Notícias

Baleia de mais de 8 metros é encontrada morta em Itanhaém (SP)

Uma baleia-jubarte de mais de oito metros de comprimento foi encontrada morta na praia do Cibratel, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Encalhado, o animal foi encontrado na segunda-feira (14) em estado avançado de decomposição.

(Foto: Divulgação/ Instituto Biopesca)

O Instituto Biopesca foi acionado para examinar a baleia. De acordo com o jornal A Tribuna On-line, marcas de rede de pesca foram encontradas no corpo do animal. Uma necrópsia foi realizada para identificar a causa da morte.

De acordo com a médica veterinária Vanessa Ribeira, a aparição dessas baleias na região é comum nesta época.

“É comum avistar a espécie em território brasileiro nessa época do ano, uma vez que, elas saem das águas frias da Antártida e chegam, em julho, às águas calmas e quentes de Abrolhos (BA) para se reproduzir”, explicou a veterinária.

O Instituto Biopesca realiza o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e resgata golfinhos, tartarugas e aves marinhas, vivos ou mortos. Os telefones para contato são 0800 642 3341 (horário comercial) ou (13) 99601-2570 (WhatsApp e chamada a cobrar).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Homem surdo adota cão com surdez e ensina a ele a linguagem dos sinais

Foto: Instagram/nickandemerson
Foto: Instagram/nickandemerson

Nick Abbott é um homem de 31 anos que vive no estado do Maine (EUA) e que nasceu surdo. Um dia, navegando pela internet Nick estava olhando para a página do abrigo NFR Maine no Facebook, e um filhote que também nasceu surdo, chamou sua atenção imediatamente.

O filhote de cachorro, cujo nome é Emerson, estava sendo colocado para adoção através do programa de resgate do abrigo, e Nick sabia que se existisse um companheiro peludo para ele, Emerson seria esse amigo.

Nick entendeu que aquele animal havia lutado com os mesmos problemas biológicos que ele e seria um parceiro ideal de vida. Assim sendo ele tomou sua decisão.

Foto: Valuablestories
Foto: Valuablestories

Então, sem pensar duas vezes sobre o assunto, Nick rapidamente entrou em contato com o abrigo NFR e fez os arranjos necessários para adoção

Quando a equipe de resgate encontrou o filhotinho, ele estava vivendo como um cão abandonado nas ruas do Maine, andando com seus irmãos a procura de comida. Não apenas o pobre filhote começou a mostrar sinais de abatimento uma vez no abrigo, mas também desmaiou por causa de uma parvovirose, uma doença que afeta filhotes não vacinados e pode ser mortal se não for tratada imediatamente.

Foto: Valuablestories
Foto: Valuablestories

Depois de passar por esse obstáculo, porém, os funcionários do abrigo desanimaram quando perceberam que o filhote de 12 semanas de idade também era surdo. Eles se perguntaram se algum dia conseguiriam achar para o cão sem raça definida, uma família que o amaria e aceitaria.

Embora a equipe do abrigo estivesse começando a achar que encontrar a família perfeita para a Emerson poderia ser impossível, eles fariam o que pudessem por ele, a começar por compartilhar a história do filhote na página do abrigo no Facebook e encontrar uma família para ele.

Ainda bem que o abrigo não perdeu toda a esperança. Porque assim que carregaram suas fotos com legenda, descrevendo a jornada dele, Nick as viu e logo em seguida ligou para o abrigo.

Foto: Instagram/nickandemerson
Foto: Instagram/nickandemerson

Nick disse à sua mãe que queria conhecer Emerson o quanto antes, pois ele tinha a sensação de que eles haviam sido feitos um para o outro.

Ao entrar em contato com o abrigo ele contou também havia nascido surdo e sabia como era a luta diária que o cãozinho enfrentava.

Nick e sua mãe foram ao abrigo depois do telefonema para conhecer Emerson.

Sem saber o que esperar do filhote, Nick, sua mãe e toda a equipe do abrigo ficaram surpresos ao ver a rapidez com que Emerson parecia se relacionar com seu novo tutor.

Assim que Emerson pôs os olhos em Nick, foi como se ele soubesse que encontrara seu humano.

O filhote instantaneamente foi em direção a Nick e se deitou quietamente aos pés dele, e todos entenderam que os dois estavam destinados um ao outro.

Uma vez que Nick levou Emerson para casa e os dois estavam bem familiarizados, o tutor começou a incansável tarefa de ensinar o filhote a ler e a entender a linguagem dos sinais para que eles pudessem se comunicar um com o outro.

As lições se tornaram um testemunho da paciência e das habilidades de treinamento de Nick, e Emerson aprendeu o novo idioma mais rápido do que qualquer um previu.

O filhote atualmente já sabe um pouco dos sinais e responde a eles. Não só ele sabe latir quando Nick mexe o lóbulo de sua própria orelha, mas ele também conhece os sinais de vir, sentar e deitar-se.

Como qualquer um poderia ter adivinhado, esses dois rapidamente se tornaram ligados para a vida toda, agora que um finalmente encontrou o outro.

Compartilhar suas deficiências auditivas apenas ajudou a conectá-los ainda mais, à medida que ambos aprenderam um com o outro. Nick até fez uma conta no Instagram chamada “Nick e Emmerson”. Lá é possível se atualizar sobre tudo o que Nick chama de “dois meninos especiais” e suas aventuras.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Macacos usam linguagem especialmente desenvolvida para avisar uns aos outros da presença de drones

Macacos-verdes da África Ocidental | Foto: Daily Mail/Reprodução
Macacos-verdes da África Ocidental | Foto: Daily Mail/Reprodução

Cientistas descobriram que os macacos tenham desenvolvido uma linguagem em seus cérebros para criar um alerta para drones artificiais.

Na natureza, os macacos-verdes da África Ocidental têm duas chamadas de aviso próprias, para cobras e leopardos.

Quando eles ouvem a chamada de advertência da cobra, eles ficam imóveis, parados sobre suas pernas para evitar serem mordidos, enquanto que a chamada de alerta do leopardo os faz escalar uma árvore para que eles não sejam pegos.

No entanto, os macacos têm espontaneamente uma terceira chamada, para os drones, apesar de nunca os terem visto antes.

Os macacos-verdes não têm um chamado específico para alertar sobre os predadores aéreos porque não se pensa que as aves de rapina os ataquem.

Mas o chamado que eles criaram para os drones é surpreendentemente parecido com o som de alerta usado pelos macacos-vervet, quando eles estão sob ameaça de ataque de águias.

Os cientistas dizem que isso mostra que a linguagem primitiva é “hard-wired” (especialmente desenvolvida) em cérebros de macacos, disponível para ser usada assim que eles precisarem.

A professora Julia Fischer, autora sênior do estudo do Centro Alemão de Primatas, disse: “Os animais rapidamente aprenderam o que significam os sons antes desconhecidos e lembravam essas informações, fazendo conexões”.

“Isso mostra sua capacidade de aprendizagem auditiva”. Pesquisadores soltaram drones voadores para observar macacos-verdes da África Ocidental que vivem no Senegal, a uma altura de 60 metros, ou quase 200 pés.

Enquanto os drones circulavam acima deles, os animais produziam sons de alerta, escaneando o céu e correndo para se proteger, assim como macacos-vervet quando as águias estão no alto.

Incrivelmente, depois de ouvir um drone no céu apenas uma a três vezes, os macacos lembraram-se da ameaça quase três semanas depois.

Quando os pesquisadores colocaram o som gravado do zumbido de um drone, próximo a cinco macacos-verdes, 19 dias depois em média, quatro olharam para o céu para tentar encontrar o drone. Três dos cinco fugiram com medo.

Macacos-verdes da África Ocidental | Foto: Daily Mail/Reprodução
Macacos-verdes da África Ocidental | Foto: Daily Mail/Reprodução

O mesmo resultado não foi visto para sons semelhantes tocados próximos dos macacos, incluindo abelhas zumbindo, cigarras de alta frequência e geradores.

Isso pode explicar por que os macacos que nascem em zoos, e não crescem com outros de sua espécie, ainda podem produzir os sons típicos de suas espécies.

Os macacos, vistos com drones, têm uma capacidade inerente de produzir sons que nunca ouviram antes em situações em que eles são necessárias.

O estudo, publicado na revista Nature Ecology & Evolution, comparou as advertências dos macacos-verdes da África Ocidental com os macacos-vervet da África Oriental, geralmente encontrados no Quênia, Botswana e África do Sul.

Os pesquisadores descobriram que os alarmes dos drones feitos pelos macacos podiam ser facilmente reconhecidos, soando totalmente diferentes dos sons que os macacos-verdes faziam quando confrontados com predadores no chão, como leopardos e leões, ou pitons e outras cobras venenosas.

A chamada do “predador aéreo” foi corretamente identificada pelos cientistas até 95% do tempo.

O estudo conclui: “Em resposta ao drone, os animais produziram sons e avisos claramente discerníveis e um número de macacos correu para se esconder e se proteger.

“Além disso, percebemos que os animais detectaram rapidamente o som do drone e começaram a dar uma olhada antes mesmo de o drone se tornar visível”.

​Read More
Notícias

Cadela resgatada com sinais de estupro é adotada em Cabreúva (SP)

A cadela que foi encontrada com sinais de estupro em Cabreúva (SP) foi adotada na segunda-feira (22). Ela foi socorrida pela Guarda Municipal e por ativistas pelos direitos animais.

Após cirurgia, cadela se recupera (Foto: Milton Cezar/Arquivo pessoal)

O novo tutor da cadela é o dentista Milton Cezar Marques. Ele soube da história dela pelas redes sociais. Além de ganhar uma família, ela recebeu um novo nome:  Ceicy.

“Depois de tanta dor e sofrimento, ela vai ter um final digno de conto de fadas. Finalmente, um final feliz”, comemora o novo tutor, que tem outra cadela em casa, a Zara. As informações são do G1.

Ceicy foi submetida a uma cirurgia de reconstrução da região vaginal, o que permitiu que ela voltasse a urinar. A operação foi feita na clínica da veterinária voluntária Tamyres Novack, que participou do resgate.

Na nova casa, Ceicy ganhou um quarto, que dividirá com Zara, uma cama, e potes de água e comida. “Agora ela está com uma família que a ama e vai dar tudo o que ela precisa”, diz o dentista. “Tenho 43 anos e não tive filhos biológicos, mas os meus filhos de verdade são os meus animais. É para eles que eu faço tudo”, completa, emocionado.

Cadela foi adotada por dentista (Foto: Milton Cezar/Arquivo pessoal)

Segundo a veterinária, a cadela reagiu bem à cirurgia e ficou em observação por aproximadamente três dias. Ela usará uma sonda até conseguir voltar a urinar.

Um boletim de ocorrência sobre o caso será registrado na Polícia Civil.

A veterinária acredita que a cadela tenha sido violentada por bastante tempo, já que os ferimentos que possuía estavam inflamados.

“Para se ter ideia, ela não tinha mais o canal por onde sai a urina. Por isso, a bexiga dela estava quase estourando. Ela estava com muita dor”, conta.”Pode ser que o ferimento tenha sido por algum objeto, mas eu ainda acredito que o estupro tenha sido causado pelo órgão sexual de um homem adulto”, diz a profissional.

Cadela ganhou cama ao lado da companheira Zara (Foto: Milton Cezar/Arquivo pessoal)
​Read More
Notícias

Gatos são encontrados mortos com sinais de envenenamento em Goiânia (GO)

Três gatos abandonados foram encontrados mortos com sinais de envenenamento em uma mesma quadra no Conjunto Vera Cruz, em Goiânia (GO), em um período de quatro dias. Dois foram encontrados no domingo (21) e outro na última quinta-feira.

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

O bombeiro militar Jairo Alves Neves, que mora no bairro e cuida de animais abandonados, afirmou que os gatos foram encontrados com sinais de intoxicação. “Estavam com muita baba em volta da boca. Tem alguém envenenando eles”, afirmou ao G1.

Há muitos moradores na região que se incomodavam com os cerca de 20 gatos e seis cães abandonados que vivem no local, segundo o bombeiro. “Tem muitos moradores que se incomodam com a presença deles por causa do barulho e da bagunça que fazem. Os gatos entram nas casas, sobem em cima dos carros”, disse.

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Neves acredita que os próprios moradores da região abandonam os animais, principalmente os cachorros. “Quanto mais moradores novos no setor, mais gatos e cachorros abandonados aparecem por aqui. Não sei se é coincidência, mas acredito que não”, disse.

O bombeiro também encontrou dois cachorros abandonados com baba escorrendo pela boca, vômito e sem forças para ficar em pé. Levados ao veterinário, a suspeita de envenenamento foi confirmada. Como foram socorridos a tempo, eles sobreviveram.

O bombeiro acredita que os cães não morreram devido a um antitóxico que ele mesmo deu aos animais quando percebeu que eles estavam passando mal. Os gatos, no entanto, já foram encontrados mortos.

​Read More
Notícias

Gato com sinais de espancamento é abandonado com fraturas em mata

Um filhote de gato foi resgatado na sexta-feira (22) após ser encontrado com sinais de espancamento. O animal havia sido abandonado para morrer em uma caixa em uma área de mata na Lagoa dos Patos, na Marginal da Anhanguera, em Jundiaí, no interior de São Paulo.

Foto: Simone Regina dos Santos/Arquivo Pessoal

Uma mulher que fazia caminhada no local encontrou o filhote e avisou Simone Regina dos Santos, que fez o resgate. Ela acredita que o gato estava abandonado no local desde quarta-feira (20). As informações são do portal G1.

“Isso acaba comigo porque eu me coloco no lugar do animal. Imagina você no meio do nada, sem andar, com dor, com frio e fome! Por que fazer isso? Eles são iguais a nós”, lamenta.

Levado a uma clínica veterinária, o gato foi diagnosticado com fraturas em duas patas e na bacia. A ativista explica que o animal é uma provável vítima de espancamento e está muito ferido.

Foto: Simone Regina dos Santos/Arquivo Pessoal

Devido à gravidade do quadro de saúde do filhote, o tratamento veterinário dele deve ficar em torno de R$ 3 mil. Para pagar a dívida, Simon pede doações, que podem ser feitas diretamente na pet shop em que o animal está internado, no Jardim Sana Gertrudes, em Jundiaí. A ativista já procura também um novo lar para o gato.

Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, é crime de acordo com o Art. 32 da Lei 9605/98, de Crimes Ambientais. A pena é de detenção, de três meses a um ano, e multa. Casos de maus-tratos podem ser denunciados pelo número 156.

​Read More
Notícias

Após ser abandonado cinco vezes, cão surdo aprende a linguagem de sinais

Entre os animais que vivem em abrigo esperando para serem adotados, alguns demoram ainda mais para ganharem um no lar por conta do preconceito. Alguns exemplos são aqueles sem raça definida, os de cor preta e os que possuem alguma deficiência ou necessidade especial.

O cãozinho Ivor foi devolvido cinco vezes por ser surdo. (Foto: Reprodução / Lancashire Telegraph)

O cãozinho Ivor, da raça Staffordshire Bull Terrier, já sentiu muito esse preconceito na pele. Com apenas 10 meses, o filhote já foi abandonado por cinco famílias diferentes. O motivo? Ivor é surdo. Porém, felizmente o cãozinho teve uma nova chance com uma nova tutora e sua vida mudou completamente.

Apesar de seus últimos tutores alegarem que estavam devolvendo o cachorro por não conseguiam adestrá-lo, Ivor conseguiu aprender um pouquinho da língua dos sinais no abrigo da Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA), ONG de resgate e acolhimento no País de Gales, no Reino Unido.

Agora , com uma família que o ama de verdade, Ivor teve uma grande evolução e aprendeu vários comandos. (Foto: Reprodução / Lancashire Telegraph)

Porém, já com sua nova tutora, Ellie Bromilow o cachorro teve uma grande evolução, em todos os quesitos, e aprendeu ainda mais coisas. “Ele pega novos sinais com muita facilidade. Desde que o adotamos em Dezembro, ele se acalmou e transformou-se em um cachorro feliz e contente. Nós mantemos sua mente e nariz ocupados com jogos e o mantemos bem exercitado”, contou Ellie orgulhosa.

De acordo com a tutora, mesmo surdo, Ivor já aprendeu os comandos “Venha aqui” e “Parado”. “Ele já sabe o que significa ‘Venha aqui’, ‘Sente-se’, ‘Deite-se’ e ‘Parado’. E está aprendendo como deitar de barriga para cima”, disse a Ellie.

Para Ellie, que disse ter se apaixonado à primeira vista quando viu o anúncio na RSPCA do cão para adoção, Ivor é um ótimo exemplo de como os cachorros podem evoluir muito bem quando lhe são dadas oportunidades verdadeiras.

Fonte: Portal do dog via Lancashire Telegraph / BBC

​Read More
Notícias

Saiba como interpretar os sinais transmitidos por gatinhos

Por Beatriz Bevilaqua (em colaboração para a ANDA)

Divulgação

É muito fácil perceber quando um gato está incomodado com você ou bravo, mas e quanto a perceber o afeto que eles demonstram? Gatos escolhem uma pessoa para amar, e quando amam, amam de verdade. O truque é saber reconhecer e retribuir o carinho dado por esses lindos animais.

De acordo com a CEO da Pet Anjo e especialista em comportamento animal, Carolina Rocha, nem todos os gatos demonstram afeto igualmente, mas separamos alguns sinais que eles usam para nos dizer ou demonstrar que nos amam:

– Encostar a testa
Este gesto é demonstrado para os tutores muito amados, quando o gatinho olhar para você, ele abaixará a cabeça e encostará na sua testa, queixo ou bochechas.

– Passar as bochechas
Quando um gatinho se sente confortável no ambiente ou com alguém, ele passa as bochechas nos móveis, nos cantos da casa, nas suas pernas e mãos quando for acariciado.

– Entortando a pontinha do cauda
A cauda de um gatinho é como um termômetro do seu humor, quando fica espetada ou esticada, quer dizer que o gato está assustado, mas quando ele está perto de você e passa com a pontinha torta, é porque ele confia em você.

– Fazer contato visual e piscar suavemente
Gatos somente olham nos olhos de quem eles amam e confiam, quando eles piscam suavemente, como se estivessem calmos, é quase como um beijo entre humanos, uma conexão de amor e confiança.

– Ronronar
Ronrono não é apenas para coisas boas, gatos ronronam para avisar que algo irá acontecer, quando usam a caixinha de areia…mas o ronronar mais alto e poderoso é deixado somente para momentos de felicidade ao lado de seu dono.

– Deitar no colo
Gatos adoram lugares quentinhos e confortáveis para dormir, como uma caminha ou travesseiro, mas muitas vezes escolhem o colo de seus tutores, o gato escolheu dormir junto de você, mesmo que não seja tão quentinho ou confortável.

– Te dar ratos, pássaros e insetos mortos
Gatos gostam de serem apreciados pelos seus atos, depois de caçar, um ratinho, pássaro, inseto morto ou até mesmo um rabo de lagartixa podem aparecer no seu travesseiro, para você pode ser nojento, mas para seu bichano é um sinal de confiança e amizade.

​Read More
Notícias

Doenças cardíacas em animais: 10 sinais de alerta

Divulgação
Divulgação

As cardiopatias em cães e gatos não são tão incomuns quanto podem parecer à primeira vista afirmam os profissionais do “Vet Quality Centro Veterinário 24h”. Saiba quais são os principais sinais de alerta. Um bom exame de coração, ainda que esta não seja a queixa principal, pode prevenir problemas futuros.

É necessário sempre manter os cuidados com o animal, por isso, montamos uma lista com 10 sinais para que você fique atendo as doenças cardíacas em cães e gatos.

Tosse
Existem diversas enfermidades que podem levar à tosse, que acompanhada ou não de outros sintomas, devem ligar o sinal de alerta para doenças no coração.

Dificuldade respiratória
Os problemas no coração dificultam o bombeamento sanguíneo, o transporte de oxigênio e a respiração. O animal pode apresentar respiração acelerada ou dificuldade para respirar.

Fraqueza
Pode ser um sinal de envelhecimento, mas também um sinal de cardiopatia. Se estiver associado a outros sintomas, deve-se procurar orientação veterinária.

Cianose
Alguns dos sinais que mais chamam a atenção são as mucosas e aparência roxa na língua.

Desmaio
Algumas doenças graves podem fazer com que o pet desmaie e perca a consciência. Nestes casos, o pet deve receber um tratamento adequado, indicado por um médico veterinário.

Edema
Edema de pata pode indicar doenças cardíacas. Mas outras causas também podem estar relacionadas, como a hipoproteinemia.

Falta de apetite
Este é um sinal comum a várias afecções. É difícil diferenciar e descobrir a causa deste sintoma. Nestes casos, vale a pena investigar melhor e tentar levantar maiores informações.

Perda de peso
A perda de peso também é um sinal inespecífico e de difícil diferenciação. Para detectar a real causa, diagnósticos mais precisos serão necessários.

Sono e apatia
Apatia é outro sinal comum em várias situações, bem como o sono em excesso.

Cansaço fácil
Se o cão for jovem ou filhote e se recusar a praticar de exercícios, pode alertar a doenças cardíacas. Porém, se for um animal idoso, o cansaço pode ser em decorrência da idade ou outras afecções associadas, como as articulares, por exemplo.

Como identificar as cardiopatias?
Todo e qualquer sintoma que surgir deverá ser investigado em uma clínica veterinária de confiança. Após anamnese detalhada e exame físico geral, o profissional poderá solicitar exames mais precisos, como eletrocardiograma ou exames por imagem, como o raio-x.

Dependendo da causa identificada, o veterinário poderá direcionar o seu tratamento da melhor forma possível. Em alguns casos, medicações controladas podem resolver e controlar os sintomas.

Exames regulares feitos pelo seu médico veterinário, podem ajudar na prevenção. Além disso, deve-se manter a saúde com boa alimentação, evitando rações com muito teor de sódio e petiscos altamente industrializados. Outra dica importante é manter o animal em constante atividade física. Evitar o sedentarismo é uma dica que vale para todos, pois deixa o coração mais forte e resistente.

​Read More
Notícias

Cachorra surda aprende linguagem de sinais para aumentar suas chances de adoção

12
Divulgação

A maior esperança de um cachorro que vive em um abrigo é ser adotado e viver em um lar cheio de amor. Mas cães com deficiência costumam passar mais tempo esperando por esse grande momento.

Nos Estados Unidos, uma ONG californiana chamada Chako Pit Bull Rescue acolheu uma cadela surda e sua equipe fez questão de adestra-la através de sinais. Dessa maneira, suas chances de adoção aumentariam.

Apesar da maioria das pessoas não saberem, é possível treinar um cachorro com deficiência auditiva, basta usar algumas técnicas diferentes.

A cachorra Shirlei (mais conhecida por seu apelido Cha Cha) chegou ao grupo de resgate em 2014, quando ainda era filhote e estava com um grave ferimento na perna. Ela foi tratada, mas anda mancando um pouco.

Ela foi adotada dois anos atrás, porém foi devolvida recentemente porque não estava se dando bem com os gatos da casa. Agora, a Chako Pit Bull Rescue está procurando um novo lar para Cha Cha. Clique aqui e assista um vídeo do treinamento da pit bull.

Divulgação
Divulgação

Fonte: Portal do Dog

​Read More
Notícias

Conheça dez sinais que indicam que há algo errado com um cão

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Como crianças, cães não sabem falar quando estão doentes, mas sempre sinalizam de alguma forma. A rede Pet Center Marginal/Petz elencou alguns sintomas que indicam algo errado. Veja quais nas explicações da médica veterinária Karina Mussolino, gerente técnica das clínicas do Petz.

Amuados e escondidos

Em geral, eles escolhem um lugar da casa para se esconder, se afastar, porque não se sentem bem. É importante que o tutor preste atenção, pois não se trata de uma brincadeira.

Urina em lugares inusitados e em quantidades maiores

Aqueles acostumados a passeios podem urinar em casa em dias de chuva porque não puderam aliviar-se na rua. Muitos idosos sofrem de incontinência urinária, mas neste caso a urina fora do lugar demarcado pode ser sintoma de diabetes ou algum tipo de infecção urinária ou males renais.

Letargia, sem vontade de brincar e com respiração ofegante

Como os humanos, quando não se sentem bem, os cães perdem energia pra brincar. Ficam mais sonolentos e tristes.

Vômitos

É comum que os animais vomitem uma vez ao outra por algo que tenham comido, mas várias vezes no mesmo dia, pode ser sinal de uma grave intoxicação que exige a procura imediata de socorro médico. Há casos de envenenamento que começam dessas forma.

Diarreia

É um problema grave que pode indicar uma série de doenças, além disso desidrata o animal. Podem indicar infecções provocadas por parasitas, intoxicações e até problemas gastrointestinais. Se houver sangue nas fezes, o a atenção deve ser dobrada.

Falta de apetite

Se perceber que o cão não está comendo, o tutor deve levá-lo imediatamente ao veterinário. A vontade de não comer pode sinalizar febre (provocada por algum vírus), dor e estresse. Não perca tempo e leve o bichinho ao centro veterinário o quanto antes.

Tosse

A tosse crônica, aquela que dura semanas, pode indicar problemas cardíacos, doenças pulmonares ou infecções respiratórias. Em filhotes, todo cuidado é necessário porque ela pode evoluir para uma pneumonia.

Perda de pelo

Pulgas, carrapatos e sarna são as principais causas da queda de pelo nos cães. Mas também podem indicar problemas endocrinológicos, fungos ou até infecção por estafilococos. Dependendo da avaliação do médico veterinário, um teste hormonal pode ser exigido para ajudar a avaliar o quadro.

Dificuldade para andar, pular e até se levantar

Isso pode sinalizar problemas no quadril e na coluna. Além de rompimentos nos ligamentos ou até hérnia de disco. Cães muito obesos costumam sofrer de dores pelo próprio excesso de peso. Há ainda a artrite que ataca cães mais idosos.

Aumento do volume do abdômen e gases, palidez da mucosa gengival e angústia respiratória

Acompanhada de náusea, inquietação, sensibilidade no abdômen ao ser tocado, secreção excessiva de saliva e palidez da mucosa gengival, a torção gástrica, doenças mais comum em animais de grande porte pode ser fatal. Na verdade, ocorre uma dilatação do estômago, seguida da torção desse órgão sobre si mesmo, levando à intensificação da fermentação e aprisionamento de gás e alimento em seu interior. Pode ser causada pelo ingestão excessiva de alimentos ou água. Se o animal não for socorrido rapidamente, pode morrer dentro de poucas horas (6 a 12 horas). O ideal é oferecer ao animal pequenas porções de alimento e evitar exercício após refeição.

Fonte: A Crítica

​Read More
Notícias

Conheça 6 sinais de que seu cachorro está sentindo dor

Cachorros não demonstram a dor do jeito que os seres humanos demonstram, por isso é muito importante que os tutores saibam quais são os sinais mais comuns quando seu cachorro está sentindo dor.

Foto: Blog Cachorros Fofos
Foto: Blog Cachorros Fofos

Como tutores de cachorros, nós fazemos de tudo para que os cãezinhos sejam bem tratados e amados. Podemos dar as melhores rações, brinquedos e tratamentos – podemos mimá-los tanto quanto podemos. E a última coisa que queremos é vê-los sofrer ou sentir dor, não é mesmo? Mas cachorros não conseguem nos contar que estão sentindo dor. Então, como podemos saber?

Os seis sinais mais comuns de que seu cachorro está sentindo dor:

#1 Respiração pesada ou ofegante
Muitos cachorros ofegam às vezes porque estão estressados ou animados, mas quando eles ofegam aparentemente por nenhum motivo e esse tipo de respiração torna-se excessiva, este pode ser definitivamente um sinal de que seu cachorro está sentindo dor.

#2 Quando se lambem excessivamente
Cachorros que lambem ou mordem excessivamente uma determinada área dos seus próprios corpos podem estar fazendo isso porque estão sentindo dor neste local. Cachorros podem lamber o morder unhas quebradas, feridas abertas, patas irritadas ou até mesmo tumores sob a pele.

#3 Falta de apetite
Cachorros geralmente não comem quando estão doentes ou machucados, então se eles comeram normalmente em um dia e no outro se recusam a comer, podem estar sentindo alguma dor. Um cachorro que possui algum machucado no pescoço pode não conseguir se curvar para comer, porque isto lhe causa dor.

Falta de apetite: um dos sintomas de que seu cachorro está sentindo dor.(Foto: Blog Cachorros Fofos)
Falta de apetite: um dos sintomas de que seu cachorro está sentindo dor.(Foto: Blog Cachorros Fofos)

#4 Mancar
Quando um cachorro manca é um sinal óbvio que está sentindo dor ou algo está incomodando. Cachorros podem mancar devido a artrite, uma distensão muscular, ligamento rompido, lesão na coluna ou no pescoço, rigidez nas articulações ou ossos quebrados. Cachorros que não querem subir escadas, por exemplo, podem estar sentindo dor por algum desses motivos citados.

#5 Babar bastante
Babar excessivamente também pode ser um sinal de dor no estômago ou náuseas. Quando um cãozinho baba ou se engasga demais pode significar que esteja sentindo muita dor ou até mesmo estar em risco. Um inchaço pode ser uma situação grave que pode causar dores muito fortes no estômago. Estes tipos de inchaços no estômago são bem sérios, sendo necessários cuidados de um veterinário urgente.

#6 Mudança de comportamento
Cachorros que estão sentindo dor podem se tornar agressivos. Eles tendem a rosnar ou avançar quando abordados ou também ficar tristes e deprimidos, o que pode levar a uma falta de apetite, dormir mais que o normal, falta de interesse em brincar ou caminhar.

Mais informações
Ser capaz de reconhecer quando seu cão está com dor se resume em conhecer realmente as características do comportamento normal do seu cão. Se seu cachorro está agindo de maneira estranha e demonstrando alguns dos sinais citados, então ele está sentindo dor, sendo imprescindível consultar um veterinário. De maneira alguma é recomendada qualquer medicação sem a aprovação ou recomendação de um veterinário. Alguns dos medicamentos especiais para dor podem causar problema gastrointestinal em cães, por isso é necessária uma ajuda especializada.

Fonte: Blog Cachorros Fofos

​Read More