Notícias

Morre o último rinoceronte-de-sumatra fêmea da Malásia

Com a morte da fêmea, a espécie é oficialmente considerada extinta na Malásia


Morreu a última fêmea da espécie rinoceronte-de-sumatra da Malásia. Com a morte do animal, restam menos de 80 rinocerontes na natureza, segundo a International Rhino Fundation, entidade que promove ações de proteção aos rinocerontes.

Foto: Wikimedia Commons

Iman, de 25 anos, morreu no último dia 23. Sua morte determina a extinção da espécie na Malásia. O último macho que habitava a região, de nome Tam, morreu há seis meses com 30 anos. A causa da morte foi a falência de seus órgãos. As informações são da revista Galileu.

O material genético dos dois animais foi guardado para que sejam feitas tentativas de converter células em embriões viáveis para serem transplantados em outros rinocerontes.

Iman foi capturada em 2014 e encaminhada a um programa de reprodução que tinha como objetivo salvar a espécie. A fêmea tinha tumores no útero e na bexiga que a faziam sentir muita dor. Uma cirurgia para reverter o caso seria inviável devido ao risco de perda de sangue após o procedimento.

Iman morreu de choque, isso é, seus órgãos pararam de funcionar por não receberem fluxo sanguíneo. Ela pesava 476 kg, tendo perdido 44 kg devido à doença.

Estes rinocerontes foram dizimados pela caça, que visa retirar seus chifres para comercializá-los na Ásia. Com mais de 70% de queda na população da espécie, o rinoceronte-de-sumatra é provavelmente o mamífero mais ameaçado do planeta. Atualmente, as populações selvagens da espécie se concentram na Indonésia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More