Você é o Repórter

Protetora pede preces para salvar cachorrinha resgatada desnutrida e muito fraca, no RS

Sinara Foss
sinara@sinarafoss.com

Este anjo estava quase em frente a minha casa hoje, quando cheguei da rua. Foi umas das cenas mais triste que já vi nos resgates que faço… a respiração fraquinha, tentando dar uns passinhos. Se deitou em baixo de um carro sem nenhuma esperança nos olhinhos.

Como pode uma criaturinha chegar nesse estado? Não sei de onde ele veio mas agora está na Tia Vivi, na clínica Centro de Estética e Saúde Animal, no Lindóia (Porto Alegre/RS), onde estão também o Floquinho, Branco, Alemoa, Maria e mais uma turminha.

É uma menininha, ainda nem tem um aninho, vocês acreditam? Vejam o olhar do anjo. A Vivi ficou pasma, caíam sobre a mesa centenas e centenas de carrapatos. Pessoal, não estou exagerando, eram centenas mesmo a ponto da própria veterinária se comover demais.

Está com bichos de pé, tomada de sarna, desnutrida, febre… pobre anjo. O estado dela é tão ruim que nem banho poderá tomar no momento. A Vivi começou medicação entre comprimidos e injeções. Vai fazer exames também.

Antes de eu pedir ajuda financeira, casa de passagem, madrinha ou padrinho, amigos… peço com muita devoção pra vocês, para que REZEM pra este anjo sobreviver. É apenas um bebê indefeso. Foi dado a ela o nome de VITÓRIA, pois saindo dessa, não terá palavra melhor pra defini-la.

Desculpem a má resolução das fotos, foram tiradas do meu celular.

Contato:

Clínica – (51) 3013-5696
Rose – (51) 9860-1824
Porto Alegre RS

​Read More
Notícias

Centenas de budistas rezam por animais que foram enterrados vivos na Coreia do Sul

Budistas homenageiam animais mortos (Foto: Reprodução/AP)

Centenas de monges budistas sul-coreanos ofereceram preces nesta quarta-feira (19) para 1,98 milhão de vacas, porcos e outros animais sacrificados sob a justificativa humana de tentar conter a pior epidemia de febre aftosa no país. Os porcos foram enterrados vivos, conforme informações da PETA.

Os budistas enfrentaram temperaturas abaixo de zero para realizar o ritual no Templo Jogye, sede da Ordem Jogye, maior seita budista da Coreia do Sul.

Alguns monges ajoelharam na grama, diante de fotos de animais, e ofereceram crisântemos –um tradicional símbolo de luto no país. Eles ajoelharam ainda diante de duas estátuas douradas de Buda e queimaram incensos pelos animais.

Foto: Reprodução/AP

A Coreia do Sul ordenou o sacrifício de diversos animais, entre vacas, porcos e cabras, em 4.155 fazendas desde que detectou o primeiro surto, em 29 de novembro. A doença se estendeu para cinco províncias do país.

A Coreia do Sul sofreu uma epidemia de febre aftosa há dez anos. A doença voltou a ser registrada no ano de 2002 e no início de 2010, antes do surto de novembro.

A luta contra a febre aftosa na Coreia do Sul coincide com o surgimento de 26 casos de gripe aviária no leste e sudoeste do país, lugares em que, desde dezembro, foram sacrificados 3,57 milhões de frangos e patos, indicou a agência sul-coreana.

Com informações da 24HorasNews

Nota da Redação: Todas essas mortes teriam sido evitadas se o ser humano não estivesse desnaturalizando, explorando e confinando animais, para em seguida cometer a atrocidade final: massacrando-os pela doença que nós mesmos criamos. Quanto mais o veganismo se expandir, menor será o consumo e mais vidas serão poupadas.

​Read More