Notícias

Consumo de sopa de morcego pode ter disseminado coronavírus na China

A sopa é consumida na cidade de Wuhan, onde surgiram os primeiros focos da doença 


O consumo de sopa de morcego em Wuhan pode ter sido o responsável por disseminar o coronavírus entre humanos na China. Mais de 600 pessoas foram infectadas e 17 morreram.

Reprodução/Extra

Com a suspeita, imagens da sopa começaram a ser divulgadas nas redes sociais, de acordo com o Daily Star. Não há, no entanto, nenhuma confirmação oficial a respeito da possível ligação entre a sopa e o vírus. As informações são do jornal Extra.

Um estudo publicado na terça-feira (21) na revista “Science China Life Sciences” analisou a relação entre a nova cepa e outros vírus. A pesquisa foi patrocinada pela Academia Chinesa de Ciências de Pequim e concluiu que o coronavírus, que surgiu em Wuhan, está ligado a uma cepa existente em morcegos.

“O fato de os morcegos serem os hospedeiros nativos do Wuhan CoV (coronavírus) seria um raciocínio lógico e conveniente, embora ainda seja provável que haja hospedeiros intermediários na rede de transmissão de morcegos aos seres humanos”, disseram os pesquisadores, que não fizeram especulações sobre qual seriam esses hospedeiros intermediários. No entanto, outro estudo da Universidade de Pequim, publicado na quarta-feira (22) no “Journal of Medical Virology”, apontou as cobras como possíveis transmissoras.

Para chegar nessa conclusão, segundo a revista “New Scientist”, os pesquisadores compararam o genoma de cinco amostras do novo vírus com 217 vírus semelhantes coletados em diversas espécies. O estudo descobriu que o coronavírus é parecido com a cepa encontrada em morcegos, mas é ainda mais semelhante ao vírus encontrado em cobras.

Wuhan é também um dos maiores centros de venda de carne de cachorro, sendo alguns cozidos ainda vivos conforme denunciam ativistas chineses. O mercado fechado após a disseminação do vírus vende, além de cães vivos e mortos para consumo, animais selvagens e silvestres, como cobras, lagartos e raposas. Leia mais AQUI

Nota da Redação: o consumo de produtos de origem animal é uma prática cruel que condena animais a intenso sofrimento. Morcegos, assim como seres de qualquer outra espécie, devem ter resguardado o direito de viver suas vidas em paz, no habitat, sem que sejam mortos para satisfazer o paladar humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Rapper Jermaine Dupri oferece jantar de Ação de Graças vegano para famílias necessitadas

Foto: Jermaine Dupri
Foto: Jermaine Dupri

No sábado (23/11), o rapper Jermaine Dupri ofereceu uma refeição vegana em comemoração ao Dia de Ação de Graças na Igreja Batista West Hunter Street, em Atlanta, nos Estados Unidos, para atender famílias carentes.

O rapper fez uma parceria com o grupo de defesa dos direitos animais People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) para oferecer a refeição, que incluiu peru vegano assado, recheio, purê de batatas, molho de cogumelos e torta de abóbora.

As famílias também receberam assados de Tofurky (peru vegano feito de tofú, um queijo de soja) para levar para casa: “Sou vegano há mais de uma década e, para mim, não há nada melhor para me sentir bem e saber que estou ajudando o planeta e os animais”, disse Dupri.

“Esse feriado é sobre o espírito de doar, e a PETA e eu queremos oferecer às pessoas em Atlanta uma refeição de Ação de Graças saudável, humana e deliciosa”, disse o músico.

No último final de semana, Atlanta também abrigou o primeiro Festival e Concerto à Base de Vegetais “Plant Based Drippin”, um evento multifacetado patrocinado por Lululemon e hospedado pelo rapper Grey – conhecido pelo rap freestyle feito sobre o Dia de Ação de Graças vegano que viralizou em um vídeo de 2016.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Quinze espécies de tubarão são classificadas como criticamente ameaçadas de extinção

Foto: Wold Animal News
Foto: Wold Animal News

O lançamento, semana passada, da avaliação da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) conhecida como Lista Vermelha das Espécies classificou espécies de peixe-guitarra-gigante (Rhynchobatus djiddensis) e arraia como os peixes marinhos mais ameaçado no mundo.

As novas avaliações da Lista Vermelha da IUCN classificaram todas, exceto uma das 16 espécies de tubarões de águas mornas, como criticamente em perigo, com declínio nas populações das espécies de mais de 80% nos últimos 30 a 45 anos, principalmente devido à pesca.

As avaliações atualizadas e a pesquisa revisada ocorrem quatro meses após a IUCN ter anunciado um aumento no nível de ameaça atualizado para espécies de tubarões mako de barbatana longa e curta com uma queda de 90% nas águas do Atlântico nos últimos 75 anos.

Esses declínios são em grande parte devido ao valor de suas barbatanas – que são comercializadas globalmente e valorizadas para uso em sopa de barbatana de tubarão, essas quedas fazem com que o preço de todas as barbatanas aumentem ainda mais em centros comerciais como Hong Kong.

As avaliações da IUCN acrescentam peso ao argumento sobre a necessidade de regulamentos comerciais mais severos que serão debatidos durante a próxima 18ª Conferência das Partes (CoP18) da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestres (CITES) a partir de 17 de agosto em Genebra.

Três propostas que juntas listariam os tubarões mako, de barbatana longa e curta, 10 espécies de arraias e seis espécies de peixe-guitarra-gigantes no Apêndice II da CITES, atraíram um número recorde de apoiadores, com 67 governos co-patrocinando uma ou mais propostas de listagem. .

“Estes declínios preocupantes da população de importantes espécies de tubarões não podem mais ser ignorados – 17 das 18 espécies consideradas para inclusão agora são avaliadas como em perigo ou criticamente ameaçadas globalmente”, disse Luke Warwick, diretor associado de conservação de tubarões e arraias na Wildlife

ConservationSociety ( WCS). “Se não agirmos agora, perderemos esses animais e o papel único que eles desempenharam nas redes de alimentos marinhos desde a época dos dinossauros.”

A WCS uniu forças com o Pew Charitable Trusts, a Humane Society International, o International Fund for Wild Animals e a Florida International University com financiamento e gerenciamento da Vulcan Inc. e Shark Conservation Fund para apoiar as propostas de listagem por meio de divulgações de fundo educativo e de defesa dos animais.

De acordo com essa coalizão que Warwick representa, dois terços dos governos presentes na CoP da CITES precisarão votar a favor das propostas progressistas de listagem de tubarões para sua aprovação.

Todas essas espécies são muito comercializadas por suas barbatanas que alcançam um alto valor e, no caso dos tubarões mako, também por sua carne. Eles são pescados e comercializados globalmente, e têm taxas reprodutivas muito baixas que deixam suas populações especialmente vulneráveis à pesca.

“A conferência da CITES é um ponto crucial nos esforços globais para salvar esses tubarões e os arraias”, disse Warwick. “Esta pode ser nossa última chance de estabelecer medidas que gerem proteção e manejo adequado para essas espécies, antes que elas sejam perdidas para sempre.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Restaurante serve sopa vegana de barbatanas de tubarão para comemorar o Ano Novo Chinês

 

Foto: VegNews

A refeição custa US $ 30 por pessoa e terá versões veganas de pratos tradicionais chineses, como bolinhos cozidos no vapor, berinjela , costelas vegetarianas assadas com daikon e uma sopa vegana de barbatanas de tubarão.

Nos últimos anos, a sopa – tradicionalmente feita com barbatanas  de tubarões vivos que são jogados no oceano – perdeu popularidade na China continental e, em 2017, a principal companhia aérea, a Air China, proibiu o transporte das barbatanas em suas aeronaves para combater a crueldade contra os animais, revelou a VegNews.

​Read More
Receitas Veganas

Sopa de beterraba

Esta é uma maneira bem gostosa para servir a beterraba, que é um alimento bastante nutritivo e que tem uma cor linda. Se preferir, adicione mais temperos, como salsinha e cebolinha picadas.

Divulgação

Ingredientes

2 dentes de alho bem picados
1/2 xícara (de chá) de cebola picada
1 e 1/2 xícara (de chá) de beterraba sem casca e picada (equivalente à uma beterraba grande)
1/2 xícara (de chá) de batata inglesa picada (equivalente à uma batata pequena)
2 xícaras (de chá) de água
Sal a gosto
Creme de soja ou leite de coco para finalizar (opcional)

Modo de preparo

Em uma panela em fogo médio, coloque um fio de óleo e refogue o alho e a cebola até ficarem levemente dourados. Acrescente a beterraba picada e refogue por 5 minutos. Em seguida, adicione a batata picada (que tem o cozimento mais rápido), e tempere com sal (e mais outros temperos, se você preferir), e refogue por alguns minutos.

Acrescente a água e deixe ferver até a beterraba e a batata ficarem bem macias. Corrija o sal, se necessário. Desligue e espere esfriar por pelo menos 10 minutos antes de bater, para não correr o risco de espirrar caldo quente, devido ao vapor. Coloque a mistura em um liquidificador e bata até obter um creme uniforme.

Se achar necessário, esquente para servir, e se gostar, decore com creme de soja ou leite de coco por cima (também ajudam a dar cremosidade à sopa).

Fonte: Presunto Vegetariano

​Read More
Receitas Veganas

Sopa de cebola

Divulgação

Comumente lembrada pelo sabor ardido, a cebola se torna a estrela de um prato incrível que promete desmitificar essa fama injusta. Cebolas são ricas em vitaminas A, B e C, e sais minerais como ferro, potássio, sódio, fósforo e cálcio.

Ingredientes

3 colheres (de sopa) de azeite
700g cebolas bem fatiadas (5 cebolas grandes)
3 colheres (de sopa) de farinha de trigo ou farinha aveia
5 xícaras (de chá) de caldo legumes (receita ensinada neste post)
1 folha de louro
1 pitada de noz moscada
1 pitada de cominho
Sal a gosto

Modo de preparo

Em uma panela em fogo médio, coloque o azeite, as cebolas, tempere com sal e refogue por cerca de 30 minutos ou até as cebolas ficarem bem douradas. Procure mexer de vez em quando para não queimar.

Em seguida, adicione a farinha de trigo ou farinha aveia de uma só vez, misture bem e rapidamente já coloque o caldo legumes. Misture e se quiser adicione temperos, como louro, noz moscada e cominho. Tampe e deixe cozinhar por mais 20 minutos em fogo baixo. Corrija o sal, se necessário. Desligue, remova a folha de louro e se quiser bata com um mixer ou liquidificador. Você pode bater tudo, não bater, bater uma parte apenas… Está pronto!

Fonte: Presunto Vegetariano

​Read More
Notícias

Primatóloga Jane Goodall denuncia fazendas de carne de cachorro na Coreia

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/HumaneSociety
Reprodução/HumaneSociety

É a época mais quente do ano na Coreia do Sul, o que significa que aproximadamente um milhão de cães estão sendo mortos porque as pessoas acreditam equivocadamente que beber sopa destes animais – chamada “Bok Nal” provoca um resfriamento no sangue.

Por isso, a renomada primatóloga e amante de animais Jane Goodall fez uma declaração em vídeo em nome dos cães que não podem se defender, segundo o The Dodo.

“Sempre tive um grande amor por cães”, disse Goodall em um vídeo exibido durante uma conferência de ativistas com o propósito de acabar com a matança destes animais.

A conferência foi organizada pelo grupo Defensores dos Direitos Animais da Coreia (KARA) e ocorreu no dia 5 de agosto enquanto a Bok Nal tem sido produzida no país.

“Quando eu era criança, eu tinha um relacionamento com [um cão] que me ensinou tanto sobre o comportamento animal”, explicou Goodall.

“Eles foram domesticados e têm sido os melhores amigos dos homens por, provavelmente, 15 mil anos ou há mais tempo. Os cães fizeram muito por nós. Guardaram os nossos pertences, as pessoas, guiaram cegos, ajudaram as crianças autistas a lerem e muito mais”, completou.

Infelizmente, o brutal comércio de carne de cachorro permanece na região e é um meio de subsistência de agricultores. Estima-se que existam 17 mil fazendas de carne de cachorro na Coreia do Sul.

Felizmente, a Humane Society International (HSI) está trabalhando com os agricultores para fechar as fazendas e realocá-los em outros trabalhos.

A HSI fechou cinco fazendas até agora e resgatou mais de 500 cães da morte, que foram levados para os Estados Unidos e Canadá para serem adotados.

​Read More
Notícias

Defensores dos animais saúdam fim da sopa de barbatana de tubarão em banquetes oficiais chineses

Os defensores dos direitos animais congratularam-se hoje com a decisão das autoridades chinesas de banir a sopa de barbatana de tubarão das recepções oficiais, esperando que esta proteção se alargue a outras espécies ameaçadas.

“Eis uma decisão apreciável e corajosa do Governo chinês”, afirmou Alex Hofford, da organização MyOcean, com sede em Hong Kong.

“Isto vai ter consequências importantes na sociedade (chinesa), porque quando o Governo mostra um caminho, o setor privado não demora a segui-lo”, acrescentou.

*Esta notícia foi, originalmente, escrita em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Expresso

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Sopa de barbatana de tubarão está com os dias contados na China

Por Monika Schorr (da Redação)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Boas notícias estão chegando da China. A demanda por sopa de barbatana de tubarão teve acentuado declínio nesse país. As informações são do Care2.

Ainda há duas questões sem resposta: qual a magnitude do decréscimo e quais os motivos que o provocaram. O fato concreto é que há cada vez menos pessoas consumindo barbatanas de tubarão.

Sopa de barbatana de tubarão é considerada uma iguaria na gastronomia chinesa, mas não há nada de requintado na forma como os pescadores obtêm essas barbatanas. Eles agarram o tubarão e o arrastam até o barco e decepam suas barbatanas (shark finning), jogando-o de volta ao mar onde, incapaz de nadar, terá morte certa. A cada ano, mais de 70 milhões de tubarões mutilados por essa prática cruel morrem asfixiados, sangram até a morte ou são devorados vivos por predadores.

O jornal Washington Post relatou que a prática do “finning” ameaça a sobrevivência de dezenas de espécies de tubarão no planeta: “dez das quatorze espécies de tubarões mais capturadas por causa de suas barbatanas encontram-se em alto risco de extinção, enquanto as quatro remanescentes estão próximas de se enquadrar nesta classificação”.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A chacina e o desaparecimento de uma espécie podem causar graves desequilíbrios em um ecossistema, o que significa que servir sopa de barbatanas de tubarão causa danos não só ao tubarão, como também a incontáveis criaturas marinhas.

Tudo isso faz com que a notícia da diminuição da demanda por barbatanas de tubarão seja muito bem recebida, mesmo que ainda haja dificuldades de se estabelecer uma estimativa do quanto representa numericamente esta redução. Há algumas evidências de que o consumo de sopa de barbatana de tubarão na China teve uma queda entre 50 e 70 por cento desde 2011. Apesar de o site Treehugger advertir que os dados divulgados pelo governo chinês devam ser vistos com cautela, o fato do setor industrial da China corroborar essas informações, acrescenta-lhes credibilidade. Há, também, evidências de que em Hong Kong a demanda caiu em torno de 20 a 30 por cento.

Muitos fatores estão colaborando com a mudança dos hábitos dos consumidores. Um deles é a campanha nacional de conscientização sobre a crueldade existente por trás da sopa. O popular astro chinês do basquetebol, Yao Ming, é o representante desta campanha educativa. Ele aparece em um comercial onde clientes bem vestidos e sentados à mesa de restaurantes empurram para longe as tigelas cheias de sopa de barbatanas, depois de ver o sangrento e violento percurso da barbatana desde sua origem em um saudável e majestoso tubarão até sua chegada à mesa de jantar.

O posicionamento da opinião popular contra a sopa de barbatana de tubarão desmente o estereótipo de que a população asiática não está interessada na defesa animal. O ecologista William J. McShea disse à revista The New Yorker “que os chineses são muito utilitaristas” e não se interessam em proteger animais que não possam ser explorados para fins rentáveis, como os ursos negros asiáticos que têm sua bílis extraída de forma brutal para uso na tradicional medicina chinesa, ou que não sejam símbolos de seu orgulho nacionalista, como os ursos-panda.

Contrariando a visão de McShea, os chineses aderiram à causa de Yao Ming, cuja campanha estimulou um empresário de sucesso a se tornar um ativista em tempo integral e que mobilizou dezenas de milhares de usuários da rede social Weibo, versão chinesa do Twitter, contra a cruel e bárbara remoção das barbatanas dos tubarões. Esse tipo de mobilização em massa contra a crueldade com animais não é novidade na China, onde existem, em números absolutos, mais vegetarianos e veganos (50 milhões) do que nos EUA (30 milhões). Todos os países são palco de crueldade contra animais. Nos EUA, apenas, sete bilhões de frangos são assassinados anualmente para consumo. Também em todos os países despontam movimentos pelos direitos animais, inclusive na China.

A campanha de conscientização teve início em 2006, há sete anos e, provavelmente, não se deve apenas a ela a acentuada queda da demanda nos últimos dois anos. Um recente acontecimento deve ter tido um papel de destaque nesta questão: a repressão do governo contra a corrupção no setor público.

Restaurantes chineses chegam a cobrar 325 dólares (aproximadamente 711 reais) por uma tigela de sopa de barbatana, o que sugere que ou o seu sabor é “divino” ou que as pessoas a pedem para ostentar riqueza e status. Reportagens dizem que o prato tem um sabor agradável, na melhor das hipóteses (o chef Gordon Ramsey diz que a sopa não tem gosto de nada). Isto é clara e literalmente um caso de consumo exibicionista.

O governo chinês baniu a sopa de suas cerimônias porque seu consumo por parte das autoridades públicas poderia sugerir corrupção. Organizações com interesses “especiais” serviam a sopa aos funcionários públicos em banquetes dispendiosos para atraí-los, e os próprios servidores do governo compravam a sopa, eles mesmos, provavelmente à custa do dinheiro público. A nova proibição fez com que a sopa de barbatana de tubarão desaparecesse de alguns cardápios “sofisticados”.

​Read More
Notícias

Combate à corrupção na China favorece tubarões

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os defensores dos direitos animais afirmam que a procura de barbatanas de tubarões está diminuindo em consequência da campanha contra a corrupção na China.

A queda da procura está diretamente ligada ao combate à corrupção na China, pelo que no país diminui o número de banquetes, nos quais a sopa de barbatanas de tubarões é a principal atração.

Além disto, tornam-se notáveis as mudanças de ânimos da juventude chinesa, mais preocupada com a preservação da natureza, que prefere não comer a sopa de barbatanas de tubarões e influenciar seus familiares a fazer o mesmo.

Fonte: Voz da Rússia

​Read More
Receitas Veganas

Sopa cremosa de couve chinesa, chuchu e nabo assado

Foto: Tomaz Vello
Foto: Tomaz Vello

Uma sopa inusitada, mas deliciosa, que utiliza ingredientes da estação para esquentar o seu inverno.

Ingredients:

Creme de Castanha básico

1 xicara (chá) castanha de caju cruas e inteiras
1 ½ xicaras (chá) água filtrada

Sopa

2 xícaras (chá) nabo, descascado e picado
1 colher (sopa) azeite de oliva extra virgem
1 litro água
½ xícara (chá) cebola, descascada e picada
2 dentes alho, picado
½ xícara (chá) batata, descascada e picada
2 xícaras (chá) chuchu, descascado e picado
2 colheres (chá) sal marinho
1 molho couve chinesa, picada
½ xícara salsinha, picada
1 colher de sopa orégano fresco, picado
pimenta do reino a gosto
1 xícara creme de castanha
mini-rúcula, Opcional

Directions:

Creme de Castanha básico

1. Coloque as castanhas numa tigela e adicione água filtrada gelada para cobri-las. Cubra a tigela e refrigere por uma noite.

2. Drene as castanhas na manhã seguinte e lave em água fria corrente. Coloque num liquidificador com a água filtrada. Bata em alta por alguns minutos até bem cremoso.

Sopa

1. Pré-aqueça o forno a 200ºC.

2. Em uma tigela, misture o nabo com o azeite e leve ao forno por 30 minutos.

3. Em uma panela grande, ferva a água com o chuchu, a batata, a cebola, alho e o sal. Reduza o fogo e cozinhe descoberto por 15 minutos.  Adicione a couve chinesa, o nabo e a salsinha e cozinhe por mais 15 minutos, ou até que os vegetais estejam macios. Adicione o orégano fresco.

4. Transfira os vegetais para um liquidificador e bata bem até que se torne um creme homogêneo.

5. Retorne para a panela, adicione o creme de castanha e aqueça por mais 5 minutos. Ajuste o sal e a pimenta a gosto.

​Read More
Notícias

Chineses protestam contra caça de tubarões

Barbatana do animal é usada em iguaria; por ano, 73 milhões são mortos no país

Protesto reuniu centenas em Hong Kong, na China. (Foto: Dale de La Rey/AFP)

Diversas pessoas se reuniram, neste domingo, para protestar contra a caça de tubarões para consumo da barbatana do animal. O evento, que é uma iniciativa de uma fundação contra a exploração do animal para o consumo, aconteceu em uma rua de Hong Kong, na China.

Os manifestantes se deitaram e colocaram uma espécie de barbatana de plástico, para simular a morte dos animais. Muitas espécies já estão em extinção.

Ao todo, mais de 73 milhões de tubarões são mortos, anualmente, para o consumo de sua barbatana em sopas. Uma tigela da sopa, uma iguaria chinesa, pode valer carca de 1.300 yuanes.

Fonte: Band

​Read More