Notícias

Secretário dos Estados Unidos legaliza caça em áreas anteriormente protegidas

O Secretário do Interior dos Estados Unidos, Ryan Zinke, decidiu abrir 30 refúgios de vida silvestre para caça e pesca. A decisão resultará na perda da proteção ambiental de mais de 251 mil acres de terras federais, promovendo atividades que ameaçam a vida selvagem.

Zinke e o resto da administração Trump estão alegando que esta ação irá “melhorar” em vez de prejudicar a conservação nos refúgios. Entretanto, ela legaliza a matança sem sentido de animais inocentes para o esporte. Além disso, afrouxa as regulamentações sobre caça e pesca nessas áreas, perturbando os frágeis ecossistemas que existem nessas águas e terras.

A caça e pesca é permitida em locais que antes eram refúgios animais e coloca espécies e habitat em risco (Foto: Pixabay)

O movimento ecologicamente irresponsável do secretário não começou agora. Desde que assumiu o cargo no ano passado, Zinke orquestrou vários ataques altamente polêmicos contra a vida selvagem e áreas naturais protegidas do país.

Ele aprovou a drástica redução do tamanho dos monumentos nacionais Bears Ears e Grand Staircase-Escalante. O objetivo foi abrir grande parte das paisagens ecológicas, historicamente e culturalmente importantes, para facilitar a perfuração de petróleo e gás.

Zinke também estava diretamente envolvido e deu apoio à escolha do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos de revogar a proteção dos ursos pardos em Yellowstone. A caça desses animais foi temporariamente suspendida pois são uma espécie em extinção e uma população que ainda está em declínio e com extrema necessidade de defesa.

Devido à esse histórico polêmico, uma campanha chamada Stop Ryan Zinke está tentando acabar com essas medidas. Eles recolhem doações e possibilitam que mensagens sejam enviadas ao secretário por meio do Conselho de Defesa de Recursos Naturais.

 

​Read More