Notícias

Imagens perturbadoras expõem orcas sendo caçadas e retalhadas por pescadores

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Adam Gravel

A empresa de cruzeiros Thomson Cruises cancelou seus passeios de observação de baleias e golfinhos em São Vicente e Granadinas, país das Caraíbas e localizado nas Pequenas Antilhas, depois que duas orcas foram mortas na frente de alguns passageiros.

Fotografias chocantes expõem o que ocorreu depois que os grandes mamíferos foram arpoados até a morte.
As imagens mostram pescadores retalhando-os, secando suas carnes antes de comercializá-las para consumo e fervendo a gordura para extrair o óleo dos animais.

Adam Gravel, que capturou as cenas perto da cidade de Barrouallie, diz que a pesca de baleias é um grande problema na ilha ao sul do Caribe, pois a carne dos animais é considerada uma iguaria popular para dois terços da população.

Atualmente, a caça de baleias ainda é legalizada na área, apesar de muitas campanhas para impor uma proibição.
Uma foto particularmente perturbadora de Gravel revela um homem cortando a cabeça de uma orca, segundo a reportagem do Daily Mail.

Foto: Adam Gravel

Ele usa um facão para tirar os pedaços de carne e descarta os dentes e os olhos do mamífero. Gravel, que administra a organização sem fins lucrativos de animais silvestres SalvageBlue, disse que tirou as fotos um dia depois que as orcas foram mortas.

Os pescadores aparentemente mataram duas orcas antes de transportá-las para o açougueiro. Ken Isaacs, que era membro da tripulação em um de dois barcos de observação de baleias, disse à iWitness News que muitos dos passageiros ficaram profundamente chocados com o que testemunharam.

Juntamente com um Thomson Cruises TUI Discovery, havia alguns outros barcos turísticos na área no momento da situação angustiante.

Foto: Adam Gravel

Os capitães dos barcos tentaram afastar-se da cena, sabendo que seria perturbador, mas muitos ouviram “explosões barulhentas” conforme os arpões foram disparados contra as orcas.

Os pescadores utilizaram boias para impedir os animais de afundar. Isaacs disse que os assassinatos levaram muitos observadores às lágrimas.

A venda de uma baleia vale vários milhares de dólares, dependendo do tamanho. Acredita-se que grande parte da carne seja vendida para o consumo de moradores locais e outra parte seja exportada para ilhas vizinhas. O óleo de baleia, extraído da gordura dos animais, também é usado em lâmpadas de óleo e para a produção de sabão e margarina.

Gravel espera que as fotografias sangrentas destaquem a crueldade da caça de baleias em São Vicente e Granadinas.

Foto: Adam Gravel

“O governo sabe sobre isso. Porém, São Vicente e Granadinas é um beneficiário da ajuda japonesa e, em troca, o nosso governo vota em favor do Japão na Comissão Baleeira Internacional, sempre a favor da retomada da caça comercial. Portanto, não é do seu interesse informar e educar as pessoas. Estamos matando criaturas incrivelmente inteligentes e sencientes que merecem viver”, declarou.

Um porta-voz da Thomson Cruises confirmou que os passeios foram suspensos na região. A companhia britânica diz que agora está trabalhando com ativistas para abordar a questão baleeira.

“Lamentamos muito que alguns dos nossos clientes tenham testemunhado um triste incidente em que duas orcas foram alvos de um barco de pesca local. Embora este acontecimento terrível estivesse fora do nosso controle, nossos agentes de excursões em Grenainas estão cooperando plenamente com a investigação em curso com o Chefe do National Trust e o Ministro do Ambiente”, afirmou.

Foto: Adam Gravel

São Vicente e Grenadinas é um dos últimos países que ainda caça baleias e golfinhos.

Os caçadores de uma ilha de Grenadinas chamada Bequia receberam uma cota de quatro baleias jubarte por ano pela Comissão Baleeira Internacional (CBI) sob o pretexto de matar os animais para a subsistência indígena.

Já os pescadores de uma pequena cidade na costa central de São Vicente, chamada Barrouallie, caçam os golfinhos usando lanchas rápidas com arpões doados pela Agência Japonesa de Pescas.

A caça de baleias foi introduzida em São Vicente e Grenadinas em 1875 por um colonizador escocês chamado William Wallace depois que ele atuou em um navio baleeiro americano.

​Read More