Notícias

Vídeo: cão salva a vida de cadela ao impedir que ela morra afogada

Um cachorro salvou a vida de uma cadela que mora com ele em uma casa no Arizona, nos Estados Unidos.

Smokey, como é chamada a cadela, caiu na piscina e entrou em desespero, debatendo-se dentro da água. Ao perceber o que havia acontecido, o cão Remus percebeu que a amiga precisava de ajuda e começou a tentar salvá-la.

(Foto: Divulgação)

Imagens feitas por uma câmera de videomonitoramento da casa registraram o momento. No vídeo (veja abaixo), divulgado pela rede de televisão CCTV, é possível ver Remus do lado de fora da piscina tentando ajudar a amiga, porém sem sucesso. Em seguida, o cão decide entrar na água e, empurrando Smokey, ele consegue salvá-la.

Logo depois que Smokey saiu da piscina, Remus também saiu e foi atrás dela, provavelmente em uma atitude tomada para verificar se a amiga estava bem. As informações são do site CM Jornal.

“Remus e Smokey estavam no quintal. Deixamos os cachorros entrar e notamos que Smokey estava molhada. Então nos perguntamos se ela teria entrando na piscina. Quando revisamos as câmeras de segurança, vimos que Smokey estava lutando para sair da água. Foi quando pareceu que Remus estava tentando direcionar Smokey para os degraus. Remus fez isso algumas vezes, então acabou pulando para afastar Smokey da piscina”, contou Laurie Becerra, tutora dos cães.

De acordo com Laurie, a cadela não sabe nadar muito bem, mas, segundo a tutora, tanto Smokey quanto Remus “brincam sempre na piscina sem quaisquer medos”.

Confira o vídeo abaixo:

​Read More
Notícias

Conheça Smokey, o cordeiro que passeia pelas ruas de Nova York

(da Redação)

Fofo: Chad Rachman.
Fofo: Chad Rachman.

Um animal tem chamado a atenção dos habitantes de Nova York pelas ruas por onde passa. Smokey, o cordeiro, foi encontrado abandonado e foi morar na grande cidade. As informações são do New York Post.

Smokey quer dizer algo como “cinzento”, divido à cor da sua lã. Ele se tornou uma celebridade desde que uma foto sua comendo junto à sua família humana, Maxine Cher e Sandy Dee Hall, nas mesas externas de um restaurante viralizou na Internet.

O quadrúpede foi encontrado sozinho e quase congelado na região de West Winfield, estado de Nova York, por um fazendeiro que o levou para casa e o aqueceu. Depois de reacordar o cordeirinho, ele ligou para Sandy, que é chef de cozinha. Este já havia resgatado carneiros antes e Sandy lhe dissera que aceitaria adotar o próximo.

“Às vezes as mães rejeitam os carneiros e eles não sabem o por quê. Eu estava querendo adotar um faz um tempo e ele me ligou dizendo que estava trazendo um carneiro para mim”, disse Sandy, 34 anos e sócio do restaurante Black Tree.

Eles levaram o bebê escondido em toalhas para o apartamento de Sandy (o locatário até hoje não disse nada). Nessa noite, Smokey dormiu profundamente e acordou duas vezes pedindo mamadeira.

“Eu estava tipo ‘Você não vai conseguir cuidar dele, é um bebê!”, lembra Maxine Cher, 24 anos. Namorada de Sandy há um ano, ela estava muito incerta sobre se eles poderiam cuidar do animal. “Naquela noite eu ia sair, mas pensei ‘Não. Vou ficar aqui, pra sempre”.

Foto: Nick Ramsey.
Foto: Nick Ramsey

Cuidar de Smokey exige um pouco de esforço. Cher é garçonete, bartender e gerente do Black Tree e trabalha em turnos opostos ao de Sandy para que sempre haja alguém com o filhote. Ele precisa ser alimentado com mamadeira três vezes ao dia e depois alguém precisa ajudá-lo a arrotar, igual a um bebê humano.

Ele também precisa tomar banho regularmente. “A gente leva ele para o chuveiro com a gente”, diz Sandy. Lá, ele é lavado com detergente específico para tecidos de lã.

O filhote dorme cerca de 14 horas por dia, algumas vezes na cama do casal. Ele passeia diariamente e sem coleira, muitas vezes de carro. Mas não é treinado pra fazer as necessidades sempre no mesmo lugar: Sandy e Cher têm que colocar papel absorvente em cima do assoalho do apartamento. “Ele parece mais um bebê do que um animal”, dizem os dois.

O Conselho de Saúde é contra manter ovinos na cidade e acredita que eles devem ser realocados para santuários licenciados, mas o casal ainda não recebeu nenhuma multa. A única vez que a polícia os parou, foi para coçar a lã de Smokey (seus lugares prediletos são no bumbum e atrás das orelhas).

Seus pais humanos sabem que os filhos crescem. “Ele vai ter mais de 60 kg e seus cascos fazem muito barulho”, diz Cher. “Num apartamento na cidade de Nova Yok, com vizinhos, não vai dar certo”.

É por isso que assim que for desmamado e já puder comer sozinho, ele irá para a fazenda Violet Hill perto da qual foi resgatado. Eles pretendem “adotá-lo” formalmente para protegê-lo de ser morto e virar jantar de alguém. Enquanto isso, Sandy já tirou cordeiro do menu do restaurante.

​Read More
Notícias

Gata do Reino Unido tem o ronronar mais alto do mundo

Por Helena Terra  (da Redação)

Foto: Ruth Adam/ Geoff Robinson Photography

Smokey é uma gata feliz, é facil perceber. Ela ronrona tão alto que o Guinness World Records  pode em breve declará-la a  “ronronadora” mais alto do mundo.

Mas a que altura pode ronronar Smokey? De acordo com a faculdade de Northhampton na Inglaterra, o ronronar desta gatinha pode ser comparado com um cortador de grama, um secador de cabelos e até com um Boeing 747 pousando a uma milha de distância.

O vídeo abaixo mostra uma parte do talento de Smokey ainda sem seu potencial total:

Segundo informações do jornal Discovery News, a tutora de Smokey Ruth Adams de Pitsford, Northampton, foi à faculdade de sua cidade para pedir emprestado o equipamento necessário para registrar o “ronron” de sua gatinha.

A faculdade ficou mais do que feliz em emprestar o equipamento e fazer parte desta disputa  e emprestou não só o equipamento mas sua equipe técnica e softwares adequados para auxiliar Ruth com seu feito.

Em  casa, Smokey atingiu extraordinários 73 decibéis, 16 vezes mais alto que um gato comum.

Ruth exlica que o Livro Guinness tem critérios bem rígidos e que a Faculdade de Northhampton foi muito útil em auxiliar emprestando o equipamento e a equipe necessária, bem como testemunhas oficiais, requisito de Guinness.

Smokey é tímida diante das câmeras então a equipe teve que ser bem cuidadosa para não aborrecê-la durante a gravação.

“Estamos muito agradecidos à Faculdade de Northhampton por ter ajudado Smokey, agora só nos resta aguardar o veredito” diz Ruth.

​Read More
Notícias

Ronrom de gata na Inglaterra equivale ao som produzido por Boeing 737

Smokey, uma gata que vive em Pitsford (Inglaterra), é considerada detentora do ronrom mais potente do planeta. Normalmente, um gato ronrona a 25 decibéis. Mas o som produzido por Smokey chega a 80 decibéis.

Quando o ronrom é captado mais de perto, atinge 92 decibéis – potência que equivale à do som produzido por um Boeing 737 se aproximando da aterrissagem.

Os tutores de Smokey, Ruth e Mark Adams, dizem que quando o animal resolve ronronar é impossível ouvir  rádio ou assistir a TV em casa.

“Ela consegue até ronronar quando está comendo. Quando estou ao telefone, os amigos perguntam que som é aquele, e eles custam a acreditar que seja feito por um gato”, disse Ruth ao “Mirror”.

Veja o video.

Fonte: Page Not Found

​Read More
Notícias

Filhotes de pit bull são torturados por serem dóceis, na Califórnia

Por Karina Ramos (da Redação)

Imagine ter suas orelhas cortadas e sua pele queimada com ácido. Essa foi a tortura imposta recentemente a dois filhotes de pit bull.

Smokey e Charlie foram encontrados em East Bakersfield, nos Estados Unidos. Os funcionários que os resgataram disseram que suas orelhas foram cortadas com canivetes ou tesouras e que suas costas foram queimadas com ácido. Os filhotes foram abandonados à morte em East Bakersfield, nas áreas de Niles e Fairfax e Monica e Pioneer Drive.

Na segunda-feira (26), os homens responsáveis pelo resgate saíram de San Diego para publicar cartazes pedindo que assumam a liderança neste caso de abuso animal. Eles acreditam que os criminosos pretendiam usá-los em rinhas de cães. Paula Penn disse: “Há uma possibilidade de que esses animais tenham sido considerados muito dóceis para rinhas e que tenham sido torturados com a intenção de que se tornassem ferozes – mas podem ter sido considerados inúteis e então abandonados”.

Enquanto isso, os cães agora estão sendo cuidados por tutores adotivos e passando por múltiplas cirurgias para reparação de músculos, pele e danos aos nervos. O Centro de Controle Animal disponibilizou uma linha telefônica nos Estados Unidos (868-7100) para quem tiver pistas sobre os criminosos. Há também uma recompensa de 5 mil dólares. Charlie e Smokey também precisam de ajuda com as despesas médicas. Se você estiver nos Estados Unidos e puder ajudar com doações, ligue para centro médico animal El Cajon (619-444-4246).

 Fonte: KGet

​Read More