Notícias

Cão jogado no Ribeirão Arrudas volta para o tutor em Belo Horizonte (MG)

Um labrador que foi jogado no Ribeirão Arrudas, em Belo Horizonte (MG), voltou para o verdadeiro tutor após ter sido resgatado pelo Corpo de Bombeiros e adotado por um rapaz que se sensibilizou com o sofrimento do animal.

Gustavo com o labrador Dudu (Foto: Gustavo Estrela Félix da Silva/Arquivo Pessoal)

O tutor, Gustavo Estrela Félix da Silva, de 18 anos, conta que viu a notícia sobre a adoção do cachorro Dudu no G1, entrou em contato pelas redes sociais com o rapaz que o adotou – e o batizou de Marley – e combinou de buscá-lo. O estudante, que mora no bairro Bonfim, na Região Noroeste da capital mineira, estava procurando por Dudu.

Gustavo disse que o cachorro ficou extremamente feliz na hora do reencontro e ainda mais contente ao voltar para casa. Ele acredita que a fuga tenha ocorrido no momento em que um vizinho, que guarda o carro na garagem da casa dele, saiu para ir trabalhar.

Labrador foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

“Ele fugiu para a rua porque deve ter seguido alguma cadela no cio”, supôs. O estudante não viu a fuga porque estava dormindo, mas conta que o cão tem o costume de sair, aproveitando a retirada do veículo. “Ele dá umas voltas, vai para a rua debaixo, mas volta”, diz.

O que revoltou o estudante foi ter ficado sabendo, por conhecidos, que o labrador não caiu, mas foi jogado no Arrudas por uma pessoa de carro. Dudu está com uma das patas quebradas e machucados pelo corpo.

Diogo Lajes, que tinha adotado o labrador depois de acompanhar a reportagem pela TV, disse ao G1 que ficou contente ao ver a felicidade do animal ao rever o tutor. “Bom que no final deu tudo certo, o importante é a felicidade do ‘Dudu Marley'”, afirmou.

Diogo Lajes adotou o cachorro e lhe deu o nome de Marley (Foto: Diogo Lajes/Arquivo pessoal)

Nota da Redação: devido ao fato do tutor do cachorro citado na matéria ter afirmado que o animal tem o costume de sair sozinho para dar umas voltas na rua e ter dito que acredita que a razão que fez o animal fugir pode ter sido a procura por uma cadela no cio é importante reforçar a necessidade de impedir que cães e gatos tenham acesso à rua e a importância da castração. Na rua, os animais podem ser envenenados, agredidos, atropelados, além de também correrem o risco de contaminação por doenças e, no caso de animais que não sejam esterilizados, de se reproduzir, podendo, assim, aumentar o abandono. Abandono esse que pode ser combatido através da castração, cirurgia que também ajuda a impedir que cães machos fujam para a rua à procura de cadelas no cio.  

Fonte: G1

​Read More