Notícias

Presos em buraco há dois dias, filhotes de gato são resgatados em MG

Foto: Corpo de Bombeiros MG / divulgação

Dois filhotes de gato foram resgatados na tarde da última quinta-feira (21) em Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, após ficarem presos em um buraco.

Os animais passaram dois dias no local, sem água e sem alimentação. O buraco onde os filhotes foram encontrados fica rente a um muro na Avenida Bernarda Silvestre, no bairro Rio Branco, na Região de Venda Nova.

A vida dos filhotes foi salva graças à atitude de uma testemunha, que acionou o Corpo de Bombeiros após perceber que os animais precisavam de ajuda.

Assustados e com medo, os filhotes se esconderam no ponto mais fundo e afastado do buraco. Além disso, segundo o G1, o resgate também foi dificultado por arbustos espinhos presentes no local.

Apesar das dificuldades, os filhotes foram resgatados em segurança. Sem qualquer tipo de ferimento, eles foram entregues à mulher que acionou o resgate.

Foto: Corpo de Bombeiros MG / divulgação

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Comedouros para animais deixam de ser abastecidos durante quarentena

Foto: PMM/Divulgação

Os comedouros e bebedouros destinados a animais abandonados deixaram de ser abastecidos em Macapá, no Amapá, por conta do isolamento social imposto pelo coronavírus, que afastou das ruas aquelas pessoas que costumavam garantir a água e a ração dos cães e gatos em situação de rua. Sem esse auxílio, os animais sofrem. Com fome e sede, eles saem em busca de algo que não sabem onde encontrar – e nem se vão encontrar.

O abastecimento era feito por pessoas que vivem nas proximidades dos comedouros e bebedouros, além de voluntários de ONGs e servidores de instituições.

“As pessoas não têm condições de alimentar, ficam com medo de pegar doença do cachorro. Tem pessoas que trabalhavam e alimentavam os cachorros na rua, mas agora estão em quarentena. A gente vê esses comedouros muito vazios, tem outros que ainda têm protetor que abastece”, comentou ao G1 Laudenice Monteiro, membro da ONG Anjos Protetores.

O medo de contrair coronavírus ao ter contato com os cães, no entanto, é injustificável. As notícias que afirmam que esses animais podem transmitir o vírus são falsas e não devem ser disseminadas, porque colaboram para o aumento do abandono. Especialistas e instituições renomadas, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), informaram que há qualquer evidência de que cães e gatos transmitam a doença.

A falta de alimento e de água, no entanto, não é o único problema enfrentado pelos animais. Isso porque, segundo as entidades, os casos de maus-tratos e abandono também aumentaram durante a pandemia. As duas práticas são criminosas e passíveis de multa, além de detenção de até um ano.

“Condutas como deixar o animal em um ambiente sem acesso à água, alimentação ou abrigo do sol configura como crime contra o meio ambiente. As pessoas de repente podem se ver na necessidade de deixar suas casas e ir para outro lugar, […] no entanto não podem esquecer seus animais”, assegurou a delegada Lívia Pontes, da Delegacia de Meio Ambiente de Macapá.

Casos de maus-tratos a animais no Amapá podem ser denunciados na Delegacia Virtual da Polícia Civil do Amapá ou pelo número (96) 98148-7378.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Dois cavalos desnutridos são resgatados e um morre após o resgate em SP

Os animais estavam abandonados sem água e sem comida em uma área pública


Dois cavalos desnutridos foram resgatados pela Guarda Civil Municipal em Franca, no interior de São Paulo. As autoridades tentam, agora, identificar e punir o tutor dos animais.

De acordo com o guarda Luis Fernando Fernandes, os cavalos estavam sem água e comida em uma área público no bairro Jardim Tropical. Após o resgate, um deles morreu.

Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação

Fernandes afirmou que a equipe da GCM foi até o local após uma denúncia indicar que os cavalos sofriam maus-tratos. Os guardas acionaram uma empresa terceirizada, que executou o resgate.

“Não da para saber há quantos dias eles estavam sem ter alimentação, só da para saber que estavam bem debilitados. No local, não havia alimentação e nem água. É uma área pública municipal, uma mata, na verdade. Os animais estavam dentro de um cercado”, disse ao G1.

Após serem resgatados, os animais foram levados ao Canil Municipal, onde um deles morreu. De acordo com Fernandes, caso o tutor seja identificado, ele será autuado pelo crime de maus-tratos a animais.

“Ele vai ser autuado por três fatos: por adentar área publica municipal, por [deixar] animais de grande porte em área urbana, o que é proibido, e por crimes de maus-tratos”, afirmou o guarda. “Com certeza, ele vai pedir a liberação dos animais”, completou.

O cavalo que sobreviveu está recebendo medicação para se recuperar.

Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cães são abandonados sem água e comida em casa vazia em Goiânia (GO)

Duas vizinhas da casa onde os cães estão abandonados passaram a alimentá-los e esperam encontrar novos lares para eles


Dois cachorros foram abandonados em uma casa vazia no Setor Negrão de Lima, em Goiânia (GO). De acordo com moradores da região, os tutores dos animais mudaram de endereço há mais de 20 dias e deixaram os cães para trás, sem água e comida.

Foto: Millena Barbosa/TV Anhanguera

Comovida com o sofrimento dos animais, que ficaram em meio a bastante lixo, a dona de casa Mayara Moreira, de 30 anos, está alimentando e dando água aos cães com ajuda de sua mãe, Maria de Nazaré Silva.

“É muito triste ver eles assim. Isso é um crime. Deixar eles sem água, sem comida e o pior de tudo, trancados. Eu e minha mãe estamos vindo aqui duas vezes ao dia e jogando comida para eles”, contou Mayara, em entrevista ao G1.

A casa está com a estrutura prejudicada e algumas paredes já caíram. Os animais vivem em meio ao entulho e ao lixo, em condições precárias.

Com o portão trancado, as vizinhas jogam sacolas com comida através da grade do portão. “É bem complicado para a gente dar comida para eles assim. O chão está cheio de sacolas porque foi a forma mais fácil que encontramos para não deixar eles com fome”, disse Maria de Nazaré.

A expectativa de Mayara é de que os cães sejam adotados. “Eu tenho três cachorros em casa, que eu cuido muito bem. Eu penso neles quando vejo esses animais abandonados assim. O que eu mais quero é poder tirar esses cães daqui e encontrar um novo lar pra eles”, afirmou Mayara.

Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) enviou nota ao G1 por meio da qual informou que enviará uma equipe ao local e tomará providências.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cão morre após ser abandonado sem comida em casa no interior do PR

Outros três cachorros, que estavam vivos, foram encontrados no imóvel vazio


Um cachorro morreu após ser abandonado em uma casa vazia sem água e sem comida em Marechal Cândido Rondon, no interior do Paraná.

Pixabay/Timur85

O corpo do animal foi encontrado pela Polícia Militar nesta quarta-feira (1º) em um imóvel no bairro São Francisco. Outros animais, com vida, também estavam na casa. As informações são do portal CGN.

Testemunhas informaram que o tutor do cachorro saiu de casa há três dias e deixou os animais abandonados, sem água e alimento.

Tanto o animal que morreu quanto outro cão adulto encontrado no local eram mantidos amarrados. Dois filhotes também estavam na casa.

Os cães sobreviventes foram resgatados pela entidade de proteção animal Arca de Noé. O caso foi registrado na delegacia. O tutor dos cachorros deve responder judicialmente por maus-tratos a animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Homem tenta agredir cães e arremessa um dos animais por cima de muro

Os cachorros foram resgatados pela polícia e receberão os cuidados necessários para, depois, serem disponibilizados para adoção


Um homem tentou agredir dois cachorros e, em seguida, arremessou um deles por cima de um muro no bairro Escola Agrícola, em Blumenau (SC). O caso aconteceu na segunda-feira (10) e foi denunciado à polícia.

Pixabay

Os cães, segundo uma vizinha, eram tutelados pelo agressor. “Eu estava na minha cozinha quando escutei os gritos. Vi ele tentando acertar o cachorro com algo parecido com um pedaço de pau. Os cães fugiram para outra casa. Ele pega um deles pelas patas e depois joga por cima de um muro que deve ter mais de dois metros”, contou ao portal O Município Blumenau.

Na segunda-feira (11), policiais estiveram no local do crime e constataram que os cães eram mantidos em ambiente insalubre, sem água e comida. Os animais foram resgatados e levados para o Centro de Prevenção e Recuperação de Animais Domésticos (Cepread). Um deles estava tão traumatizado que urinou e defecou de medo dos policiais.

“O tutor vai responder processo e pagar multa pelo crime de maus-tratos. Enquanto isso, os animais vão ser medicados e tratados. Após a análise da justiça, eles podem ser colocados para adoção”, declarou a polícia.

Os policiais foram recebidos na residência pela esposa do agressor, que não estava no local no momento. Ao ser questionada, a mulher alegou que os animais não sofreram maus-tratos e que eles não tinham água e comida à disposição porque “não precisam comer a toda hora”.

A policial civil Anne Mesquita reforçou a importância das denúncias. “Só chegou ao nosso conhecimento graças ao Boletim de Ocorrência feito pela vizinha. Os animais não têm como pedir ajuda. Por isso, precisamos denunciar!”, disse.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia resgata 74 animais após maus-tratos em São José dos Campos (SP)

Além dos animais resgatados, oito gatos foram encontrados mortos na residência


A Polícia Ambiental resgatou 74 animais encontrados em situação de maus-tratos em uma casa em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Foram 71 gatos e três cães salvos na quinta-feira (7).

Foto: Divulgação/ Polícia Ambiental

A tutora dos animais, de 68 anos, foi multada em R$ 276 mil – R$ 3 mil por cada animal maltratado e R$ 6 mil por cada animal que morreu.

Durante a ação policial, ela passou mal e foi encaminhada para uma unidade de saúde. O caso foi descoberto após denúncia. As informações são do G1.

Além dos animais resgatados, a polícia encontrou oito gatos mortos na residência. O local foi interditado por questões de insalubridade após uma vistoria ser feita pela Polícia Civil e pela Defesa Civil.

Foto: Divulgação/ Polícia Ambiental

Os animais estavam presos em um ambiente com muito lixo, não tinham comida nem água à disposição e viviam sem ter contato com o sol.

Os animais resgatados serão encaminhados para uma ONG e a tutora deles irá responder pelo crime de maus-tratos.

Foto: Divulgação/ Polícia Ambiental

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques

Mais de 100 cães e gatos são resgatados em situação deplorável da residência de acumuladora

Sem água, presos em gaiolas imundas e superlotadas, muitos doentes e com fraturas expostas os animais estavam desnutridos e não tinham atendimento veterinário há muito tempo


 

FOTO: RSPCA/SWINS.com
FOTO: RSPCA/SWINS.com

Uma acumuladora de animais foi presa e acusada legalmente de crueldade animal depois de mais de 100 cães serem encontrados em condições insalubres em sua casa, com muitos deles amontoados em pequenas gaiolas e sofrendo de doenças e fraturas.

Lynn Stoker, 62 anos, também foi multada em 50 mil libras (em torno de 255 mil reais) depois de deixar os cães sem água potável, muitos em estado tão ruim que eles tiveram que ser eutanasiados.

A acumuladora de Byrness, Northumberland, na Inglaterra, foi considerada culpada de 16 acusações de crueldade e negligência depois que os inspetores da RSCPA (Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals) descobriram que sua casa estava cheia de animais em condições deploráveis.

Ela estava criando os cães, mas tentava vendê-los e acabou com uma casa cheia de animais.

Stoker inicialmente pediu ajuda para encontrar lares adotivos para os animais domésticos, mas começou a se comportar de forma evasiva e agressiva, o que levou as autoridades a emitirem um mandado de busca em maio de 2018 e os animais foram resgatados.

Durante seu julgamento, o tribunal ouviu como dois cães haviam fraturado o maxilar e muitos tinham sintomas óbvios de doença e estavam sendo mantidos em gaiolas superlotadas.

Os animais não tinham água potável e alguns estavam em um estado tão ruim que não sobreviveriam por muito tempo.

Foto: NCJ Media
Foto: NCJ Media

Os cães não tinham tratamento veterinário há anos e em alguns casos, estavam “em um estágio avançado de sofrimento que não era possível mais salvar suas vidas”, disse o promotor Stewart Haywood ao Tribunal de Magistrados do Sudeste de Northumberland, de acordo com o Daily Mail.

Ele acrescentou que a acumuladora se recusou a cooperar com a RSPCA, acusando-os de uma “conspiração” para remover os cães, a fim de obter lucro para si próprios.

Defendendo a acusada, Paul Blanchard disse: “É justo dizer que as circunstâncias foram além do meu cliente”.

Foto: NCJ Media
Foto: NCJ Media

“Ela tem as características de acumuladora, que é um distúrbio de personalidade. Este não foi um ato deliberado, é um ato imprudente”.

“Ela não estava lidando com a situação de forma correta, ela fechou os olhos para a realidade do que realmente estava acontecendo”.

Na sentença, o juiz distrital Bernard Begley, disse: “O relatório que li mostra uma repetição das afirmações feitas por você durante o julgamento de negação de culpa, conspiração por parte de outras pessoas e, de certa forma uma previsível, falta absoluta de remorso”.

Foto: NCJ Media
Foto: NCJ Media

Ele acrescentou: “Realmente não consigo encontrar nenhum recurso atenuante no seu caso”.

Stoker negou as 11 acusações de causar sofrimento desnecessário a um animal protegido pela lei, quatro acusações de falha em garantir que as necessidades de bem-estar animal fossem atendidas e um pedido de entrega dos animais mantidos sob sua guarda à RSPCA.

Mas ela foi considerada culpada das acusações pelo tribunal e foi conduzida algemada na sexta feira (13) depois de receber uma sentença de 21 semanas de prisão.

FOTO: RSPCA/SWINS.com
FOTO: RSPCA/SWINS.com

Ela também foi condenada a não poder manter ou criar animais por pelo menos 15 anos.

O juiz Begley ordenou que ela pagasse 50 mil libras (cerca de 255 mil reais) em custos após uma solicitação inicial da RSPCA pedindo que ela pagasse mais de 290.000 libras.

A acusada foi condenada no Tribunal de Magistrados do Sudeste de Northumberland, em Bedlington, Inglaterra.

FOTO: RSPCA/SWINS.com
FOTO: RSPCA/SWINS.com

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cachorro deixado para morrer é resgatado após ser abandonado preso no meio da mata

Ao ser encontrado pela equipe de funcionários de limpeza da rodovia, Pesci foi extremamente dócil, e apesar de tudo que passou ele os recebeu com um sorriso de gratidão

 


 

Foto: Patrick Harden/Facebook
Foto: Patrick Harden/Facebook

Um grupo de funcionários de uma concessionária de rodovias, trabalhava recolhendo lixo ao longo de uma estrada no Condado de Dutchess, em Nova York, nos EUA quando eles de repente ouviram latidos. A equipe estava basicamente no meio do nada e não conseguiam imaginar por que um cachorro estaria vagando por ali. Ainda assim, eles sabiam que tinham que investigar, e então seguiram o som dos latidos – e encontraram um cachorro amarrado a uma árvore, nas profundezas da floresta, bem longe da estrada.

Os trabalhadores ficaram assustados ao encontrar o pobre cachorro tão distante da civilização, amarrado à árvore, deixado para morrer, longe de qualquer possibilidade de alguém vê-lo ou ajudá-lo, e ele ficou igualmente assustado – mas ao mesmo tempo muito feliz – em vê-los também.

Foto: Patrick Harden/Facebook
Foto: Patrick Harden/Facebook

“Ele ficou muito contente e animado por ver alguém”, disse Lynne Meloccaro, diretora executiva da Dutchess County SPCA, ao The Dodo. “Ele já estava lá há um bom tempo, com mais de 37 graus de calor. Ele claramente tem uma vontade enorme de viver.”

Depois que a polícia foi contatada, o cachorro muito empolgado foi levado pela ONG de proteção animal Dutchess County SPCA, que decidiu chamá-lo de Pesci. Os funcionários da entidade ficaram pasmos com a maldade da pessoa que abandonou dessa forma cruel, um cachorro tão feliz e dócil. Mesmo depois de tudo o que ele passou, Pesci ficou muito grato e emocionado por encontrar todos esses novos amigos e não parecia ter medo ou estar bravo com pessoas de forma nenhuma.

Foto: New York State Police/Facebook
Foto: New York State Police/Facebook

“Ele é uma alma muito doce”, disse Meloccaro. “Ele é fica mais feliz ainda quando está ao lado de pessoas – ele gosta de brincar e ser abraçado”.

Além de desidratado, Pesci estava surpreendentemente saudável. Ele agora está se recuperando sob os cuidados de todos os seus novos amigos do abrigo e simplesmente não consegue se satisfazer com todo o amor e atenção que de repente ele está recebendo. A polícia está investigando ativamente quem foi o responsável pelos maus-tratos e abandono de Pesci, para poder responsabilizar quem cometeu esse crime.

Foto: Lynne Meloccaro
Foto: Lynne Meloccaro

“O fato de ele estar tão longe da estrada sugere que quem o colocou lá não pretendia que ele fosse encontrado”, disse Meloccaro.

Felizmente, Pesci está seguro agora e já é muito amado, o abrigo tem a impressão de que ele não precisará esperar muito antes de ser adotado e encontrar uma família muito amorosa.

“Ele estará pronto para adoção muito em breve e, dado o interesse público nesse caso, acho que ele encontrará seu lar para sempre em menos tempo do que ficou amarrado a essa árvore”, disse Meloccaro.

Foto: Lynne Meloccaro
Foto: Lynne Meloccaro

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Filhote de cachorro cai em cisterna de 15 metros e é resgatado em Goiás

Um filhote de cachorro caiu dentro de uma cisterna com 15 metros de profundidade em Goianira, na Região Metropolitana de Goiânia, em Goiás.

Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

A cisterna pertence a uma casa e estava seca. O filhote não se feriu e foi devolvido à tutora após o resgate. As informações são do G1.

De acordo com a tutora, cinco filhotes vivem no local e três deles estavam soltos no momento da queda. Eles caminhavam pelo quintal quando um caiu dentro do buraco.

“A cisterna tinha metade da tampa de concreto e a outra metade estava quebrada, tampada com alguns pedaços de madeira, mas com alguns espaços ainda”, disse o soldado Caio Rodrigues.

Para resgatar o animal, os bombeiros montaram uma escada e entraram na cisterna. O filhote foi colocado dentro de um balde que foi içado até a superfície com a ajuda de uma corda.

“Quando estávamos tirando ele de lá, um outro quase caiu. Alertamos ela de que é preciso tampar a cisterna, porque outros animais podem cair e até mesmo crianças, o que pode causar um ferimento muito grande”, completou o bombeiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Sem água e comida, macaco é encontrado preso em gaiola em Sorriso (MT)

Um macaco-prego foi encontrado preso em uma gaiola, exposto ao sol, sem água e comida, em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, no Mato Grosso. O animal silvestre vítima de maus-tratos foi resgatado por fiscais da prefeitura nesta sexta-feira (26).

Foto: Bruno Bortolozo/TVCA

O animal foi flagrado pelo Núcleo Integrado da Fiscalização (NIF) fazendo movimentos repetitivos. Segundo o coordenador do NIF, Reinaldo Nunes, o comportamento do macaco caracteriza estresse. As informações são do G1.

Uma mulher, que não teve a identidade divulgada, mantinha o macaco-prego em cativeiro em uma propriedade na região industrial da cidade. Ela afirmou à polícia que o animal foi encontrado por um colega, em uma região de mata, ao lado da mãe, que estava morta.

A mulher alegou que o homem ficou com pena do animal e o levou para ser criado na propriedade onde ela vive. O macaco viveu no local por oito anos.

“Quando encontrou o animal, o indivíduo deveria ter procurado um órgão ambiental para que as providências fossem tomadas”, ressaltou Reinado, que lembrou ainda que as condições as quais o macaco foi submetido configuram maus-tratos.

Manter animais em cativeiro e maltratá-los são crimes ambientais que podem ser punidos com detenção de até um ano, além de multa.

Após o resgate, o macaco-prego foi levado para o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na cidade de Sinop. No local, ele será submetido a um período de quarentena e, depois, será inserido em um grupo de macacos para que possa se readaptar. Quando estiver reabilitado e curado, o animal poderá ser devolvido à natureza.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Tutor justifica abandono de cão doente dizendo que ‘não tinha tempo para cuidar’

Um cachorro doente foi abandonado ao relento em Amambai, no Mato Grosso do Sul. Segundo a presidente de uma ONG de proteção animal, que resgatou o cão, o tutor disse a ela que abandonou o animal porque não tinha tempo para cuidar dele. O cachorro foi resgatado na quinta-feira (25).

Foto: PMA/Divulgação

A mulher, que preferiu não ser identificada, contou que localizou o tutor do cão e o questionou sobre o abandono. “Tenho dois empregos, chego em casa depois de meia-noite, não tenho tempo para cuidar”, teria respondido o homem.

Segundo ela, o tutor afirmou que duas irmãs deram paracetamol ao animal. O remédio combate dores e febre, mas não trata nenhuma doença específica. As informações são do portal G1.

Após resgatar o cão, a mulher o encaminhou para receber atendimento veterinário e acionou a Polícia Militar Ambiental (PMA).

O tutor do cachorro foi multado pela polícia em R$ 500 e responderá pelo crime ambiental de maus-tratos a animais, com pena de até um ano de detenção, além de multa. Os agentes efetuaram um auto de infração administrativo.

Após ser levado para receber os cuidados de um veterinário, o cachorro foi sacrificado por estar com uma doença em estágio avançado. De acordo com o especialista, o animal não sobreviveria e, por isso, o sacrifício foi optado como forma de por fim ao seu sofrimento.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More