Notícias

Aumenta infecção pela febre amarela em macacos em Santa Catarina e no Paraná

dMz/pixabay

O Paraná e Santa Catarina registraram aumento no número de macacos infectados pela febre amarela. Juntos, os estados sulistas concentram praticamente 99% de todas as notificações confirmadas de epizootias – isso é, óbitos ou adoecimentos de macacos infectados pela doença.

O Ministério da Saúde informou o registro de 867 epizootias, de julho de 2017 a junho de 2018, em seis estados. São eles: Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins. De 2018 a 2019, foram 126 casos notificados pelos estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina e São Paulo.

De julho de 2019 a maio de 2020, apenas Paraná, Santa Catarina e São Paulo registraram a doença em macacos, com 348 casos. Um aumento de 180% em comparação ao período epidemiológico anterior, embora ainda faltem dois meses para o final do atual período.

Santa Catarina registrou 54 casos de julho de 2019 até o início de maio de 2020. Entre 2018 e 2019, foram quatro casos e nenhum de 2017 a 2018.

Entre julho de 2019 e o último dia 8 de maio, 287 adoeceram ou morreram em decorrência da doença no Paraná. Outros 89 casos estão sendo investigados e 423 ainda não tiveram amostras colhidas para análise. Ainda assim, o número de casos confirmados é superior ao registrado nos anos anteriores. Foram 49 epizootias de julho de 2018 a junho de 2019 e nenhum registro de julho de 2017 a junho de 2018.

Os dados surpreenderam o professor Fernando de Camargo Passos, do Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná. “É surpreendente esse grande número de casos no Paraná. Ainda que já estivéssemos prevendo um avanço da febre amarela [entre macacos] no estado, pois a doença, que já tinha atingido outros estados antes de vir em direção ao Sul, agora avança em ondas entre estes animais [no Paraná]”, disse o pesquisador, em entrevista à Agência Brasil.

O especialista lembrou que o macaco não transmite a doença, que é repassada a animais e humanos através da picada de mosquitos de dois gêneros (Haemagogus e Sabethes) que costumam viver na copa das árvores.

“Já houve casos de pessoas matarem ou maltratarem os animais por achar que podem ser responsáveis pela transmissão da febre amarela, o que não é verdade”, alertou o pesquisador.

Maltratar e matar animais é crime ambiental, passível de multa e detenção de até um ano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Adoção cai e abandono de animais aumenta durante pandemia em Londrina (PR)

O número de interessados pela adoção de animais caiu em Londrina (PR) durante a pandemia de Covid-19. A quantidade de cães e gatos abandonados, porém, cresceu. A razão é a crise financeira gerada pelo vírus e a desinformação ocasionada pela divulgação de notícias falsas que afirmavam que os animais transmitem a doença, o que não condiz com a realidade.

Chepearroyo/Pixabay

“O pedido de resgate de animais com tutor aumentou consideravelmente, foi uma explosão, muitos acreditam que os animais são vetores da Covid-19″, comentou Bruna Reche, voluntária da ADA (Associação Defensora dos Animais), em entrevista ao portal Folha de Londrina.

A crise financeira também piorou o cenário. “Eu vi gente pedindo ajuda para dividir ração, vi pet shop fazendo campanha, a gente tem tantos protetores em Londrina, padrinhos e madrinhas e isso tem ajudado, porque é um ser vivo e abandono e maus-tratos são considerados crimes”, disse. Cerca de 60 denúncias de abandono diárias são feitas à entidade por meio das redes sociais.

A SOS Vida Animal passa pela mesma situação. “O que era ruim, piorou. As pessoas estão abandonando mais e as poucas que ajudavam na causa animal, infelizmente, por medo do que será o futuro financeiro, cessaram suas contribuições”, afirmou Mônica Maroca, presidente da organização.

A entidade recebe de 80 a 100 pedidos de ajuda diariamente. “Maioria pedindo para buscar o animal”, explicou. Esse aumento nas solicitações de auxílio faz a presidente temer que o abandono aumente mais do que já aumentou. “Já está acontecendo, a pessoa não saber o que dar de comer ao bichinho, prefere abandonar”, lamentou.

A crise também reduz as adoções e a ajuda financeira. “Está mais difícil, a gente não consegue doar os animais, porque as pessoas não vão querer o cachorrinho nessa incerteza”, afirmou Maroca. “Não temos um número elevado de doação em dinheiro, o recurso que temos vem do sistema do Nota Paraná, que suspendeu os sorteios e também a arrecadação do cupom fiscal diminuiu, com tudo fechado, nós ficamos com o recurso muito reduzido”, completou.

A ADA também se sustenta com doações e através da Nota Paraná. “Primeiro que as pessoas estão preocupadas se vão ter dinheiro. Segundo, nessa linha de quem podemos ajudar, os animais ficam em segundo plano, infelizmente. Não que seja ruim ajudar outras pessoas, mas a gente tem seres vivos também e eles ficam em segundo plano nas doações nesse momento de pandemia”, concluiu Reche.

Nota da Redação: Cães e gatos não pegam nem transmitem o covid-19. Eles podem apenas pegar as versões canina e felina do coronavírus que não são transmissíveis aos humanos, segundo o que  atestam veterinários do mundo todo. O cão de Hong Kong que a princípio mostrou em exames ter “vestígios” da covid-19, morreu dois dias depois de ser constatado, por meio de testes mais complexos, que ele não portava o coronavírus humano. Ele era um cão idoso, com 17 anos, e os próprios especialistas de Hong Kong declararam que ele deve ter morrido devido ao estresse causado pela distância da família durante a quarentena.

No entanto, tutores infectados com covid-19 devem delegar os cuidados aos seus animais a outras pessoas e, se isso não for possível, usar álcool gel antes de acariciar seus cães e gatos, pois, pode haver uma contaminação superficial do pelo desses animais do mesmo modo que haveria num corrimão de escada, por exemplo. A ANDA tem se preocupado em passar as informações corretas, com embasamento da OMS – Organização Mundial da Saúde e de veterinários, a fim de evitar abandono e maus-tratos. Colabore também disseminando as informações corretas!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Após 18 novos casos, número de macacos mortos por febre amarela sobe para 135 no PR

Atualmente, há registro no Brasil apenas da febre amarela silvestre, que tem sua transmissão feita por meio dos mosquitos haemagogus e sabethes


Novos 18 casos de macacos mortos pela febre amarela foram registrados no Paraná. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde. Outros 199 casos estão sendo investigados. Outros 65 foram descartados e 328 considerados indeterminados, segundo boletim epidemiológico da doença divulgado na quarta-feira (18).

(Foto: Peter Schoen/Flickr/Ilustrativa)

“Esse aumento no número de macacos mortos confirma que o vírus da febre amarela está circulando no Paraná. Alertamos a população sobre a importância da vacina, pois essa é a forma mais eficiente e segura para prevenir a doença”, disse ao portal RIC Mais o secretário da Saúde, Beto Preto.

Os novos casos foram registrados nos municípios de Boa Ventura de São Roque (2), Campo Largo (1), Antonio Olinto (3), Turvo (5), Guarapuava (1) e Mallet (6), sendo que os dois primeiros não tinham mortes de macacos confirmadas até o momento.

Os macacos, no entanto, não são transmissores da febre amarela. Conforme alertam ativistas pelos direitos animais, os macacos são, assim como os humanos, apenas vítimas da doença.

A enfermidade é transmitida através da picada de mosquitos infectados. Atualmente, há registro no Brasil apenas da febre amarela silvestre, que tem sua transmissão feita por meio dos mosquitos haemagogus e sabethes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Criança com deficiência adota cachorro sem uma pata em Londrina (PR)

O cachorro aguardava por adoção há anos. Ele foi resgatado da rua ainda filhote e perdeu uma das patas por conta de uma infecção


Um menino de cinco anos, que nasceu sem uma parte do braço esquerdo, adotou no sábado (7) um cachorro que não tem uma das patas. A adoção comovente foi realizada em Londrina, no Paraná.

Foto: Reprodução/RPC

A mãe de Enzo contou à emissora RPC Londrina que teve uma gravidez de risco, foi diagnosticada com infecções nos rins e início de pneumonia. Jéssica Tavares de Andrade teve contrações antes da hora adequada e quase sofreu um aborto espontâneo.

O cachorro, por sua vez, foi resgatado quando era filhote, após ser encontrado na rua. Branco, como é chamado, sofreu uma infecção na pata direita há um ano e meio e teve que ser submetido a uma cirurgia de amputação do membro.

Desde então, nenhuma pessoa quis adotar o animal, que aguardava por uma família. Para a protetora de animais Aline Dias, que estava responsável por Branco, a adoção foi emocionante.

Foto: Reprodução/RPC

“A adoção responsável é muito difícil hoje em dia, então quando você acha uma família legal, que dá tão certo, a gente fica muito contente. Agora a minha missão está cumprida”, disse à RPC.

Para Jéssica, a convivência entre o cão e seu filho será importante para que Enzo veja o cachorro fazendo coisas e saiba que ele também pode fazer.

“Um mostra para o outro que tem mais amor. Um mostra para o outro que é capaz de fazer as coisas”, afirmou.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Mulher é multada em R$ 12 mil após abandonar gatos em casa vazia no PR

Uma mulher foi multada em R$ 12 mil pela Prefeitura de Maringá (PR) após mudar de endereço e abandonar seis gatos em uma casa vazia. A multa foi publicada no Órgão Oficial do Município na segunda-feira (2).

Um relatório da Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema) relatou o caso. A moradora, que vivia no Jardim Alvorada, mudou-se para o estado de São Paulo e abandonou cinco fêmeas e um macho na casa vazia.

Foto: Prefeitura de Maringá/Divulgação

Fiscais da prefeitura estiveram no local nos dias 10 e 20 de fevereiro. Na primeira vez que visitam o imóvel, os servidores encontraram a tutora dos gatos, que afirmou que uma vizinha cuidaria dos animais após sua mudança. No entanto, ao retornar à casa no dia 20, os fiscais encontraram os gatos abandonados.

Vizinhas da mulher contaram ao G1 que a moradora mudou de estado sem solicitar que alguém da vizinhança oferecesse aos gatos os cuidados necessários.

A prefeitura se dispôs a resgatar os animais e informou que, após serem castrados, eles serão disponibilizados para adoção responsável.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia resgata 11 cachorros explorados para venda em Curitiba (PR)

O proprietário do canil clandestino foi multado pela Prefeitura de Curitiba em R$ 22 mil


Uma equipe composta por integrantes da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba, agentes da Polícia Civil e da Guarda Municipal resgatou, na segunda-feira (02), 11 cachorros da raça setter irlandês explorados para venda em Curitiba, no Paraná. Foram três adultos e oito filhotes.

O proprietário do canil, que funcionava na clandestinidade, foi multado pela prefeitura em R$ 22 mil. Ele anunciava os filhotes em sites de vendas na internet.

Reprodução

O caso foi descoberto através de denúncias feitas à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e também por meio da Central 156.

Os cachorros não sofriam maus-tratos, mas foram resgatados porque o local funcionava de maneira clandestina. Os animais ficarão sob a tutela de uma ONG e poderão ser doados após o final do processo administrativo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Câmera flagra mulher abandonando cadela em Maringá (PR)

A mulher também tentou abandonar os filhotes da cadela no mesmo local onde deixou a mãe, mas voltou atrás ao perceber que estava sendo observada


Uma câmera de segurança registrou o momento em que uma mulher abandonou uma cadela na rua em Maringá, no Paraná. O caso aconteceu no Jardim Paris III, na segunda-feira (24).

Foto: Imagens cedidas/Câmera de monitoramento

Nas imagens, é possível ver a mulher abrindo a porta do carro e a cadela saindo. Em seguida, a motorista desce do veículo segurando uma caixa de papelão com filhotes, mas desiste de abandoná-los ao notar que está sendo observada.

A Polícia Militar informou ao G1 que os moradores da região anotaram a placa do carro e denunciaram o caso. Localizada pela Guarda Municipal, a mulher poderá ser punida com multa de R$ 2 mil pelo abandono de cada animal.

Os animais foram entregues a ONG Salvando Vidas de Maringá, que promoveu o reencontro entre a cadela e os filhotes.

A entidade informou que os filhotes estão repletos de carrapatos, o que indica que eles sofriam maus-tratos antes do abandono. Todos serão tratados e disponibilizados para adoção responsável.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Paranaguá (PR) tem alto número de animais abandonados e maltratados

O abrigo municipal está lotado e, por isso, só tem recebido animais gravemente feridos e doentes


O número de cachorros e gatos abandonados em Paranaguá, no Paraná, é alto e casos de maus-tratos são recorrentes. De acordo com a diretora do Departamento Veterinário da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Thábata Cristina Nicetto Lourenço, a Semma “atua nos mais de 50 bairros da cidade e, infelizmente, todos os dias, nos deparamos com situações de maus-tratos e abandono, não somente de cães e gatos, como de animais de grande porte, como cavalos”.

Pixabay

Thábata lembra que os tutores são responsáveis por oferecer aos animais tudo que eles necessitam e garantir seu bem-estar. Ela abordou ainda a forma como é feito o tratamento dos animais resgatados. “Precisamos salientar que o Departamento Veterinário socorre animais doentes e feridos vítimas de abandono e maus-tratos. Ao serem resgatados, são devidamente castrados e permanecem no setor à espera de um novo lar”, disse ao portal Agora Litoral.

“Precisamos do apoio da população para denúncias, caso presencie alguém abandonando animais, para que medidas cabíveis sejam tomadas. Estamos com um número elevado de animais resgatados e o auxílio dos moradores é essencial para coibir essa prática ilegal, a fim de que o abandono de animais seja extinto em nosso município. É inadmissível que atos como esse ainda ocorram”, completou.

O abrigo municipal, no entanto, está lotado e, por isso, só resgata animais gravemente feridos ou doentes.

Interessados em adotar um animal podem entrar em contato com o Departamento Veterinário através do telefone 3420-6141 e, depois, comparecer ao local. “Basta levar um documento original com foto e um comprovante de residência. Será feita uma pequena entrevista com o adotante. É interessante trazer uma guia no caso de cães ou caixa transporte para adoção de gatos, assim facilitará o transporte até a nova residência”, orientou.

Pessoas que já tutelam animais também podem levá-los ao local para que recebam atendimento veterinário. O serviço é prestado de segunda a sexta-feira, com 10 senhas distribuídas a partir das 12h30.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Homem é multado em R$ 37,5 mil por aprisionar animais silvestres em cativeiro

Pacas e cutias que eram mantidas em cativeiro pelo homem foram resgatadas


Um homem foi multado em R$ 37,5 mil por aprisionar animais silvestres em cativeiro em Toledo, no interior do estado do Paraná.

Foto: Divulgação/Polícia Ambiental

Sete pacas e cinco cutias foram encontradas no local. Após a ação policial, elas foram resgatadas. As informações são do portal G1.

Manter animais em cativeiro sem licença ambiental configura crime que pode ser punido com detenção de até um ano, além de multa.

O homem foi levado para a delegacia, mas como a infração é considerada de menor potencial ofensivo, ele foi liberado após assinar um Termo Circunstanciado de Infração Penal.

Os animais foram resgatados no sábado (8), mas o caso só foi divulgado pela Polícia Ambiental na terça-feira (11).

Foto: Divulgação/Polícia Ambiental

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Mais de 50 cães tutelados por policial são resgatados após maus-tratos

Os cachorros, de diferentes raças, eram mantidos em um ambiente sujo, com rastros de fezes e urina


Mais de 50 cães foram resgatados na terça-feira (4) após serem submetidos a maus-tratos em uma chácara na zona rural de São José dos Pinhais, no Paraná.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

O caso foi descoberto após uma denúncia anônima. O tutor dos cães é um policial militar aposentado. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de maus-tratos e pode ser punido com até um ano de detenção, além de multa, caso seja condenado.

Os animais eram mantidos em local insalubre. De acordo com a polícia, eles estavam em um ambiente sujo, com rastros de fezes e urina. Os cães tinham problemas de pele e alguns estavam sem um dos olhos. As informações são do portal G1.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Os policiais informaram ainda que os cachorros não eram alimentados adequadamente e não tinham água à disposição.

No local foram encontrados cães das raças pastor alemão, yorkshire, pequinês, beagle, poodle, labrador e golden retriever. Todos receberão os cuidados necessários.

A ação contou com o apoio da Secretária Municipal do Meio Ambiente de São José dos Pinhais.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Prefeitura resgata 380 gatos de casa em Ponta Grossa (PR)

A tutora dos animais, que será multada por maus-tratos, disse que levava os gatos para casa após encontrá-los na rua


Servidores da Prefeitura de Ponta Grossa, no Paraná, resgataram 380 gatos submetidos a maus-tratos em uma casa na cidade. O caso, descoberto após denúncia, foi divulgado na segunda-feira (3).

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

A ação, que contou com o apoio da Polícia Ambiental, foi realizada após denúncias feitas à Secretaria Municipal de Meio Ambiente apontarem um forte odor vindo da residência. As informações são do portal G1.

Os servidores tentaram entrar no local três vezes, mas não obtiveram autorização. Diante disso, a secretaria acionou o Ministério Público do Paraná e obteve um mandado de busca e apreensão, cumprido na sexta-feira (31).

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

A proprietária da casa foi levada à delegacia e assinou um termo circunstanciado de ocorrência. Ela afirmou, em depoimento, que encontrava os gatos abandonados na rua e os resgatava.

Os animais foram resgatados e levados ao Centro de Zoonoses do município. De acordo com a administração municipal, a tutora será multada por maus-tratos. O valor da multa ainda não foi definido.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Mais de 40 macacos morrem com febre amarela no Paraná

O número de macacos mortos pela doença aumentou desde o último relatório, divulgado na semana passada


Um boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná informou as mortes de 46 macacos por febre amarela no estado. O informativo foi divulgado na quarta-feira (29).

Seis novos animais foram adicionados à lista, que continha 40 mortes na semana anterior. As informações são do G1.

Pixabay/Imagem Ilustrativa

O relatório explica que os macacos estão sendo acompanhados desde julho de 2019. Os novos casos foram registrados na Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, com cinco registros. O município não tinha registrado morte de macacos até o momento.

Outro caso foi registrado em Antônio Olinto, cidade que já tinha um caso confirmado. Em Castro, foram 11 casos. Oito em Ponta Grossa, cinco na Lapa, dois nas cidades de Cândido de Abreu, Sapopema, Teixeira Soares, Antônio Olinto, Ipiranga e Piraí do Sul e um nos municípios de Balsa Nova, Mandirituba, Quatro Barros, Rio Negro, Palmeira, São João do Triunfo, Imbituva, Mallet, Prudentópolis e São Mateus do Sul.

“O boletim semanal com casos de epizootias serve para alertar que o vírus está presente nesses locais”, disse o secretário de Saúde, Beto Preto.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More