Destaques

Gangue de criminosos mata 40 cães envenenados em uma única noite

Foto: James Pyatt/News LTD
Foto: James Pyatt/News LTD

Criminosos matam mil cães por semana na África do Sul, para que possam invadir casas e roubar os donos das residências sem serem atacados por seus leais animais domésticos.

Cerca de 40 cães foram envenenados em uma cidade durante uma única noite na semana passada.

Imagens chocantes foram divulgadas mostrando como cães fiéis estão sendo massacrados por gangues nos jardins da frente e dos fundos de suas próprias casas.

O Dr. Gerhard Verdoon, diretor do Griffon Poison Information Centre, em Port Elizabeth, revelou que os cães estão sendo alimentados com carne contaminada com veneno mortal.

Foto: James Pyatt/News LTD
Foto: James Pyatt/News LTD

O especialista observou que o veneno é tão poderoso que mata um cão pequeno em apenas 5 minutos e um cachorro grande em menos de 15 minutos.

Ele acrescentou que poucos animais domésticos sobrevivem a uma dose do veneno.

“O veneno usado é muito potente – cerca de 97% dos animais envenenados morrem”, disse Verdoon.

“Eles usam o Aldicarb, conhecido como ‘two-step’ (dois passos, na tradução livre), porque você come, dá dois passos e morre.

“Os criminosos geralmente colocam o veneno em cachorros-quentes ou misturam com picadinho e dão para os cães comerem. Depois que os cães morrem, as casas são alvos fáceis de invasão ou roubo.

Foto: James Pyatt/News LTD
Foto: James Pyatt/News LTD

“O veneno é normalmente usado em cães que dormem fora, no quintal, para proteger a família e, nas primeiras horas da manhã, jogam a carne por cima da cerca e observam enquanto o cão come a carne”.

“Eles deixam o veneno agir por uma hora para se certificar de que quando voltarem para realizar um assalto à mão armada ou um roubo, muitas vezes atacando os moradores da residência e roubando dinheiro, valores e carros.

“O número de até 1000 cachorros mortos por semana é extremamente absurdo e cruel e está aumentando”, disse ele.

Verdoon disse que o veneno é proibido na África do Sul, mas é contrabandeado através da fronteira do Zimbábue por sindicatos do crime e vendido ilegalmente a criminosos para matar cães.

Ele continuou: “O que acontece é que o sistema nervoso do animal é desligado e o cão fica paralisado e então ele sufoca até a morte. É uma maneira muito sofrida de um cachorro morrer”.

Foto: James Pyatt/News LTD
Foto: James Pyatt/News LTD

“Isso está afetando todo o país pois o veneno é usado em ataques em fazendas também”, disse ele.

Cora Bailey, diretora do Community Led Animal Welfare, disse que 40 cães foram mortos na Flórida, um subúrbio de Johanesburgo, na última quarta-feira por criminosos que invadiram casas.

“Os criminosos não querem entrar em uma propriedade onde um cachorro pode alertar os moradores”, disse ela.

A África do Sul é classificada como um dos países mais perigosos do mundo para se viver, com quase 20 mil assassinatos por ano, 50 mil estupros e 275 mil roubos e assaltos em casas particulares.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Site oferece hospedagem temporária para cães em residências familiares

Viajar
Divulgação

Em julho muitas famílias se programam para fugir da rotina e curtir o período das férias escolares longe de casa. Porém, para aqueles que vivem com um cachorro, a dúvida sobre os cuidados com o animal durante a viagem dificultam os planos. Foi desse dilema que nasceu a DogHero – plataforma que ajuda tutores a selecionar o melhor anfitrião para hospedar e cuidar do animal durante a ausência do responsável.

No site, os anfitriões – interessados em receber os animais – elaboram um perfil contando sobre sua experiência e seu carinho por animais, adicionam fotos dos cachorros residentes e do ambiente, além de informações como: localização, tipo de propriedade (casa ou apartamento), veículo para emergência, presença de outros animais e existência de área externa. A partir desses dados, o tutor do cachorro entra em contato com o anfitrião que mais lhe agrada e combina os detalhes da hospedagem. O preço da estadia é estipulado por cada anfitrião, mas a média de valor do site é de R$50.

Segundo Eduardo Baer, sócio-diretor da DogHero, os serviços que o mercado oferece são mais caros e impessoais, o que torna a experiência da hospedagem domiciliar mais aconchegante e segura para os cães. “A ideia é melhorar a vida de todos os envolvidos, principalmente a do cachorrinho, ao oferecer uma hospedagem afetuosa, com pessoas que realmente amam cachorros e sentem prazer em cuidar dos animais”.

Mesmo à distância, os responsáveis pelo cachorro acompanham sua rotina por meio de fotos e vídeos que o anfitrião envia pela própria plataforma. Para tranquilizar ainda mais os responsáveis do animal quanto à segurança do serviço, a empresa oferece uma garantia de R$ 5 mil para emergências veterinárias.

Para ser um anfitrião, o candidato precisa se cadastrar no site e passar por um processo seletivo, que inclui entrevistas por telefone, análise da casa por meio de fotos, e até mesmo levantamento de antecedentes criminais. “A ideia do negócio não é fazer com que o anfitrião viva financeiramente dessa atividade, mas que faça isso porque gosta da companhia de um animal e pense na renda como algo complementar. O serviço é focado em pessoas que amam cachorros e fazem de tudo para garantir o bem estar do animal”, afirma Baer.

Fonte: Sou Bicho

​Read More
Notícias

Cães e gatos são envenenados em Santa Maria (RS)

Pedaços de carne envenenada foram jogados no pátio das residências

Maristela terá de dar atenção em dobro às gatinhas Bela (preta) e Safira. A mãe delas morreu após comer a carne envenenada Foto: Jean Pimentel/ DSM

Seis animais, entre cães e gatos, teriam morrido envenenados nesta quinta-feira, na Vila Jockey Club, em Santa Maria. Conforme ocorrência policial, pedaços de carne envenenados foram jogados no pátio das casas da Avenida Bechara Abaide e deixados na rua na madrugada desta quinta.

Vários animais morreram e outros adoeceram. Maristela Moreira de Freitas terá de dar atenção em dobro às gatinhas Bela e Safira. A mãe das gatinhas morreu após comer a carne envenenada.

Ao todo, foi apreendido 1 quilo de carne de frango e de carne bovina que foi recolhido da rua e do pátio das residências.

Fonte: Diário de Santa Maria

​Read More
Notícias

Bombeiro resgata cão de incêndio no Pará

Por volta das 17h de quinta-feira (04), três residências localizadas na passagem Olinda, no bairro do Guamá, em Belém (PA), foram tomadas pelo fogo.

No momento do incêndio, as pessoas que se encontravam nas residências conseguiram sair a tempo.

Apesar da perda que as famílias tiveram, o momento mais emocionante durante o trabalho do Corpo de Bombeiros foi quando um deles conseguiu resgatar o cão “Spike”, que estava escondido em uma área da casa.

Com um olhar triste e muito abatido, o cão foi retirado ainda com vida.

Com informações de Diário do Pará

​Read More