Notícias

Veganismo se torna cada vez mais popular no Vietnã

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Clearlyveg
Reprodução/Clearlyveg

O Vietnam News revelou um recente aumento das opções de alimentos vegetarianos e principalmente veganos no Vietnã nos últimos anos.

“Com a abundância de deliciosos legumes, frutas e raízes, o Vietnã tem todas as condições para atender veganos. Todas as principais cidades, incluindo a capital, têm muitos restaurantes que servem comida vegana e o número deles está aumentando todos os dias. [As pessoas] também escolhem uma dieta baseada em vegetais por razões de saúde e são impulsionadas por questões ambientais”, disse o veículo.

O autor  da reportagem, Bạch Liên, fala sobre alguns alimentos veganos e vegetarianos disponíveis: “Além de tofu, cozidos no vapor e fritos, os feijões de soja se prestam a tương đậu nành (pasta de soja), chao (tofu fermentado), chả luạ chay (presunto vietnamita vegetariano) e uma grande variedade de outros molhos e pratos. Veganos também pode encontrar no Vietnã muitos pratos que lembram aqueles feitos com carne”.

As opções veganas se estendem além dos restaurantes e é possível também encontrá-las na comida de rua. De acordo com Liên, a maior cidade do Vietnã, Ho Chi Minh City, tem “trechos inteiros de uma rua ou beco que servem exclusivamente comida vegetariana”.

Já Chay Xóm Giá possui suas dezesseis barracas que “vendem comida vegetariana a preços baratos” e, embora “comida vegetariana tenha chegado tarde” na capital de Hanói, ainda há “dúzias de lugares” que servem alimentos veganos, de acordo com o Clearlyveg.

​Read More
Notícias

Hospital veterinário popular oferece até 50% de descontos para cães e gatos, no Rio de Janeiro

Divulgação
Divulgação

Os cuidados com os animais domésticos estão ficando mais baratos com o surgimento de clínicas e hospitais populares para animais. O primeiro hospital veterinário com preços acessíveis foi inaugurado em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, e oferece descontos de 30% a 50%, em procedimentos como consultas, cirurgias, exames laboratoriais e castrações. A região tem a maior média de animais domésticos por residência (3,1), enquanto a média geral da cidade é de 1,1 cão e 1,9 gato, segundo uma pesquisa encomendada pelo hospital.

De acordo os veterinários, 70% dos clientes chegam com animais sem vacinação em dia. A imunização antirrábica é oferecida por R$ 48, enquanto a consulta com um clínico custa R$ 40. Em dois meses de funcionamento, 900 animais foram atendidos no local. Em fins de semana movimentados, 40 animais são levados ao hospital, que funciona 24 horas.

“As clínicas populares do estado não funcionam com plantão integral e não têm internação. As unidades também não oferecem suporte para animais silvestres”, disse Brunno Cunha, diretor do Hospital Popular de Medicina Veterinária.

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) apontam, também, para o aumento no faturamento do setor no país: em 2014, foram movimentados R$ 16,7 bilhões; em 2015, houve um crescimento de 7,6%, chegando a R$ 18 bilhões.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há quase 133 milhões de animais no país, sendo 52,2 milhões de cães, 37,9 milhões de aves e 22,1 milhões de gatos, além de 18 milhões de peixes e 2,21 milhões de outros pequenos animais. Os números colocam o Brasil na quarta posição no ranking dos países com o maior número de famílias com animais domésticos.

“Estamos quase atingindo a proporção de um animal por duas pessoas”, disse José Edson de França, presidente-executivo da Abinpet.

Fonte: Extra Globo

​Read More
Você é o Repórter

Ação popular em Itanhaém (SP) reivindica o SUS Animal e farmácia popular para animais abandonados

Elisabete de Mello
elisabetedemello@yahoo.com.br

A ação civil popular foi proposta em face dos Governos Municipal, Estadual e Federal, solidariamente responsáveis para agir em defesa da fauna, decorrência dos inúmeros pedidos de atenção para com os animais pobres, carentes e abandonados, formulados por ambientalistas e que não foram atendidos pelos entes da Federação (CF, Art. 5º, inciso I e Art. 225, § 1º, inciso VII).

O objetivo principal, além da preservação da vida, acesso universal e igualitário, é a criação de posto e pronto-socorro médico – veterinário e a inclusão do receituário médico no programa da farmácia popular no Município de Itanhaém para atendimento gratuito dos animais abandonados e os que estejam na tutela da população em geral, ressarcimento de danos, dentre outros requerimentos formulados, além da preservação do patrimônio público.

Os interessados poderão acompanhar o deslinde da medida judicial.

AÇÃO CIVIL POPULAR
Processo nº 266.01.2011.000926-5
Nº de ordem: 145/2011
3ª Vara Cível do Fórum da Cidade de Itanhaém, São Paulo
Distribuição: 14/02/2011, 13h35m

Link para acompanhamento da ação:

http://www.tj.sp.gov.br/PortalTJ2/Paginas/Pesquisas/Primeira_Instancia/Interior_Litoral_Civel/Por_comarca_interior_litoral_civel.aspx

Clique para ter acesso da íntegra da petição inicial no Grupo YAHOO de Proteção Animal:

http://br.groups.yahoo.com/group/em-defesa-dos-animais/

Acesse a pasta ARQUIVOS e AÇÃO CIVIL POPULAR.

A ação judicial é cedida gratuitamente para adaptação ou utilização de ativistas, ambientalistas, protetores, defensores, organizações não governamentais etc., desde que mencionada a fonte de estudo nos seguintes termos: “argumentos constantes na ação civil popular nº 266.01.2011.000926-5, proposta pela advogada Elisabete de Mello em face do Governo Municipal, Estadual e Federal, Estado de São Paulo, em curso perante a 3ª Vara Cível do Município de Itanhaém¨.

Seja solidário e habilite-se no polo ativo da medida judicial em defesa dos animais abandonados e pobres nos termos da Lei Ordinária Federal nº 4.717, de 29
de junho de 1965, Art. 6º § 5º que admite ser ¨facultado a qualquer cidadão habilitar-se como litisconsorte ou assistente do autor da ação popular¨, requerendo a integração na medida judicial no polo ativo.

​Read More