Termos como 'salsicha vegana' ou 'hambúrguer vegetariano são proibidos na rotulagem de alimentos à base de planas, na França (Foto: iStock)
Notícias

Empresas veganas podem ser multadas por usar rótulos de alimentos que ‘lembrem carne’

Varejistas franceses no ramo alimentício vegano serão obrigados a abandonar termos que lembrem carne na rotulagem de alimentos baseados em plantas, incluindo os termos ‘hambúrguer’ e ‘linguiça’.

Termos como 'salsicha vegana' ou 'hambúrguer vegetariano são proibidos na rotulagem de alimentos à base de planas, na França (Foto: iStock)
Termos como ‘salsicha vegana’ ou ‘hambúrguer vegetariano são proibidos na rotulagem de alimentos à base de plantas, na França (Foto: iStock)

Políticos locais declararam que a proibição está acontecendo porque os rótulos “enganam” os compradores. Parlamentares franceses votaram, então, na proibição de termos como ‘salsichas vegetarianas’ no início desta semana, sugerindo que é proibida a relação de termos de alimentos de carne com alimentos vegetarianos ou veganos.

Sendo assim, as empresas não podem mais utilizar usar ‘hambúrguer’, ‘bife’ e outras palavras para comida vegetariana, como ‘hambúrguer vegetariano’ ou ‘linguiça vegana’, e terão que apresentar novas maneiras de descrever os alimentos de quem não come derivados de carne ou de animais.

A proposta foi apresentada pelo deputado Jean-Baptiste Moreau, alegando que a rotulagem é enganosa para os consumidores. A proibição foi aprovada, e simboliza o resultado da ameaça representada pela indústria vegana a indústrias de carne e produtos lácteos, já que a popularidade das alternativas à base de plantas tem crescido entre os consumidores, conforme dito pelo Plant Based News.

'Leite de soja' é outro termo que será multado agora na França (Foto: Shutterstock)
‘Leite de soja’ é outro termo que será multado agora na França (Foto: Shutterstock)

Wendy Higgins, da Humane Society International (Sociedade Humanizada Internacional), disse ao DailyMail: “É uma pena que, em vez de abraçar comida vegana e vegetariana, a França tenha adotado uma posição de paranoia defensiva. Mas isso não impedirá o aumento da alimentação compassiva, porque os benefícios deliciosos, nutritivos e ecologicamente corretos da Terra prevalecerão, independentemente do que você chamar de ‘produtos’”.

As proibições de tal rotulagem ainda não estão em vigor na América do Norte, mesmo os Estados Unidos já tendo pressionado a Administração de Alimentos e Medicamentos a proibir o uso do termo ‘leite’ em alternativas à base de plantas.

​Read More
Notícias

Proposta de rotulação de laticínios preocupa produtores no Canadá

A Health Canada, uma organização governamental responsável pelo guia alimentar do país – está propondo uma rotulação de advertência em alimentos inibidores de saúde, e a iniciativa preocupa produtores de leite.

Acordos comerciais recentes no Canadá fizeram com que produtores de leite no país se preocupassem com a perda de participação no mercado interno. Uma nova proposta para inserir advertências na rotulagem de pacotes de alimentos poderia ser prejudicial para a indústria.

A Health Canada disse que os símbolos propostos na nova rotulação ainda não estão nos regulamentos propostos como publicados, mas serão incluídos no regulamento final. (Foto: Sean Kilpatrick/The Canadian Press)
A Health Canada disse que os símbolos propostos na nova rotulação ainda não estão nos regulamentos propostos como publicados, mas serão incluídos no regulamento final. (Foto: Sean Kilpatrick/The Canadian Press)

Em fevereiro de 2018, a Health Canada lançou uma proposta nova de rotulação, que incluiria novas advertências na parte da frente dos rótulos dos produtos vendidos no Canadá. Os alimentos ricos em gorduras saturadas, açúcar e sódio deveriam constar tal informação na embalagem, devido ao risco que representam para a saúde do consumidor.

Isso preocupa os produtores de leite por conta de vários produtos lácteos se enquadrarem nessa categoria, e tais advertências podem fazer com que os consumidores não comprem seus produtos, ou prefiram realizar a troca por outros itens mais saudáveis.

Essas preocupações da indústria de leite vieram à tona após manifestação do Ministério da Saúde do Canadá, por David Wiens, da Dairy Farmers of Manitoba (DFM) (Agricultores Leiteiros de Manitoba, em tradução literal). O presidente da DFM disse estar preocupado que a indústria de lácteos sofra com a perda mais de 800 milhões de dólares em vendas com a implementação da nova proposta.

Em entrevista ao Country Guide Canada, David comenta que a “preocupação é que muitos canadenses realmente colocariam o produto de volta [na prateleira] se eles virem uma etiqueta de advertência. Isso impactaria nossos mercados internamente”.

Alimentos ricos em gorduras saturadas, açúcar e sódio deveriam constar tal informação na rotulação da embalagem, devido ao risco que representam para a saúde do consumidor. (Foto: Divulgação)
Alimentos ricos em gorduras saturadas, açúcar e sódio deveriam constar tal informação na rotulação da embalagem, devido ao risco que representam para a saúde do consumidor. (Foto: Divulgação)

Recentemente, a Health Canada citou pesquisas que diziam que os canadenses consomem “muito” sódio, açúcar e gordura saturada. Conforme citado no Plant Based News, salientar na embalagem dos produtos a quantidade desses ingredientes em cada item possibilitaria uma compra mais informada, gerando escolhas mais saudáveis e uma evidente melhoria na saúde de muitas pessoas.

Os membros da DFM estão se manifestando contra o plano de rotulação proposto, e a elaboração da proposta da Health Canada vai até 26 de abril.

​Read More