Notícias

Kylie Jenner doa 1 milhão de dólares para ajudar no combate aos incêndios australianos

Foto: WENN/Avalon
Foto: WENN/Avalon

Kylie Jenner doou 1 milhão de dólares para serviços de bombeiros locais e para as equipes de socorro à vida selvagem na Austrália, depois de ser rotulada de “hipócrita”.

No início desta semana, a estrela do programa “Keeping Up With Kardashians” postou várias fotos em seu stories no Instagram sobre o crescente número de animais vítimas do fogo na Austrália, incluindo uma imagem de um coala ao lado da legenda: “Mais de meio bilhão de animais foram mortos na Austrália. Isso parte meu coração”.

Poucas horas depois, a celebridade de 22 anos compartilhou um stories no Instagram usando um par de chinelos de vison da marca Louis Vuitton, o que levou vários usuários de mídia social a chamá-la de “hipócrita”.

“Kylie postar sobre como ela está se sentindo de coração partido pela morte de animais na Austrália devido ao fogo e depois colocar uma foto usando um chinelo feito de pele de animal é a maior hipocrisia de 2020”, escreveu uma pessoa no Twitter.

Outro acrescentou: “Eu não entendo como Kylie Jenner pode postar sobre os pobres animais que morrem nos incêndios na Austrália e, em seguida, postar uma foto dela usando sapatos de pele de vison”.

Em resposta ao feedback negativo, um representante de Jenner confirmou que a estrela doou um milhão de dólares para os vários esforços no combate aos incêndios na Austrália.

Até agora, os incêndios causaram 24 mortes e destruíram mais de 1.500 casas, devastando mais de quatro milhões de hectares de terra.

Ecologistas da Universidade de Sydney estimaram que cerca de 480 milhões de animais foram mortos nos incêndios, incluindo 8 mil coalas.

Jenner não é a única celebridade que doou fundos para os bombeiros locais da Austrália.
Na terça-feira, o ator Chris Hemsworth prometeu doar 1 milhão de dólares para aqueles que foram afetados pela crise, enquanto a comediante Celeste Barber ajudou a arrecadar mais de 27 milhões de dólares por meio de uma página de angariação de fundos.

Várias outras figuras de destaque, incluindo Selena Gomez, Pink e Nicole Kidman, doaram centenas de milhares, enquanto Russell Crowe e Cate Blanchett lideraram várias estrelas de Hollywood incentivando as pessoas a agir e apoiar a Austrália durante seus discursos no Globo de Ouro no domingo. As informações são do Independent.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Fotos de caçadores ao lado de gorila morto causam revolta e indignação

Foto: L'Association Gorilla
Foto: L’Association Gorilla

Imagens fortes e comoventes de um gorila que se acredita ter sido morto a tiros antes de ter seu corpo usado em uma foto da caçada provocaram revolta entre ativistas dos direitos animais e usuários das redes sociais.

Fotos postadas online por um grupo de proteção de animais selvagens mostram um grupo de homens armados com rifles de caça ao redor do animal que supostamente foi morto por eles.

O L’Association Gorilla disse que o animal foi “morto a tiros”, sugerindo que os homens na foto, segurando rifles, podem ser os responsáveis pela morte do gorila.

Foi divulgado pela entidade que as fotos foram tiradas perto de Brazzaville, capital da República do Congo.

Em um post nas redes sociais que acompanha as imagens terríveis, o grupo disse: “Isso é o que nunca mais gostaríamos de ver”.

Foto: L'Association Gorilla
Foto: L’Association Gorilla

“Essas imagens chocantes de um belo gorila da planície, covardemente morto, exposto por caçadores inconscientes, foram tiradas apenas alguns dias atrás, em um local sob a jurisdição departamento de esportes de Brazzaville no oeste do Congo”.

“Lembremos mais uma vez que a morte de espécies protegidas é estritamente proibida pela lei congolesa”.

A coalizão de proteção aos gorilas, Ape Alliance, acrescentou: “Matar gorilas é um crime contra a natureza”.

Os gorilas selvagens estão ameaçados por caçadores, doenças e desmatamento, com pouco mais de 1.000 gorilas das montanhas em estado selvagem, de acordo com o WWF (World Wildlife Fund).

“A caça continua inabalável devido à falta de aplicação das leis nacionais e internacionais, juntamente com sistemas judiciais ineficazes”, disse a instituição.

“O comércio de carne de animais selvagens, que ocorre em toda a África Ocidental e Central, é hoje a maior ameaça aos gorilas”.

Foto: WWF
Foto: WWF

“Os primatas estão sendo mortos principalmente para suprir a demanda de carne de ‘alta qualidade’ nos centros urbanos, onde o consumo de carne de macaco é considerado de prestígio entre a elite rica”. As informações são do Daily Mail.

Gorilas das Montanhas

Como o próprio nome indica, os gorilas das montanhas vivem em florestas altas nas montanhas, em altitudes de 8.000 a 13.000 pés. Eles têm pelos mais espessos e em maior quantidade, em comparação com outros grandes símios. O pelo os ajuda a sobreviver em um habitat onde as temperaturas costumam cair abaixo de zero. Mas, à medida que os humanos se deslocam cada vez mais para o território dos gorilas, eles são empurrados para as montanhas por períodos mais longos, forçando-os a suportar condições perigosas e às vezes mortais.

A menor população mundial de gorilas da montanha – uma subespécie do gorila oriental – é dividida em duas e os cientistas debatem se podem ser duas subespécies separadas. Um pouco mais da metade vive nas Montanhas de Virunga, uma cordilheira de vulcões extintos que fazem fronteira com a República Democrática do Congo, Ruanda e Uganda. O restante pode ser encontrado no Parque Nacional impenetrável de Bwindi, em Uganda.

Desde a descoberta da subespécie de gorila da montanha em 1902, sua população passou por anos de guerra, caça, destruição de habitat e doenças – ameaças tão graves que se pensava que a espécie poderia ser extinta no final do século XX.

O que poderia ter sido uma perspectiva sombria para a subespécie há apenas duas décadas, se iluminou nos últimos anos devido aos esforços de conservação. Apesar do conflito civil em curso, da caça e de uma população humana invasora, ambas as populações de gorilas das montanhas aumentaram em número. As informações são do WWF

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Tutor leva seu cão idoso que sofre de câncer para um último passeio e filma o momento

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Um tutor emocionado compartilhou o momento em que seu amado animal doméstico fez sua última caminhada antes de ser morto por indução após uma longa batalha contra um câncer agressivo de nariz e garganta.

Dale Thompson, de Toronto, Canadá, foi ao Twitter compartilhar um vídeo de 30 segundos de seu cão da raça golden retriever dourado de 14 anos, Murphy, andando pela calçada com “dignidade, clareza e honra” aos veterinários.

Depois de compartilhar o vídeo repleto de emoção o jornalista e designer recebeu inúmeras mensagens de apoio e o post teve mais de 500 mil visualizações nas mídias sociais.

Durante a filmagem emocionante, o amado cãozinho anda com cuidado ao longo da calçada e mantém os olhos fixos à frente.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Após a cena devastadora, Thompson compartilhou a filmagem no Twitter com a legenda: “Murphy foi ao veterinário hoje pela última vez. Ele entrou com dignidade, clareza e honra”.

“Ele deixou este mundo da mesma maneira que entrou nele: com estilo, graça e alegria”.
“RIP (Descanse em Paz) meu amigo.”

Depois de colocar o cachorro no chão, Thompson descreveu o vazio que ele havia deixado e escreveu: “Não há uma palavra que tenha sido criada ou inventada ainda que possa expressar como meu coração está partido hoje. Simplificando, estou perdido”.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

“Meu mundo e meus sentidos ficaram com um vazio que nunca será preenchido.”

Ele continuou: “Triste é algo que ficarei um dia depois que chorar um milhão de lágrimas e andar um milhão de passos, mas, agora, estou a muitos quilômetros de tristeza ainda”.

“’A realidade cruel do amor é a possibilidade da perda e meu coração simplesmente não pode contemplar isso agora. Bom dia e boa noite, doce príncipe”.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Horas mais tarde, Thompson compartilhou uma foto das tigelas intocadas de Murphy em sua casa e acrescentou: “Meu lar está tão quieto agora, você pode ouvir o relógio batendo, o chão chiando, todo som agora é amplificado”.

“A área em que ele sempre se deitou parece tão grande agora. Seu prato de comida ainda está intocado desde esta manhã (frango assado com comida chinesa, não me julguem)”.

Após o post, os usuários do Twitter correram para a plataforma de mídia social para oferecer seu apoio ao tutor do animal, de coração partido.

Foto: Dale Thompson/Twitter
Foto: Dale Thompson/Twitter

Um usuário escreveu: “Isso é tão emocionante e bonito ao mesmo tempo. Sinto muito por sua perda e sua dor. Que cachorro lindo ele era”.

Outro tutor de animal acrescentou: “Perder um cachorrinho é uma das piores coisas. Chorei todas as noites durante uma semana depois que meu filho de 18 anos foi para o céu dos cachorrinhos”.

Outro usuário do Twitter comentou: “Esta notícia partiu meu coração. RIP menino corajoso. Sinto muito por sua perda, Dale. Vocês tiveram sorte de ter um ao outro”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Conheça as celebridades que se destacam na defesa dos direitos animais

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Enquanto muitos estão se erguendo e lutando pela igualdade de gênero e pelos direitos humanos, essas celebridades de Hollywood estão se manifestando em defesa dos animais, que não têm voz. Através da colaboração com a ONG PETA, eles deixaram sua marca de forma notável em prol dos direitos animais.

Aqui estão algumas das ações realizadas por alguns dos mais emblemáticos ativistas pelos direitos dos animais de todos os tempos. Esses ativistas também são celebridades conhecidas, usando sua fama para ajudar na causa desses seres sencientes vítimas da humanidade.

STELLA MCCARTNEY

Por ser filha de uma ativista pelos direitos dos animais, Stella seguiu os passos de sua mãe defendendo os animais antes mesmo de se tornar uma celebridade. McCartney deu um passo extra para defender os direitos dos animais, lançando sua marca de moda amiga dos animais. Sua grife vegetariana se destaca por não usar pele, pelo, penas ou couro. A designer usa alter-nappe (uma alternativa ao couro derivado de poliéster, poliuretano e com revestimento feito de 50% de óleo vegetal) em lugar do couro animal na confecção de calçados.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ela também está trabalhando no uso de materiais reciclados em suas fibras sintéticas. Uma boa olhada em seu site confirma que sua marca é o futuro da moda sustentável. Ela está em parceria com marcas como Adidas para produzir designs usando seus materiais.

ALICIA SILVERSTONE

Alicia Silverstone é uma das ativistas contra o uso de peles de animais mais dedicadas do mundo. A atriz ganhou fama após seus papéis nos filmes The Crush (Paixão Sem Limite e mais tarde em Clueless (Patricinhas de Beverly Hills), graças quais assinou um contrato de 10 milhões de dólares com a Sony. Ela então mudou de direção e se tornou uma “coaching de estilo de vida” tentando convencer outras mães e celebridades da importância de se tornarem veganas e da crueldade e sofrimento que as peles e outros produtos de origem animal causam aos animais.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ela assumiu o veganismo quando percebeu que era uma amante de animais que comia animais. Ela também quebrou suas próprias regras contra ficar nua na frente da câmera quando posou nua em um cartaz da PETA, alegando que preferia ficar nua do que vestir peles.

IAN SOMERHALDER

Ian Somerhalder é o criador da Fundação Ian Somerhalder, que deu ao ator destaque como ativista proeminente pelos direitos dos animais. A estrela da série Vampire Diaries (Diários do Vampiro) usou sua fundação sem fins lucrativos para espalhar a conscientização sobre conservação ambiental por meio de seus jovens afiliados.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Para Somerhalder, a luta pelos direitos dos animais também deve ser acompanhada pela preservação de seu ecossistema. A Ian Somerhalder Foundation trabalha distribuindo fundos para conservação global e desenvolvimento de energia verde. Ele está dando passos significativos na jornada de conservação do meio ambiente usando sua fama como modelo, ator e produtor em prol da causa.

LEONARDO DICAPRIO

DiCaprio teve seu nome dado a uma espécie de besouro em homenagem a seus esforços na proteção de espécies ameaçadas de extinção. Ele criou a Fundação Leonardo DiCaprio em 1998. Suas maiores preocupações ambientais são o aquecimento global, a preservação da vida marinha e, claro, a conservação da vida selvagem.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Sua fundação trabalha principalmente através de parcerias com outras organizações, como o World Wildlife Fund e a Wildlife Foundation. Juntamente com sua paixão ao longo da vida pela proteção da vida selvagem ameaçada, sua fundação está comemorando 20 anos em defesa da natureza.

ELLEN DEGENERES

Em 2011, Ellen recebeu o prêmio HOPE Award da PETCO Foundation por sua dedicação na luta em defesa dos animais. A presença de Ellen é sentida por todo o lado, mas especialmente em Ruanda, onde através de sua esposa, ela financiou a construção de um centro de conservação para gorilas das montanhas que estão ameaçados de extinção.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ela também usa seu popular talk show (programa de entrevistas) americano para ajudar a salvar as vidas dos animais. O ator e produtor Dwayne Johnson esteva entre os convidados que ela recebeu em seu programa. Eles discutiram o perigo que ameaça a vida selvagem do planeta e mais ainda os gorilas das montanhas, pelos quais a presentadora está fazendo tremendos esforços para salvar.

PAMELA ANDERSON

A modelo e atriz canadense ganhou fama após seu papel na série Baywatch (SOS Malibú). A vegetariana dedica seu tempo e popularidade para aumentar a conscientização sobre os atos desumanos envolvidos na criação de animais em escala industrial.

Recentemente ela escreveu uma carta aberta, em nome da PETA, aos primeiros-ministros chinês e indiano pedindo que ambos promova comida vegana para conter a iminente crise climática e pelo bem do planeta.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Entre as lutas da ativista estão o pleito por refeições veganas nas prisões canadenses e a tentativa de adoção dos cães explorados nos testes com animais em laboratórios na Universidade Texas A&M University (TAMU).

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Vídeo de homem chutando coruja ferida em uma estrada provoca fúria nas redes sociais

Homem churando coruja ferida | Foto: 7News
Homem churando coruja ferida | Foto: 7NewsFoto: 7News

Imagens de um homem chutando uma coruja ferida em uma estrada de Queensland (Austrália) provocaram reações de fúria e indignação online.

Um post no Snapchat mostrando um homem ferindo o pássaro noturno no meio de uma rua tranquila está circulando amplamente nas mídias sociais.

No vídeo é possível ver o homem se inclinar para frente para examinar o pássaro, antes de dar um passo e chutar a coruja na estrada na escuridão, enquanto a pessoa que filma a cena ri.

O vídeo foi legendado como “Aprovado pela RSPCA”. A RSPCA é a ONG mais antiga e maior de proteção animal do Reino Unido, com sedes pelo mundo todo.

“Tão triste”, diz um comentário. “O que faz alguém machucar uma criatura indefesa?”.

As pessoas que postaram o vídeo defenderam suas ações em outro post do Snapchat, dizendo que “o pássaro já estava ferido”.

“Ele voou na frente do carro e estava morrendo lentamente, não íamos embora apenas e deixá-lo lá”, dizia a legenda, conforme relatado pela 7News.

As imagens foram enviadas para a RSPCA, que tem o poder de processar pessoas por acusações de crueldade contra animais em Queensland.

Foto: Shutterstock/Sherhii Brovko
Foto: Shutterstock/Sherhii Brovko

Comentários no post disseram que, independentemente da condição da coruja, eles deveriam ter tentado ajudá-la em vez de atacá-la.

“Se estava morrendo lentamente, tenho certeza de que havia tempo para levá-la a um veterinário”, dizia um comentário. “Em vez de terminar de assassiná-la”. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Métodos de pesca modernos estão levando baleias menores e golfinhos à extinção

Pescador lança uma rede de um barco no Golfo da Guiné | Foto: NATALIJA GORMALOVA/AFP via GETTY IMAGES
Pescador lança uma rede de um barco no Golfo da Guiné | Foto: NATALIJA GORMALOVA/AFP via GETTY IMAGES

Mais de uma dúzia de espécies de pequenas baleias e golfinhos estão sendo levados para o abismo da extinção, segundo um novo estudo. O principal motivo são as redes de pesca modernas, que capturam e matam centenas de milhares de animais todos os anos.

As recentes descobertas são “um bom resumo das ameaças insidiosas que enfrentam populações criticamente ameaçadas de golfinhos e botos em todo o mundo”, diz C. Scott Baker, geneticista da conservação e especialista em cetáceos da Universidade Estadual do Oregon em Newport (EUA), que não participou do estudo.

Pequenos cetáceos como a vaquita e vários golfinhos de rio sobreviveram com sucesso até aqui ao lado de pescadores humanos por milhares de anos em águas costeiras, estuários e rios. Então, após a Segunda Guerra Mundial, os pescadores começaram a substituir suas redes de algodão e cânhamo por redes sintéticas menos caras e mais duráveis.

Essas redes de emalhar não requerem equipamentos caros ou grandes embarcações, tornando-as especialmente atraentes para os pescadores de pequena escala em todo o mundo. Mas os cetáceos (assim como outros mamíferos marinhos e tartarugas marinhas) não podem morder as redes se forem pegos nelas, como poderiam com as redes de algodão.

Os conservacionistas tentam há pelo menos 30 anos desenvolver redes que os animais possam evitar ou escapar facilmente, mas ainda precisam encontrar uma boa solução. Eles também pressionam os governos a aprovar regulamentos estritos e proibições definitivas sobre o uso de redes de emalhar, mas essas leis são tipicamente difíceis de aplicar.

Agora, 13 espécies pequenas de cetáceos estão quase em extinção principalmente por causa dessas redes, relatam biólogos marinhos este mês na pesquisa sobre espécies ameaçadas de extinção. Usando dados coletados pelas autoridades de pesca que registra os tamanhos das populações de cetáceos, tendências e as taxas em que esses animais são capturados em redes destinadas a peixes, a equipe descobriu que o Golfinho do Rio Baiji na China está “quase certamente extinto”, a Vaquita do México, que chega a menos de 19 indivíduos da espécie, está “à beira da extinção”; e as perspectivas de longo prazo para o Golfinho Jubarte da África Ocidental são “sombrias”.

As perspectivas também são ruins para uma subespécie do Golfinho Mui encontrada apenas na costa sudoeste da Ilha Norte da Nova Zelândia, bem como para o Golfinho Jubarte de Taiwan, o Boto de Yangtze, três espécies de golfinhos asiáticos e o Boto do Mar Báltico. Em cada caso, as redes de emalhar eram a maior ameaça.

Muitas dessas espécies estão a ponto de desaparecer completamente a menos que as redes de emalhar sejam eliminadas, diz Robin Baird, biólogo marinho e especialista em cetáceos do Instituto de Pesquisas Cascadia Research Collective, localizado em Olympia, nos EUA, que não participou do estudo.

Mas isso exigirá “coragem política”, enfatiza o biólogo, porque os governos terão que tomar decisões impopulares, como aprovar zonas de conservação onde a pesca seja proibida e impor medidas estritas. Infelizmente, ele diz, neste momento esta é a única maneira de “impedir que essas espécies e populações sejam extintas”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Corpos de dez golfinhos são encontrados em praia em apenas seis semanas

Foto: Mercury Press
Foto: Mercury Press

Os cadáveres de 10 golfinhos encontrados encalhados em uma praia inglesa em pouco mais de um mês foram atribuídos a uma corrida desesperada dos pescadores europeus antes do Brexit (Saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Os ativistas pelos direitos animais dizem que um número recorde de redes de arrastão em massa acompanhadas de barcos de pesca comerciais está atuando perto da costa britânica enquanto o Reino Unido se prepara para deixar as regulamentações de pesca da UE.

A ONG de proteção ambiental, Blue Planet Society, com sede em Bournemouth (Inglaterra), diz que avistou 11 dos navios no Canal da Mancha – uma quantidade recorde pescando na área ao mesmo tempo.

O detetive aposentado Dave Bailey afirma que os moradores da região encontraram 10 golfinhos e botos mortos só na praia de Lannacombe nas últimas seis semanas. Foi relatado que os mamíferos marinhos não tinham feridas visíveis além dos locais onde as gaivotas tinham bicado seus cadáveres, indicando que os animais provavelmente sufocaram enquanto estavam presos em redes de arrasto.

Foto: Dave Bailey/Mercury Press
Foto: Dave Bailey/Mercury Press

John Hourston, 53, voluntário da Blue Planet Society, disse: “Nas últimas seis semanas, houve até uma dúzia de “super arrastões” de barcos europeus no Canal da Mancha, da Cornualha a Dover.

“Eles não têm observadores independentes a bordo, estamos pressionando a UE a colocar observadores independentes para monitorar o que eles estão capturando, porque no momento temos que apenas aceitar sua palavra”.

“Mas é inegável a devastação que se segue aonde quer que eles estejam. Pode ser apenas uma coincidência, mas parece estranho que um número tão grande de navios esteja operando tão perto da costa do Reino Unido neste momento politicamente sensível”.

“É difícil dizer se eles estão tentando entrar e pescar tudo o que podem antes de serem bloqueados, mas eles estão aqui desde que a eleição geral foi anunciada. Realmente a saída do Reino Unido da UE mexeu com os pescadores”.

“Apenas nesta semana, dois dias antes da eleição, havia mais navios que jamais registramos na operação de controle entre Brighton e Eastbourne”.

Ele afirmou que os barcos de 260 pés de comprimento deixam um rastro de devastação em seus caminhos. Atualmente, Bruxelas estabelece regras padronizadas sobre a pesca em todos os estados membros através da Política Comum de Pescas (PCP).

Seu sistema de cotas permite que grandes pescarias comerciais joguem redes de arrasto nas águas de outros países. Mas o governo de Boris Johnson prometeu tirar o Reino Unido da PCP, embora não exista uma mudança iminente nas regras de pesca nas águas britânicas, já que o Reino Unido permanecerá parte do regime até o final do período de transição em dezembro de 2020 ou mais tarde.

Foto: Dave Bailey/Mercury Press
Foto: Dave Bailey/Mercury Press

Os defensores da PCP dizem que ela incentiva a pesca sustentável, gerenciando os cardumes além das fronteiras, enquanto os oponentes dizem que isso pode ser melhor gerenciado nacional ou regionalmente. O Reino Unido disse que estabelecerá suas próprias cotas para incentivar a sustentabilidade após o Brexit.

A ONG Blue Planet Society não tem filiação política, mas pressionou a UE a ter mais controle sobre os “super arrastões”. Hourston acrescentou: “A indústria da pesca foi autorizada a correr solta. Poderíamos perder dezenas de milhares desses animais que são mortos nas águas da UE todos os anos.

“Se fosse um mamífero em terra, como um cervo, haveria indignação. É uma desgraça global e não podemos assistir a ela calados”, concluiu o ativista. As informações são do METRO UK.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More
Notícias

Vídeo que flagra momento de carinho entre gatinho, canguru e pombo viraliza nas redes sociais

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

Imagens adoráveis de um gato, um pombo e um bebê canguru que se aconchegaram juntos, como se fossem os melhores amigos, se tornou viral na internet.

A australiana Anandii Macrides já vivia com Michonne, o gato, quando seu parceiro trouxe Anya, um pombo filhote do sexo feminino resgatado, um ano atrás.

Logo eles se juntaram a Taro, o canguru filhote, e uma improvável amizade entre o trio começou.

Provando que três “nem sempre é demais”, Anya estabeleceu um vínculo estreito com os outros dois animais, apesar das pombas serem reconhecidas por sua natureza agressiva.

Imagens recentes compartilhadas por seus tutores mostram “os três patetas” como foram apelidados, amontoados na sala do casal.

Enquanto Taro tenta dormir, Michonne decide que seu companheiro marsupial precisa de um banho enquanto Anya retribui o favor “banhando” o gato e o canguru.

“Chovia e trovejava lá fora e Taro estava no sofá dormindo”, disse Macrides ao Daily Mail em matéria de 12 de dezembro.

“Saí para fazer algo e, quando voltei, o vídeo mostra o que encontrei”.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

“Michonne está acariciando Taro e Anya tenta acariciar os dois e ser acariciada em troca”.

“Normalmente, mantenho os gatos longe do canguru pois eles podem causar problemas de saúde, mas isso foi tão bonito de se ver que eu tive que gravar um vídeo”.

O adorável vídeo atraiu quase 4 mil visualizações desde que foi enviado ao YouTube nesta semana.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

“As criações de Deus são perfeitas”, comentou um espectador online.

Outro acrescentou: “Aww, tão doce, obrigado por filmar e compartilhar conosco.”

Esse vídeo é o exemplo do amor, da ternura e da entrega incomparável de que são capazes os animais, não importando a espécie ou o local, seja na natureza em uma casa: eles estão sempre de coração aberto. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
De olho no planeta, Notícias

Relatório revela que equipamento de pesca descartado é a pior ameaça plástica à vida marinha

Foto: Adobe
Foto: Adobe

Equipamentos de pesca descartados, incluindo redes, armadilhas e linhas, compõem a maior parte da imensa poluição plástica dos oceanos, e causam uma ameaça perigosa, ampla e fatal à vida marinha, diz um novo relatório do Greenpeace.

Os dados relacionados ao “equipamento fantasma” (redes abandonadas no oceano) diz que mais de 640 mil toneladas são descartadas anualmente nas águas (o equivalente em peso de 55 mil ônibus de dois andares), representando cerca de 10% de todo o lixo plástico presente no ambiente marinho.

Agora, a ONG ambiental está pedindo uma ação internacional para responsabilizar a “indústria pesqueira sub-regulamentada” e impedir toda essa poluição por plásticos, em uma tentativa de salvar animais marinhos.

Proteção marinha

O Greenpeace diz que a maioria das redes fantasmas é resultado da pesca não regulamentada e não declarada – mas a pesca excessiva também faz parte do problema.

O Greenpeace está pedindo às Nações Unidas que concordem com um Tratado Global dos Oceanos até a primavera de 2020, levando à criação de uma rede mundial de áreas protegidas, cobrindo 30% do oceano do mundo até 2030.

“Responsabilizar a indústria”

“O equipamento fantasma é uma importante fonte de poluição oceânica por plásticos e afeta a vida marinha no Reino Unido e em qualquer outro lugar”, disse Louisa Casson, ativista dos oceanos do Greenpeace no Reino Unido.

“As águas do Reino Unido não existem no vácuo, uma vez que os oceanos não têm fronteiras. Os governos do mundo todo devem tomar medidas para proteger nossos oceanos globais e manter a indústria pesqueira sub-regulada responsável por seus resíduos perigosos e prejudiciais”.

“A ação deve começar com um forte acordo global sobre os oceanos sendo assinado nas Nações Unidas no próximo ano”.

“Ameaça à vida selvagem”

“Redes e linhas podem representar uma ameaça à vida selvagem por anos ou décadas, envolvendo desde pequenos peixes e crustáceos até tartarugas em perigo, aves marinhas e até baleias”, acrescentou o relatório.

“Ao se espalhar pelo oceano com a ajuda das marés e correntes, as redes de pesca perdidas e descartadas estão agora à deriva na costa do Ártico, perdidas em remotas ilhas do Pacífico, enredadas nos recifes de coral e espalhadas pelo fundo do mar”.

“A falta de regulamentação e o lento progresso político na criação de santuários oceânicos fora dos limites da pesca industrial permitem que esse problema exista e persista, aumentando cada vez mais”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Vídeo de mulher protegendo cachorros abandonados com guarda-chuva viraliza nas redes sociais

Foto: Twitter/@WECare_srilanka
Foto: Twitter/@WECare_srilanka

Uma heroína humilde e anônima salvou o dia para dois filhotes desnutridos que foram abandonados na chuva do lado de fora de um abrigo de animais no Sri Lanka.

Veterinários do centro de resgate de animais WECare estavam a caminho do local para buscar os cães após uma pessoa ter avisado que eles haviam sido abandonados.

Um vídeo compartilhado no Twitter mostra um membro da equipe correndo por uma rua para resgatar os filhotes.

Quando ela chegou lá, uma mulher já os estava protegendo com seu guarda-chuva.

A equipe de resgate twittou: “Alguém abandonou dois filhotes na chuva perto de nossa clínica. Um transeunte nos alertou e saímos para resgatar os bebês, mas encontramos uma senhora adorável protegendo-os com seu guarda-chuva”.

A ONG WECare foi fundada pela veterinária britânica Janey Lowes, depois de viajar como mochileira (viagem estilo aventura) pelo Sri Lanka em 2014.

Segundo o site, estima-se que existam três milhões de cães de rua no Sri Lanka. Embora a maioria seja bem alimentada e tratada com gentileza pelos habitantes locais, eles não têm acesso a cuidados veterinários.

Foto: Twitter/@WECare_srilanka
Foto: Twitter/@WECare_srilanka

A Dra. Lowes decidiu iniciar seu próprio consultório depois de perceber a situação dos cães de rua do Sri Lanka e atualmente está arrecadando fundos para construir um hospital.

Um porta-voz do abrigo disse ao Metro que os filhotes agora estão “quentinhos e secos” e foram vermifugados e vacinados. Eles foram resgatados estão sendo chamadas Mia e Tia.

Elogiando a equipe por acolher os filhotes, um usuário do twitter disse: “Estou constantemente chocado com a crueldade com que as pessoas que tratam os animais. Espero que eles estejam bem agora em um ambiente quente e alimentado. Por favor, deixe-nos saber como eles estão indo! OBRIGADO PELO TRABALHO QUE VOCÊS FAZEM!”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Tutor tinge cachorros de preto e branco para deixá-los parecidos com pandas

Foto: Asia Wire
Foto: Asia Wire

O tutor de seis cães da raça chow chow se tornou alvo de uma onda de revolta nas redes sociais após ter pintado os cães de preto e branco para fazê-los parecer pandas gigantes.

Dono de um café e pet shop na China, onde reside, o tutor postou as fotos dos animais no estabelecimento, já “transformados” em pandas na internet, o que atraiu críticas ferozes do público. O proprietário da loja, contudo, disse que todos os animais domésticos estavam “muito felizes e saudáveis”.

O tutor disse ao Daily Mail que os animais foram “pandarizados” com corantes orgânicos.

Foto: Cute Pet Games
Foto: Cute Pet Games

“Pintar cães para fazê-los parecer pandas é muito popular no exterior”, acrescentou o tutor dos cães. “É controverso na China porque não é comumente visto”.

Relatórios anteriores mostraram que sua loja cobrava dos clientes 1.500 yuanes (cerca de 854 reais) para transformar seus cães em “pandas”, mas o proprietário do café negou as acusações.

Chow Chow é uma raça de cães de pelo comprido nativa do Tibete. Os cães são normalmente dóceis e cheios de energia.

O café, que permite a entrada de animais domésticos, chamado Cute Pet Games, abriu no mês passado e está situado em um shopping em Chengdu, capital da província de Sichuan, na China.

Foto: Reuters
Foto: Reuters

A onda de críticas começou quando os funcionários da loja enviaram imagens dos “cães panda” para as plataformas de mídia social chinesas para atrair atenção.

Muitos usuários das redes sociais criticam o tutor, acusando-o de abuso e maus-tratos com os cães.

No Weibo, uma rede social chinesa parecida com o Twitter, um usuário com o nome “MichiyoWang” disse: “Quem realmente ama cães não deixa que eles sejam tingidos. Já vi cães perdendo a orelha como resultado disso”.

Foto: VCG via Getty Images
Foto: VCG via Getty Images

Outro usuário da web conhecido como “Wenenky” criticou o café e o tutor: “Eu tenho um cachorro. Nunca tingirei meu cachorro porque não será bom para ele”.

Um terceiro comentário feito por um usuário chamado “Luo Jia Tong” acusava o dono da loja de prejudicar os cães “apenas para se divertir”.

A PETA condenou o ato do tutor dos animais. Um porta-voz da entidade disse: “Pintar os pelos dos cães pode estar na moda, mas apenas para os seres humanos que de bom grado o fazem”.

Foto: VCG via Getty Images
Foto: VCG via Getty Images

“Sempre há riscos com o uso de corantes nos animais, nos pelos, na pele, no nariz e nos olhos. Os animais não devem ser um brinquedo para que as pessoas os pintem”.

O dono do café insistiu que seus cães eram “muito saudáveis” e que o corante não causou danos aos pelos ou à pele dos animais: “Nosso corante foi importado do Japão e é muito caro. Só um tubo de corante custa 800 yuanes (cerca de 453 reais)”.

Ele alegou que gastou 1.500 yuanes (aproximadamente 854 reais) em cada um dos cães para transformá-los.

Ele disse que decidiu comprar seis “cães panda” para a loja, porque Chengdu era conhecida como a cidade natal dos ursos panda e ele “sentia uma conexão especial com o animal”.

Foto: VCG via Getty Images
Foto: VCG via Getty Images

“Embora os cães não sejam pandas de verdade, esperamos que nossos clientes possam experimentar a cultura dos panda em nossa loja”, disse ele. “O corante usado nos cães foi feito sob medida para eles e é 100% seguro. Portanto, compramos o corante e contratamos especialistas para colocá-los nos cães”.

Cães não são produtos para serem pintados por seres humanos conforme sua vontade ou suas aspirações superficiais de transformá-los em seres que não são. Cães são vidas, seres sencientes que amam, sentem, sofrem e compreendem o mundo ao seu redor.

Fantasiá-los ou submetê-los a esses tratamentos artificiais e cruéis por mera vaidade é um atentado à sua dignidade.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Ator e diretor Kevin Smith ensina como ser vegano para pessoas que não gostam de vegetais

Kevin Smith, escrito, ator, diretor e comediante vegano recentemente fez a “Entrevista de Preenchimento Automático” da revista WIRED para responder às perguntas mais pesquisadas da Internet sobre si mesmo. Durante a entrevista, ele discutiu como ser vegano quando você odeia vegetais.

Smith é mais conhecido por escrever, dirigir e estrelar o filme de sucesso cult “Clerks” (1994), assim como “Mallrats” (1995) e outros filmes relacionados no “View Askewniverse”. A maioria dos filmes de Smith apresenta ou faz referência a personagens Jay e Silent Bob, interpretados por Jason Mewes e Smith, respectivamente. Atualmente, Smith está promovendo seu próximo filme “Jay & Silent Bob Reboot”.

Na entrevista à WIRED, Smith discute seu ataque cardíaco sofrido em 2018 e reconhece como o consumo de carne e laticínios contribuiu para que sua saúde ficasse precária até aquele momento. Ele também discute como se tornar vegano teve um efeito transformador em sua saúde física e recuperação.

“A LAD é a artéria que atravessa a parte da frente do seu coração, a minha estava 100% bloqueada pelo colesterol”, diz Smith. “Isso porque eu costumava comer muitos alimentos de origem animal. Eu bebia dois litros de leite por dia”.

Durante sua recuperação pós-operatória, Smith recebeu o apoio de sua filha e também atriz Harley Quinn Smith e afirmou que se alimentar à base de vegetais o ajudou a ficar saudável.

“Depois de um ataque cardíaco, minha filha me incentivou a me tornar vegano”, diz Smith. “Ela era já era vegana por dois, três anos naquele momento. Então ela ficou tipo ‘eu tenho que torna-lo vegano’, e ela fez isso, e eu me tornei vegano”.

Smith explica que, apesar de não gostar de comer vegetais, a combinação de jejum e dieta baseada em vegetais funciona bem para ele. “Eu odeio vegetais, admito que não gosto mesmo”, diz Smith. “É muito difícil ser vegano quando você odeia vegetais e outras coisas assim. Mas o que eu faço agora é adotar o estilo intermitentemente e rápido (de comer vegetais)”.

Veganismo e justiça social

Smith é um defensor do direitos animais, do bem-estar animal e questões de justiça social. Ele é um ativista dedicado e apareceu em um vídeo promocional do Farm Sanctuary com Harley Quinn. O vídeo incentivou os espectadores a se absterem do peru do Dia de Ação de Graças e Smith disse: “Eu nunca vou comer outro peru na vida”.

Smith doa 2 mil dólares por mês à organização sem fins lucrativos Women in Film, no lugar de fundos de seus filmes financiados por Weinstein (produtor americano acusado de assédio sexual). Smith também é co-fundador da The Wayne Foundation; uma instituição de caridade que apoia as mulheres afetadas pelo tráfico e exploração de seres humanos.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More