Notícias

Mais de 1,5 mil animais silvestres são resgatados neste ano no Acre

Foto: Divulgação/CBM-AC

O Corpo de Bombeiros resgatou 1.598 animais silvestres em áreas urbanas do Acre nos primeiros meses de 2020. O levantamento, feito a pedido do G1, mostra que a maior parte dos resgates se concentrou na capital, Rio Branco, onde 927 animais foram salvos até o último sábado (23).

Os dados mostram o número de resgates feitos desde janeiro. São salvamentos de animais aprisionados em cativeiro, encontrados feridos nas ruas ou que aparecem em locais em área urbana, inclusive em quintais de residências.

“Todos os dias temos esses resgates, só que divulgamos pouco. Para se ter uma ideia, em Rio Branco, nós temos em torno de 10 capturas todos os dias de vários animais como cobra, jacaré, preguiça”, informou ao portal da Globo o major Claudio Falcão.

A maior parte dos animais é devolvida à natureza imediatamente. Outros passam por tratamento no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), na capital.

Um dos casos recentes envolve um bicho-preguiça, encontrado no quintal de uma casa em Tarauacá, no interior do Acre. Saudável, o animal silvestre foi solto na floresta após o resgate.

“No interior também tem o mesmo número aproximado, o que leva a pelo menos 20 resgates diários em todo estado. São muitos casos”, reforçou o major.

Retorno à natureza

A devolução ao habitat é uma forma de reparar os danos causados aos animais retirados da natureza e garantir vida digna a eles.

No Pará, uma equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) soltou, na última sexta-feira (22), dez tartarugas no rio Tocantins, em Baião, região do Baixo Tocantins, no Pará.

Os animais foram resgatados de um cativeiro, onde viviam aprisionados, e reabilitados durante mais de três anos pelo Centro de Triagem da Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH).

Foto: Divulgação ICMBio

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Campanha arrecada doações para animais queimados em incêndios no Acre

Uma campanha de arrecadação de doações para os animais vítimas das recentes queimadas está sendo realizada em Rio Branco, no Acre.

Foto: Divulgação

Há dias, focos de incêndio estão sendo registrados em diversas partes da Amazônia – a floresta abrange os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins.

Além da imensa destruição ambiental, o fogo também atinge os animais, queimando-os e forçando-os a fugir do habitat, o que os coloca em risco. Quando escapam dos incêndios nas florestas e fogem sem rumo, esses animais se tornam vítimas fáceis de atropelamentos em rodovias.

Pensando no sofrimento que esses seres vivos têm vivenciado, a campanha foi iniciada. O objetivo é arrecadar medicamentos, insumos hospitalares e equipamentos de contenção e transporte para auxiliar os animais queimados.

Os itens devem ser entregues na Superintendência do Ibama no Acre, na rua Veterano Manoel de Barros, 320, no bairro Abraão Alab. Mais informações podem ser obtidas diretamente no local ou através dos telefones (68) 3211-1700, 3211-1712,  3211-1728 e 3211-1736.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Conselho de proteção animal deve ser implantado em Rio Branco (AC)

O município de Rio Branco, no Acre, deve implantar em um período de 60 dias o Conselho Municipal de Proteção e de Defesa dos Animais (Comparb). A informação foi divulgada no Diário Oficial do Acre (DOE).

(Foto: Divulgação / Imagem Ilustrativa)

A criação do conselho faz parte das determinações da lei complementar nº 43, que além de prever a criação do órgão, também determina o desenvolvimento de medidas de proteção e defesa dos animais, tanto domésticos quanto silvestres.

O conselho será formado por 12 conselheiros titulares e 12 suplentes, sendo eles representantes governamentais e da sociedade civil com mandato de dois anos, que pode ser prorrogado por mais dois. O órgão está vinculado à Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente.

As sessões plenárias serão abertas ao público, às entidades da sociedade civil organizada, aos movimentos populares e aos gestores. As informações são do portal G1.

O incentivo à preservação das espécies silvestres e a manutenção de seus ecossistemas estão entre as ações que devem ser tomadas pelo conselho, além da coordenação e do encaminhamento de propostas que tenham o objetivo de defender e proteger os animais.

“O conselho vai participar ativamente na elaboração e na execução prática de projetos voltados para a proteção dos animais. Além disso, é uma entidade que vai exercer o papel de fiscalização e auxílio nesses projetos”, disse o vereador Jakson Ramos, idealizador da proposta, que ressaltou ainda que é também é papel do órgão conscientizar o cidadão a respeito dos princípios de proteção animal.

​Read More
Notícias

Bombeiros recebem 10 chamados diários para resgate de animais em Rio Branco (AC)

O Corpo de Bombeiros resgatou uma jiboia de aproximadamente 3 metros no 7° Batalhão de Engenharia de Construção (7º BEC) em Rio Branco, no Acre. Esse foi apenas um dos seis chamados atendidos somente pelo 3º batalhão dos Bombeiros na terça.

Após serem resgatados, animais são devolvidos para a natureza (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Diariamente, são pelo menos dez chamados para resgatar animais que, às vezes, acabam sendo flagrados na área urbana.

O major do Corpo de Bombeiros Cláudio Falcão explica que isso se dá, principalmente, pela chegada do período chuvoso no estado. Ele destaca também que na maioria das vezes é o homem que invade o habitat natural dos animais.

“São pelo menos dez chamados diários para resgate de animais, sendo os principais cobras, bicho-preguiça, jacaré e macaco também. A jiboia é essencialmente aquática e nesse momento agora de chuva, ela sai muito dos matos para as ruas em busca de locais secos e quentinhos. Por isso, geralmente, entram nas casas”, explica.

Os animais resgatados passam por uma avaliação e, se não estiverem feridos, são devolvidos para a natureza. A jiboia achada no 7º BEC, por exemplo, foi levada até uma área verde na estrada do Aeroporto em Rio Branco.

“Só soltamos desde que não tenham ferimentos e estejam sadios. Se não tiverem sadios, a gente procura um veterinário primeiro”, destaca.

Major alerta que período chuvoso aumenta a aparição de animais em áreas urbanas (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

O major também orienta para que as pessoas não tentem mexer no animal, pois ele pode ficar estressado ou assustado e reagir. A recomendação é sempre acionar os Bombeiros para que esse animal volte à natureza com a sua integridade mantida.

“Nessa época do ano, quando começa a chover, as cobras como a jiboia procuram locais mais secos, então, elas vão se mudando. Outra coisa, jogar resto de comida no quintal, porque o animal não é atraído pelo resto de comida, mas pelos roedores que vão atrás dessa comida”, alerta.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Ativistas reivindicam criação de hospital veterinário público no Acre

Esta é a quarta edição do evento em Rio Branco, segundo organizadora (Foto: Luciana Souza/Arquivo pessoal)

No dia 7 de outubro, é realizada em todo o país a Marcha Nacional em Defesa dos Animais, organizada por ativistas dos direitos animais. Em Rio Branco, no Acre, a concentração será às 15 h, na Praça da Revolução, em frente a Polícia Militar, e o trajeto irá terminar na Concha Acústica, no Parque da Maternidade.

A coordenadora da marcha, Amanda Lima, responsável pela organização Sociedade Amor a Quatro Patas, diz que esta é a quarta edição da marcha no estado e que o objetivo é cobrar aos políticos punições mais rigorosas para quem maltrata animais.

A mobilização também tem como objetivo intensificar a prática de castrações, com o intuito de diminuir a quantidade de animais sem responsável e ter o controle das doenças transmissíveis. Uma das ideias é a criação de um hospital público veterinário para esses casos.

A Sociedade Amor a Quatro Patas já obteve muitas conquistas desde sua criação, em dezembro de 2011. A coordenação da equipe é composta por 20 pessoas, além da contribuição de voluntários. Para a marcha, Amanda está tentando confirmar shows com bandas locais para atrair mais público, já que 300 pessoas estão esperadas para o evento no sábado.

​Read More
Notícias

Tutores registram animais domésticos em cartórios de Rio Branco (AC)

Por Sophia Portes / Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Cão se chama “maromba” e foi registrado pelo tutor no Acre (Fonte: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Em Rio Branco, no Acre, os tutores de cães e gatos devem fazer as identidades dos animais em cartórios e alguns já começaram a tirar o documento. A medida foi anunciada em novembro do ano passado com a criação da Lei 2.215, que regulamenta a criação, a guarda, utilização e transporte de animais domésticos na capital do Acre.

A lei também estabelece a proibição de animais domésticos soltos em locais públicos de maneira inadequada. Em situações como essa, os animais devem estar usando focinheira, coleira, guia e peitoral.

Em entrevista ao Acre TV, o oficial de registro público Gustavo Gil, disse que os responsáveis pelos animais devem levar na hora do registro o RG, CPF e comprovante de residência. Ele explica a importância da documentação para reunir o maior número de dados possível dos animais da cidade. Desta forma, caso o animal fuja, é possível usar as características do registro para reuni-lo novamente com seu tutor.

“Todos os dados do animal como espécie, raça, cor, pelagem vão ficar no registro. Se ele tiver microchip, o tutor deve trazer a numeração. Se for um animal com pedigree, essa numeração deve constar também. Então, no registro vão ficar todas as características do animal e o tutor vai conseguir relacionar o animal como seu efetivo guardião”, explicou.

Gabriela procurou cartório para registrar sua gata persa, em Rio Branco (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Em caso de separação judicial, a lei também facilita a guarda. Gabriela Borges é solteira e segundo ela o registro garante a segurança do animal. Tutora de uma gata persa, ela registrou o animal que ganhou até seu sobrenome e passou a se chamar Bibi de Melo Silva Borges.

“O registro é até para facilitar possíveis transportes em viagem. Também para ter uma certidão e pela vaidade de poder fazer um quadrinho com a certidão dela”, diz.

Eduardo Araújo também decidiu registrar seu cão da raça american bully, chamado “Maromba”.  “Eu preferi fazer, documentar até porque é uma questão de segurança minha e para o animal que eu considero como da minha família”, afirma.

 

​Read More
Notícias

Capivara é flagrada em área urbana após fugir de incêndio em Rio Branco (AC)

Capivara foi flagrada após uma área verde ter pegado fogo em Rio Branco (Cassio Almeida/Arquivo pessoal )
Capivara foi flagrada após uma área verde ter pegado fogo em Rio Branco (Cassio Almeida/Arquivo pessoal )

O professor Cassio Almeida registrou o momento em que uma capivara, ao fugir de um incêndio, busca refúgio na área urbana de Rio Branco. A foto foi tirada na manhã de sexta-feira (27), no conjunto habitacional Vila Betel, um dia após 500 metros quadrados terem sido queimados em uma área próxima ao residencial.

Ele diz que acredita que o fogo fez com que o animal fugisse da área onde costumava ficar. “Acredito que ela estava fugindo do fogo que invadiu o habitat dela, que fica nas imediações do shopping. Após 40 minutos, com o aglomerar de pessoas olhando e registrando, ela saiu. A capivara estava muito assustada”, relata. Os Bombeiros foram acionados e conseguiram resgatar o animal, que foi levado novamente para a natureza.

A bióloga Joseline Guimarães explica que é comum o aparecimento de animais silvestres em locais urbanos durante período intenso de queimadas. Ela destaca também, que os incêndios trazem um prejuízo irreparável, não só para o meio ambiente, como também para a fauna da região.

“Infelizmente, as queimadas em florestas ou em fragmentos florestais em certas épocas do ano provocam o óbito de várias espécies da fauna, causando grande prejuízo a biodiversidade e a manutenção dos ecossistemas”, explica.

O major do Corpo de Bombeiros, Cláudio Falcão, também diz que as ocorrências de animais silvestres têm se tornado recorrentes nesse período crítico de queimadas. “Ficamos felizes quando conseguimos resgatar, porém, muitos morrem”, lamenta.

Joseline acrescenta ainda que os animais tentam a todo custo fugir da fumaça e dos danos do incêndio. “Os animais ficam atordoados pela fumaça com gases tóxicos e buscam a fuga a qualquer custo, sendo que a maioria não obtém êxito, sobretudo em ambiente urbano. Por isso, fazemos um apelo à população acreana, que não queime, pois o prejuízo é para todos os seres vivos, inclusive os humanos”, finaliza.

Fonte: G1

​Read More
Você é o Repórter

Rio Branco (AC) realiza feira de adoção neste sábado

07
Divulgação

Cerca de 30 gatos e cachorros estarão disponíveis para adoção em um dia de ações voluntárias neste sábado (14). A Sociedade Amor a Quatro Patas vai levar os animais para a Fundação Bradesco, em Rio Branco das 10h às 16h. Caso todos sejam adotados, o grupo pode levar mais no mesmo dia.

Esta será a nona feira de adoção organizada pela associação que existe há quatro anos. De acordo com uma das integrantes, Luciana Souza, as feiras sempre têm sido bem recebidas pelo público. “Em todos os eventos, o número de adoções é bem alto porque as pessoas procuram mesmo adotar, pois sabem da origem dos animais, sabem que eles foram resgatados”, comenta.

Luciana também comenta que todos os animais passam por uma triagem, além de consulta veterinária. Segundo ela a maioria dos animais são adotados, principalmente os filhotes, que chamam mais ainda a atenção. “Os animais que mais são adotados são filhotes de cachorros e gatos, sempre os animais menores”, afirma. Para adotar qualquer um dos animais, é preciso levar um documento oficial com foto.

Serviço
Feira de adoção
Horário: a partir das 10h às 16h;
Local: Fundação Bradesco

​Read More
Notícias

Equipes resgatam 191 tartarugas da Amazônia no Baixo Rio Branco

quelonios da amazonia
Divulgação

A equipe do Programa de Quelônios da Amazônia, composta por técnicos da Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis), do Icmbio (Instituto Chico Mendes para a Biodiversidade) e Cipa (Companhia de Polícia Ambiental) fizeram a apreensão, na sexta-feira (29), de 191 indivíduos fêmeas de tartarugas da Amazônia.

Os quelônios estavam no tabuleiro de manejo de reprodução Santa Fé, na região do Baixo Rio Branco, distante cerca de 500 quilômetros ao Sul de Boa Vista. Durante a ação, os traficantes atiraram contra a equipe.

No local há um grande número de matrizes no ninho, e, onde acontecerá o nascimento de filhotes do “Programa Quelônios da Amazônia”. Na ocasião, uma equipe de cinegrafista e fotógrafo fazia captação de imagens para o vídeo documentário educativo que abordará os trabalhos realizados pelas equipes de manejo da reprodução dos quelônios da temporada 2015/2015.

A equipe havia deixado o acampamento para fazer imagens do boiador do paraná de Santa Fé, local onde as tartarugas se concentram para aguardar o momento da postura, que se dá sempre a noite, e onde também os traficantes montam acampamentos para capturar as matrizes. Ao adentrar no boiador, a equipe se deparou com os traficantes encerrando um carregamento em um canoa de madeira com cerca de 10 metros.

De imediato retornaram ao acampamento em busca de apoio dos policiais e dos técnicos da Femarh, Ibama e Icmbio, para fazer a abordagem, prisão dos traficantes e resgate dos quelônios. No retorno, ao se aproximar do local onde estava escondida a embarcação dos traficantes, houve o primeiro disparo de arma de fogo em direção à equipe. Em seguida os policiais da Cipa reagiram aos tiros efetuados pelos traficantes, que fugiram pra dentro da floresta.

Durante as buscas no entorno, foram encontrados mais dois acampamento, sendo que no primeiro continha mais tartarugas presas dento dos sacos de fibra de 60 quilos, que são usados para imobilizar os animais. No segundo, os policiais encontraram os mantimentos, munição de arma de fogo e utensílios usados no dia a dia.

Com a fuga dos traficantes, as equipes passaram a resgatar os animais e levá-los para a praia do tabuleiro Santa Fé, para a contagem e soltura das 191 matrizes, que muitas delas se encontravam extenuadas e desidratadas, quase sem forças para retornarem ao Rio Branco.

As equipes da Femarh, Ibama, Icmbio e PM permanecerão no baixo Rio Branco até que nasçam os últimos filhotes da área de manejo de reprodução.

rio_branco_tartarugas
Divulgação

Fonte: BV News

​Read More
Notícias

Bicho-preguiça com filhote é flagrado próximo a residencial em Rio Branco (AC)

Foto: Elizânia Dinarte/Arquivo pessoal
Foto: Elizânia Dinarte/Arquivo pessoal

A jornalista Elizânia Dinarte flagrou um bicho-preguiça e seu filhote atravessando a rua próximo ao residencial Reserva do Bosque, no bairro Alto Alegre, em Rio Branco(AC). De acordo com ela, era por volta das 8h quando estava saindo de casa e se deparou com o animal tentando atravessar a rua com o seu filhote agarrado na barriga.

“Foi a primeira vez que eu vi, mas o vigia que fica aqui na portaria disse que outro dia tinha visto ela na cerca pertinho, mas não no chão. E aí vi que ela estava carregando o filhotinho na barriga, fiquei encantada e esperando ela atravessar. Ela tentava atravessar a rua até uma área de mata que fica ali próximo”, conta.

De acordo com a jornalista, o bicho tentou a travessia, mas não conseguiu e retornou para o local de onde tinha saído. “Ela voltou e pegou no cipó, foi quando fotografei ela já na árvore”, diz.

A bióloga Joseline Guimarães identificou a espécie e se trata de uma Bradypus variegatus, mais conhecida como preguiça-de-bentinho. Ela diz que a aparição do animal no condomínio revela uma disputa de espaços.

“Ela é muito comum no Acre e no restante da América do Sul. Com a expansão imobiliária na nossa cidade, que tem muitos fragmentos florestais com animais, ocorre uma disputa de espaços, na qual a fauna é prejudicada, sendo necessária sua transferência para locais mais apropriados e seguros, pois infelizmente em alguns casos são agredidos”, destaca.

Ainda de acordo com Joseline, nesses casos, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado para resgatar o animal e levá-lo até um local seguro. “Após o resgate, o animal será encaminhado para o Centro Triagem de Animais Silvestres (Cetas), onde são avaliados e destinados para a soltura no habitat protegido – explica.

Fonte:G1

​Read More
Notícias

Preguiça é flagrada tentando atravessar via em Rio Branco (AC)

Foto: Caio Fulgêncio/G1
Foto: Caio Fulgêncio/G1

Um exemplar de preguiça-de-bentinho (Bradypus tridactylus) chamou a atenção das pessoas que trafegavam na Avenida Antônio da Rocha Viana, no trecho próximo ao Horto Florestal, em Rio Branco nesta segunda-feira (28). O animal foi avistado no meio da via e recebeu apoio dos pedestres para conseguir chegar a uma área verde que fica no entorno do Horto Florestal.

De acordo com a bióloga e gerente do Parque Chico Mendes na capital acreana, Joseline Guimarães, o animal pertence a Família Bradypodidae, e é uma espécie bastante comum em todo o Acre. Exemplares também podem ser encontrados entre a América Central e o norte da Argentina.

“Estes animais costumam se movimentar pouco, ficam na maior parte do tempo dormindo nas árvores e só descem para fazer suas necessidades fisiológicas, que acontecem somente uma vez por semana, ou quando estão buscando outras áreas para alimentação e abrigo. Neste caso, o animal devia estar buscando uma área apropriada para alimentação e abrigo”, explica.

Fonte: G1

 

​Read More
Notícias

Alunos de veterinária cuidarão de animais gratuitamente em Rio Branco (AC)

Foto: Regiclay Saady
Foto: Regiclay Saady

Estudantes de Veterinária da Universidade Federal do Acre (Ufac) começam atender cães e gatos da comunidade gratuitamente a partir desta segunda-feira, 9.

As consultas serão feitas na Unidade de Ensino e Pesquisa em Medicina Veterinária, durante as aulas práticas da disciplina “Clínica Médica de Cães e Gatos”, ministrada para alunos do sétimo período.

A responsável pelos agendamentos das consultas é a estudante do décimo período, Gláucia de Souza. Ela conta que não teve a oportunidade de fazer as aulas práticas da disciplina com a estrutura atual do curso e que a oportunidade de atender a sociedade proporciona mais confiança aos alunos.

“As aulas práticas são de suma importância para o aprendizado. Aprendemos a diagnosticar os animais e o contato prático com a profissão nos deixa mais seguros”, comenta.

O atendimento será realizado somente a partir de um agendamento prévio, que podem ser feitos de segunda à sexta, de 9h às 12h, pelo telefone 9925-7787.

A sede da Unidade de Ensino e Pesquisa em Medicina Veterinária fica no interior do campus de Rio Branco. Outro acesso ao local se dá pela estrada Dias Martins, em frente à chácara Ipê.

Fonte: Página 20

 

​Read More