Notícias

Gato sobrevive após passar 12 minutos em ciclo quente de máquina de lavar

Reprodução/Pixabay/Imagem Ilustrativa

Um gato ficou aproximadamente 12 minutos preso dentro de uma máquina de lavar roupas que, além de estar ligada, funcionava em ciclo quente. O caso aconteceu na cidade de Mudjimba, na Austrália e, apesar da gravidade, o animal sobreviveu e passa bem.

Oscar, como é chamado o gato, ficou ferido e foi levado ao veterinário após o acidente, que aconteceu no início do mês e foi relatado à rede ABC da Austrália.

Tutora do animal, Amanda Meredith, contou que escutou um miado estranho após seu marido colocar roupas de cama para lavar na máquina. Ela não desconfiou de nada, no entanto, e acreditou que o barulho vinha de dentro de um armário da casa.

Em seguida, Meredith foi pendurar outras peças de roupas que já estavam limpas no secador e percebeu que o miado persistia. Foi então que ela viu o gato dentro da máquina.

Com as patas no vidro, ele olhava para a tutora enquanto passava pelas rotações de lavagem na água quente. Meredith afirmou que a situação foi trágica e que, apesar do estresse que viveu, o gato se manteve dócil.

Retirado da máquina, o animal foi socorrido e levado a uma clínica veterinária, onde foi examinado e medicado, tendo recebido inclusive anti-inflamatórios. Oscar ficou internado por um dia e, após voltar para casa, dormiu por sete dias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Gato sobrevive após ser usado como alvo para prática de tiro

Foto: PDSA Pet Hospital
Foto: PDSA Pet Hospital

O gatinho Teddy voltou para a casa de Joan Sams no bairro de Walker, na cidade de Newcastle (Inglaterra) com ferimentos graves e, inicialmente, a tutora de 63 anos de idade, pensou que ele havia sido atropelado por um carro.

Joan, que é dona de casa, descobriu horrorizada que seu amado gato havia sido baleado mais de 20 vezes com uma pistola de ar três dias antes do Natal.

Acredita-se que Teddy foi “capturado, preso e usado como alvo prática de tiro”, veterinários acreditam que alguém “tentou arrancar seus dois olhos”.

O animal felino perdeu um olho como resultado de sua provação, e sua tutora, Joan Sams, diz que “acorda tremendo de medo a noite”, relata o Chronicle Live.

Joan conta que deixou seus dois gatos fora de sua casa na quinta-feira antes do Natal, mas não viu Teddy novamente por três dias.

“Teddy vivia em situação de rua inicialmente, e Joan o via sempre do outro lado da rua, o outro gato da idosa o trouxe inicialmente. Teddy vive comigo provavelmente há menos de um ano”, disse Joan.

Foto: PDSA Pet Hospital
Foto: PDSA Pet Hospital

“Ele teve um começo ruim na vida e não foi a primeira vez que ele saiu por alguns dias. Então, a princípio, pensei ‘não vou me preocupar'”.

“Então, no domingo à noite, eu o vi atravessando o telhado e ele estava mancando. Quando vi o estado de seu rosto, pensei que ele havia sido atropelado por um carro, ele estava muito ferido”.

Pensando que iria perdê-lo, Joan levou Teddy ao hospital veterinário, onde um veterinário descobriu que seus ferimentos não eram consistentes com um atropelamento por carro.

A equipe da clínica fez um raio-X e descobriu que ele havia sido baleado mais de 20 vezes com uma pistola de ar.

Teddy havia levado um tiro no olho esquerdo, que precisou ser removido.

Joan disse: “O veterinário sente que ele foi usado para prática de tiro ao alvo e pode ter sido mentido preso por algum abusador”.

“Eles disseram que ele teve tantos tiros na cabeça que devem ter tentado fazer os olhos dele saltarem da cabeça”.

“Em um dos olhos dele, a balas de chumbinho haviam atravessado o globo ocular e tiveram que remover o olho”.

Foto: PDSA Pet Hospital
Foto: PDSA Pet Hospital

“Acima do olho direito, havia três ou quatro tiros de raspão provavelmente de balas que ricochetearam”, disse a tutora comovida.

“Também parecia que eles tentaram atirar nas duas pernas traseiras do gato perto dos quadris. Eles devem ter tentado deixar ele cego e rastejando pelo chão. Sete balas entraram em seu corpo e elas não podem ser removidas, há ferimentos por todo o corpo, onde os tiros o atingiram”.

“Eles disseram que ele tinha tantos tiros no corpo que provavelmente foi usado como alvo”.

Felizmente, Teddy agora está de volta em casa, e sua incrível sobrevivência depois de lutar para se arrastar para casa levou o hospital veterinário a indicá-lo como seu sobrevivente do ano.

Joan disse: “Queremos alertar outros tutores de animais que existem pessoas por aí que fazem isso”.

“Nós denunciamos isso à polícia, mas eles dizem que não há muito que possam fazer – provavelmente nunca encontrarão os agressores”.

“Ele é tão corajoso, está se curando muito bem. Só não me conforme que ele tenha passado por tanta dor”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorro é encontrado vivo em escombros um mês após passagem de furacão

Um cachorro foi encontrado com vida nos escombros de um prédio destruído pelo furacão Dorian um mês depois do fenômeno natural atingir as Bahamas.

Foto: Divulgação/Big Dog Ranch Rescue

“Miracle” (Milagre, em tradução livre) foi o nome escolhido para o cão, que foi localizado no sábado (5) com a ajuda de um drone usado por voluntários da organização “Big Dog Ranch Rescue”.

O cachorro sobreviveu tomando água da chuva. Debilitado e bastante magro, ele não conseguia se manter em pé quando foi resgatado. De acordo com informações do jornal Extra, Miracle será tratado para anemia e submetido a sessões de fisioterapia para voltar a andar.

Dorian foi classificado como um furacão de categoria 5, com ventos de até 320 km/h. Durante a passagem do furacão, uma mulher abrigou 97 cachorros em sua casa para protegê-los. 

Foto: Reprodução/Facebook

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cágado tenta sobreviver em meio a rejeito de minério e é salvo em Brumadinho (MG)

O vídeo de cágado tentando sobreviver em meio a rejeito de minério em Brumadinho (MG), na região da Mina do Córrego do Feijão, onde uma barragem se rompeu, foi divulgado cinco meses após o rompimento.

Foto: Reprodução / Redes Sociais

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as imagens foram feitas no mês de junho. As informações são do jornal Estado de Minas.

O cágado foi encontrado durante uma operação de limpeza que os bombeiros realizavam para buscar por vítimas. Após ser localizado, o animal silvestre foi resgatado e encaminhado para receber atendimento veterinário.

As buscas por vítimas em Brumadinho continuam. Na quinta-feira (18), a operação chegou em seu 175º dia. Corpos de 22 pessoas são procurados. A operação conta com 145 bombeiros militares.

Lamentavelmente, a exploração animal permanece e um cachorro foi envolvido nas buscas mesmo após casos dramáticos com animais provarem o quão errado é forçá-los a buscar por vítimas – como o caso do cão Barney, explorado em Brumadinho que, depois, morreu afogado em outra operação de resgate e de Zeca, o cachorro que desenvolveu uma doença dermatológica após entrar em contato com os metais e resíduos da barragem de Brumadinho. Nestas operações, os cachorros são obrigados a aprender comandos anti-naturais, que eles não executariam por conta própria. E mesmo não tendo nascido para servir aos seres humanos, são submetidos a risco e tratados como objetos a serviço da humanidade, sem direito a viver suas vidas em paz.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Sobrevivente de câncer reencontra cão que foi roubado dela há três anos

Foto: Ana Campos
Foto: Ana Campos

Um cão leal finalmente encontra sua tutora amada que nunca parou de procurar por ele, embora Semper tenha desaparecido há três anos.

E a história de como eles conseguiram se encontrar novamente além de real, é épica.

O cão da raça husky siberiano entrou pela primeira vez na vida de Kameroun Mares no momento em que ela mais precisava de amor e companheirismo.

Mares estava fazendo tratamento para leucemia linfoblástica aguda. Foi logo após a quimioterapia no verão de 2013 que ela conheceu o jovem cão e decidiu torná-lo parte de sua família.

Foto: Ana Campos
Foto: Ana Campos

Ela o batizou de Semper Fidelis – “Sempre fiel” em latim – e o chamava de Semper.
“Ele sempre foi fiel a mim”, disse Mares ao The Dodo. Mas, por mais fiel que Semper fosse, algo ainda conseguiu separar Mares de seu amado cão.

Em 2016, Mares teve que ir para a Califórnia (ela morava na Flórida) para tratamentos médicos adicionais e sua colega de quarto na época concordou em cuidar de Semper. Mas Mares recebeu um telefonema da amiga que ela nunca esperava. “Ela me disse que ele havia desaparecido”, conta Mares.

Quando ela voltou, procurou por toda parte por Semper. Mesmo quando ela teve que se mudar para a Califórnia no final daquele ano, ela continuou contatando abrigos na Flórida procurando incansavelmente por ele.

Foto: Ana Campos
Foto: Ana Campos

“Durante um ano, continuei procurando mesmo morando na Califórnia, postando em sites de animais perdidos, ligando para as 15 clínicas veterinárias onde eu costumava levá-lo quando morava lá, ligando para ONGs, abrigos”, disse Mares. “[Eu] postei informações sobre ele no Facebook, fóruns de cães perdidos, páginas e grupos. Todos os dias eu esperava por um telefonema de alguém falando que o encontrou. Seu microchip estava registrado em meu nome desde que ele tinha 3 meses, eu ainda não tinha notícia alguma. Eu estava preocupada com ele, e sentia muito sua falta”.

Foi quando Mares decidiu pedir ajuda. Ela contratou uma investigadora particular, Ana Campos, para ajudar a rastrear seu amado cão.

“Ela comprou uma inscrição vitalícia no AKC Reunite (registro de microship)”, disse Campos ao The Dodo.

Foto: Ana Campos
Foto: Ana Campos

“Um ano depois, alguém sugeriu que ela checasse seu chip AKC Reunite novamente.

Então ela foi para a Humane Society em maio de 2017 e eles verificaram on-line. Foi quando ela descobriu que um ano antes, em 11 de abril de 2016, uma mulher adicionou seu nome ao chip de Semper”.

Aparentemente, a outra empresa de chips não verificou se um proprietário já estava registrado no chip de Semper. Campos descobriu que alguém havia colocado Semper na Craigslist à venda por 200 dólares e é por isso que ele nunca apareceu, apesar de toda a busca de Mares.

Finalmente, no outro dia, Semper se reuniu com Mares – e tanto o cachorro quanto Mares ficaram emocionados. Mares começou a chorar de alegria e Semper ficou tão excitado que não conseguia parar de pular.

“Ser capaz de desempenhar um papel nesta reunião tão bonita e estar presente nesse momento foi um dos melhores dias da minha vida”, disse Campos.

Semper está se acomodando muito bem em sua família, fazendo longas caminhadas em torno de seu novo bairro na Califórnia e se divertindo com Mares (cujo câncer está felizmente em remissão).

“Ele ainda se lembra de seus comandos e truques que eu ensinei a ele”, disse Mares.

“Meu favorito especial é o comando ‘vá para casa’ … digo-lhe: ‘Semper, vá para casa. Onde está a casa? Vá para casa'”. E Semper encontra a porta exata.

“Eu o vejo como uma extensão de mim e do meu coração”, disse Mares. “Estou feliz por tê-lo de volta em meus braços”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Leitãozinho sobrevive em Brumadinho e ganha o nome de Guerreiro

“É um mistério como conseguiu se salvar. Foi bom ver o bichinho de novo” (Foto: André Ávila/Agência RBS)

Os agricultores Pedro de Jesus e Isamara de Araújo estavam esquentando o almoço quando foram surpreendidos pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG). “Parecia o fim do mundo. Só deu tempo de sair e correr”, relatou Isamara ao GaúchaZH.

Um hectare de cana, um pomar, uma casa de alvenaria, oito cabras, 50 galinhas caipiras e 20 d’angola, além de uma porca com oito leitões, foram soterrados pela lama tóxica. O único sobrevivente foi um leitãozinho que reapareceu enlameado horas depois.

O casal ficou tão surpreso que decidiu dar ao animal o nome de Guerreiro. “Esse aí não morre mais tão cedo. Decidimos que ficará sempre com a gente. Não será abatido. É um mistério como conseguiu se salvar. Foi bom ver o bichinho de novo”, declarou Jesus ao GaúchaZH.

​Read More
Notícias

Sobrevivente de aneurisma cerebral lança turnê gastronômica vegana

A autora Maisha Wynn está lançando a turnê gastronômica vegana “What’s on the Menu?”.

A iniciativa destacará seus restaurantes favoritos em Chicago, de 24 a 29 de novembro. A turnê é uma comemoração do mês vegano, e tem o objetivo de educar sobre os benefícios de uma dieta baseada em vegetais.

Wynn se tornou vegana depois de sofrer um aneurisma cerebral e está lutando contra a obesidade.

A turnê é uma comemoração do mês vegano para conscientizar sobre benefícios do veganismo (Foto: Veg News)

A turnê começará com uma festa vegana na Latin Latin America, com aperitivos veganos, música e um painel de influenciadores, incluindo a crudivista Karyn Calabrese, Heather Bodine-Lederman, da padaria vegana Pie, Pie My Darling e Kay Stepkin, da exposição itinerante do Museu Vegetariano Nacional.

Os restaurantes do centro de Chicago Portsmith, Mercadito e Volare também serão destacados durante a turnê, oferecendo refeições veganas de três pratos por US $ 33.

“Novembro é o Mês Vegano Mundial, um momento para conscientizar o estilo de vida vegano promovendo uma vida saudável, responsabilidade social e tratamento animal humano”, disse Wynn.

“A excursão ‘O que está no cardápio?’ mostrará aos clientes opções deliciosas e saudáveis. Estou animada para compartilhar a culinária vegana com veganos e não-veganos, e tenho orgulho de fazer parceria com chefes da Latinicity, Portsmith, Volare e Mercadito”.

Uma parte dos lucros da turnê será dedicada à pesquisa de conscientização sobre aneurisma cerebral na NorthShore University HealthSystem.

​Read More
Destaques, Notícias

Cadelinha com as quatro patas amputadas ganha prêmio de “heroína do ano”

Chi Chi foi encontrada em 2016 dentro de um saco de lixo amarrado por uma corda na Coreia do Sul. A princípio, parecia que tudo caminhava bem, até que a equipe do abrigo ao qual ela foi encaminhada percebeu que não teriam como salvar suas patas e a única opção viável seria amputá-las. Dois anos após o seu resgate, ela será coroada o cão mais heróico da América.

Chi Chi, uma golden retriever de quatro anos de idade, tornou-se quadruplicada amputada depois que ela foi resgatada em janeiro de 2016, pois os veterinários foram incapazes de salvar a carne podre de suas pernas.

Reprodução | The Daily Mail
Reprodução | The Daily Mail

Quando a cadelinha foi encontrada, ela foi instantaneamente transferida para a capital, que estava a cinco horas de distância. Como a organização em defesa dos animais Rescue and Freedom Project, diretamente dos EUA, estava a caminho do abrigo para levá-la para sua sede. Os veterinários não tiveram escolha a não ser amputar os quatro membros antes que eles chegassem.

O cachorro foi levado para Los Angeles, Califórnia, pelo projeto de resgate e mais tarde foi adotado por Elizabeth Howell, 46, e seu marido Richard, 46. Chi Chi, que mora em Phoenix, Arizona, agora é finalista do prêmio anual do cão da Sociedade Humanitária Americana, onde espera receber a coroa em 29 de setembro.

Reprodução | The Daily Mail
Reprodução | The Daily Mail

Elizabeth, uma mãe que fica em casa, disse que Chi Chi é muito merecedora do prêmio. “Chi Chi tem suas próprias páginas no Instagram e no Facebook e um de seus seguidores recomendou que a indicássemos para o prêmio”, disse ela em entrevista ao portal Daily Mail.

​Read More
Histórias Felizes

Cãozinho abandonado em apartamento é resgatado após duas semanas sem água e comida

Um cãozinho mix de Labrador, conhecido como Bugsy, costumava viver com sua família em um apartamento perto da cidade de Dallas, no Texas (EUA). Porém, um dia eles decidiram mudar de casa, antes do vencimento do contrato, e ao invés de levarem Bugsy, ou deixá-lo sob os cuidados de alguém, abandonaram-o no próprio apartamento.

Duas semanas depois, o proprietário visitou o apartamento após ser informado que os inquilinos haviam saído abruptamente. Ele ficou chocado ao encontrar pequeno cachorro, extremamente magro e assustado, no local coberto de urina e fezes.

Bugsy passou duas semanas sozinho no apartamento sem comida ou água. Foto: Dallas DogRRR

O proprietário do imóvel entrou em contato com controle de animais e um oficial buscou Bugsy, que tem cerca de 3 ou 4 meses de idade. O animal posteriormente foi encaminhado para o grupo de resgate Dallas DogRRR, dirigido por Kerry Anechiarico.

A primeira coisa que o diretor do grupo fez ao ficar responsável pelo cãozinho, foi levá-lo ao veterinário, pois o animal estava muito magro e desidratado.

O cãozinho Bugsy, vivia em uma apartamento com sua família em um apartamento até que eles decidiram se mudar, e não o levaram junto.
Foto: Dallas DogRRR

A equipe veterinária trabalhou para manter Bugsy em condição estável, tratando-o de desidratação, desnutrição e anemia.

Durante o tratamento, os médicos apaixonaram-se pelo cãozinho e foram responsáveis por escolherem o nome dele. “Ele recebeu esse nome devido aos seus belos olhos grandes em relação ao resto do pequeno corpo”, afirmou Anechiarico.

Apesar de ter conquistado seus cuidadores, Bugsy ainda continuava extremamente tímido, reservado e muito nervoso em relação às pessoas. Anechiarico afirma que o comportamento é resultado do abandono ainda muito jovem. “Eu não acho que ele estava perto de pessoas que estavam necessariamente prestando atenção nele”, comentou o diretor do grupo de resgate.

Foto: Dallas DogRRR

Após a recuperação de Bugsy, Anechiarico o levou para casa e trabalhou duro para ganhar sua confiança. “Eu provavelmente fui o primeiro a demonstrar segurança e amor a ele. Uma vez que Bugsy reconheceu isso, ele se abriu e confiou em mim. Ele ficou feliz em se tornar minha sombra e me seguir explorando e experimentando coisas novas.”

Depois de alguns dias na casa de Anechiarico, Bugsy foi transferido para outro lar temporário, onde ficará até encontrar uma família para adotá-lo.

Anechiarico espera que, apesar de todas as dificuldades que já enfrentou até agora, Bugsy recupere-se completamente e encontre um lar com muito carinho.

Foto: Dallas DogRRR

“No começo, ele provavelmente nem sabia o que era ser um filhote, mas agora que está seguro e começou a criar confiança, ele está correndo como qualquer filhote deveria. Ele está aprendendo a se divertir com brinquedos e a brincar com seu irmão adotivo. De agora em diante, ele poderá vivenciar todas as experiências de um filhote normal.”, afirmou Anechiarico.

​Read More
Histórias Felizes

Bebê chimpanzé órfão não para de sorrir depois de sobreviver a ataque de caçadores

Um morador da Libéria encontrou um bebê chimpanzé que tinha sido atacado por caçadores e perdeu toda a sua família sendo vendido no mercado negro por traficantes de animais. Ao olhar para o pequeno animal, ele percebeu que ele precisava urgentemente de ajuda e de um lar e, ilegalmente, o comprou.

Ele também deu um nome ao chimpanzé, que não poderia combinar melhor com a sua história de vida: “Survivor” (sobrevivente). Afinal de contas, o filhote tinha sido atingido por uma bala bem no meio da testa, e lutou muito para conseguir sobreviver.

Reprodução | The Dodo

Por um tempo, aquela seria a casa definitiva de Survivor. Mas manter um macaco como animal doméstico acabou se mostrando muito mais complicado do que o homem esperava. Como o pequeno chimpanzé cresceu, ele se tornou mais forte e, por não ter árvores para escalar, ele tentava subir por toda a casa – deixava móveis destruídos por onde passava.

Foi então que o homem contatou Jenny Desmond, co-fundadora da organização Resgate e Proteção do Chimpanzé da Libéria (LCRP). Ele percebeu que não poderia dar ao sobrevivente o que ele precisava para crescer e sabia que entregá-lo à LCRP seria a melhor opção. Desmond, é claro, recebeu o Survivor de braços abertos.

Reprodução | The Dodo

Em uma entrevista ao portal britânico The Dodo, Jenny conta que o animal ficou extremamente feliz ao chegar no santuário. “Ele imediatamente pulou em meus braços quando eles saíram do carro”, relata. E não parava de sorrir por sequer um minuto ao perceber o espaço que teria para poder brincar, correr e se exercitar – como um animal selvagem deve fazer.

Survivor percebeu quase instantaneamente que ali ele teria tudo o que precisava. Isso ficou nítido enquanto ele não desgrudava o olhar dos outros chimpanzés vagando pelo quintal aos pés de Desmond. Depois de alguns minutos, ele se afastou da protetora, desceu e correu em direção aos outros chimpanzés para brincar.

“Olhe para esse garoto incrível”, Desmond escreveu em uma postagem no Facebook. “Passou pela perda de sua mãe, foi vendido no mercado negro e passou anos de isolamento, sem uma família de chimpanzés”. Enquanto sorria e ria com os outros amigos, ficava claro que ele sobrevivera a outra dificuldade, e este era o começo de uma nova vida para o animal.

Reprodução | The Dodo

Infelizmente, o que aconteceu com o Survivor não é incomum. Chimpanzés são recorrentemente alvo de caçadores e traficantes de animais selvagens, que matam os adultos para a caça e vendem os filhotes chimpanzés para o comércio ilegal de animais.

Histórias como essa, e também a perda do habitat natural, estão causando estragos inimagináveis em populações inteiras de chimpanzés. Há um século, a estimativa era de que houvessem cerca de 2 milhões de chimpanzés em toda a África. Esse número reduziu significativamente, e hoje restam apenas 350 mil.

Em um nível individual, bebês chimpanzés que são arrancados de suas famílias sofrem muito. Os chimpanzés estão intimamente relacionados com os seres humanos e são altamente criaturas sociais. Quando chimpanzés bebês são privados de interação social com sua própria espécie, eles correm risco de estresse psicológico severo.

Reprodução | The Dodo

O santuário LCRP formou uma parceria oficial com a polícia da região para fazer um trabalho de conscientização nas comunidades e vilas locais.Eles também pretendem ajudar a levar os chimpanzés apreendidos dos traficantes para o santuário, em segurança, a tempo.

A organização tem tentado ao máximo ajudar as pessoas não apenas próximas, mas ao redor do mundo, a entender como os chimpanzés são importantes e que correm perigo de extinção. A equipe tem procurado outras organizações internacionais para montar alguma programação especial, aproveitando a chegada do primeiro “Dia Mundial do Chimpanzé”.

​Read More
Notícias

Cão sobrevive a desabamento e se recusa a abandonar escombros

Foto: Alan Alves/G1 BA

Um cãozinho sobreviveu ao desabamento de um imóvel no bairro Pituaçu, em Salvador (BA) e se recusa a deixar o local onde faleceram quatro membros da família que estava na casa no momento do acidente ocasionado por uma forte chuva.

Chamado Nino, o cachorro chegou a ser visto por moradores do local, mas segundo as testemunhas ele está muito assustado e voltou correndo para os escombros do que um dia foi seu lar.

Houve várias tentativas de resgate. Em uma delas, bombeiros utilizaram uma rede para “pescá-lo”, mas não foi bem sucedida. Moradores tentaram atraí-lo com comida, mas ele pegava o alimento e corria de volta para os destroços rapidamente.

Segundo Jonas Lima, cunhado de uma das vítimas, o cachorrinho vivia com a família há oito anos e sempre foi muito amado. “É bem caseiro e tava dentro da casa quando tudo aconteceu. Podemos dizer que foi um dos sobreviventes da família. O cachorro é o xodó da família. Os meninos gostavam muito dele”, afirma.

O Corpo de Bombeiro informou que como o cãozinho possui mobilidade para sair, deixará que ela mesmo deixe o local quando se sentir mais seguro.

 

​Read More
Notícias

Sobrevivente de ataque cardíaco inspira mais de 1000 pessoas a se tornarem veganas

Schmidt sofreu um ataque cardíaco quase fatal aos 49 anos, o que o inspirou a fazer a transição para um estilo de vida à base de vegetais e a lançar o desafio de 10 dias há três anos. O primeiro desafio de Schmidt atraiu 30 participantes e, nesse ano, o número cresceu para 1300.

Foto: VegNews

Os participantes recebem uma camiseta grátis e possuem recursos como um website, um grupo no Facebook e uma cópia de The Engine Diet 2 – um plano alimentar vegano criado pelo ex-bombeiro vegano Rip Esselstyn.

Schmidt disse à VegNews que muitos dos participantes compartilharam suas lutas pessoais em busca de uma vida saudável e o desafio foi uma experiência positiva ao lhes apresentar novas receitas e sabores.

“Nós falamos sobre mover a agulha do onívoro não saudável para o vegano saudável.  Estamos movendo a alguma de uma pessoa por vez, estamos um pouco mais perto de ajudá-los a encontrar a saúde verdadeira”, afirmou.

A preocupação com a saúde tem sido um fator determinante para encorajar as pessoas a se tornar veganas . O lançamento do documentário “What The Health” em 2017, que criou um efeito de ondulação, levou centenas de pessoas no Texas (EUA) a adotarem um estilo de vida sem crueldade, assim como atletas de elite da NFL e da NBA.

​Read More