Destaques

Acusado de torturar pit bull é preso nos Estados Unidos

Homem é preso após investigação de dois meses por queimar, espancar e cortar ao meio a língua de um pit bull, no pior caso de maus-tratos a animais já vistos por responsáveis de resgate animal.

Dois meses depois de ter encontrado o pit bull espancado, torturado e já morrendo de fome em Quinc, perto de Boston, a polícia diz ter um suspeito do caso.

Radoslaw Czerkawski, 32 anos, compareceu esta tarde em New Britain, Connecticut, ao Superior Tribunal de Justiça, e foi colocado sob custódia dos policiais de Quincy, após uma breve audiência.

Czerkawski foi inicialmente chamado de “pessoa de interesse” no caso, mas a polícia de Quincy afirmou, depois de sua aparição no tribunal de Nova Inglaterra, que ele vai ser acusado de 11 crimes de crueldade animal. Cada uma dessas acusações tem uma pena máxima de prisão por cinco anos, se for condenado.

Um tradutor foi necessário porque Czerkawski só fala polonês.

Preso: Radoslaw Czerkawski foi considerado como fugitivo em uma acusação da Justiça de New Britain, Connecticut. A polícia de Massachusetts acredita que ele pode estar envolvido no caso de abuso do cão.
Preso: Radoslaw Czerkawski foi considerado como fugitivo em uma acusação da Justiça de New Britain, Connecticut. A polícia de Massachusetts acredita que ele pode estar envolvido no caso de abuso do cão.

“Enviamos detetives para falar com ele sobre seu envolvimento no caso”, disse o policial de Quincy, Capitão John Dougan.

Ele foi encontrado no hotel La Quinta na manhã de quarta-feira, disse a polícia, e apareceu no Superior Tribunal de New Britain hoje cedo para iniciar seu processo de volta para Massachusetts, já rendido.

A acusação contra Czerkawski é o primeira ponto significativo na investigação.

Está previsto que ele será indiciado amanhã na Corte do Distrito de Quincy, sob a acusação de enganar a investigação policial. Outras acusações são “possíveis”, acrescentou a polícia.

Esse pit bull de dois anos foi encontrado com ferimentos terríveis.
Esse pit bull de dois anos foi encontrado com ferimentos terríveis.

“Temos um suspeito no caso acusado de enganar uma investigação policial, e nós estamos enviando detetives para falar com ele sobre o seu envolvimento”, afirmou o Capitão John Dougan, da polícia de Quincy, esta manhã .

Policiais passaram semanas seguindo pistas das pessoas que tutelaram o cão, que havia sido colocado para adoção, ao menos uma vez, através de anúncios da Craigslist, por uma mulher que tinha sua guarda no ano passado.

“Essencialmente, temos uma pessoa que tem conhecimento do caso, e os detetives vão questioná-la”, disse Dougan. “Esperemos que respondam a algumas perguntas de modo a encaixar as peças do quebra-cabeça”.

Cãozinho Doe pesava apenas 8 quilos e foi esfaqueado, queimado e torturado.
Cãozinho Doe pesava apenas 8 quilos e foi esfaqueado, queimado e torturado.

A polícia e grande parte do público foram à caça do suspeito desde que a pit bull fêmea foi encontrada em 31 de agosto, perto de um parque local.

A polícia de Quincy, Massachusetts, a Liga de Resgate Animal de Boston e do Gabinete do Procurador do Distrito de Norfolk em Massachusetts estão investigando.

“Tenha certeza de que estas três agências estão trabalhando em conjunto para identificar e responsabilizar a pessoa ou pessoas responsáveis ​​pela tortura da cadela Doe. É altamente improvável que este nível de crueldade sádica para com um animal não seja parte de um padrão envolvendo outros animais ou talvez pessoas vulneráveis” disse o Procurador Michael Morrissey do ​​distrito de Norfolk, em um comunicado.

O cão de dois anos de idade, encontrado perto de um parque de Massachusetts, havia sido espancado, queimado, submetido à fome e esfaqueado nos olhos, no que foi descrito como tortura “medieval”.

Trabalhadores de resgate de animais descreveram os ferimentos infligidos no pit bull, incluindo um corte profundo na língua para dar-lhe a forma de serpente, como os piores que já tinham visto.

Veterinários da Liga de Resgate Animal de Boston que trataram a cadelinha disseram que estava muito magra e pesava a metade do que seria esperado para um animal de dois anos de idade.

Natureza doce: Apesar de ter tido seus ossos quebrados, as vértebras esmagadas e outros ferimentos, a pit bull foi amigável.
Natureza doce: Apesar de ter tido seus ossos quebrados, as vértebras esmagadas e outros ferimentos, a pit bull foi amigável.

A língua da cadelinha tinha sido dividida de propósito. Ela também tinha sido queimada no nariz, esfaqueada no olho, e espancada tão severamente que ela mal conseguia andar.

Quando foi encontrada pela primeira vez, pensava-se que ela tinha sido atropelada por um carro, mas a verdadeira natureza de seus ferimentos logo veio à tona.

A veterinária Martha Smith- Blackmore ficou tão chocado com a extensão do abuso que ela teve que ir embora e dar uma pausa de seu trabalho enquanto examinava o corpo da cadelinha.

“Suas articulações foram separadas como em tempos medievais”, disse ela. “Ela foi espancada, esfaqueada, queimada ao longo de semanas a meses e, talvez, toda a sua vida. E não podia andar”.

O veterinário acrescentou: “Quando eu vi o quão vulnerável ela era e eu entendi imediatamente a duração do seu sofrimento, meu coração entrou em colapso.”

Tortura: As pernas da cadelinha foram separadas repetidas vezes.
Tortura: As pernas da cadelinha foram separadas repetidas vezes.

A indignação pública vem ajudando o departamento de polícia com uma série de informações no rastreamento o autor, juntamente com milhares de dólares que haviam sido conseguidos como recompensa.

A Liga de Resgate Animal de Boston ofereceu US $ 5.000, seguida pela Liga de Defesa da Califórnia que ofereceu até US $ 2.000. A PETA, Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais ofereceu outros US $ 5.000, e o Resgate Segunda Chance de Nova York arrecadou US $ 11.000 para informações.

A Liga de Resgate Animal também levantou 35.000 dólares a ser investido na investigação deste e de outros casos de abuso de animais.

A história criou grupos no Facebook que se transformaram em uma enorme onda de indignação e tristeza, e resultou em uma vigília realizada por “Puppy Doe”.

A veterinária Martha Blakmore-Smith diz que estava com o coração partido pelo extensão do abuso que a cadela sofreu.
A veterinária Martha Blakmore-Smith disse que estava com o coração partido pelo extensão do abuso que a cadela sofreu.

Apesar de não haver evidência de interferência sexual, o que a veterinária afirmou poder existir em tais casos de abuso, as articulações da cadela tinham sido separadas repetidamente.

Apesar da dor e do sofrimento que a cadelinha Doe claramente tinha experimentado em sua curta vida, o pessoal do centro de resgate, disse que ela era doce e bem humorada.

“Poucas horas depois de ser encontrada, já tinha medicação para dor, comida e amor. Ela experimentou um pouco de ternura e um pouco de cuidado no final de sua vida”, disse a Dra. Smith-Blackmore , acrescentando que os ferimentos da cadelinha eram tão graves que ela sentiria sempre dor, se tivesse sobrevivido.

Além das queimaduras e marcas de facada, as vértebras da cadelinha tinham sido esmagadas por golpes de um taco de beisebol ou de uma tábua.

​Read More
Notícias

Indignação sobre o abuso a “Puppy Doe” cresce nos Estados Unidos

Por Claudia Braghetto (da Redação)

A nova tutora de Kiya se livrou dela alguns meses depois, aparentemente, porque não a queria mais ou não poderia cuidar dela. De alguma forma, Kiya acabou nas mãos de monstros. (Foto: Reprodução)
A nova tutora de Kiya se livrou dela alguns meses depois, aparentemente, porque não a queria ou não poderia mais cuidar dela. (Foto: Reprodução)

Esta doce e pequena filhote de pit bull malhada e branca já teve um nome. Ela agora é conhecida para o mundo como “Puppy Doe”, mas antes era chamada de Kiya e era amada. Quando o proprietário do imóvel decidiu que sua tutora não poderia ficar com um filhote de pit bull, entretanto, um anúncio na Craigslist (rede de anúncios gratuitos online) permitiu que Kiya encontrasse um novo lar. Foi neste instante em que a verdadeira tragédia começou a se desenrolar.

A nova tutora de Kiya se livrou dela alguns meses depois, aparentemente, porque não a queria ou não poderia mais cuidar dela. De alguma forma, Kiya acabou nas mãos de monstros.

No dia 23 de agosto, um transeunte achou Kiya abandonada próximo a um parquinho na cidade de Quincy, Massachusetts. Ela mal estava viva e sofreu tantos abusos que não conseguia andar. As autoridades a apelidaram de “Puppy Doe”.

Puppy Doe havia sido torturada. Ela tinha sido “estirada”, que é um estilo medieval de tortura que estica os membros até que eles sejam separados das articulações. Seu pulso, tornozelo e ossos do cotovelo foram separados das articulações, e um osso da perna quase foi quebrado ao meio.

É Assim Que Assassinos em Série Começam

“É altamente improvável que uma crueldade sádica deste nível seja direcionada a um animal e não seja parte de um padrão envolvendo outros animais ou talvez pessoas vulneráveis”, disse o promotor de Norfolk, Michael W. Morrissey, em um comunicado a imprensa sobre este caso.

“Eu falei com o Chefe da Polícia de Quincy, Paul Keenan, e nós dividimos um senso de urgência aqui, assim como a Liga de Resgate Animal [de Boston]”, acrescentou Morrissey. “É prudente proceder como se o criminoso, ou criminosos, tivessem seguido em frente e estão agora apontando esta violência e crueldade para outro alvo e precisam ser impedidos”. Um promotor com experiência e treinamento em casos de crueldade contra animais estará trabalhando com ajuda da polícia nessa investigação.

“Os oficiais estão absolutamente corretos. Quem cometeu este abuso precisa ser encontrado e detido assim que possível. Quem cometeu o crime fará isso novamente a outros animais, e eventualmente a humanos também. Pessoas não cometem atrocidades como essa apenas uma vez”.

Paranoia de Pit Bull e Craigslist – Uma Combinação Letal

Parece que uma combinação de preconeito contra pit bulls e ingenuidade em relação à realojamento de cães através de Craigslists foi a culpada por colocar Kiya no caminho do mal.

“Ninguém estava disposto a alugar uma residência para uma pessoa com um pit bull e mais dois cães. Nós procuramos por quatro meses”, contou a primeira tutora de Kiya ao Boston Herald. “Nós até oferecemos ao proprietário mais dinheiro”. Ela ficou horrorizada ao descobrir o que tinha acontecido ao seu cão. Ela pensava que Kiya estava feliz em um novo lar e não sabia que ela havia sido repassada para pessoas desconhecidas.

Respondendo às críticas em continuar permitindo anúncios de animais para adoção na Craigslist, o CEO Jim Buckmaster disse que não irá colocar um fim a esses anúncios. Ele disse em seu blog que a Craiglist tem sido uma forma dos próprios voluntários de abrigos de animais encontrarem novos lares para os cães abandonados que eles cuidam. Segundo o CEO, as listas de anúncios do Craiglist evitam tomadas de decisão contra o bem-estar animal, como o confinamento por tempo prolongado e a morte.

Esses anúncios, sem dúvidas, encontram bons e novos lares para muitos animais em casos em que as pessoas fazem um esforço e tomam alguns cuidados. Mas não, a resposta de Buckmaster não é satisfatória, pois sempre haverá muitas pessoas indiferentes por aí que irão oferecer animais apenas para tirá-los de casa e de suas mãos.

As adoções de sucesso da Craigslist prevalecem sobre as histórias de terror? Temos alguma forma de saber?

“Puppy Doe” Inspira Vigília, Recompensas e Legislação

Amantes de cães por todo o país, com seus corações despedaçados, estão encenando vigílias para lembrar Kiya. Centenas apareceram em Boston no dia 28 de setembro.

Organizadores estão se preparando para uma enorme vigília na cidade de Nova Iorque no dia Nacional de Conscientização sobre Pit Bulls, no sábado, dia 26 de outubro, das 17h às 20h.

Senador no estado de Massachusetts, Bruce Tarr, propôs uma legislação em seu estado chamada de Protecting Animal Welfare and Safety (PAWS), que aumentaria as penalidades dos condenados por abusos a animais e criaria um cadastro de criminosos para prevenir os condenados de terem a guarda de animais domésticos.

Não faltam recompensas por informações que levem à prisão e condenação dos responsáveis por este crime devastador. A Liga de Resgate Animal de Boston está oferecendo cinco mil dólares, o Fundo de Defesa Animal está oferecendo dois mil e os abrigos Misty’s Journey/Second Chance estão oferecendo onze mil, para citar alguns.

Se você tem interesse em acompanhar o progresso do caso Puppy Doe, curta a página “Justice for Puppy Doe” no Facebook.

​Read More