Notícias

Gatinha rejeitada por ter manchas no rosto é vítima de preconceito

Daisy tem nove anos e vive atualmente em um abrigo para animais abandonados, ela aguarda por uma família, mas os possíveis adotantes a recusam alegando que suas manchas são “desagradáveis”


 

Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook
Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook

Por Eliane Arakaki

Daisy é uma adorável gatinha da raça ragdoll. Ela é peluda, muito fofa e, provavelmente, nada é mais agradável para ela do que “aconchegar-se em qualquer coisa quente, feliz em ver o tempo (e o mundo) passar”.

Assim sendo, seria é lógico concluir que os amantes de gatos deveriam estar ansiosos para adotar a gatinha que vive em um abrigo.

No entanto, Daisy tem manchas faciais que segundo o centro de resgate da Mini Kitty Commune em Sydney, na Austrália, as pessoas (possíveis adotantes) consideram “desagradáveis”, explicando ainda que, embora “alguns digam que ela tenha marcas faciais infelizes”, eles a chamam de “única”.

Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook
Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook

As pessoas podem ser cruéis.

Descrevendo ainda mais a doce felina, o centro escreve: “A bela Daisy está pronta para adoção. Daisy tem nove anos e espera ansiosamente para gastar seu tempo aconchegando-se em seu novo tutor ou tutora junto à sua nova família”.

“Ela é muito simpática e não quer muita coisa, Daisy adora companhia de humanos, mas também já esteve com outros gatos, por isso convive bem com todos após as devidas e corretas apresentações”.

Apesar das pessoas aparentemente estarem tirando sarro de seu rosto, Daisy ainda é uma gata amigável que não faz ideia de que suas marcas são motivo de preconceito.

Na verdade, em resposta à publicação do abrigo feita no Facebook, muitas pessoas apontaram que as marcas da gatinha pareciam muitas outras coisas.

“Parece um coração de amor alongado”, escreveu um fã.

“Huh … parece mais asas de anjo para mim”, acrescentou outro.

Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook
Foto: Mini Kitty Commune Rescue/Facebook

Assim como Daisy milhões de outros gatinhos, cachorros e animais domésticos aguardam por um lar e uma família, muitos deles são preteridos por serem deficientes, idosos ou doentes.

Assim como os seres humanos, animais podem sentir, sofrer e se alegrar, animais não são produtos para serem vendidos e comprados. São vidas e merecem respeito.

Não compre um animal, adote. Ter um membro de quatro patas na família exige responsabilidade e compromisso, pois eles dependem de nós, mas são capazes de uma lealdade, companheirismo e amor únicos e incondicionais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Cachorro tem o rosto desfigurado ao pedir comida a um homem bêbado

Foto: AsiaWire
Foto: AsiaWire

A polícia está a procura de um cruel agressor de animais que cortou o focinho de um cão faminto “por diversão”.

Fotos com imagens fortes e comoventes foram compartilhadas on-line mostrando um cachorro com o rosto seriamente ferido, sem pele, com a carne a mostra e a boca completamente exposta.

Em outros, o focinho cortado pode ser visto no chão com o nariz e os dentes ainda intactos.

O filhote indefeso foi encontrado vagando pelas ruas de Sabah, na Malásia.

Relatórios locais dizem que o homem estava bêbado e fez isso “por diversão” depois que o cachorro inocente veio até ele em busca de alimento.

O cão atualmente esta sendo mantido aos cuidados da Associação de Animais da Malásia, mas veterinários recomendam que o animal seja sacrificado para acabar com o seu sofrimento.

A polícia está procurando pelo culpado pela agressão, mas ainda não o encontrou, relata o Mirror.

As autoridades estão oferecendo uma moto Daelim History S125 – no valor de £ 1.890 – para qualquer um que possa identificar o agressor do animal.

Arie Dwi Andika, presidente da Associação de Animais da Malásia, disse: “Queremos que o culpado seja pego, acusado e sentenciado de acordo com a promulgação do bem-estar animal de Sabah.”

Nós aqui na península não podemos intervir como Sabah e Sarawak (estados na Malásia) têm sua própria legislação.

”Leis de bem-estar animal foram introduzidas na Malásia em 1953, mas foram alvo de críticas por serem fracas e sub-aplicadas.

Em 2015, o país fortaleceu as leis de proteção aos animais e introduziu várias penalidades por crueldade contra animais.

Segundo a Seção 29 do Ato Contra a Crueldade Animal, as pessoas podem ser multadas e presas por até três anos por abuso de animais.

Isso inclui morrer de fome, mutilar ou abandonar um animal.

A multa mínima é de RM 20.000 na moeda da Malásia Ringgett – equivalente a cerca de £ 3983 em libras esterlinas (cerca de 18 mil reais).

A multa máxima é mais que o triplo dessa penalidade.

Aqueles considerados culpados de infligir dano extremo ou abuso a um animal na Malásia podem ser multados em até RM100.000.

Em libras, isso equivale a quase 20.000 libras ou cerca de 93 mil reais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cachorro que perdeu metade do rosto finalmente encontra o final feliz que merece

Foto: Viktor Larkhill
Foto: Viktor Larkhill

Brutalmente espancado até perder metade do rosto, o pequeno cãozinho, com muita coragem e resiliência, lutou para sobreviver e finalmente conseguiu a vida que merecia.

Tutor monstruoso

O cachorrinho, chamado Skye, só queria brincar. Seu antigo tutor, por outro lado, não tinha paciência para isso.

Skye pediu de novo e de novo por atenção, latindo para seu tutor e convidando-o para brincar. Depois de um tempo, seu dono simplesmente não queria mais aturar isso.

Segundo informações do site Wamiz, ele se levantou de repente, pegou o primeiro objeto pontiagudo que encontrou e começou a espancar violentamente o cachorro com ele.

Um resgate muito aguardado

Felizmente para Skye, as notícias sobre a condição em que ele havia sido deixado logo chegaram até o abrigo local de animais. Um voluntário deste abrigo decidiu ir em seu socorro. Ela foi buscá-lo e levou-o diretamente para ser atendido pelos veterinários.

Os nervos no rosto de Skye estavam tão danificados que ele nem conseguia abrir a boca. De fato, para ser alimentado, Skye teve que ter um tubo enfiado em sua garganta. A terrível surra o deixara apenas com metade do rosto.

Uma nova vida

Depois que Skye foi tratado e começou a se recuperar, voluntários do abrigo publicaram um post nas mídias sociais, esperando que sua personalidade ofuscasse sua aparência e o ajudasse a ser adotado.

Skye foi de fato adotado, mas seus ferimentos continuaram severos. Sua família amorosa decidiu levá-lo à Espanha para ver o único veterinário que poderia fazer algo mais por ele: Dr. Viktor Larkhill.

Depois de várias intervenções, o especialista conseguiu curar completamente o que restava do rosto do cachorro. Skye agora é capaz de comer com sucesso sem sonda gástrica.

E depois de meses de reabilitação, ele agora está vivendo uma vida feliz e serena cercada por sua família humana e canina amorosa. O passado não passa, definitivamente, de passado.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Cão com rosto deformado devido à agressão é salvo de sacrifício

Um cão de quatro meses, com o rosto deformado, foi deixado aos cuidados do Cuyahoga County Animal Shelter em Ohio, nos Estados Unidos. O estado de saúde e as lesões do cachorro eram graves a ponto de colocarem sua vida em risco.

(Foto: Reprodução / Instagram)

A princípio, os profissionais da clínica acreditaram que a deformação tivesse sido gerada por uma infecção que teve início após uma mordida de outro cão. Entretanto, quando um especialista examinou o filhote, ele descobriu que, na verdade, ele havia sido brutalmente agredido, o que levou a uma fratura no crânio e na mandíbula.

O estado do filhote era tão crítico que ele mal conseguia abrir a boca e, por consequência, não podia comer. Apesar disso, ele balançava o rabo, demonstrando felicidade mesmo em meio a sérios problemas de saúde.

(Foto: Reprodução / Instagram)

A médica veterinária Eileen Heldmann administrou antibióticos no cão, que passou a ser chamado de Squish. Mas o tratamento não estava sendo eficaz e o filhote ficava cada vez mais fraco, o que fez com que a veterinária decidisse marcar um dia para sacrificá-lo.

Um dia antes do cão ser submetido à morte induzida, a estagiária Danielle Boyd resolveu levá-lo para casa para que ele passasse a última noite de sua vida em uma casa, com amor e conforto, ao invés de ficar preso em uma gaiola. O olhar de Squish, entretanto, encantou a mulher, que decidiu que ele não poderia ser morto.

(Foto: Reprodução / Facebook)

Ao informar a veterinária sobre sua decisão, Heldmann concordou em não mais sacrificar o filhote, que passou por uma cirurgia.

Recuperado da operação, Squish voltou a comer sozinho. E apesar de ter perdido alguns dentes, um pedaço de seu maxilar e um dos olhos, o cão não perdeu a vontade de viver. Feliz, hoje ele passa o dia brincando, cercado de amor.

​Read More
Notícias

Gata abandonada e com rosto desfigurado é acolhida por nova família

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/shareably
Reprodução/shareably

Uma gatinha terrivelmente desfigurada, ignorada por muitas pessoas, conseguiu um lar amoroso depois que uma menina de sete anos pediu ao seu pai para salvá-la.

A felino abandonada e desnutrida vivia em condições miseráveis, procurando por comida em caixotes de lixo e vagando pelas ruas de Istambul, na Turquia.

Reprodução/shareably
Reprodução/shareably

Quando a criança a encontrou, ela estava extremamente magra, havia perdido uma orelha e mal conseguia abrir seu olho direito.

Ela resgatou a gata de um contentor de lixo e a levou para casa, implorando que seu pai ajudasse a salvar sua vida. Com o auxílio de um veterinário, a família foi capaz de cuidar dela até que recuperasse sua saúde.

Reprodução/shareably
Reprodução/shareably

Eles a chamaram de Gülümser, que significa “aquela que sempre sorri”. Especialistas forneceram medicamentos adequados enquanto a gatinha passou por uma cirurgia para reparar suas feições.

Agora, como as imagens mostram, ela está coberta de pelos e consegue usar os dois ouvidos.  A gatinha teve uma recuperação incrível e tornou-se inseparável da sua jovem salvadora, informou o Daily Mail.

​Read More
Notícias

Cão abandonado e que perdeu metade do rosto tem recuperação incrível

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Animal Aid Unlimited
Animal Aid Unlimited

Um cachorro desabrigado que perdeu quase metade de seu rosto depois de ser devorado vivo por larvas teve uma recuperação incrível.

Ele foi resgatado pela Animal Aid Unlimited (AAU), uma organização sediada nos EUA e que ajuda animais feridos e abandonados no Rajastão, na Índia.

“A metade do rosto desse pobre menino foi realmente consumida por vermes. Mesmo quando ele estava com a boca fechada , era possível ver suas gengivas e dentes”, escreveu a AAU no Facebook.

“A dor que ele deve ter suportado … Nós o encontramos sentado em uma postura de resignação tão abjeta que quebrou nossos corações. Seu único movimento era o frenético reflexo de sua pata desesperadamente tentando acabar com a dor”, acrescentou.

Segundo a organização, depois de três meses de tratamento, o cão chamado Teddy Bear está curado, mas tem uma deformidade permanente em seu rosto, segundo o Telegraph.

Um vídeo que mostra o cão brincando com seus salvadores após sua recuperação já teve milhares de visualizações e compartilhamentos no Facebook.

​Read More
Notícias

Homem cruel atirou impiedosamente no rosto de uma cadela nos Estados Unidos

Divulgação
Divulgação

Uma cadela inocente levou um tiro no rosto durante um crime aleatório em Mobile, Alabama, nos Estados Unidos. A cadela de um ano, Gracy, estava com seu tutor, veterano do exército, Peter Brown, na hora do incidente.

Brown e Gracy estavam pescando quando foram abordados por três homens. Gracy, que é uma pit bull, andou até eles, balançando o rabo, quando um dos homens puxou um revolver e atirou nela.

Brown ficou sob a mira da arma, até que os três homens entraram no carro e fugiram. A bala passou pelo focinho de Gracy e saiu por sua garganta. Médicos esperam que ela se recupere plenamente. A polícia de Mobile não encontrou o homem responsável, porém ele enfrenta acusações por crueldade contra animais e ameaça.

Para ajudar a custear as altas despesas médicas de Gracy, uma conta no GoFundMe foi criada – e em apenas dois dias, 159 pessoas bateram a meta. Fique boa logo, Gracy.

Divulgação
Divulgação

Fonte: Wamiz

​Read More
Notícias

Cirurgia plástica salva cães da cegueira

Idosa resolveu usar a própria aposentadoria para cuidar dos animais
Rumple e Stiltskin foram abandonados aos 16 meses e submetidos a cirurgia. Foto: Orange News

Uma idosa australiana resolveu usar sua própria aposentadoria para financiar cirurgias plásticas corretivas a cães da raça shar pei, conhecidos por sua pele enrugada. O motivo é reduzir os danos à saúde dos animais, provocados justamente por conta das características rugas que, recaídas sobre o rosto, costumam render deformidades em oito a cada dez cachorros da raça.

O maior problema, segundo a senhora Amanda Booth, presidente e fundadora da associação Shar Pei Rescue, é que muitos tutores de shar pei acabam abandonando seus animais quando os primeiros sintomas começam a aparecer. Tudo porque um shar pei custa super caro, e as pessoas ficam receosas de precisarem pagar quase o mesmo preço do animal por uma cirurgia plástica.

“Os criadores que vendem os animais, visando lucro, não têm agido corretamente ao deixar de avisar os possíveis futuros tutores sobre problemas de saúde e de personalidade associados a esta antiga raça chinesa”, disse ela em entrevista ao site inglês Orange News.

Entre os problemas causados pela enormes dobras de acúmulo de pele na cabeça do shar pei, as quais recaem sobre os olhos, é que elas causam danos à córnea. O peso da pele faz com que o globo ocular seja pressionado e arranhado, levando à cegueira.

A cirurgia plástica corretiva consiste em remover parte da pele para que não cubra os olhos dos cães. Rumple e Stiltskin, os cachorros da foto, foram operados depois de terem sido abandonados com 16 meses, na cidade de Queensland. Eles estão sob os cuidados da vovó Booth até que alguém se interesse em adotá-los.

Fonte: R7

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

PETA realiza protesto em feira de produtos de couro na Índia

Por Raquel Soldera (da Redação)

Manifestantes da organização americana pelo tratamento ético aos animais (PETA) fizeram uma manifestação em frente à International Leather Goods Fair, uma feira de produtos feitos com couro, realizada de 19 a 21 de fevereiro em Calcutá, na Índia.

Segundo os manifestantes, a melhor maneira de as pessoas encararem a verdade é colocando-a em sua frente. Por isso, carregavam cabeças de vacas (de mentira) enquanto mostravam cartazes com a pergunta: “Seus sapatos têm um rosto?”.


Manifestantes contra o uso de couro. (Imagem: PETA)


A maior parte do couro vem de países em desenvolvimento como a Índia e a China, onde as leis de proteção dos animais ou não são aplicadas, ou são inexistentes.

Na Índia, os trabalhadores forçam as vacas para se levantar e andar depois de caírem de exaustão no caminho para o matadouro, quebrando as caudas dos animais e esfregando pimenta e tabaco em seus olhos.

Certifique-se que seus sapatos ou roupas não tenham um rosto. Existem diversas alternativas para que não haja sangue em suas mãos (ou pés) pelo uso de couro.

Com informações de PETA

​Read More