Você é o Repórter

Procura-se tutores ou novo adotante para poode preto encontrado em Salvador (BA)

Monique Abdalla
Facebook

foto (3)
Foto: Divulgação

Estou orando para que ele encontre alguém logo. É de partir o coração a agonia dele perdido, tentando entrar nos lares e chorando. Ele é muito dócil, aparenta estar em bom estado de saúde, porem esta muito magro. Tenho colocado ração e água todos os dias, mas isso não será suficiente, ele precisa de um lar, não sabe se virar nas ruas.

É um cão macho, porte médio, extremamente carinhoso. Está perdido em Salvador – BA, desde sexta-feira 14/06.

Precisa de um lar urgente. Interessados, por favor, mandem mensagens no meu Facebook para maiores informações.

Contato: Monique Abdalla – Facebook

​Read More
Notícias

Zoológico troca grades por paredes de vidro para preparar animais para liberdade

Serão soltos animais como o mico-leão-de-cara-dourada e o macaco-prego-do-peito-preto

Um zoológico de Salvador, na Bahia, vai devolver para a natureza vários animais que estão em extinção. Para isso, o primeiro passo para preparar os bichos para a soltura foi a troca das grades por vidros.

Animais como o  mico-leão-de-cara-dourada e o macaco-prego-do-peito-preto, ameaçados de extinção, vão ser colocados em liberdade. De cada dez animais que vivem no local, sete nasceram no zoológico e nunca saíram de lá.

Antes de irem para a natureza, eles estão convivendo com as paredes de vidro e aprendendo a se alimentar sozinhos.

Assista ao vídeo:

Fonte: R7

Nota da Redação: A reportagem feita pela Rede Record mostra claramente o estresse pelo qual passam os animais confinados em zoos. Além de terem seus instintos tolhidos, sua liberdade castrada, ficam à mercê da curiosidade invasiva dos humanos em um ambiente artificial, um cativeiro que na realidade é uma prisão perpétua à qual foram condenados sem terem praticado crime algum.  A iniciativa do Zoológico de Salvador é louvável, no entanto é preciso um olhar mais atento e sensível à realidade de todos os animais trancafiados em jaulas. Não basta soltar os animais ameaçados de extinção para que voltem a ter um número expressivo e tornar a privá-los de seu bem mais precioso, que é o direito à liberdade. Os animais não são objetos para divertir ninguém; eles estão dividindo conosco o mesmo planeta e cumprindo uma função de manter a vida em sua biodiversidade. São parceiros na conservação do ambiente que todos nós compartilhamos.  É um desafio que as autoridades públicas e dirigentes precisam começar a encarar: o lugar dos animais é na natureza, e a função dos zoos deve ser apenas a de recuperar animais para devolvê-los a seu habitat natural. 

​Read More