Notícias

Peixes em rio de Piracicaba morrem em busca de oxigênio na superfície da água

Moradores da Fazenda Tamandupá, em Piracicaba, se assustaram na manhã de ontem. No leito do rio Corumbataí, muitos dos peixes boiavam mortos, enquanto outros nadavam na superfície da água em busca de oxigênio. “Estava muito feia a coisa de manhã”, destaca José Aparecido Vicente, de 49 anos.

“Está assim desde manhã. Vai saber o que pode ter acontecido”, observa Gilmar dos Santos Silva, de 36 anos. A surpresa era maior por conta do rio estar sem problemas no domingo. “Eu mesmo vim tomar banho aqui, nadar, essas coisas. Todo mundo veio ontem (domingo). Agora hoje está desse jeito. Não sei o que aconteceu”, assinala o operador de caldo de bomba. “E tem lugar lá embaixo que está ainda pior”.

A surpresa é geral entre os moradores da região, que fica entre Piracicaba e Charqueada (bairro de Recreio). A ponte que atravessa o rio na fazenda, divide as duas cidades, informam os moradores. “Pra lá é Charqueada e pra cá é Piracicaba”, aponta Vicente. Embaixo da ponte, diversos cascudos, mandiuvas e lambaris mortos. Enquanto os mandiuvas eram maioria entre os que buscavam oxigênio na superfície, entre os mortos na margem do rio havia também lambaris e cascudos.

Como os próprios moradores da região destacam, a coloração da água não estava diferente da registrada nos dias anteriores. Também não havia odor anormal. “Eu moro aqui há 33 anos e digo que está tudo normal. Acho que pode vir de outro lugar o problema, já que o rio Corumbataí ainda vai bem longe lá pra cima”, avalia Vicente. “Agora já deu uma boa diminuída. Era de manhã mesmo que tinha mais”, declara Vicente.

Poluição

A Gazeta tentou entrar em contato com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para saber mais sobre a mortandade dos peixes. Mas, até o fechamento da edição, não obteve resposta. Se os peixes estão todos nadando na superfície em busca de oxigênio, isto significa que o nível de oxigênio está perigosamente baixo. Quando isto acontece, geralmente o rio apresenta forte degradação devido à presença de matérias orgânicas provenientes do esgoto.

O baixo índice de oxigênio dissolvido (OD) é uma situação que prejudica a vida no rio, causando a morte de peixes. O esgoto não precisa ter sido lançado no rio nesses dias. O problema pode ser causado, por exemplo, por chuva em alguma região da bacia. A chuva faz com que a carga orgânica despejada no rio, que estava sedimentada no fundo do leito, seja desprendida, prejudicando de forma significativa a quantidade do ar no Corumbataí.

Fonte: Gazeta de Piracicaba

​Read More