Notícias

Microporcos são presente mais desejado neste Natal na Inglaterra

(Foto: Reprodução)

Os microporcos são um dos presentes mais desejados deste Natal na Inglaterra. São do tamanho de uma chávena de chá, são facilmente treináveis e celebridades, como Paris Hilton e Katie Price, têm um, mas o governo inglês lançou recentemente uma campanha de alerta para o elevado risco de contaminação de doenças contagiosas por parte destes animais . De acordo com The Independent, um exemplar pode custar entre 117 e 1.765 euros, mas apesar do preço, a maioria é abandonada quando finda a época natalina.

A Animal Health (equivalente à Direção Geral de Veterinária portuguesa) alerta os criadores e os tutores destes “porcos de bolso” de que devem estar conscientes das suas obrigações e deverão manter os seus animais saudáveis, bem-alimentados e devidamente legalizados, de forma a evitar que sejam veículos transmissores de doenças perigosas. O governo aconselha a quem quer adotar um destes animais a aconselharem-se com um médico veterinário antes de o fazerem.

“Lembrem-se que os porcos são animais rurais e não animais de estimação para serem oferecidos no Natal”, avisa o ministro inglês da Agricultura, Jim Pace. “Um microporco pode parecer uma ótima ideia para um presente, mas tenham em atenção que eles podem crescer bastante”.

A BBC relatou um desses casos. Lisa Turk, residente em Telford, comprou um microporco, depois de ter visto um anúncio no jornal. Quando levou Digby, ele cabia na palma da mão e vivia na sala de estar. O criador assegurou-lhe que o animal cresceria, no máximo, até aos 40 centímetros, mas a verdade é que, 10 meses depois, Digby media 55 centímetros e pesava 44 quilos. Por esta altura, Lisa mudou-o para o quintal, que se transformou num autêntico lodaçal. Agora, paga cerca de 70 euros por mês para o manter numa fazenda.

Rachel Rocksborough, da RSPCA (Sociedade Inglesa para a Prevenção da Crueldade contra Animais), alerta para o fato de estes animais não deverem ser mantidos dentro de casa ou sozinhos. “Os porcos são animais do exterior e devem viver sempre em grupo. Caso contrário, podem tornar-se bastante destruidores e agressivos para com as pessoas”, sublinha.

Fonte: Os Bichos

Nota da Redação: Comprar um animal enquanto há tantos animais de companhia abandonados aguardando adoção é um ato egoísta e de extrema irresponsabilidade. Porcos, como alerta a reportagem, são animais rurais, precisam estar livres em meio à natureza, exercitar seu instinto natural.
Se você quer mesmo um animal de companhia, reflita antes de tomar uma atitude e não compre; dê a chance para que um animal abandonado seja feliz. Os abrigos estão lotados, abarrotados de cães e gatos que um dia tiveram uma família e foram maltratados e largados como acessórios velhos e inúteis. Em muitas cidades do Brasil os abrigos ainda matam animais sadios que não são adotados depois de um período X. Do corredor da morte poucos escapam. Animal não é brinquedo. Como diz o ditado: “sente fome, frio e medo”.

​Read More