O boto-amarelo do rio Yangtze está cada vez mais próximo da extinção por conta da pesca excessiva em seu habitat (Foto: WWF)
Notícias

Espécie rara da boto-amarelo está perto da extinção na China

O boto-amarelo que vive nas águas doces do rio Yangtze, na China, está, infelizmente, se aproximando cada vez mais da realidade da sua ameaça de extinção.

Batizado em homenagem a seu rio, o boto-amarelo Yangtze é a única espécie desse tipo que ainda sobrevive nessa região após o golfinho baiji, espécie considerada um primo do boto amarelo, ter sido oficialmente declarada extinta em 2006.

Baijis foram os primeiros golfinhos na história a serem extintos diretamente por causa da atividade humana – eles ficaram sem comida devido à pesca excessiva na região.

Os conservacionistas temem que os pequenos e inteligentes Yangtze possam ser os próximos a seguir esse triste caminho.

O boto-amarelo é conhecido por uma expressão adorável que lembra um sorriso (Foto: WWF)
O boto-amarelo é conhecido por uma expressão adorável que lembra um sorriso (Foto: WWF)

Os botos do rio Yangtze também estão perdendo seu suprimento de alimentos devido a uma superabundância de operações de pesca em toda a região em que habitam.

Além disso, as empresas de pesca também costumam matar os botos pegando-os acidentalmente em suas redes ou atacando-os com barcos. É mais que evidente que as empresas de pesca destrutivas têm sido a principal causa do declínio da espécie.

Judy A. Takats, líder em administração de bacias hidrográficas no World Wildlife Fund (WWF), comentou ao The Dodo: “A notícia não tem sido boa. O boto-amarelo Yangtze já foi uma visão comum nessas águas, mas sua população diminuiu em média 13,7% ao ano nos últimos anos”.

“Se essas ameaças não foram eliminadas ou minimizadas, acreditava-se que o boto pode se tornar funcionalmente extinto até 2025”, reforçou Judy. Por isso, a WWF tem trabalhado nos últimos 25 anos para reconectar os lagos próximos ao rio principal – o que permite que os botos tenham áreas remotas para que possam migrar e caçar alimentos. Mas, é claro, apenas se isso criar de fato zonas seguras para os botos se movam.

O boto-amarelo do rio Yangtze está cada vez mais próximo da extinção por conta da pesca excessiva em seu habitat (Foto: WWF)
O boto-amarelo do rio Yangtze está cada vez mais próximo da extinção por conta da pesca excessiva em seu habitat (Foto: WWF)

“Desde que o primeiro grupo de cinco botos foi transferido [para lagos próximos] em 1990, seu número aumentou para cerca de 75″, disse Judy. “Esses animais não são apenas capazes de sobreviver, mas também podem se reproduzir naturalmente nesta reserva”.

Sendo assim, conservacionistas podem replicar este programa em outros lagos ao redor do rio para aumentar a população de animais ameaçados como o boto-amarelo. A espécie está atualmente classificada como criticamente ameaçada, com uma população total de menos de 1,8 mil animais.

Nessa situação, é evidente que todos os esforços são válidos. As equipes estão constantemente patrulhando margens dos rios em busca de lixo ou redes à deriva que possam representar uma ameaça para os botos, e trabalhando com os pescadores para ajudar a diminuir os riscos que eles representam através das atividades de pesca. Mas a conscientização é o primeiro passo para qualquer tomada de atitude para proteger essa espécie tão rara e ameaçada.

​Read More