Destaques

Animais são deixados para sangrar até a morte em laboratório de testes alemão

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

Imagens fortes e comoventes mostram macacos presos pelo pescoço a suportes de metal, enquanto gatos e cães sangram até a morte em filmagens secretas que, segundo os ativistas pelos direitos animais que as realizaram, foram feitas em um laboratório alemão de toxicologia.

A organização alemã que atua em defesa dos animais Soko Tierschutz, juntamente com a ONG Cruelty Free International, revelam que o suposto abuso ocorreu no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia do LPT em Mienenbuttel, nos arredores de Hamburgo.

As fotos mostram macacos amarrados a suportes de metal presos em fileiras na parede, outros têm a cabeça imobilizada e são vistos tentando escapar desesperadamente, enquanto um cão da raça beagle parece sangrar em abundância em gaiolas mínimas e apertadas.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

Um ativista disfarçado conseguiu um emprego nas instalações de pesquisa de dezembro de 2018 a março de 2019 e diz que testemunhou testes em cães da raça beagle, macacos, gatos e coelhos, realizados para empresas em todo o mundo.

O funcionário disfarçado disse que os animais eram mantidos em condições horríveis.

Beagles supostamente tiveram tubos forçados em suas gargantas e receberam cápsulas, e deixaram o sofrimento e o sangramento freqüentemente após os experimentos.

Ele afirmou também que os animais eram tratados com violência pelos demais trabalhadores, que não são treinados e não se importam com eles.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

Friedrich Mullen, do Soko Tierschutz, disse: “Os animais ainda estavam balançando as caudas quando foram levados para serem mortos, os cães estavam desesperados por contato humano”.

Ele acrescentou: “O pior tratamento era o dispensado aos macacos. Os macacos da espécie macaque são pequenos primatas relativamente leves, que são frequentemente usados para experiências com animais no LPT”.

“Eles são mantidos em condições insalubres em pequenas gaiolas onde mal podem se mexer. Muitos dos animais desenvolveram tendências compulsivas (sofrimento mental) e são vistos girando em círculos”.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

O responsável pelas imagens disse que os gatos recebem até 13 injeções por dia por profissionais não treinados e são deixados a sofrer os efeitos das substâncias químicas tóxicas que lhes são administradas.
Os ativistas pelos direitos animais relataram o caso à polícia que está investigando a denúncia.

As ONGs também afirmam que as leis na Alemanha responsáveis por proteger os animais de experimentos em laboratório não são suficientemente rígidas e pedem que as leis sejam mais rigorosas.

O LPT é um laboratório de testes de propriedade familiar que trabalha por contrato, lá são realizados testes de toxicidade para empresas farmacêuticas, industriais e agroquímicas de todo o mundo, a fim de atender aos requisitos de governos e autoridades reguladoras.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

De acordo com a organização Cruelty Free International: “O teste de toxicidade envolve envenenar animais para ver quanto de um produto químico ou medicamento é necessário para causar sérios danos, na tentativa de medir o que pode ser uma dose ‘segura’ para os seres humanos”.

Os animais recebem injeções ou são obrigados a comer ou inalar quantidades crescentes de uma substância para medir os efeitos tóxicos que podem ser graves desse determinado composto químico, efeitos que incluem vômitos, sangramento interno, dificuldade respiratória, febre, perda de peso, letargia, problemas de pele, falência de órgãos e até morte. Não são fornecidos anestésicos ou nenhuma espécie de alívio da dor.

Michelle Thew, diretora executiva da Cruelty Free International, declarou: “Nossa investigação descobriu um terrível e absurdo sofrimento animal, cuidados inadequados, práticas inaceitáveis e violações das leis europeias e alemãs.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

“Estamos pedindo que o Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT) seja fechado. Também estamos pedindo uma revisão abrangente do uso de animais em testes de toxicidade regulamentar na Europa, incluindo o Reino Unido”.

“Toda investigação, sem exceção, mostra uma história semelhante de miséria e desrespeito à lei”, disse a diretora.

O Daily Mail, fonte dessa matéria, tentou entrar em contato com o Laboratório de Farmacologia e Toxicologia do LPT para comentar, mas não obteve resposta.

Foto: CEN/Cruelty Free Internacional
Foto: CEN/Cruelty Free Internacional

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Cães que vivem com tutores fumantes consomem passivamente mais de 3 mil cigarros por ano

Pesquisas revelam que cães que convivem com fumantes têm 60% mais chances de desenvolver câncer de pulmão enquanto gatos têm duas vezes mais chances de desenvolver linfoma maligno


 

Um fumante comum fuma nove cigarros por dia em casa enquanto seus animais domésticos estão por perto | Foto: iStockphoto
Um fumante comum consome nove cigarros por dia em casa enquanto seus animais domésticos estão por perto | Foto: iStockphoto

Um estudo publicado recentemente revela que animais domésticos que vivem em casas de fumantes fumam passivamente mais de 3 mil cigarros por ano.

Cerca de 2 mil tutores de animais que fumam participaram de uma pesquisa organizada por uma seguradora de animais, verificou-se que o fumante médio consome nove cigarros por dia em casa enquanto seus animais estão por perto.

Isso significa que os animais domésticos podem ser expostos a até 3.285 cigarros por ano; no entanto, esse número pode aumentar se mais de uma pessoa na casa fumar.

Pesquisas anteriores já haviam afirmado que os cães que convivem com fumantes têm 60% mais chances de desenvolver câncer de pulmão e os gatos têm duas vezes mais chances de desenvolver linfoma maligno.

O novo estudo descobriu que 22% dos entrevistados fumavam 15 ou mais cigarros em casa por dia, o que significa que seus companheiros domésticos poderiam ser expostos a 5.475 cigarros por ano.

A pesquisa também revelou que 78% dos fumantes que conviviam com animais domésticos admitiram que sabiam que seus companheiros de quatro patas poderiam ser afetados pelo fumo passivo, mas 68% alegaram que considerariam abandonar o hábito se um veterinário dissesse que a fumaça estava deixando seu animal doente.

Michelle Tuftsmith, 52, que vive em Londres, fuma 20 cigarros por dia, mas afirma que está parando de fumar em outubro porque não quer que seu cachorro Blanche desenvolva problemas respiratórios.

Um em cada cinco tutores confessou que seus animais domésticos haviam consumido cigarros ou tabaco ano passado | Foto: Getty Images
Um em cada cinco tutores confessou que seus animais domésticos haviam consumido cigarros ou tabaco ano passado | Foto: Getty Images

Ela diz que sempre fuma em seu jardim ou em caminhadas com seu cachorro da raça buldogue de dois anos, uma raça já propensa a desenvolver problemas respiratórios.

Um em cada cinco tutores de animais envolvidos no estudo confessou que havia consumido cigarros ou tabaco ano passado.

Além disso, 52% dos entrevistados disseram que seus animais de estimação passavam 23 horas ou mais em casa, o que significa que poderiam ser expostos a substâncias químicas e bactérias persistentes no ar.

O cirurgião veterinário Robert J. White-Adams disse ao Metro UK: “Pesquisas mostraram que gatos que vivem com fumantes têm duas vezes mais chances de desenvolver um linfoma maligno e cães que vivem com fumantes têm 60% mais chances de desenvolver câncer de pulmão”.

“É de partir o coração ouvir animais domésticos fumando passivamente inalando fumaça e outros produtos químicos por até 23 horas uma quantidade absurda chega a mais de três mil cigarros por ano”, lamentou o especialista.

Andrew Moore, chefe do departamento de reclamações relacionadas a animais domésticos da seguradora responsável pelo estudo, a MORE TH> N, disse ao Metro UK: “Neste mês de outubro, nossa empresa está pedindo aos tutores de animais que deixem de fumar pelo bem de seus companheiros peludos”.

“O tabagismo passivo é tão perigoso para os animais domésticos quanto para os seres humanos e aumenta a probabilidade deles desenvolverem câncer e uma série de outros problemas de saúde”, acrescentou o executivo.

“Recomendamos que os tutores que fumam evitem fazê-lo perto de seus animais domésticos ou dentro de sua casa para reduzir a exposição dos cães e gatos ao fumo passivo”, recomendou Moore, “Nossos companheiros caninos e felinos dedicam suas vidas a nós, por isso é importante agradecer a eles, mantendo-os felizes e saudáveis”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More