gostaria que houvesse algo que eu pudesse fazer' - você pode. Agora. Inscreva-se no compromisso para experimentar o veganismo em janeiro" | Foto: Veganuary
“Se você olha para a crise climática ou a violência do nosso sistema alimentar e se sente impotente, pensando ‘eu gostaria que houvesse algo que eu pudesse fazer’ – você pode. Agora. Inscreva-se no compromisso para experimentar o veganismo em janeiro” | Foto: Veganuary

“No verdadeiro estilo Veganuary o anúncio é divertido, engraçado e sem julgamento, ainda assim é garantido que as pessoas questionem quão confortáveis elas realmente estão com suas escolhas alimentares”, diz a Veganuary.

O poder da publicidade na TV

“Todos conhecemos o poder da publicidade na TV para capturar a atenção das pessoas e influenciar seu comportamento. Portanto, realizar o primeiro anúncio pró-vegano na TV será um marco importante para o nosso movimento”, disse Toni Vernelli, chefe de comunicações da Veganuary, em um comunicado enviado ao Plant Based News.

“Nossa campanha de arrecadação de fundos oferece a todos a chance de fazer parte disso”.

“Graças ao Big Give, cada libra doada terá o dobro do impacto, mas só temos uma semana para arrecadar as 40 mil libras necessárias para realizar este anúncio ousado, novo e atraente na frente de milhões de pessoas e inspirá-las a experimentar este desafio vegano em Janeiro e além disso. O apoio de cada um pode ajudar a fazer história”. As informações são do Plant Based News.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Atriz e apresentadora Fearne Cotton revela se tornou vegana

A estrela Fearne Cotton diz que se comprometeu com o veganismo | Foto: Instagram/Fearne Cotton
A estrela Fearne Cotton diz que se comprometeu com o veganismo | Foto: Instagram/Fearne Cotton

A estrela, que publicou recentemente um livro de receitas vegano, foi ao Instagram para compartilhar as notícias com seus seguidores.

Ela fez um vídeo desejando a todos um feliz Dia Mundial do Veganismo e descreveu sua própria jornada vegana.

“Dê uma chance ao veganismo”

“Hoje é o Dia Mundial do Veganismo”, disse ela no vídeo. “Então, se você está flertando com a ideia de se tornar vegano, este é um ótimo dia para começar”.

“Meu marido, Jesse é vegano há uma semana. Eu estava avaliando a idéia de me tornar vegana há alguns anos, porém, mais recentemente eu me comprometi definitivamente e sou vegano há um mês”.

“Foi absolutamente maravilhoso ter mudado meu estilo de vida e eu gostei muito dessa transdofrmação. Se você quiser experimentar veganismo, experimente por um tempo, use a hashtag #GoVegan24 (#Sejaveganopor24horas) e faça isso por um dia, veja como você se sente e feliz Dia Mundial Veganismo”.

Campanha #GoVegan24

A campanha #GoVegan24 é uma iniciativa criada pela ONG vegana Viva! Para incentivar as pessoas a abandonar carne e laticínios por um dia e postar sobre sua experiência nas mídias sociais.

“O planeta e nossa vida selvagem estão sob enorme ameaça da pecuária e da pesca. O mundo natural está desaparecendo diante de nós”, disse a fundadora e diretora da entidade, Juliet Gellatley, em um comunicado enviado ao Plant Based News.

“Tornar-se vegano pode impedir isso. Estamos chamando as pessoas que estão inspiradas pela ideia de se tornarem veganas, é um passo inicial poderoso para experimentá-lo por apenas 24 horas. A #GoVegan24 é a maneira perfeita de explorar uma alimentação vegana. Tenho certeza que aqueles que o fizerem serão agradavelmente surpreendidos”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
jimmy_fallon_homem-branco-de-terno
Notícias

PETA organiza protesto para impedir Jimmy Fallon de receber animais selvagens em seu programa

Apresentar receberá expositor de animais selvagens nesta quinta-feira (26).


Por Heloiza Dias


O apresentador do programa de televisão norte-americano “The Tonight Show”, Jimmy Fallon, se prepara para receber nesta quinta-feira o expositor de animais Robert Irwin. Os animais são fornecidos a Irwin por Grant Kemmerer, que foi condenado por violar mais de cinco leis novaiorquinas, multado em 7.300 dólares no ano passado.

jimmy_fallon_homem-branco-de-terno
Andrew Lipovsky / NBC / NBCU Photo Bank via Getty Images

Um grupo de apoiadores do PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais), está organizando um protesto para se dirigir aos estúdios da NBC em Nova York.

“Quando eles não são arrastados para o caos e confusão de um estúdio de televisão, os animais selvagens usados para aparições na TV são frequentemente mantidos em confinamento íntimo e privados de oportunidades de praticar exercício, enriquecimento e companhia”, diz Lisa Lange, vice-presidente sênior da PETA.

O PETA defende o boicote ao programa de TV, pede que as pessoas tenham consciência e não compactuem dando audiência para esse tipo de conteúdo que expõe e maltrata animais.

Uma reportagem recente do National Geographic expôs em detalhes as condições as quais animais usados em entretenimento são expostos. Em sua maioria são separados de suas mães ainda filhotes e destinados a rigorosos treinamentos, onde são submetidos a espancamentos e castigos.

O PETA pediu ainda, para que ao invés de Fallon apoiar animais em condições degradantes, ele incentivasse a adoção de animais domésticos em situação de vulnerabilidade.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Novo programa do Animal Planet mostra adoção de animais ao vivo

No dia 10 de setembro, o Animal Planet estreou um novo programa que mostra animais disponíveis para adoção. O Give a Dog a Home: Live! (Dê um Lar para um Cachorro: Ao Vivo!) é uma parceria com a  Best Friends Animal Society (Sociedade Melhores Amigos dos Animais) e conecta os animais diretamente com os espectadores que querem adotar.

Um gatinho preto em uma gaiola
Foto: Thomas Park/Unsplash

Os animais apresentados no programa também podem ser encontrados nos sites dos abrigos e adotados. Embora o título se refira somente a cachorros, gatos e outros animais também estarão disponíveis para a adoção. Dicas de tratamentos e cuidados, assim como histórias de adoções que já aconteceram, também farão parte do programa.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Os cachorros entendem o que se passa na televisão?

Vídeos de cachorros vidrados na televisão, parecendo entender completamente o que está passando e até se emocionar com as imagens sempre aparecem pela internet. O último a se popularizar foi um vídeo de Falco, um cachorro que começa a chorar ao assistir Rei Leão, quando o pai de Simba morre. Mas será que os animais realmente entendem o que está acontecendo nas telas?

Um cachorro assistindo Rei Leão na TV
Foto: El País

Embora pareça que os animais conseguem entender as cenas, não há provas de que isso seja verdade.

Um estudo de 2016, que analisou 320 cachorros, percebeu que nem todos os animais tinham o mesmo comportamento ao assistir televisão. Inclusive alguns não apresentaram reação alguma.

Em contrapartida, um estudo de 2013 concluiu que os cachorros são capazes de reconhecer a própria espécie nas telas. Todos os animais presentes na pesquisa foram capazes de identificar, em meio a imagens de diversas espécies, seus semelhantes.

O que especialistas sabem, com certeza, é que os cachorros não enxergam as mesmas cores que os seres humanos. Ao contrário do que se pensa popularmente, eles não enxergam em preto e branco: percebem cores, mas não todas. Os cachorros distinguem, basicamente, o azul, amarelo, preto e branco.

Apesar de não existirem provas concretas de que os cachorros podem compreender filmes, séries e programas, é fato que a televisão chama a atenção de muitos, entretendo-os de alguma forma.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Equipe da CNN sobrevoa e registra imagens de regiões da Amazônia atingidas por queimadas

Foto: CNN
Foto: CNN

“A fumaça é tão espessa que às vezes o avião Cessna precisava subir para ficar fora dela. Às vezes, seus olhos queimam e você fecha as aberturas de ventilação para manter a cabine habitável. Às vezes é tão ruim, é difícil ver o quão ruim é realmente no chão abaixo”.

Foi dessa forma que a equipe de reportagem da rede de notícias CNN descreveu o voo feito por eles acima do estado mais afetado da Amazônia (durante a semana passada), Rondônia. Os repórteres classificaram a experiência como “exaustiva” principalmente devido à escala infinita da devastação.

“A princípio, a fumaça disfarçava o fluxo constante de campos incendiados e bosques; de estradas sinuosas que se transformavam em nada além de cinzas. Abaixo, as partículas cor de laranja de um pequeno fogo ainda podiam se enfurecer, mas grande parte da terra parecia um mausoléu da floresta que outrora a enfeitava”.

“Esta não é apenas uma floresta que está queimando”, disse Rosana Villar, do Greenpeace, que ajudou a CNN a organizar seu voo sobre as áreas danificadas e queimadas. “Isso é quase um cemitério. Porque tudo que você pode ver é a morte.”

A dura realidade da destruição é descrita como algo sobrenatural pela reportagem da CNN: uma visão conjurada por um alarmista para alertar sobre o que pode acontecer se o mundo não resolver sua crise climática agora. “No entanto, é real, e aqui e agora, e abaixo de nós, como estamos chamuscados pelo sol acima e a terra fumegante abaixo”.

Rondônia registrou 6.436 focos de incêndio até agora neste ano, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). A Nasa diz que o estado se tornou um dos locais mais desmatados da Amazônia. O Brasil tem 85% mais incêndios do que no ano passado – o número chegou até 80.626 em todo o país a partir de domingo à noite.

O presidente Jair Bolsonaro, após ser repreendido, chamado de mentiroso e ameaçado com sanções comerciais por parte de alguns líderes do G-7, declarou na sexta-feira que enviaria 43 mil soldados para combater o inferno na Amazônia. (Ele havia anteriormente demitido o diretor do INPE por divulgar números com os quais ele não concordava, e em seu discurso na sexta-feira ainda disse que a Amazônia deveria ser usada para enriquecer o povo do Brasil).

Foto: CNN
Foto: CNN

No entanto, enquanto a cidade amazonense de Porto Velho se encontra mergulhada em uma nuvem de fumaça que escurece suas manhãs, e do voo do avião de carga C130 sobre a floresta ao redor da qual a CNN registrou as imagens, não foi identificado nenhum sinal de aumento da presença militar no domingo.

“A tarefa é enorme, quase intransponível. Nas áreas onde a fumaça é mais intensa, o sol mal se arrasta para brilhar no rio. Eu vi um pássaro neste santuário natural em três horas. As chamas parecem se mover em uma linha firme através da savana, engolindo todo o que a floresta permanece em seu caminho”.

Construções ocasionais são avistadas, isoladas na terra recém-criada ao redor delas (pela devastação). Mas não há sinais de vida humana, apenas gado, preso nas nuvens rodopiantes e chamas. Eles são muitas vezes a razão para os incêndios: a corrida para a desflorestamento provocada por um crescente mercado global de carne bovina. O gado precisa da soja cultivada nos campos, ou para pastar na grama, e então se torna a carne bovina que o Brasil vende para a China, que agora entrou em uma guerra comercial com os Estados Unidos, mudando o mercado.

A razão para os incêndios é controversa, Bolsonaro disse que eles fazem parte da queima anual usual nesta época, a estação seca. Mas seus críticos, muitos deles cientistas, observaram que a política do governo de encorajar o desmatamento estimulou as queimadas, tanto pela limpeza da terra (para a criação de gado) que facilita a propagação do fogo, quanto dando vazão aos desejos dos fazendeiros menos escrupulosos que se sentiram livres para queimar à vontade.

Especialistas explicam que quanto mais floresta é desmatada, menos umidade é mantida sob sua copa e mais seca a terra fica. Quanto mais seca a terra fica, mais suscetível ela se torna de pegar fogo. Quanto mais fogo, menos floresta. Um ciclo auto-realizável já começou. A questão é quando ele se tornar irreversível.

O Brasil já está lidando com a probabilidade de mudanças permanentes em sua ecologia. “A Amazônia é extremamente fundamental para o sistema de água em todo o continente”, disse Villar, do Greenpeace. “Então, se cortarmos as árvores da floresta, não teremos chuva alguma no sul do país”.

“É difícil ver quaisquer previsão de um futuro negro como alarmistas neste ponto, quando você vê o horizonte se tornando invisível pela fumaça, as chamas avançando pelas planícies como lava, e ouve motoristas de táxi desinteressados dizerem que eles nunca viram a situação tão ruim”.

“O futuro apocalíptico está aqui e é impaciente” conclui a reportagem.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorrinho abandonado junto com poltrona velha e televisão quebrada permanece à espera do tutor

Foto: Sharon Norton
Foto: Sharon Norton

Bem ali, entre uma poltrona velha e uma televisão quebrada, abandonadas em um descarte cladestino de lixo, havia um pequeno coração esperançoso tentando tanto não se romper.

Era um filhote que não sabia que também fora descartado.

Na manhã de segunda-feira, a agente de controle de animais, Sharon Norton, foi alertada para essa cena de tristeza absoluta ao longo de uma rua tranquila no condado de Lincoln, no Mississippi (EUA).

Foto: Sharon Norton
Foto: Sharon Norton

Ela dirigiu para o local imediatamente – encontrando o pequeno filhote agarrado à vida em cima de uma poltrona velha, perto de onde uma TV tinha sido despejada também.

O cão estava morrendo de fome, mas evidentemente se recusou a sair, provavelmente acreditando que a pessoa que o colocou lá certamente retornaria para buscá-lo.

“Parecia que ele estava ali há cerca de uma semana”, disse Norton ao The Dodo. “Ele estava pele e ossos.”

Foto: Sharon Norton
Foto: Sharon Norton

Norton se aproximou do pobre filhote e assegurou-lhe que ela estava lá para ajudar. Ela deu a ele sua primeira refeição em dias.

Apesar da longa vigília do filhote, mantendo a esperança de que seu tutor retornaria, a presença de alguém que realmente se importava imediatamente o deixou à vontade.

“Ele ficou muito feliz quando eu o peguei e o levei para o caminhão de controle de animais”, disse Norton. “Eu podia sentir sua cauda batendo nas minhas costas, abanando. Ele sabe que está seguro agora.”

Foto: Sharon Norton
Foto: Sharon Norton

Norton, desde então, vacinou e desparasitou o cão, e colocou-o na segurança do abrigo de animais Brookhaven Animal Rescue League, no Mississippi.

Depois disso, ele estará disponível para adoção.

Infelizmente, disse Norton, este caso de abandono não é o pior que ela já viu – mas, ao divulgar o caso e suas imagens, ela está otimista de que a justiça será cumprida.

Foto: Brookhaven Animal Rescue League
Foto: Brookhaven Animal Rescue League

“Espero que alguém que reconheça o filhote e a poltrona junte dois ou dois e me envie uma mensagem para me ajudar a encontrar a pessoa que fez isso”, disse ela.

O cãozinho abandonado foi apelidado de Lazy Boy Gatson e foi adotado por um casal Dave e Sommer que dirigiram de Plymouth para encontrá-lo e levá-lo para casa. A vida de solidão de Lazy Boy finalmente chegou ao fim e ele será muito amado em seu novo lar.

Foto: Brookhaven Animal Rescue League
Foto: Brookhaven Animal Rescue League

O cachorrinho abandonado da história esta seguro, protegido teve um final feliz e encontrou uma família amorosa, porém muitos outros animais são abandonados e aguardam por uma segunda chance, muitos deles vagam nas ruas sem sequer terem sido resgatados.

Foto: Brookhaven Animal Rescue League
Foto: Brookhaven Animal Rescue League

Ao adotar um animal adquire-se a responsabilidade sobre uma vida, um ser capaz de capaz e sofrer, assim como os seres humanos e que jamais pode ser descartado. Isso é um crime, senão perante os homens ao menos perante a consciência.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Programa da Record aborda veganismo e mostra que alimentação vegana não é cara

O programa Câmera Record do último domingo (4) foi inteiramente dedicado ao veganismo. O programa focou na dieta e não na ideologia vegana de respeito aos animais, mas prestou um bom serviço ao divulgar o que é ser vegano, solucionando dúvidas e apresentando o veganismo aqueles que o desconheciam.

Foto: Pixabay/Ilustrativa

Foram mais de 50 minutos dedicados ao tema. Dentre as questões abordadas, foi explicado que não é caro ser vegano. Para provar isso, o programa acompanhou a rotina de dois irmãos veganos que moram na periferia de Campinas (SP) e que, inclusive, têm um perfil em rede social dedicado a provar que a alimentação vegana não é cara.

Dentre os entrevistados pelo Câmera Record estavam a apresentadora Xuxa e seu namorado, o ator Junno Andrade.

“Como é que eu posso amar um cachorro, um gato, um passarinho… e um porco, só porque não faz miau ou auau, eu vou querer comer?”, questionou Xuxa.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More
Notícias

Canal de televisão veta da programas que exploram animais

O canal de televisão por assinatura Travel Box Brazil, que produz conteúdo sobre viagem e turismo, decidiu que, a partir deste mês, não irá mais exibir programas que exploram animais.

Foto: Pixabayixx

Segundo um comunicado do canal, o objetivo é “exibir o mundo por olhos de brasileiros partindo da premissa de que o caminho é mais importante que o destino” para mostrar “que é completamente possível exibir um conteúdo de qualidade sem incentivar este tipo de prática”. As informações são do portal Minha Operadora.

A decisão foi tomada para atender aos anseios de assinantes do grupo Box Brazil, que se mostraram preocupados com as causas animal e ambiental. O último conteúdo a ser exibido pelo canal, com exploração animal, foi relacionado à pesca.

“É perfeitamente possível exibir uma programação de qualidade e entreter os nossos telespectadores sem que isso incentive a prática de exploração animal. A preservação do meio ambiente é uma pauta que precisa ser encarada com urgência no Brasil e no mundo e cabe aos meios de comunicação e formadores de opinião se posicionarem a respeito”, afirma Ramiro Azevedo, coordenador-geral do Travel Box Brazil.

“Esse posicionamento do Travel Box Brazil vai ao encontro de nossa visão de promoção da sustentabilidade e de promoção de destinos ou atividades turísticas que não ofendam o meio ambiente ou a vida em nosso planeta. Por isso, os programas que fomentam a exploração animal não terão mais espaço nesse canal”, ressalta José Wilson da Fonseca, vice-presidente do grupo Box Brazil.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. Doe agora.


 

​Read More
Notícias

Caçadora que postou foto com girafa morta se gaba de ter caçado o “delicioso” animal

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Além de matar, tirar uma foto sorrindo ao lado do cadáver do animal e postar imagem de forma desrespeitosa no Facebook, se gabando do feito – e causando revolta nas redes sociais – a caçadora americana responsável pela morte da girafa idosa em um “safari dos sonhos”, disse que estava orgulhosa de ter caçado o animal, que ela afirmou ser “delicioso” de se comer.

A texana Tess Talley, de 38 anos, provocou uma onda de revolta on line no verão passado, quando postou os registros fotográficos de seus atos covardes durante uma viagem de caça no ano anterior na África do Sul.

“As orações pela minha caçada dos sonhos fizeram com que ela se tornasse realidade hoje” ela escreveu ao lado da imagem. – “Vi essa imensa girafa negra e a persegui por um bom tempo. Eu sabia que era a único. Ela tinha mais de 18 anos, 4.000 libras (quase 2 mil kg) e fui abençoado por poder extrair 2.000 (cerca de 900 kg libras) de carne dela”.

Tallley recentemente defendeu ainda mais suas ações, aparecendo na rede de televisão americana CBS para dizer que caçadores como ela contribuem para a preservação a longo prazo dos animais, gerenciando populações e financiando a conservação da vida selvagem. Ela também disse que a girafa macho idosa, cuja pele ela tinha usado para fazer capas de almofada e um estojo de rifle, era deliciosa de se comer.

“É um hobby, é algo que adoro fazer. Tenho orgulho de caçar. E eu tenho orgulho de ter matado dessa girafa”, disse ela, dizendo que a caça da girafa era um desejo antigo.
Quando foi questionada por estar claramente sorrindo nas imagens que ela postou com o animal, ela disse: “Você faz o que gosta de fazer. É alegria. Se você não ama o que faz, não vai continuar a fazer isso”.

Ela confessou ainda que embora gostasse de caçar, sentia uma pontada de remorso.

Mostrando completa alienação ou apreço pelo valor da vida da girafa a caçadora diz: “Todo mundo acha que a parte mais fácil é puxar o gatilho. E não é”, ela disse. “Essa é a parte mais difícil. Mas você ganha muito respeito e muito apreço pelo animal porque sabe o que esse animal está passando. Eles são colocados aqui para nós. Nós os pegamos, nós os comemos”.

Em um comunicado, Kitty Block, presidente e CEO da Humane Society dos Estados Unidos e da Humane Society International, disse: “A caça ao troféu da girafa mostra um desrespeito absoluto e arrogante pelo status ameaçado de uma espécie icônica.

“Uma estimativa de 2015 descobriu que menos de 100 mil girafas permanecem em estado selvagem na África, e nossa investigação de 2018 revelou que quase 4 mil troféus derivados de girafas foram importados para os EUA na última década.”

Ela disse que as girafas estão enfrentando “uma série de ameaças, incluindo a caça e a fragmentação de habitats”.

Ela acrescentou: “O péssimo estado de conservação jamais poderia ser agravado pelo horror dos caçadores de troféus empenhados em matar esses animais ameaçados por troféus insensatos e macabros”.

A presidente da PETA, Ingrid Newkirk, afirmou que caçadores de troféus como Talley tinham “buracos onde seus corações deveriam estar e uma conexão de empatia faltando em sua conexão cerebral”.

“Com oportunidades ilimitadas para diversão, fala-se muito que este pequeno subgrupo da população humana se diverte em tirar a vida de outros seres que não pedem nada da vida, além da chance de viver em paz”, disse ela ao The Independent.

“Essas tentativas desses seres humanos insensíveis de ceder sua sede de sangue em alegações ridículas de conservação (ênfase no engodo) dizem ainda mais sobre suas personalidades vazias”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Gatinho filhote abandonado é resgatado com cadarço amarrado ao seu pescoço

Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Foto: Paws Crossed Animal Rescue

Timofey Yuriev estava dirigindo por uma rua em Yonkers, Nova York (EUA), quando viu com o canto dos olhos alguma coisa muito pequena rastejando lentamente por uma calçada movimentada. Assim que ele percebeu que era um gatinho, Yuriev soube que tinha que parar e ajudá-lo.

“Havia um ponto de ônibus e pessoas andando por ali, mas ninguém estava prestando atenção no pequeno gatinho”, disse Yuriev ao The Dodo. “Então eu parei imediatamente porque ele estava rastejando para a rua e seria morto pelas carros, e quando cheguei perto o suficiente do gatinho, vi que ele tinha um cadarço amarrado firmemente em volta do pescoço”.

Yuriev ficou chocado e enojado quando percebeu que alguém havia amarrado cruelmente um cadarço no pescoço do gatinho indefeso, e rapidamente começou a tentar desatá-lo. O pobre gatinho ficou absolutamente apavorado depois de tudo pelo que passou e se recusou a olhar nos olhos de seu salvador.

Laces com cadarço no pescoço | Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Laces com cadarço no pescoço | Foto: Paws Crossed Animal Rescue

Demorou cerca de cinco minutos até que Yuriev pudesse desatar completamente o cadarço e finalmente libertar o gatinho, mais tarde chamado de Laces.

“Assim que eu libertei o gatinho, ele começou a miar em seguida”, disse Yuriev. “Ele não conseguia nem miar antes pois o cadarço estava muito apertado em volta de seu pescoço. O felino começou a gritar um pouco, ainda muito assustado. Ele não tentou me arranhar nem nada, ele estava muito fraco, então eu o coloquei no carro e ele tentou subir o mais longe que pôde para a escuridão, se escondendo sob o assento”.

Depois de resgatar pequeno Laces, Yuriev levou-o diretamente para ONG Paws Crossed Animal Rescues, para que ele pudesse receber a ajuda e os cuidados necessários. Todos no abrigo ficaram consternados ao ouvir sobre a história do gatinho, e não ficaram surpresos que ele estivesse com tanto medo de todos e de tudo ao seu redor. O veterinário estimou que ele tinha cerca de 2 meses e meio de idade, e além de estar abaixo do peso, estava realmente em bom estado, considerando toda a situação.

Laces em seu novo lar | Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Laces em seu novo lar | Foto: Paws Crossed Animal Rescue

“Ele estava muito magro, desidratado e com alguns arranhões”, disse Julie Potter, gerente de negócios e desenvolvimento da Paws Crossed Animal Rescue, ao The Dodo. “Principalmente ele estava muito, muito assustado e completamente inseguro ao redor das pessoas – mas você pode culpá-lo?”

No entanto, apesar de tudo o que ele passou, não levou muito tempo para que Laces começasse a se aproximar de todos os seus novos amigos, e logo todo o abrigo se apaixonou perdidamente por ele. Quando descobriu que adorava abraçar e ser acariciado, ele se tornou dócil com todos e ninguém ficou surpreso quando, apenas uma semana e meia depois de chegar ao abrigo, ele já tinha uma nova família em potencial.

Lisa Salvadorini e Laces | Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Lisa Salvadorini e Laces | Foto: Paws Crossed Animal Rescue

Lisa Salvadorini, âncora do programa News 12 Westchester, estava lendo uma história que sua emissora fez sobre Laces e imediatamente se apaixonou. Ela sabia desde o momento em que o viu que ele deveria ser um membro de sua família.

“Eram 5 da manhã e eu estava lendo as notícias da manhã”, disse Salvadorini ao The Dodo. “Eu vi seu rostinho fofo e disse para minha co-âncora: ‘Eu preciso trazer esse gatinho para casa!’ Todos no estúdio, até mesmo as pessoas que não gostavam de gatos, se encantaram pelo pequeno Laces e acharam uma ótima ideia”.

Naquele mesmo dia, Salvadorini foi ao Paws Crossed Animal Rescue para encontrar Laces, e confirmou suas suspeitas de que ele deveria ser seu gato. Seus dois filhos nunca tiveram um gato antes, e ela estava confiante de que Laces seria o melhor primeiro gato que uma família poderia desejar.

Lisa, Laces e a equipe da ONG | Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Lisa, Laces e a equipe da ONG | Foto: Paws Crossed Animal Rescue

Como Laces ainda é muito jovem, Salvadorini o levou para casa como um “lar temporário para adoção posterior”, e uma vez que ele alcance aidade de ser castrado, ela e sua família podem tornar oficial a adoção. Salvadorini decidiu não contar aos filhos sobre Laces até que ela o trouxesse para casa, e eles ficaram tão surpresos e radiantes quando a mãe deles entrou com um gatinho que não queriam nada mais do que ficar ao lado dele para sempre.

“Foi uma grande surpresa”, disse Salvadorini. “Eles estavam em choque por terem um gatinho na família! Meus filhos tinham lágrimas de alegria nos olhos quando o conheceram pela primeira vez. Eles o inundaram de amor desde então”.

Laces em seu novo lar | Foto: Paws Crossed Animal Rescue
Laces em seu novo lar | Foto: Paws Crossed Animal Rescue

Laces já se acomodou completamente em sua casa e não poderia estar mais feliz com sua família. Ele adora conhecer todos os amigos e vizinhos e depois de ouvir sua história, todo mundo fica chocado com o quão alegre e brincalhão ele é. Laces não deixou seu passado afetá-lo, e agora ele tem uma vida inteira de felicidade pela frente para viver com sua nova e amorosa família.

“O abrigo deu a ele o nome de Laces (laços, de cadarço, na tradução livre)”, disse Salvadorini. “Nós amamos isso, porque agora transformamos algo negativo em algo positivo!”

​Read More
Destaques, Notícias

Programa de TV chinês abusa de animais e os força a se comportarem como humanos

Um programa semanal televisionado na China obriga um chimpanzé e um buldogue a se vestirem como crianças e a realizarem uma série de tarefas humanas.

De acordo com informações da MailOnline, os dois animais foram regularmente espancados e ameaçados nos bastidores quando não realizavam as atividades.

Miya, o chimpanzé, e Dongdong, o buldogue, estrelam o programa chamado “We Are Friends”. Nele, os dois são obrigados a completar três desafios em cada episódio, como lavar a louça, usar um smartphone e até assistir a uma aula com crianças.

Miya, o chimpanzé, e Dongdong, o buldogue, são forçados a realizarem um programa de TV na China (Foto: Daily Mail Online)

Uma fonte anônima, que alega ter trabalhado para o programa, enviou uma queixa dos maus-tratos à PETA Asia no mês passado logo após o lançamento do programa.

Ela teria mandado uma compilação de vídeos que mostram os treinadores arrastando e chutando os animais em várias ocasiões.

Também é dito que os dois animais foram vistos se machucando no local das filmagens, um comportamento interpretado por especialistas em animais como sinal de medo e ansiedade.

Um insider forneceu um vídeo para a PETA Asia mostrando os animais sendo abusados pela produção (Foto: Daily Mail Online)

Outro ex-funcionário do programa disse ao MailOnline que ele teve que parar de trabalhar para o programa porque “não podia suportar a maneira como a equipe de produção tratava os animais”. A fonte alegou que o show foi filmado na Tailândia no verão.

Ele acrescentou que alguns trabalhadores no local protestaram contra o tratamento dos animais, mas o diretor do programa insistiu em continuar filmando.

Crueldade disfarçada de entretenimento

Em cada episódio do programa, um narrador conta uma história e explica o que os animais devem sentir e pensar, como se fossem crianças pequenas.

Miya é o personagem principal para enfrentar desafios, enquanto Dongdong é o seu companheiro. No final de cada episódio, o narrador encoraja as crianças a seguirem o “bom exemplo” dos personagens.

Miya é obrigada a passear com Dongdong em uma coleira no reality show chinês (Foto: Daily Mail Online)

Até agora, Miya foi obrigada a andar com Dong Dong na coleira, limpando as janelas, calçando sapatos de couro, fazendo compras em uma loja de animais, usando um banheiro e escrevendo os deveres de casa.

O narrador diz aos espectadores que Miya rega todas as flores em seu jardim todos os dias (Foto: Daily Mail Online)

Para isso acontecer, entretanto, os dois animais foram submetidos a abusos físicos e obrigados a trabalhar mais de 10 horas por dia, afirmou um insider.

De acordo com “We Are Friends”, Miya e Dongdong embarcaram em uma “viagem mágica para entrar na sociedade humana” na Tailândia e devem dar bons exemplos para as crianças com seu comportamento.

Miya e Dongdong são obrigados a assistir a uma aula com um grupo de crianças no programa (Foto: Daily Mail Online)

Miya é descrita como “inteligente”, “cautelosa” e “desobediente”, enquanto Dongdong é “gulosa”, “corajosa” e “impulsiva”.

Lançado em 9 de setembro, o “We Are Friends” é transmitido todos os domingos no horário nobre, através da Zhejiang Satellite Television Station para os telespectadores da China.

É comercializado como um show familiar. Cada um dos seus 12 episódios tem uma hora de duração.

A estação de televisão por satélite de Zhejiang é uma das mais influentes estações de televisão por satélite na China e é conhecida pelos seus vários espetáculos de entretenimento.

Miya sendo obrigada à lavar a louça em episódio (Foto: Daily Mail Online)

O posicionamento da organização

A PETA Asia pediu, por meio de uma publicação na plataforma Weibo, um boicote contra o programa, descrevendo-o como “extremamente cruel”, “imortal” e “enganoso”. Os usuários da rede social expressaram apoio à campanha.

Um porta-voz da PETA Ásia disse ao MailOnline: “A única realidade neste show é a crueldade. Este é apenas mais um exemplo de animais sendo explorados e abusados ​​na China e na Tailândia, onde as leis de proteção animal são fracas e inexistentes”.

Miya é encarregada de colocar um par de sapatos antes de ir para uma aula com um grupo de crianças (Foto: Daily Mail Online)

Um usuário de nome HeiMinZheng escreveu: “Animais são animais. A produção não deve abusar deles por valor de entretenimento para aumentar a audiência. Eles são fofos e parecidos com humanos, mas isso não significa que os humanos podem forçá-los a fazer o que eles acham que são coisas ‘mágicas'”.

Outro usuário de nome Zhou Beilei Manon1994 exigiu que o programa fosse suspenso e que os animais fossem resgatados.

O chimpanzé recebe um celular para promover um aplicativo chamado TUES (Foto: Daily Mail Online)

Comentários de usuários sugeriram que o programa foi baseado em “A Aventura de Pan e James”, um reality show do Japão de 2005, que também contava com animais: o chimpanzé Pan-kun e o buldogue James.

​Read More