Notícias

Terceira elefanta mais velha da América completa 70 anos

A elefanta Shirley chega aos 70 anos após uma vida de exploração e luta pela sobrevivência. Ela foi obrigada a se apresentar por 20 anos em um circo, escapou de um acidente de carro que matou outros dois elefantes, sobreviveu ao incêndio e naufrágio do barco onde ela viajava e a uma briga com outro elefante que a mutilou e aposentou. Como se tudo isso não fosse o bastante, Shirley ainda suportou a solidão de um zoológico por 22 anos.

A elefanta Shirley caminha pelo santuário, após anos de exploração e abusos, ela finalmente encontra a paz | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee
A elefanta Shirley caminha pelo santuário, após anos de exploração e abusos, ela finalmente encontra a paz | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee

É por todos esses motivos e muitos outros que o Santuário dos Elefantes no Tennessee (EUA), planejou uma enorme festa de aniversário para Shirley, que também é uma de seus residentes mais antigas.

De acordo com Kate Mason, coordenadora de comunicação do santuário, Shirley, é um elefante asiático e completou 70 anos dia 6 de julho. Essa é uma data que merece celebração pois a expectativa de vida média dos elefantes em cativeiro é de 42 anos para asiáticos e de 47 anos para africanos.

Shirley tem uma história de vida realmente incrível.

Nascida em Sumatra, em 1948, Shirley foi capturada aos cinco anos de idade na natureza e vendida para um circo itinerante, onde entreteve o público por mais de 20 anos. Ao longo dessas duas décadas, Shirley sobreviveu ao imenso impacto físico e emocional sofrido por muitos elefantes em cativeiro abusados para entretenimento e ganhos financeiros.

Sua história é um tratado sobre a luta pela sobrevivência e suas muitas experiências de quase morte se deram durante seu tempo viajando com o circo.

Por volta de 1958, Shirley sobreviveu a uma tentativa de captura pelas forças de Fidel Castro em Cuba. Ela escapou de um acidente de carro que matou dois outros elefantes. Em 1963, o navio do circo em que Shirley estava viajando pegou fogo e afundou parcialmente. Ela sobreviveu, mas o acidente a deixou com queimaduras nas costas, nas laterais do corpo e nos pés. Uma queimadura mais grave também a fez perder parte da orelha direita.

Finalmente livre, Shirley brinca na lama, um de seus programas favoritos | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee
Finalmente livre, Shirley brinca na lama, um de seus programas favoritos | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee

Após uma briga com outro elefante em 1974, Shirley quebrou uma perna o que acabou com seus dias de circo. Em 1977, o zoológico da Louisiana se tornou o novo lar de Shirley, onde ela foi a única moradora representante dos elefantes por 22 anos.

Quando Shirley ficou mais velha, finalmente a equipe do zoológico a libertou, convencidos de que ela precisava de mais espaço e da companhia de outros elefantes. Seu cuidador principal, Solomon James, acompanhou Shirley em sua jornada da Louisiana até o Santuário dos Elefantes em Hohenwald.

Quando James e Shirley chegaram ao Santuário, houve realmente um momento emocionante, mas não pela iminente separação do animal e seu cuidador. Na verdade, Shirley encontrou outro elefante asiático chamado Jenny.

À primeira vista, “os dois animais quase derrubaram todos ao redor para se aproximarem um do outro”, contou Mason. Mais tarde foi descoberto que as duas elefantas haviam se apresentado juntas no circo itinerante 24 anos antes.

Nos sete anos seguintes, Shirley e Jenny se tornaram inseparáveis, o relacionamento delas se assemelhava ao de mãe e filha.

Shirley e Jenny, inseparáveis, passando o tempo juntas e brincando no santuário | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee
Shirley e Jenny, inseparáveis, passando o tempo juntas e brincando no santuário | Foto: The Elephant Sanctuary in Tennessee

A chegada de Shirley ao Santuário de Elefantes no Tennessee foi filmada pela Argo Films e se tornou parte do documentário “The Urban Elephant” (O Elefante Urbano, na tradução livre), que capturou as interações de Shirley e Jenny, incluindo o episódio em que Shirley, que pesa quatro toneladas, montava guarda sobre Jenny enquanto ela tirava uma soneca ao ar livre.

“Shirley passou por tanta coisa em sua vida. É impressionante a rapidez com que ela confia nas pessoas ”, disse a cuidadora Kaitlin Stocks, que acrescentou: “Ela emana amor e bondade ”.

Para comemorar o 70º aniversário de Shirley, os cuidadores criaram um gigantesco número 70 do tamanho de um elefante, com materiais comestíveis e alguns bambus, amarrados com flores e produtos frescos.

O santuário também está pedindo aos fãs para postar votos de aniversário para Shirley na forma de um cartão, vídeo, música, poema ou comentário nas mídias sociais, usando a hashtag #ShirleyTurns70.

A equipe do santuário selecionará cinco entre os melhores posts para receber uma sacolinha de presentes da Shirley, incluindo uma camiseta e outros itens do Santuário dos Elefantes.

A história de Shirley se tornou conhecida e muitos querem conhecê-la e acompanham os vídeos postados sobre ela nas redes sociais. No sábado, 14 de julho, o Elephant Discovery Center será palco de um bate-papo com os cuidadores de Shirley. A platéia poderá fazer perguntas e acompanhar em primeira mão o que envolve o cuidado com um elefante.

Após tanto tempo de sofrimento, Shirley pode finalmente celebrar seu aniversário em paz, ao lado de sua companheira Jenny.

​Read More