Notícias

Substituição de gorduras animais por gorduras vegetais diminui risco de mortes prematuras

Consumir gorduras à base de vegetais ao invés de gorduras à base de animais pode reduzir o risco de doenças cardíacas e outras causas de morte prematura, aponta um novo estudo da American Heart Association.

Foto: Livekindly

A pesquisa acompanhou 63.412 mulheres e 29.966 homens ao longo de 22 anos. No total, houve 20.672 mortes, sendo que 4.588 foram causadas por doenças cardíacas.

Após analisarem os dados e as dietas dos participantes, os pesquisadores descobriram que as pessoas que mais ingeriam  gorduras de origem animal tinham um risco 21% maior de morte prematura. Para aquelas com maior consumo de gorduras vegetais, o risco foi 16% menor. Foi revelado que a substituição da gordura animal pela vegetal reduz o risco de morte por doenças cardíacas e outras doenças de 24% a 26%.

Nozes, sementes, abacates e óleos vegetais são fontes de gorduras vegetais citadas pelo documento e são alternativas mais saudáveis às gorduras animais, como laticínios, ovos, carne e peixe.

“Nossos resultados enfatizam a importância da fonte e a quantidade de ácidos graxos mono-insaturados na dieta.  Precisamos comer mais ácidos graxos mono-insaturados de fontes vegetais e menos ácidos graxos mono-insaturados de origem animal”, declarou no relatório Marta Guasch-Ferre Ph. .D., uma das líderes do estudo.

As gorduras vegetais não são as únicas que diminuem o risco de doenças cardíacas, mas também as proteínas vegetais. Um estudo de dezembro de 2017 informou que a substituição da proteína animal pode causar uma queda significativa no risco de doença cardíaca, revela o Livekindly.

“Existe uma oportunidade real para realizar pequenas mudanças em nossas dietas e perceber os benefícios para a saúde. Temos observado um grande interesse em dietas vegetais desde as mediterrâneas a vegetarianas no supermercado e na clínica e esta análise deixa-nos mais confiantes de que essas dietas são saudáveis para o coração”, explica Sievenpiper, que liderou a análise da pesquisa sobre proteínas vegetais.

​Read More