Notícias

Investigação sobre matança de onças em MT deve ser transferida para a Polícia Federal

Os animais, que pertencem a uma espécie ameaçada de extinção, foram mortos por caçadores na cidade de Cocalinho


O caso das três onças-pintadas mortas em Cocalinho (MT) deve ficar sob a responsabilidade da Polícia Federal de Barra do Garças, a 516 quilômetros da cidade de Cuiabá.

Foto: Reprodução

Como os animais pertencem a uma espécie ameaçada de extinção, o caso deve ser investigado no âmbito federal, segundo o delegado da Polícia Civil, Walmon Pereira.

O crime aconteceu em uma fazenda a cerca de 150 quilômetros da zona urbana de Cocalinho. As informações são do portal G1.

Na fazenda, os policiais encontraram uma caminhonete que aparece em um vídeo que registrou o crime. A presença do veículo, sobre o qual as onças foram colocadas, confirma que a propriedade rural foi o local onde as imagens foram feitas. As investigações tiveram início há uma semana.

O delegado informou que o proprietário da fazenda e um dos suspeitos, conhecido como “Carrapicho”, estão sendo representados por um único advogado, que já contatou a polícia.

O caso ganhou repercussão após um vídeo que mostra as onças mortas ser divulgado nas redes sociais. Nas imagens, é possível ouvir uma mulher, responsável por gravar o vídeo, parabenizando os caçadores pela morte dos animais.

Um dos envolvidos no crime afirma que as onças estavam em cima de uma árvore. Segundo ele, uma delas, adulta, seria a mãe e as outras duas seriam filhotes.

Membros da ONG Panthera afirmaram que aguardam o final das investigações para tomar providências sobre o caso.

Matar onças é crime ambiental e tem como punição detenção de seis meses a três anos, além de multa.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia Militar Ambiental resgata 62 animais na operação ‘Safe Web’

04
Divulgação

As polícias Militar e Federal realizaram na manhã desta segunda-feira (13) a operação Safe Web, nas zonas norte e leste de São Paulo, com objetivo de conter a venda ilegal de animais silvestres por meio de redes sociais.

Ao todo foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas vilas Jacuí, Curuçá e Nilo, durante a ação, que terminou com o resgate de 62 animais exóticos e silvestres mantidos em cativeiro. O 1º Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) aplicou R$ 103 mil em multas.

A ação recebeu o nome de Safe Web porque a venda desses animais, objeto de investigação policial, era realizada pela internet. “Conjuntamente, conseguimos identificar os responsáveis por essas infrações em redes como o Facebook e o WhatsApp”, disse o tenente Flavio Sukaitis, do 1º BPAmb.

Balanço
Em quatro locais fiscalizados pela PM Ambiental, foram localizadas e resgatadas dezenas répteis, entre eles iguanas, jabutis, serpentes e um jacaré-de-papo-amarelo. Um macaco-prego, uma arara-canindé e seis tarântulas também foram encontradas.

Durante a operação Safe Web também foram encontrados animais de espécies exóticas, como lagartos e até mesmo escorpiões vindos de outros países. Os responsáveis por esses cativeiros foram multados e indiciados por crimes ambientais.

Em um local, as polícias encontraram dois saguis, um jabuti e uma iguana mortos, dentro de um congelador. Um porco e cinco cães também foram resgatados em situações precárias. Catorze policiais e cinco viaturas da PM Ambiental participaram da ação.

Fonte: AFAM

​Read More
Notícias

Operação da Polícia Federal resgata macaco-prego em São Paulo

03
Divulgação

Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (13), a ‘Operação Safe Web’, em decorrência da investigação de indivíduos que realizavam tráfico de animais silvestres e posterior comercialização em anúncios na internet e em páginas de redes sociais.

Foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão, com apoio da Polícia Militar Ambiental, nos bairros do Jaçanã, Vila Jacuí e São Miguel Paulista, na capital paulista. Nos locais foram resgatados diversos animais, dentre eles um macaco-prego, animal da fauna silvestre ameaçado de extinção.

Os investigados responderão pelos delitos de tráfico de animais da fauna brasileira e de animais exóticos, além de maus-tratos.

Fonte: Isto É

​Read More
Notícias

Polícia Federal prende caçador de onças; fazendeiro ‘pagava recompensa’ para quem matasse animais

19
Divulgação

A Polícia Federal prendeu um caçador de onças na cidade de Alta Floresta (a 770 km de Cuiabá). Além de promover a caça, ele ainda pagava recompensas para que outras pessoas matassem os felinos em sua propriedade rural. A prisão ocorreu em Alta Floresta, na tarde de terça-feira (10).

Segundo a assessoria, a Delegacia de Polícia Federal em Sinop instaurou, em janeiro deste ano, inquérito policial para apurar a ocorrência dos crimes previstos no artigo 29, Lei nº 10.826/2013, uma vez que a denúncia apresentada à Delegacia de Polícia Federal de Rondonópolis (MT) indicava que o homem realizava a caça em sua fazenda localizada em Alta Floresta (MT).

Após ser comunicada, a Justiça Federal deferiu a expedição de dois mandados de busca e apreensão nos endereços do investigado. Na fazenda, os policiais federais apreenderam quatro armas: uma espingarda calibre 20, um rifle calibre 22, um revólver 38 e uma pistola 380. O homem foi preso em flagrante pelo crime previsto no artigo 12 da Lei nº 10.826/2013. Após ser ouvido pela autoridade policial, foi liberado mediante pagamento de fiança.

Fonte: Olhar Direto

​Read More
Notícias

PF prende três pessoas por tráfico de aves silvestres em Aparecida de Goiânia (GO)

Voo Livre
Divulgação

A Polícia Federal (PF) prendeu, nesta quinta-feira (14), três pessoas suspeitas de traficar aves silvestres, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Com os detidos, foram encontradas cerca de 100 aves, que foram resgatadas e encaminhadas ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). A prisão faz parte da Operação Voo Livre, deflagrada, também, em Tocantins e em São Paulo, que procura desarticular uma quadrilha de tráfico de animais.

Segundo o delegado da PF responsável pela operação, Cleyber Malta Lopes, todos os presos já tinham passagem pela polícia pela mesma prática. “Observamos a reincidência dos envolvidos nesse tipo de crime ambiental que, por ter pena branda, acaba por permitir que eles continuem praticando”, afirmou.

Também estão previstos 8 mandados de busca e apreensão e 10 de condução coercitiva em Goiás. Outros dois suspeitos do mesmo crime também eram procurados pela PF no estado, mas não foram encontrados. De acordo com o delegado, a suspeita é que cerca de 35 pessoas fizessem parte do grupo que capturava e comercializava araras, papagaios, e aves de canto.

“Os membros da quadrilha em Goiás eram responsáveis pela comercialização dos animais e até mesmo por enviá-los para serem vendidos em São Paulo”, relatou Lopes.

O delegado afirma que o grupo era dividido em três atividades principais. Os coletores, que, segundo ele, eram pessoas do campo, responsáveis por retirarem os animais do seu habitat. Os comerciantes, que traficavam os animais. Além deles, em paralelo às duas categorias, estavam os financiadores, que disponibilizavam recursos para que os crimes fossem praticados.

“Os coletores, sem dúvida, eram pessoas muito simples. Cometiam o crime por conta de R$ 60 pela ave capturada”, afirmou o delegado. Conforme as investigações, as aves chegavam a ser comercializada por R$ 2 mil. Apesar de nesta quinta-feira terem sido resgatados 100 animais, o investigador afirmou que outras 500 aves já haviam sido resgatadas em outras apreensões no estado.

Condições ruins

O chefe da Delegacia do Meio Ambiente e Patrimônio Histórico do Tocantins, Hugo Haas de Oliveira, afirmou que o principal financiador do crime estava aqui em Goiás. Ele ressalta as péssimas condições em que os animais foram recuperados.

“É extremamente criminosa a ação destas pessoas, que transportavam os pássaros em caixas fechadas, sem ventilação. Em todas os resgates que fizemos havia animais mortos”, afirmou Haas.

Os envolvidos devem responder pelos crimes de receptação qualificada, associação criminosa, falsificação de selo público federal, caça, maus-tratos, comércio interestadual de animais silvestres e organização criminosa. Se condenados, podem pegar até 15 anos de prisão, segundo o delegado.

Fonte: G1

Nota da Redação: Como nós, os animais nasceram para viver livremente. Manter um animal engaiolado é um dos crimes mais cruéis do ponto de vista ético. Infelizmente as nossas leis ainda permitem que algumas espécies de aves sejam caçadas, comercializadas e aprisionadas apenas para satisfazer a ganância e os desejos inconscientes e cruéis de algumas pessoas. Não podemos mais aceitar calados este tipo de prática como também todas as outras que tratam os animais apenas como mercadoria ou objeto de decoração. As leis precisam avançar e proibir qualquer forma de manutenção de animais em cativeiro.

​Read More
Notícias

Operação "Moda Triste" apreende artigos feitos com animais silvestres na Fenearte

Foto: Divulgação / Ibama
Foto: Divulgação / Ibama

Centenas de colares, pulseiras, brincos e prendedores de cabelo com partes de animais silvestres foram apreendidos por comercialização irregular na Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), que acontece no Centro de Convenções, em Olinda, nesta quarta-feira. O material, que por lei tem comercialização proibida, foi recolhido em operação conjunta do Ibama e da Polícia Federal.

Intitulada de “Moda Triste”, a operação foi articulada após a investigação iniciada nos primeiros dias de exposição da feira. De acordo com o chefe de fiscalização do Ibama em Pernambuco, Amaro Fernandes, os adereços, comercializados por grupos de índios, são compostos por penas de aves como papagaios, araras e até urubus.

Punição

O Ibama informou que a lei defederal prevê que os responsáveis podem pegar penas de seis meses a um ano de detenção, além de multa, cujo valor varia entre R$ 500 e R$ 5 mil.

Fonte: Diário de Pernambuco

​Read More
Notícias

PF divulga vídeo que mostra vigilante retirando gaiola do Ibama em Alagoas

A Polícia Federal divulgou, na noite desta quarta-feira (11), um vídeo que mostra a retirada de animais silvestres do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Alagoas. As imagens foram captadas após denúncias de que animais estavam sendo retirados do Centro de Triagem (CETAS) para serem comercializados no mercado clandestino.

Na manhã desta quarta, a PF deflagrou uma operação, denominada Eleutheros, em Maceió, para cumprir cinco mandados de condução coercitiva e seis de busca e apreensão na região de Maceió. Entre os detidos estão prestadores de serviço (tratadores e vigilantes) e um ex-estagiário do órgão federal. Informações indicaram que o grupo agia de duas maneiras: apropriando-se e retirando os animais sem conhecimento e autorização do órgão e simulando solturas.

Durante uma coletiva de imprensa na sede da PF nesta manhã, a superintendente do Ibama em Alagoas, Sandra Menezes, informou que funcionários do órgão começaram a suspeitar do desvio dos animais e comunicaram à polícia. “Estava havendo uma movimentação estranha com a ajuda de pessoas de dentro do órgão. Comunicamos à Polícia Federal e nos colocamos à disposição para ajudar nas investigações”, falou.

No vídeo é possível ver um homem, que não teve a identidade revelada pela polícia, entrar no banheiro do Cetas e pegar uma gaiola coberta por um pano escuro. Ele pula a cerca de volta e deixa o local levando a gaiola.

Segundo as investigações, os animais eram deixados durante o dia por outros funcionários e retirados pelo vigilante. O delegado Renato Madesen Arruda, da Divisão de Crimes Contra o Meio Ambiente da PF, a ação acontecia muitas vezes em feriados e durante à noite, quando o movimento no órgão é menor. Ele disse que, além de vídeos com flagrantes, a polícia possui documentos que apontam o crime.

O delegado disse que os animais desviados eram os que tinha um alto valor no mercado como os pássaros que cantam. “Os animais eram vendidos em feiras livres ou individualmente. Ainda estamos fazendo o levantamento da quantidade que foi desviada. As pessoas que estão sendo ouvidas na PF já passaram algumas informações que vão ajudar nas investigações”, disse.

O diretor do Ibama em Alagoas, Rivaldo Couto, disse que os funcionários terceirizados apontados como integrantes da quadrilha que desviava animais serão afastados do órgão. Já os contratados do órgão permanecerão, mas em outro setor. “Depois do resultados das investigações, se for comprovada a participação deles, será aberta uma sindicância que pode levar à exoneração”, explicou.

Operação Eleutheros

Cinco pessoas foram detidas, na manhã desta quarta-feira (11), em Maceió para serem ouvidas na sede da PF. Os policiais cumpriram mandados de condução coercitiva e seis de busca e apreensão. Segundo o delegado, em uma das casas foram apreendidos dois animais. Durante a operação, agentes da PF também apreenderam documentos no Ibama.

Arruda informou que o inquérito será concluído até 30 dias. Ele disse que, se comprovada a participação dos funcionários do órgão, eles poderão pegar de um a 16 anos de prisão pelos crimes de peculato (crime de desvio de dinheiro ou bens por funcionário público), formação de quadrilha e tráfico de animais silvestres.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cão farejador fica doente depois de inalar gesso

Foto: PF

Nauê, um “cão farejador” que identificou uma carga de 530 quilos de cocaína escondida entre 3.500 sacos de gesso adoeceu devido à intoxicação pelo material.

A operação foi uma ação conjunta da PF e Receita Federal dentro de um contêiner no Porto de Suape, litoral sul de Pernambuco. O destino do material seria a África. A apreensão foi a maior já realizada no Nordeste.

Nauê é um pastor alemão e está de “licença médica”. Segundo a assessoria da polícia, ele não teve contato com a droga, o que nunca ocorre nestes casos.

Fonte: NE10

Nota da Redação: O olhar dos direitos animais é sempre contrário ao uso de animais em qualquer trabalho. O risco ocupacional dessa tarefa é muito alto e animais são criados para isso. Nesse caso foi gesso que um animal inalou. Em outro caso poderia ser uma bomba que poderia ter explodido em seu rosto.

​Read More
Notícias

Operação prende 44 pessoas no interior do RN por tráfico de animais

A Polícia Rodoviária Federal – PRF e Ibama realizaram entre os dias 26 de setembro e 03 de outubro a Operação Ambiental Potiguar com o objetivo de coibir crimes contra o meio ambiente. Resultado da operação: seis feiras livres foram abordadas – Santa Cruz, Passa e Fica, Macaíca, Ceará-Mirim, Bom Jesus e Nova Natal; 44 pessoas presas por comercialização de animais silvestres, e dois por comercializar armas artesanais de fogo para caça.

Os principais crimes flagrados foram o transporte de madeira sem o DOF – Documento de Origem Florestal, ou seja, extraídas ilegalmente, e a venda de animais silvestres em feiras livres. Ao todo foram apreendidos 453 aves silvestres vivas, algumas espécies inclusive ameaçadas de extinção, e 16 animais silvestres mortos.

Os levantamentos para a operação foram iniciadas há cerca de trinta dias após algumas denúncias anônimas tanto para a PRF quanto para o Ibama,  e também por informações surgidas durante as apreensões realizadas nas rodovias federais.

Várias evidências chamaram atenção como o fato da madeira estar sendo retirada quase que na sua totalidade por moto serras o que acelera a extração, não dando muitas vezes tempo para a vegetação se recuperar, acelerando com isso a desertificação.

Durante a lavratura dos TCO revelou-se que o responsável pela terra recebe R$50,00 por cada caminhão carregado e retirado de sua propriedade, o lenhador recebe R$200,00, e o dono do caminhão recebe dos proprietários de cerâmica R$500,00 por cada carga.

Seis feiras livres foram abordadas: Santa Cruz, Passa e Fica, Macaíba, Ceará-Mirim, Bom Jesus e Nova Natal, sendo presas 44 pessoas por comercialização de animais silvestres e dois por comercializar armas artesanais de fogo para caça. Ao todo foram apreendidos 453 aves silvestres vivas, algumas espécies inclusive ameaçadas de extinção, e 16 (dezesseis) animais silvestres mortos. Dentre os animais apreendidos vivos, tinham alguns bem debilitados.

É importante destacar que os crimes ambientais, em particular o tráfico de animais silvestres é responsável pela movimentação da quarta maior quantia de recursos ilícitos no mundo.

Fonte: Tribuna do Norte

​Read More
Notícias

Operação apreende mais de 300 pássaros silvestres

A operação foi batizada de “Arataca”, que significa ‘armadilha para caçar’, e envolveu 130 policiais federais, ambientais e agentes do Ibama.

Eles cumpriram 40 mandados de prisão na capital de São Paulo, em 10 cidades da região de Sorocaba, na região de São José do Rio Preto e em Uberlândia, Minas Gerais.

A investigação começou há cinco meses e descobriu que uma quadrilha capturava animais silvestres e depois vendia as aves com anilhas falsificadas do Ibama.

Nas gaiolas foram encontradas aves que estão em extinção como o azulão, o curió, o bicudo e o papagaio de cara roxa. A multa é de R$ 500 por animal apreendido, mas se a espécie estiver em extinção na natureza, o valor passa para R$ 5 mil por ave. No total, foram apreendidos 340 pássaros.

Dois homens foram presos e vão responder por crime contra a fauna, formação de quadrilha e falsificação de selo público. Se forem condenados, podem pegar até 10 anos de prisão.

Os pássaros vão passar por uma avaliação médica, que vai determinar se podem, ou não, voltar à natureza.

Fonte: TN

​Read More
Notícias

Animais silvestres são apreendidos na BA

Durante duas operações de rotina nas estradas da Bahia, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 94 animais silvestres. Na primeira, os agentes da PRF de Senhor do Bonfim encontraram dois filhotes de jabutis em uma caixa de papelão. O ônibus seguia para São Paulo e os animais estavam no bagageiro. O suspeito do crime está custodiado na Delegacia de Senhor do Bonfim.

Foto" Reprodução/ EPTV

Na segunda abordagem, 92 aves silvestres foram encontradas pela PRF. O ônibus, que também seguia para a Capital paulista, era de Irecê. Nessa apreensão, os animais estavam escondidos na bagagem de um passageiro, que já responde por crime ambiental. Ele admitiu ser responsável pelas aves, que foram capturadas na região de Barra do Mendes, também no Estado baiano. O suspeito disse que os animais seriam comercializados em Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo.

As aves foram encaminhadas ao Ibama e o dono das aves está preso na delegacia da Polícia Civil de Barreiras.

Fonte: EPTV

​Read More
Notícias

Homem é detido no aeroporto do Recife (PE) com 179 canários

Um homem foi detido, por volta da 0h30 deste domingo (17), por policiais federais, no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, transportando 179 canários dentro de duas malas. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal, o acusado é o vigilante Severino de Souza Rocha, 25 anos, que estava chegando de Brasília, quando as aves foram descobertas graças ao raio-x da Receita Federal.

Os funcionários da Receita acionaram a equipe da PF do terminal aéreo, que o conduziram até a Delegacia de Imigração da Polícia Federal, onde foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). A PF ainda arbitrou uma fiança no valor de R$ 200. Ele responderá ao crime em liberdade.

O crime cometido por Severino é contra o meio ambiente, segundo a a Lei 9.605/98, artigo 29 § 1º inciso III. Vender, guardar, transportar ou ter em cativeiro espécimes da fauna silvestre pode render uma pena de detenção de 6 meses a 1 ano, mais multa.

Segundo a PF, as aves estavam sendo transportadas por encomenda. Severino disse que ganharia R$ 1.000 pelo transporte das aves, mas não revelou a identidade de quem as encomendou.

Os pássaros foram encaminhados para o Centros de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Ibama do Recife. No local, após passarem por avaliação de biólogos, as aves deverão ser reintroduzidos na natureza.

Fonte: Pernambuco.com

​Read More