Notícias

Dia do Fogo: grupo contratou motoqueiros e motosserras para desmatar e incendiar floresta

Motoqueiros e motosserras foram contratados para desmatar e incendiar a florest amazônica no Pará. A contratação foi feita pelos participantes do grupo responsável por planejar e executar o “Dia do Fogo”, quando áreas de floresta em Novo Progresso e Altamira, no Pará, foram incendiadas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e sua política de desmonte da agenda ambiental.

(Bruno Kelly/Reuters)

Os motoqueiros atearam fogo no capim seco dos acostamentos da BR-163 no dia 10 de agosto. De acordo com o portal Globo Rural, no início do mesmo mês diversas áreas de proteção ambiental foram atacadas por pessoas portando motosserras.

“Primeiro se desmata, depois vem o fogo. Tudo foi planejado. Ninguém ficou sem serviço’, relevou um operador de motosserra que preferiu não ser identificado.

O “Dia do Fogo”, segundo o portal, foi planejado através do WhatsApp. A convocação para a execução do plano veio de um grupo batizado de “Sertão” que reúne 80 membros entre grileiros, garimpeiros e fazendeiros da região de Novo Progresso e Altamira. Esse grupo nasceu dentro de outro grupo, o chamado “Jornal A Voz da Verdade”, criado em 2016 e que tem 246 participantes ativos.

Após a denúncia feita pelo Globo Rural, um inquérito foi aberto pela Polícia Federal para investigar o caso.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Onça morre atropelada na BR-262

Foto: Divulgação PRF
Foto: Divulgação PRF

Na manhã de quarta-feira (30), por volta das 7 horas, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) localizou uma onça-parda jovem, já morta, às margens da BR-262, na altura do km 24. O animal apresentava ferimentos e outros sinais evidentes de que havia sido atropelado. Não houve registro de ocorrência de algum condutor que tivesse atropelado e assassinado o animal silvestre, comum naquela região, nas imediações do Distrito de Arapuá, segundo informou a nota da PRF.

O animal morto foi encaminhado ao quartel do Pelotão da Polícia Militar Ambiental (PMA), para as providências cabíveis.

Também chamada de suçuarana, puma, jaguaruma, a onça-parda atinge grande porte e é predadora de gado e outros animais da região do Arapuá.

Hábil predadora, usa a tática da emboscada para atacar ovelhas e cabras, bezerros e galinhas – que, aprisionados por criadores, não podem se defender. Perseguida por produtores rurais, a onça-parda está na lista dos animais em extinção.

Com Informações do Jornal do Povo

​Read More