Notícias

Crise e mudanças climáticas: pássaros migratórios caem do céu sem vida

Alguns pássaros mortos encontrados por biólogos, no Novo México | Foto: Reprodução Allison Salas/ New Mexico State University

Milhares de pássaros migratórios morreram inexplicavelmente no sudoeste dos Estados Unidos, no que os ornitólogos (cientistas que estudam aves) descrevem como uma tragédia nacional que provavelmente está relacionada à crise climática.

Aves como tiranídeos – da família dos bem-te-vis –, andorinhas e toutinegras estão entre as espécies que “caíram do céu”. Essas mortes em massa percorreram estados como Novo México, Colorado, Texas, Arizona e mais ao norte em Nebraska, cientistas temem que essas mortes podem chegar a centenas de milhares, como conta Martha Desmond, professora do departamento de biologia da New Mexico State University (NMSU).

“Eu coletei mais de uma dúzia em apenas um trecho de três quilômetros na frente da minha casa”, comenta Desmond. “Ver isso, pegar essas carcaças e perceber como isso está espalhado é pessoalmente devastador. Ver tantos indivíduos e espécies morrendo é uma tragédia nacional”, lamenta.

Um dos milhares de pássaros encontrados mortos no Novo México | Foto: Reprodução Allison Salas/New Mexico State University

Os pássaros migratórios voam para o sul, saindo do Alasca, passam pelo Canadá, sudoeste dos Estados Unidos para chegarem no inverno nas Américas Central e do Sul. Neste percurso é crucial que pousem todos os dias para se alimentarem e continuar o trajeto.

Cientistas acreditam que os incêndios florestais históricos no oeste dos EUA podem significar que eles tiveram que redirecionar, sua migração para longe de áreas costeiras ricas em recursos e mover-se para o interior, sobre o deserto de Chihuahuan, onde comida e água são escassos, significando que eles morreram de fome. É o que mostra uma Alisson Salas da NMSU em sua página no Twitter, ela disse: “Eles são literalmente apenas penas e ossos”, e observa, “Quase como se estivessem voando até que não pudessem mais voar.”

Os estados do sudoeste dos Estados Unidos, experimentaram condições extremamente secas – que se acredita estarem relacionadas à crise climática – o que significa que pode haver menos insetos, a principal fonte de alimento para as aves migratórias. Uma onda de frio no inicio de setembro também pode ter piorado as condições para as aves.

Qualquer um desses eventos climáticos pode ter feito com que as aves iniciassem sua migração mais cedo, sem acumular reservas de gordura suficientes. Outra teoria é que a fumaça dos incêndios florestais pode ter danificado seus pulmões. “Pode ser uma combinação de coisas. Pode ser algo que ainda é completamente desconhecido para nós ”, afirma Salas.

Queimadas assolam o sudoeste dos Estados Unidos | Foto: Reprodução Google Images

As primeiras mortes foram relatadas em 20 de agosto no White Sands Missile Range, no Novo México. Inicialmente, pensava-se que os incidentes não estavam relacionados, mas graças as redes sociais, os cientistas perceberam que eles estavam acontecendo em toda a região. Espécies de pássaros residentes no país, como pássaro marrom de bico curvo, gracula de cauda grande e pombos de asas brancas não parecem ter sido afetados.

Relatórios sugerem que alguns pássaros têm mostrado um comportamento incomum antes de morrer – tornando-se letárgicos (estado de cansaço que envolve diminuição da energia, da capacidade mental e da motivação), acessíveis e se reunindo em grupos. Espécies que normalmente repousam em árvores e arbustos foram vistas pulando no solo em busca de insetos, explica Martha.

A crise climática também está mudando biomas como a tundra, onde muitas dessas aves se reproduzem, enquanto a destruição das florestas tropicais na América Central e do Sul está prejudicando seus habitats de inverno. Desde 1970, três bilhões de pássaros foram vitimados nos Estados Unidos e Canadá. Mortes em massa como essas podem ter efeito sobre as populações de espécies comuns e sensíveis. É o que salienta Salas: “Estamos atacando eles de todos os lados… se não fizermos nada para proteger seu habitat, vamos perder um grande número de populações de várias espécies.”

Bioma Tundra é ameaçado pela crise climática | Foto: Reprodução Pixabay

Os cadáveres dos pássaros estão sendo enviadas ao laboratório forense do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos em Oregon e ao National Wildlife Health Center em Wisconsin para testes. Cientistas estão pedindo às pessoas das regiões afetadas, que ao verem pássaros mortos registrem e encaminhem para o site de ciência cidadã inaturalist.

A diretora de comunicações do departamento de Caça e Pesca do Novo México, Tristanna Bickford, argumenta que a crise climática seja uma possibilidade, mas não é possível afirmar. “Até recebermos os relatórios reais do National Wildlife Health Center, não podemos dizer o que está ou não acontecendo”, acrescentou ela.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More