Notícias

Projeto piloto de castração de animais é aprovado por população

Fazer o controle da população de cães e gatos da cidade, diminuindo os riscos de doença, acidentes e abandono foi o principal objetivo de um projeto testado pela Secretaria Municipal de Saúde de Arujá no último sábado, 12.

O projeto piloto de castração aconteceu no bairro Jardim Via Dutra e parte do Copaco, atendendo 54 animais (9 cães machos e 18 fêmeas, 11 gatos e 16 gatas). Os tutores dos bichos aprovaram a iniciativa, que será estendida para toda a cidade em 2010.

Foto: Reprodução/ Jornal da Cidade de Arujá
Foto: Reprodução/ Jornal da Cidade de Arujá

Para realizar o mutirão de cirurgias, a Secretaria de Saúde fez uma parceria com a empresa Veterinários na Estrada, que há um ano desenvolve esse trabalho em municípios de todo o País. Além de realizar as castrações, a equipe também ensina a técnica utilizada aos veterinários da Secretaria da Saúde. O método, por sinal, é muito simples, rápido e permite que o animal se recupere em poucas horas.

De acordo com a supervisora da Vigilância Sanitária e Zoonoses da Secretaria de Saúde, a veterinária Nanci Cordeiro Prianti, antes do mutirão foi necessário o pré-cadastramento dos animais e o agendamento da cirurgia: “Os tutores foram orientados a deixá-los em jejum no dia anterior à cirurgia. E se, no dia, eles apresentassem diarreia ou febre não poderiam ser castrados”. Os resultados do programa piloto, segundo ela, agora serão usados na montagem do programa em toda a cidade.

Benefícios

Em qualquer município, o controle da população de animais errantes (aqueles que vivem nas ruas) é essencial para a comunidade. De acordo com uma das proprietárias da Veterinários na Estrada, Amélia Margarida, soltos, eles disseminam vermes, sarna e zoonoses importantes como raiva e outras.

Além disso, há os riscos de acidentes: “Uma fêmea no cio atrai dezenas de machos que ficam andando pelas ruas por entre os carros. A possibilidade de um motorista bater o veículo por causa disso sempre existe”. Outro fator apontado pela veterinária é o abandono dos animais nas ruas pelos tutores.

Amélia lembra que o cachorro macho não castrado marca seu território urinando pela casa, no quintal, no carro da família. Os gatos brigam demais com outros machos pela disputa da fêmea, além de fazerem o tão conhecido barulho à noite: “São comportamentos que a família muitas vezes não tolera e acaba se livrando do bicho. A castração diminui demais esse problema”. A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Mirian Miletti, acrescenta que os problemas causados pela falta de controle de natalidade da população de cães e gatos oneram os cofres públicos.

Estrutura

A secretária municipal de Saúde, Dagmar Corato, salienta que, para 2010, a realização do projeto já está garantida: “Montar esse projeto piloto ainda este ano era uma questão de honra para nós. Com a parceria com a Veterinários na Estrada nós estamos otimizando o atendimento e reduzindo o custo para o município”.

O projeto também mostra, segundo a secretária, a preocupação da administração com a questão das zoonoses no município e o investimento que está sendo feito: “Além da continuidade dos mutirões, teremos a construção de um canil municipal, com melhor estrutura de trabalho para a equipe de Controle de Vetores e Zoonoses e, consequentemente, melhor atendimento à população”.

Fonte: Jornal da Cidade de Arujá

​Read More