Notícias

Publicitários usam a internet para estimular a adoção de cães

Alguns publicitários da Fischer+Fala adotaram virtualmente alguns cães que estão aos cuidados do canil mantido pela UIPA (União Internacional de Proteção aos Animais), cliente da agência, e criaram perfis para eles no Facebook, na tentativa de facilitar a adoção e ao mesmo divulgar a causa da entidade.

Foram criados perfis para dez cãezinhos, selecionados pela UIPA entre os que precisam de adoção com mais urgência, por serem especiais ou não terem sido aceitos pelos outros cães. Os perfis são administrados por alguns publicitários da agência, e falam em nome deles na rede social.

A ideia é que as pessoas adicionem esses cãezinhos como amigos e, em seguida, os sugiram para seus conhecidos. Há 3 formas de ajudar: adotá-los, fazer uma doação a partir de R$ 20 ou sugeri-los como amigos para sua rede.

Também foi criada uma ação com 3 cartazes que subvertem o uso da conhecida mensagem “procura-se cão perdido” para divulgar uma mensagem inversa: “Procuro um dono. Recompensa-se bem”. Eles podem ser vistos na mídia indoor de cerca de 50 estabelecimentos de São Paulo (SP), além de pet shops e salões de beleza.

Alguns cães no Facebook: Bianca Lin, Billy Pereira, Charlote Ferri, Luck Guerra, Magali Magra Lee Pottker e Spirro De Jesus Ferri.

A criação da campanha é de Daniela Ribeiro e Marcos Oliveira, com direção de Flávio Casarotti, Pedro Cappeletti, Rafael Merel e Marcelo Fedrizzi.


Fonte: Cidade Biz

​Read More
Notícias

Blog e Twitter ajudam cachorro perdido a reencontrar tutores em SP

Foto: Reprodução/ cademeudono.tumblr.com
Foto: Reprodução/ cademeudono.tumblr.com

Mesmo sem saber teclar, o cachorro chamado Guga ficou famoso na internet após ganhar o blog “Cara, cadê meu dono?” e milhares de seguidores no Twitter ávidos por descobrir quem era o guardião da criaturinha fofa, educada e limpinha que carregava apenas uma coleira vermelha sem identificação.

Guga foi achado na manhã de sábado, dia 26 de setembro, quando estava perdido perambulando pela Rua Cardeal Arcoverde, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. Ele chamou a atenção da administradora de empresas Carolina Gradim, que passeava com a sua cachorrinha.

Carolina assumiu então a guarda temporária do cachorro, circulou com ele por alguns pet shops da redondeza na esperança de que alguém o reconhecesse. Sem sucesso, Guga foi para a casa da administradora, e três dias depois foi parar na agência de publicidade onde trabalha Tharso Vieira, cunhado de Carolina.

Foi na agência que a sorte de Guga mudou e ele ganhou uma força-tarefa destinada a encontrar o seu guardião por meio das redes sociais. “Foi um fuzuê quando ele chegou. Ninguém conseguia trabalhar”, relembra Vieira.

No blog, Guga se apresentava: “Eu tenho nome, claro, mas não conto para ninguém. Sou branquinho e champagne. As pessoas aqui não sabem exatamente minha raça, mas já os ouvi falando que pareço meio poodle e meio vira-lata”. Como precisavam dar um nome ao novo animal de estimação, o grupo o apelidou de Boeing. “Tentamos vários nomes, de Zeca, de Áquila, mas quando falei Boeing, ele atendeu”.

Em menos de 24h, o blog e o Twitter de Guga bombaram. “Foram mais de 1.000 e-mails em menos de um dia”, relembra o publicitário Tharso Vieira, um dos membros da força-tarefa. “As mensagens eram as mais variadas. Tinha gente que dava parabéns pela iniciativa, que dizia que era o tutor do cachorro e tinha até um dizendo: ‘Roubaram o meu Opala, me ajudem a encontrar”.

Vieira conta que o medo do grupo era que o cachorro tivesse sido abandonado em vez de estar simplesmente perdido. Mas, três dias depois que o blog entrou no ar, chegou um e-mail que chamou a atenção do grupo.

Na mensagem, a remetente dizia que o animal poderia ser dos tios dela e dava o verdadeiro nome do bicho. “Quando chamamos ele de Guga, ele surtou”, relembra o publicitário. “Ela falou até de uma alergia que ele tem perto do rabo”, detalha. Confirmada a descrição do e-mail, foi marcado um encontro para o dia seguinte, a segunda-feira (5).

“Ela dizia: ‘Vocês podem fazer um teste. É só deixar o Guga na mesma rua que ele vai saber o caminho”, conta Vieira. A certeza de que haviam reencontrado os tutores de “Boeing” – já rebatizado de Guga – veio quando os outros dois cachorros da casa dele “surtaram” ao rever o amigo.

Guga é de um casal de idosos que mora na Vila Romana, na Zona Oeste de São Paulo. Pelos cálculos da força-tarefa, ele deve ter andado cerca de 5 km completamente desorientado. “A gente ficou muito emocionado em devolvê-lo. Ganhamos até uma cesta cheia de guloseimas do casal”.

As aventuras de Guga foram documentadas no blog, com direito a vídeo de reencontro e final feliz. Vieira conta que a agência está um pouco vazia, mas ficou a sensação de dever cumprido.

Fonte: G1

​Read More