Notícias

Tutor leva seu cão idoso que sofre de câncer para um último passeio e filma o momento

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Um tutor emocionado compartilhou o momento em que seu amado animal doméstico fez sua última caminhada antes de ser morto por indução após uma longa batalha contra um câncer agressivo de nariz e garganta.

Dale Thompson, de Toronto, Canadá, foi ao Twitter compartilhar um vídeo de 30 segundos de seu cão da raça golden retriever dourado de 14 anos, Murphy, andando pela calçada com “dignidade, clareza e honra” aos veterinários.

Depois de compartilhar o vídeo repleto de emoção o jornalista e designer recebeu inúmeras mensagens de apoio e o post teve mais de 500 mil visualizações nas mídias sociais.

Durante a filmagem emocionante, o amado cãozinho anda com cuidado ao longo da calçada e mantém os olhos fixos à frente.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Após a cena devastadora, Thompson compartilhou a filmagem no Twitter com a legenda: “Murphy foi ao veterinário hoje pela última vez. Ele entrou com dignidade, clareza e honra”.

“Ele deixou este mundo da mesma maneira que entrou nele: com estilo, graça e alegria”.
“RIP (Descanse em Paz) meu amigo.”

Depois de colocar o cachorro no chão, Thompson descreveu o vazio que ele havia deixado e escreveu: “Não há uma palavra que tenha sido criada ou inventada ainda que possa expressar como meu coração está partido hoje. Simplificando, estou perdido”.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

“Meu mundo e meus sentidos ficaram com um vazio que nunca será preenchido.”

Ele continuou: “Triste é algo que ficarei um dia depois que chorar um milhão de lágrimas e andar um milhão de passos, mas, agora, estou a muitos quilômetros de tristeza ainda”.

“’A realidade cruel do amor é a possibilidade da perda e meu coração simplesmente não pode contemplar isso agora. Bom dia e boa noite, doce príncipe”.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Horas mais tarde, Thompson compartilhou uma foto das tigelas intocadas de Murphy em sua casa e acrescentou: “Meu lar está tão quieto agora, você pode ouvir o relógio batendo, o chão chiando, todo som agora é amplificado”.

“A área em que ele sempre se deitou parece tão grande agora. Seu prato de comida ainda está intocado desde esta manhã (frango assado com comida chinesa, não me julguem)”.

Após o post, os usuários do Twitter correram para a plataforma de mídia social para oferecer seu apoio ao tutor do animal, de coração partido.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Um usuário escreveu: “Isso é tão emocionante e bonito ao mesmo tempo. Sinto muito por sua perda e sua dor. Que cachorro lindo ele era”.

Outro tutor de animal acrescentou: “Perder um cachorrinho é uma das piores coisas. Chorei todas as noites durante uma semana depois que meu filho de 18 anos foi para o céu dos cachorrinhos”.

Outro usuário do Twitter comentou: “Esta notícia partiu meu coração. RIP menino corajoso. Sinto muito por sua perda, Dale. Vocês tiveram sorte de ter um ao outro”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pamela Anderson se oferece para adotar cães explorados por laboratório de testes

Foto: Livekindly/Reprodução
Foto: Livekindly/Reprodução

A TAMU realiza experimentos em cães há quase 40 anos. Os cientistas usam os cães para estudar a distrofia muscular de Duchenne – uma forma grave de distrofia muscular.

No TAMU, os pesquisadores criaram intencionalmente cães que sofrem da doença.

A doença fragiliza os músculos dos cães e leva à fadiga, deixa suas línguas inchadas, causa dificuldade para caminhar e dificuldade para engolir a comida. As imagens obtidas pela ONG PETA mostraram cães magros com fios de baba pendurados na boca. Os cães estavam “andando freneticamente de um lado para outro e roendo de frustração as barras da gaiola”.

“Para avaliar o quanto os músculos de um cão se deterioraram, os pesquisadores inventaram uma técnica grosseira que poderia passar por tortura medieval: eles os esticam repetidamente com uma alavanca motorizada para causar rompimentos musculares”, escreve PETA em seu site.

Os cães doentes geralmente morrem entre 7 e 9 anos de idade.

Cruel e ineficaz

Em novembro do ano passado, 500 médicos pediram ao TAMU que encerrasse os experimentos. Eles argumentaram que o teste não era apenas cruel, mas também ineficaz.

“Como a pesquisa canina falhou por décadas em produzir um tratamento eficaz para pacientes que sofrem dessa doença fatal, agora é um momento oportuno para o conselho insistir em que a universidade concentre seus recursos em pesquisas relevantes para o ser humano”, dizia uma carta enviada ao chanceler da TAMU, John Sharp.

Imagem ilustrativa | Foto: Livekindly/Reprodução
Imagem ilustrativa | Foto: Livekindly/Reprodução

Em setembro, a TAMU concordou em parar de criar cães para experimentação. Muitos pediram à universidade que libertasse os animais restantes. Em outubro, a polícia prendeu o ator do filme “Babe – Um Porquinho Atrapalhado”, James Cromwell, enquanto protestava na TAMU. Ele criticou a instituição por “torturar” os cães e pediu à universidade que deixasse os cães “viverem o resto de suas vidas em paz”.

Anderson também quer ver as gaiolas do laboratório vazias e está disposta a ajudar a fazer isso acontecer.

“Sou uma orgulhosa guardiã dos cães da raça golden retriever há muitos anos”, disse Anderson em uma carta ao presidente da TAMU, Michael K. Young. “Meu golden retriever, Star, foi meu companheiro amado por 17 anos, desde o início da minha carreira em Hollywood. Ele até esteve comigo no set da série ‘Baywatch'(SOS Malibú)”.

A estrela vegana compartilhou sua casa com vários outros golden retrievers desde então.

“Gostaria apenas de dar aos cães que ainda estão em seu laboratório o mesmo amor e carinho que tenho dado aos meus outros queridos companheiros. Comprometa-se a encerrar os experimentos de distrofia muscular da Texas A&M nesses animais indefesos e a liberar os cães restantes no laboratório para adoção. Estou pronta para recebê-los em minha família”, escreve Anderson.

“Eu sempre abri minha casa para animais carentes e espero receber esses cães em breve. Eles estão no topo da minha lista de Natal “. As informações são do Livekindly.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorra adota quatro filhotes de cabras órfãos

Foto: Andrea Holley
Foto: Andrea Holley

Loryn, uma cachorra da raça golden retriever, cresceu na fazenda de sua família e está constantemente ajudando a cuidar de todos os animais. Ela é como a “mãe” da fazenda, e ama todos os animais aos quais ela conhece muito bem.

“Ela está cercada de todos os animais da fazenda o tempo todo, então Loryn já viu de tudo”, disse Andrea Holley, a tutora de Loryn, ao The Dodo. “Ela é verdadeiramente uma mãe e aceita todos os bebês que temos aqui como se fossem dela.”

Foto: Andrea Holley
Foto: Andrea Holley

Recentemente, a fazenda de Holley abrigou algumas cabras bebês resgatadas – e Loryn se apaixonou pelos pequenos mais do que nunca.

“As cabras são as criaturas mais amorosas e tranquilas”, disse Holley. “Eles amaram Loryn imediatamente. Eles estão juntos todos os dias, todos os dias mesmo.”

Os nomes das cabras são Mia, Henry, Delilah e Daisy Mae, e eles amam Loryn tanto quanto ela os ama. Eles passam seus dias cochilando, afagando, e perseguindo uns aos outros, e Loryn nunca os deixa fora de sua vista. Ela os adotou como se fossem seus e ela leva seu papel como mãe muito a sério.

Foto: Andrea Holley
Foto: Andrea Holley

Delilah e Daisy Mae chegaram à fazenda de Holley com etiquetas presas em seus ouvidos (vindas da fazenda de criação onde viviam antes), mas agora encontraram seu lar permanente com Loryn e sua família.

Como os bebês ainda são muito jovens e têm que ser alimentados com mamadeira, eles passam muito tempo em um cercadinho na casa de Holley, e Loryn gosta de ficar de pé, observando-os.

Foto: Andrea Holley
Foto: Andrea Holley

Loryn dedicou sua vida a cuidar de todos os bebês em sua fazenda, e ela estará por perto para observar todos os quatro cabritinhos crescerem e ajudá-los tanto quanto precisarem ao longo do caminho e se eles caem, ela sempre esta por perto pra levantá-los.

Foto: Andrea Holley
Foto: Andrea Holley

“Loryn é meu braço direito e sempre ajuda a vigiar os bebês quando estamos do lado de fora ou ao redor deles enquanto brincam dentro de casa”, disse Holley. “Ela definitivamente acha que eles são seus bebês.”

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cão herói salva pássaro do afogamento em piscina

Foto: Caters/Reprodução
Foto: Caters/Reprodução

Um heroico golden retriever realmente fez jus ao nome de sua raça (retriever, recuperador) quando resgatou um pássaro que se afogava em uma piscina infantil.

Mariana Corti estava olhando pela janela de sua casa quando viu um pombo se debatendo na água no quintal de sua casa em Buenos Aires, Argentina.

Percebendo a comoção de sua tutora, Yago, de seis anos de idade, correu em direção ao pássaro aflito e alcançou a borda da piscina.

O pássaro continuou a bater as asas e forma violenta contra a água tentando sair da piscina, mas o cão corajoso continuou sua missão de resgatar o pássaro.

Suavemente segurando-o com sua boca, Yago conseguiu trazer a ave aflita para a segurança da grama antes de deixá-la secando.

O pombo então se recuperou do susto em uma laje de concreto à beira da piscina.

Golden retrievers adoram trazer objetos jogados por seus tutores (como bolinhas e ossos) de volta até eles, são famosos também por seu alto nível de inteligência e rapidez de resposta aos estímulos.

Muitos desses cães fazem visitas a hospitais como cães de terapia, trazendo alegria a crianças e pessoas doentes internados, devido a sua habilidade em entender situações difíceis e se comportar de acordo (delicadeza, carinho e alegria com os doentes).

Essa raça também é conhecida como uma das mais inteligentes do ponto de vista emocional.

Yago claramente não hesitou, correndo decididamente para o outro lado da piscina e agindo para ajudar a ave a sair da água

​Read More
Notícias

Cão salva vida de sua família ao alertar sobre incêndio

Ulisses Cocksman/Twitter
Ulisses Cocksman/Twitter

A história do Golden que salvou sua família de um incêndio se tornou viral após ser compartilhada pelo dono da casa. Segundo ele, o cão descobriu o incêndio no quintal da residência enquanto todos dormiam e avisou sobre o perigo a tempo.

O americano Ulysses S. Cocksman postou a história no Twitter, contando que sua esposa e filhos dormiam tranquilamente por volta da meia-noite de sexta-feira à noite quando o cão da família, Hank, começou a latir de forma aflita sem parar.

Cocksman, despertado pelos latidos, desceu até a sala para ver o que estava acontecendo, foi quando ele percebeu que um enorme incêndio havia começado no quintal dos fundos da casa, descrevendo a cena como “uma enorme bola de fogo laranja brilhante”.

Depois de improvisar uma evacuação às pressas das pessoas e dos dois cães, os bombeiros foram chamados e conseguiram conter o fogo – só então foi possível ver o estrago causado pelo incêndio, a casa ficou “totalmente preta e queimada na lateral”.

O tutor orgulhoso compartilhou uma foto do cachorro de seis anos atrás, no Twiter escrevendo: “Eu quero contar uma história sobre Hank, e quero que saibam que ela tem um final feliz. Este é o Hank há 6 anos”.

Ulisses Cocksman/Twitter
Ulisses Cocksman/Twitter

“Minha esposa se lembrou ontem de que, há 6 anos, Hank comeu seu tenis novinho de uma marca famosa. Olhe para a cara deste filhote de cachorro culpado”.

Ele então continuou a história, contando como aquele mesmo cachorro salvaria suas vidas dali a poucos momentos: “Poucas horas depois, à meia noite de ontem à noite, Hank começou a latir da sala de estar. Minha esposa e meus filhos estavam dormindo, eu estava cochilando enquanto terminava de ver um filme em outro quarto. Hank não parou por um minuto de latir de forma aflita”.

“Então eu me levantei e fui até a sala para fazê-lo parar. Assim que cheguei na entrada, me deparei com o pátio inteiro pegando fogo, emanando uma luminosidade cor de laranja assustadora”, conta ele.

Descrevendo a cena terrível, Cocksman prosseguiu: “O depósito estava cheio de madeira, gasolina, tinta e sabe Deus o que mais estava em chamas. Os carvalhos estavam em chamas. Folhas e brasas flamejantes sopravam por toda parte.”

“Acordamos todos imediatamente, ligamos para os bombeiros, toda a família e ambos os cães foram pra frente da casa no que pareceu alguns segundos. A cerca e o galpão da vizinha queimavam como uma tocha. Conseguimos acordá-la a tempo e levar ela, seus filhos e o cachorro para fora também, logo em seguida a equipe de bombeiros chegou”.

Admitindo que a história poderia ter tido um final muito diferente, ele disse: “O incêndio se espalhou pelos fundos de nossa casa no mesmo minuto em que os bombeiros ligaram as mangueiras. Um minuto ou dois mais, e estaríamos mortos. Em vez disso, todos estão seguros e ainda temos uma casa. Esta toda queimada e suja de um lado, mas ainda é nossa casa”.

E o tutor aliviado concluiu, agradecendo aos bombeiros: “Os bombeiros foram absolutamente incríveis. Como estava ventando, eles tiveram que conter e lidar com o fogo por dois quarteirões vizinhos. A ação foi totalmente habilidosa e eficientemente coordenada”.

Dando a Hank o crédito por salvar suas vidas, o orgulhoso tutor do cachorro compartilhou outra foto do cão, com a legenda: “Este é ele hoje, 6 anos depois de comer alguns sapatos, 15 horas depois de salvar nossa casa e família. Hank pode ter todos os sapatos e comida que quiser, e eu não mais ficar bravo com ele por latir, nunca mais ele é um herói!”

O tweet rapidamente se tornou viral, acumulando mais de 30 mil likes, retweets e respostas de seguidores elogiando a bela história, segundo informações do Daily Mail.

“Ainda bem que toda a família esta segura. Petiscos extras para Hank esta noite (sic)”, escreveu um seguidor.

Outro acrescentou: ‘Grande amor por Hank. Espero que ele ganhe sua comida preferida e um novo par de sapatos para festejar”.

​Read More