Notícias

Sarah Palin publica foto do filho pisando em cachorro

Sarah elogiou o filho, que transformou um "cão preguiçoso" em um degrau / Reuters
Sarah elogiou o filho, que transformou um “cão preguiçoso” em um degrau / Reuters

A política norte-americana Sarah Palin, ex-governadora do estado do Alaska e candidata à vice-presidência dos Estados Unidos, em 2008, gerou polêmica ao publicar uma série de imagens nas redes sociais, na última quinta-feira (1), nas quais o filho aparece pisando no cachorro da família.

O seu filho com Síndrome de Down, Trig, de 6 anos, tenta alcançar a pia e, para isso, utiliza o cão como uma plataforma. Na legenda, Sarah deseja um feliz 2015 e aparece orgulhosa pela criança se esforçar para ajudá-la a lavar a louça. Além disso, ela trata o animal como “preguiçoso” e um “obstáculo”.

“Feliz Ano Novo! Deixe 2015 ver cada obstáculo transformado em um degrau no caminho adiante. Trig acaba de me lembrar. Ele, determinado em ajudar a lavar a louça, com uma mãe que não reconheceu seus sinais para levantá-lo, achou um cão preguiçoso bloqueando seu caminho. Ele fez o seu degrau”, escreveu nas redes sociais.

Internautas condenam a atitude de Trig e de Sarah, que elogiou o filho /Reprodução/Facebook
Internautas condenam a atitude de Trig e de Sarah, que elogiou o filho /Reprodução/Facebook

Logo que a publicação foi feita, os seguidores da política mandaram críticas à conduta do filho e da mãe, por permitir tal atitude com o animal da família. Ainda neste domingo, a discussão continua. Até o momento desta publicação, 64.403 curtiram as fotos, 10.159 pessoas compartilharam e mais de 20 mil comentários preenchem o post.

“Sarah, este é um comportamento perigoso e inapropriado para a sua criança aprender em torno dos cachorros. É, com certeza, ruim ficar me pé na espinha do cachorro, sem argumentos, não importa o seu tamanho”, comentou um internauta. Enquanto outro foi direto ao ponto: “crueldade com os animais!”.

Fonte: Diário de SP

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Sarah Palin é criticada pela PETA por caçar renas

Por Rachel Siqueira  (da Redação)

Foto: Gilles Mingasson/Discovery

A ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, já previa que ativistas pelos direitos animais não reagiriam bem à sua caça a renas, exibida no episódio do domingo passado do reality show Sarah Palin’s Alaska, da rede de tv TLC.

Ela estava certa! Segundo informações do jornal Pop Watch, o vice-presidente da PETA, Dan Mathews, emitiu um comunicado dizendo: “Aparentemente Sarah acha que recorrer à violência, sangue e vísceras pode atrair pessoas para assistir a seu show chato, mas a receptividade ao show continua tão morta quanto os pobres animais que ela assassina”.

Domingo (5) de manhã, antes que o episódio fosse ao ar, Palin publicou uma mensagem em seu Facebook: “O episódio de caça de hoje, controverso? Sério? A não ser que você nunca tenha usado sapatos de couro, sentado em cima de um sofá de couro ou comido um pedaço de carne, não condene o episódio de hoje. Continuo orgulhosamente intolerante à hipocrisia anticaça.”

Mandi Bierly, do site de notícias Entertainment Weekly comenta:  “Como alguém que faz todas essas três coisas (uso de sapatos e sofá de couro, além da carne animal), acho que tenho que concordar com ela, mesmo que a cena onde Sarah caça, esfola e esquarteja a rena com seu pai seja excruciante de assistir.”

Assista ao vídeo da caça exibida com muito orgulho pela ex-governadora:

Sarah Palin caça, congela carne para sua família e diz que, se você come carne, não pode acusá-la.

​Read More
Notícias

Ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, mata peixes à bastonada na televisão

A ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, mostrou no episódio do seu ‘reality show’ transmitido ontem nos EUA o método de matar alabotes à bastonada depois de estes serem puxados para o convés de um barco pesqueiro. Segundo a mulher que seria vice-presidente dos EUA caso John McCain tivesse derrotado Barack Obama em 2008, “é a forma mais segura e humana” de o fazer.

Acompanhada pela sua filha Bristol, a estrela de ‘Sarah Palin’s Alaska’ ajudou os pescadores a apanhar e matar os peixes gigantes à bastonada, tendo de seguida observado como as tripas lhes são retiradas ainda a bordo.

A certo momento um dos pescadores deu o coração de um alabote à estrela do ‘reality show’ e à sua filha, tendo as duas observado que este ainda estava batendo. “É a coisa mais estranha que já tive nas mãos”, comentou Sarah Palin, antes de o lançar para o oceano Pacífico.

Além de ser a estrela de um ‘reality show’, Sarah Palin mantém a esperança de conseguir vencer as primárias do Partido Republicano, o que lhe permitiria enfrentar Barack Obama nas presidenciais de 2012. Caso assim suceda, será provavelmente a primeira candidata à Casa Branca que já teve nas mãos um coração ainda a bater.

Veja o vídeo

Fonte: CM

​Read More
Notícias

Ex-governadora Sarah Palin recomeça guerra com ativistas ao preparar documentário da vida selvagem

Por Marcela Couto (da Redação)

Desconsiderando o fato de que a política Sarah Palin não se tornou vice-presidente em 2008 e nem é mais a governadora do Alasca, ela ainda está incomodando os conservacionistas. Desta vez, o grupo defensor dos animais Defenders of Wildlife Action Fund está engajado em combater um documentário de Palin do TLC network que está por vir.


Foto: J. Scott Applewhite / Associated Press


O grupo sempre se opôs radicalmente às políticas praticadas por Palin a respeito da vida selvagem durante seu mandato no Alasca. Em resposta ao apoio de Palin a um programa em que lobos são caçados levando tiros de aviões, o grupo lançou um website, o EyeOnPalin.org, em 2009.

O momento de maior visibilidade nesta campanha anti-Palin aconteceu no começo de fevereiro de 2009, quando o grupo lançou um vídeo sobre a caça cruel aos lobos narrado pela atriz Ashley Judd. Em declaração, Judd qualificou a caçada como “cruel, sem justificativa científica e uma prática absurda que não tem lugar na América moderna.”

Palin respondeu com uma declaração ultrajante em seu website, se referindo aos defensores como um “grupo extremista” e acusando-os de “deturpar a verdade com o objetivo de arrecadar fundos de cidadãos americanos inocentes em plena crise econômica.”

O grupo rebateu a acusação com uma declaração de seu presidente, Rodger Schlickeisen, que dizia: “o que você recebe da governadora Palin quando a desafia não é uma defesa racional, mas xingamentos vagos e um ataque infundado. Mas, tenho dito, como já está claro que não há defesa possível para seu programa cruel de caça aos lobos, talvez ela saiba que não há muito mais o que fazer a respeito.”

Mesmo depois de tantos conflitos, as políticas de Palin que envolvem a vida selvagem e o meio ambiente não acabaram quando ela deixou o poder. “Os esforços dela eram, e ainda são, uma ameaça à integridade da natureza americana, um país que abriga tantos refúgios da vida selvagem, florestas, parques e outras reservas… E como se não bastasse, Palin ainda nega o aquecimento global.”

Agora Palin se prepara para trabalhar em seu documentário, previamente nomeado O Alasca de Sarah Palin, e os defendores voltaram à ação novamente.




Imagem: EyeOnPalin.org




Por meio do website EyeOnPalin, o grupo está reunindo seus apoiadores para agir contra a produção de Palin, que, de acordo com o chefe da TLC network, “revelará a beleza poderosa do Alasca como nunca antes filmada, narrada por uma das grandes filhas do estado”.

Os defensores estão pedindo que todos que se opõem às políticas ambientais de Palin assinem uma petição para acabar com o documentário.

Já são 170 mil assinaturas no documento, que diz em parte: “Esperamos que o Discovery Channel e a TLC, empresas que integram o Animal Planet conhecidas pelas produções focadas na vida selvagem, reconsiderem sua decisão de partilhar um documentário com uma pessoa antianimais e politicamente  polêmica como Sarah Palin.”

Palin ainda não se manifestou sobre a última ação do grupo, mas a organização pró-caça US Sportmen’s Alliance tomou a frente para defendê-la.

A organização de homens caçadores tenta conter a petição afirmando que “a oposição à campanha de caça aos lobos de Palin não tem base científica e é baseada em lapsos emocionais”.

Enquanto ativistas com “lapsos emocionais” estiverem trabalhando para defender os direitos dos animais ainda haverá esperança para a vida selvagem.

Com informações de Los Angeles Times

Por Marcela Couto (da Redação)
​Read More
Destaques, Notícias

Ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, critica vegetarianismo e declara que os animais existem para serem comidos

Por Marcela Couto (da Redação)

A autobiografia de Sarah Palin, Going Rogue: An American Life, foi lançada nas livrarias no dia 17 de novembro. No livro, Palin traça suas experiências desde que era uma garota do interior do Alasca até tornar-se vice-presidente republicana.

vadia
Foto: Examiner.com

Além de explanar sua visão sobre a campanha de McCain e a mídia, Palin, uma entusiasta da caça no Alasca, usa o livro para criticar vegetarianos. A republicana diz: “Se um vegano vier jantar comigo, posso preparar uma saladinha e então explicar-lhe minha fisolofia carnívora: se Deus não quisesse que comêssemos animais, por que eles seriam feitos de carne?”.

A republicana ainda complementa: “Amo carne. Como toicinhos, hambúrgueres de bacon, e cada pedaço da bela gordura que envolve um bife. Mas adoro especialmente carne de alce. Sempre faço questão de lembrar às pessoas de fora que aqui no Alasca todos os animais têm seu espaço – logo ao lado das batatas assadas, é claro”.

Infelizmente, a visão de Palin sobre o vegetarianismo não é apenas coisa de gente com a mente fechada, mas também difundida entre alguns intelectuais. O velho clichê que mostra o vegetariano comendo apenas salada, um copo d’água e algumas cenouras ainda persiste, e a grande variedade de alimentos saborosos e saudáveis disponíveis em uma dieta sem carne é simplesmente ignorada pelas massas.

A ideia de Palin de que os animais são apenas pedaços de carne, infelizmente, ainda é compartilhada por uma boa parte da população dos EUA. Suas declarações com certeza receberão aplausos de muitos caçadores e donos de churrascarias. É triste constatar que em nossa sociedade animais sejam considerados o prato principal do jantar.

Um “carnívoro”, como Palin refere-se a si mesma, não precisa mudar sua escolha por causa de um vegetariano, mas a tolerância e o respeito seriam bem-vindos. Nem é preciso dizer que o PETA não enviará nenhum cartãozinho de Natal para Palin este ano.

Mas Sarah Palin, além de declaradamente enxergar os animais como objetos comestíveis, indignos de direitos, comete uma distração bastante grave: ela simplesmente ignora o fato de que seus próprios ossos são envoltos em nada mais nada menos do que pura carne e gordura, exatamente como nos animais que fatia e come.

Além disso, não contente em tratar animais como meros objetos para satisfação do seu paladar, a republicana promove estereótipos preconceituosos sobre vegetarianos e abusa do cinismo para demonstrar sua prepotência e soberania sobre as outras espécies não humanas.

Um péssimo exemplo para a humanidade.

Com informações de Examiner.com

​Read More