Destaques

Investigação secreta em granja revela galinhas paraplégicas com ossos e órgãos deformados

Um vídeo feito pela ONG World Animal Protection revelou as condições terríveis em que as aves viviam nas fazendas de criação em Hertfordshire e Shropshire na Inglaterra


 

Foto: World Animal Protection
Foto: World Animal Protection

Imagens fortes e comoventes mostram milhares de galinhas vivendo em condições insalubres, sob intenso sofrimento, em fazendas de criação de aves. A filmagem foi feita por uma ONG de proteção animal.

O vídeo foi filmado pela World Animal Protection em três fazendas da Inglaterra que tem contrato de fornecimento com uma popular rede de restaurantes inglesa: Nando’s.

As filmagens mostram galinhas incapazes de ficar de pé ou andar no chão imundo do local onde ficam presas, milhares de pássaros são vistos apertados em galpões superlotados e pilhas de aves mortas sendo descartadas com uma escavadeira.

Imagens fortes:


Muitas das aves parecem ter penas mal formadas e a World Animal Protection afirmou em seu vídeo que as galinhas de “crescimento rápido” lutavam para “lidar com o crescimento tão grande numa velocidade tão acelerada”.

A ONG revelou que as fazendas em questão, em Hertfordshire e Shropshire, na Inglaterra, são fornecedores da famosa cadeia de restaurantes Nando´s.

Os investigadores da ONG também disseram que os pássaros vistos com as pernas abertas e sem forças debaixo do corpo, eram resultado de distúrbios ósseos e articulares chamados discondroplasia, que afetam o crescimento de ossos e cartilagens.

Foto: World Animal Protection
Foto: World Animal Protection

Também são mostrados no vídeo, galinhas sendo jogadas em baldes após serem mortas por estarem doentes ou não terem crescido rápido o suficiente.

Os funcionários da fazenda podem ser ouvidos em outro vídeo, dizendo que as fazendas são fornecedores da popular rede de restaurantes. Os trabalhadores se referem a milhares de pássaros que deixaram recentemente a fazenda: “eles provavelmente irão ao Nando’s”.

“Os restaurantes geralmente exigem esse tamanho de frango, maior que os normais, frangos de crescimento acelerado”.

A World Animal Protection também revelou que seus investigadores testemunharam trabalhadores balançando pássaros pelo pescoço para matá-los e disseram que muitos estavam sofrendo de vários problemas de saúde por causa de suas gaiolas apertadas e superlotadas.

Foto: World Animal Protection
Foto: World Animal Protection

A World Animal Protection criou uma petição pedindo que, já que não há qualquer intenção de libertar essas aves, que elas sejam mantidas em condições melhores que as atuais.

“A realidade dessas galinhas é que elas cresceram tão rapidamente que sofrerão problemas terríveis de saúde durante suas vidas curtas e miseráveis”, disse a ONG no texto da petição.

“As galinhas criadas em granjas vivem com pernas, corações e pulmões dolorosamente deformados, órgãos que lutam para acompanhar o crescimento artificial acelerado e rápido demais para seu seus corpos”.

“Isso geralmente significa que eles não poderão andar e morrerão prematuramente”.

“As galinhas também são mantidas em condições péssimas, em gaiolas apertadas e superlotadas, com pouco espaço para se mover, impedindo-as de se comportarem naturalmente”.

Foto: World Animal Protection
Foto: World Animal Protection

Um porta-voz da instituição disse ao Daily Mail: “Essa filmagem mostra as condições angustiantes que as galinhas de crescimento rápido enfrentam nas fazendas de criação”.

“As imagens são difíceis de assistir e os consumidores estão se tornando cada vez mais conscientes do sofrimento animal e mudando seus hábitos de consumo”.

“Pedimos para nos encontrar com os responsáveis pelo restaurante para discutir as filmagens, mas eles se recusaram. Por isso, agora sentimos que é importante que o público veja a verdade sobre o que essas aves sofrem”.

Foto: World Animal Protection
Foto: World Animal Protection

“Embora extremamente desconfortável de assistir, esperamos que esta investigação incentive as pessoas a assinar a petição #TheRealCheekyNandos, pedindo aos Nando´s restaurante que suspenda o contrato com essa fazenda”.

“Caso contrário, as galinhas continuarão sofrendo de problemas de saúde catastróficos e viverão suas vidas curtas com dores desnecessárias”.

A única maneira de evitar o sofrimento desses animais (vacas, galinhas, porcos, etc,) criados e explorados para consumo humano, que passam vidas miseráveis, de dor e solidão, submetidos a sofrimentos intensos é adotar uma alimentação vegana.

Animais são vidas, eles sentem, sofrem, criam vínculos e compreendem o mundo ao seu redor e não produtos para serem comercializados.

Foto: View Pictures/REX/Shutterstock
Foto: View Pictures/REX/Shutterstock

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Investigação revela aves deformadas e aleijadas como resultado do crescimento artificial

Foto: Humane League UK
Foto: Humane League UK

A dor e s sofrimento infligidos a frangos criados em fazendas industriais, foram revelados após a divulgação de filmagens feitas em uma investigação secreta.

Vídeos feitos pouco antes da morte das aves mostram que as galinhas estão lutando para andar enquanto suas pernas se dobram e elas desmoronam sob seu peso enquanto batem as asas desesperadamente.

Criados para crescer mais rápido que o normal, eles muitas vezes se tornam coxos, sofrem problemas cardíacos e doenças de pele.

Outros vídeos mostram os animais apertados em gaiolas superlotadas com quase nenhum espaço para se mover, algumas delas pressionadas contra paredes e outros aparentemente em pé uns sobre os outros, enquanto ativistas disfarçados disseram ter encontrado também caixas cheias de cadáveres ou outros animais mortos deixados ali por horas, às vezes durante a noite toda.

As galinhas foram filmadas em fazendas operadas por dois dos maiores fornecedores do Reino Unido, a Hook 2 Sisters em Devon e a Moy Park em Lincoln, cujos clientes incluem cadeias gigantes de supermercados como Tesco, Aldi e Sainsbury.

Foto: Humane League UK
Foto: Humane League UK

Cenas “foram consistentes com a dor significativa que esses animais convivem”, disse Andrew Knight, professor de bem-estar animal e ética, e diretor fundador do centro de bem-estar animal da Universidade de Winchester.

Ele acrescentou que as imagens da Moy Park mostraram “frangos criados por sua carne com problemas sérios de mobilidade”.

“Uma filmagem de animais em colapso, sobrecarregados pelo seu próprio peso é descoberta praticamente toda semana”, disse o CEO da Open Cages, Connor Jackson, que divulgou os vídeos secretos.

Foto: Humane League UK
Foto: Humane League UK

Os animais pertencem a raças muito específicas chamadas Ross 308 e Ross 708, as raças de frango de crescimento rápido mais comuns, que segundo a Open Cages representam cerca de 70% de toda a produção de carne de frango na União Europeia.

As galinhas de crescimento rápido foram selecionadas artificialmente ao longo dos anos para que os frangos criados por sua carne crescessem de maneira não-natural, permitindo que os agricultores maximizassem os lucros.

As aves podem levar cerca de 35 dias para atingir o peso alvo para que sejam mortas 2-2,5 kg, enquanto no crescimento normal pode levar até 70 a 90 dias, segundo um relatório da Comissão Europeia de 2016.

Foto: Humane League UK
Foto: Humane League UK

O relatório disse que as taxas de crescimento de frango quadruplicaram em apenas 60 anos, com as aves demorando apenas 30 dias para alcançar o peso de 1,5 kg hoje – em comparação com os 120 dias da década de 1950.
“Se as pessoas crescessem tão rápido, uma criança de cinco anos pesaria 150 kg”, disse Jackson.

A taxa de crescimento extraordinariamente rápida das galinhas pode fazer com que seus corpos prematuros tenham dificuldades para lidar com o peso.

O relatório afirma que anormalidades nas pernas, doenças de pele e má estrutura óssea são comuns entre as galinhas de crescimento rápido, enquanto a causa mais comum de morte é a síndrome da morte súbita (SDS), que ocorre quando o frango não consegue absorver tanto oxigênio como seu corpo superdimensionado requer.

Foto: Humane League UK
Foto: Humane League UK

“Infelizmente, esta filmagem é um reflexo da criação industrial de frangos, onde a demanda por crescimento rápido – alcançando o maior rendimento de carne no menor tempo – continua a ser o foco principal”, disse a RSCPA em um comunicado. Knight, o veterinário, disse que as galinhas nas fazendas também estavam “muito apertadas em gaiolas lotadas” e incapazes de exercer comportamentos naturais.

“Nossas câmeras expuseram o sofrimento grosseiro presente nas fazendas de criação de aves social – condições severas e precárias, abuso e deformidades”, disse Palmer. “Muitas galinhas ‘de crescimento normal’ nem vêem o exterior. Não há maneira humana de cultivar frangos nessa escala atual. ”

Ela diz que a única maneira de impedir isso é que os consumidores escolham produtos veganos e que os governos parem de subsidiar a indústria e apoiem os agricultores em seu movimento em direção a um sistema alimentar baseado em vegetais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More