Notícias

Príncipe saudita luta pela defesa dos direitos animais em cidade turística

Localizada na Jordânia, a cidade histórica de Petra atrai centenas de milhares de turistas todos os anos. Infelizmente, o forte turismo incentiva comércios imorais, a exemplo da exploração de animais que puxam carruagens destinadas a transportar visitantes pela cidade, prática amplamente popularizada.

Os animais são obrigados a carregar turistas por várias horas, muitas vezes sem fazerem pausas para beber água ou descansar. (Foto: Reprodução)

A ONG Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA) recentemente realizou investigações que revelaram as péssimas condições e tratamentos às quais cavalos, burros e camelos são submetidos. Fotos e vídeos capturados pelo grupo mostram os animais explorados sendo espancados e apontam as feridas que eles possuem por usarem arreios e selas mal ajustados. Além disso, de acordo com o relatório da PETA, eles são forçados a puxar visitantes por horas sem receberem água ou poderem descansar na sombra, mesmo em dias extremamente quentes.

Após as denúncias, autoridades locais finalmente estão reconhecendo que não há motivos para a manutenção desse comércio abusivo em Petra.

Recentemente, a Autoridade de Desenvolvimento e Turismo Regional de Petra (PDTRA) e a empresa de capital de risco que investe em uma variedade de empresas, KBW Investments, assinaram um memorando que visa melhorar o bem-estar animal na cidade histórica.

O presidente da companhia, o príncipe Khaled bin Alwaleed, membro da família real da Arábia Saudita, é vegano e já promoveu esforços e comprometeu-se a acabar com a agricultura industrial, promover a energia solar e trazer alimentos à base de plantas para o Oriente Médio. Ele foi um dos principais responsáveis pela concretização desse importante acordo.

A empresa do príncipe saudita Khaled bin Alwaleed assinou um memorando com autoridades da cidade de Petra para garantir melhorias no bem-estar animal.
O membro da família real da Arábia Saudita é presidente da empresa KBW Investments, que assinou um memorando com a cidade de Petra para garantir melhorias no bem-estar animal. (Foto: Reprodução)

Embora o memorando não proíba completamente o uso de carruagens puxadas por animais em Petra, ele promove grandes avanços que melhorarão a vida dos animais da cidade. Por exemplo, descreve um plano para instituir programas destinados a garantir um tratamento adequado aos animais em todos os setores da comunidade local.

Além disso, a declaração supostamente inclui uma proposta para introduzir veículos elétricos ecologicamente corretos para transportar visitantes. Caso entre em vigor, a medida poderá acabar com a exploração de animais que puxam carruagens em Petra de uma vez por todas.

É extremamente comum a exploração animal pelo turismo. Casos na Índia, Tailândia e diversos outros países continuam a ser divulgados, visando elucidar os visitantes sobre os maus-tratos sofridos pelos animais sujeitos a essas situações.

Ações de autoridades e pessoas influentes, como o príncipe Khaled bin Alwaleed, são cada vez mais necessárias, para que essa atividade que explora e fere os animais seja definitivamente banida. 

​Read More
Notícias

Cachorro abandonado que estava virando pedra finalmente aprende o que é ser amado

Petra foi encontrada em estado de total abandono pelas ruas da Grécia. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)
Petra foi encontrada em estado de total abandono pelas ruas da Grécia. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)

Em abril de 2015, uma mulher viu um cão abandonado vagando pela Grécia, próximo a Atenas, e uma coisa lhe chamou bastante a atenção, o rosto do animal estava completamente endurecido, parecendo uma pedra.

Ela então resolveu bater uma foto do cão e postar em suas redes sociais, na esperança de que as pessoas certas pudessem ver a imagem e resgatarem o animal.

ua sarna era tão grave que deixou seu rosto com aspecto de pedra. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)
Sua sarna era tão grave que deixou seu rosto com aspecto de pedra. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)

O resgate do animal não foi nada fácil, pois ele não deixava ninguém se aproximar e sempre que alguém chegava muito perto ele fugia aterrorizado. Parecia que o animal nunca havia tido contato com humanos.

Após o resgate ser feito finalmente feito, o animal foi levado para um abrigo na Grécia. Só nesse momento observou-se que se tratava de uma fêmea de cinco anos, que recebeu o nome de Petra (pedra em grego).

A cadela estava em um estado bem ruim e muito doente. A sarna tinha causado graves e dolorosas infecções na pele do animal, o que deixou seu rosto coberto por uma grossa crosta, dando a impressão de que ele parecia uma pedra.

A maior dificuldade foi fazer Petra confiar nas pessoas e se socializar. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)
A maior dificuldade foi fazer Petra confiar nas pessoas e se socializar. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)

Além disso, a cadela também estava com leishmaniose, doença endêmica que causa o calazar. Mas tudo foi devidamente tratado.

Porém, o problema maior ainda não eram as doenças, mas sim a falta de confiança que Petra tinha nas pessoas e em outros animais, não se socializando com ninguém.

Para Valia Orfanidou, que ajudou a reabilitar muitos cães e se sensibilizou com o caso de Petra, a cadela parecia que nunca tinha sido tocada e nem tido uma convivência próxima com humanos ou outros animais.

Com o tempo Petra foi baixando sua guarda e permitindo que humanos e outros animais se aproximassem e a tocassem. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)
Com o tempo Petra foi baixando sua guarda e permitindo que humanos e outros animais se aproximassem e a tocassem. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)

Petra sempre se escondia quando alguém tentava se aproximar, nunca saía de sua gaiola e rosnava para os outros cães que estavam no abrigo em que ela estava sendo tratada. Mas Valia Orfanidou recusou-se a desistir dela.

Com o tempo, Petra passou a ter evoluções, tornando-se cada vez mais disposta a deixar sua gaiola e, lentamente, começou a tolerar que as pessoas a tocassem e interagissem com ela. Orfanidou nunca desistiu de Petra, e valeu a pena, pois com paciência ela se tornou um cão completamente diferente.

Em pouco tempo Petra já estava abanando seu rabinho para os humanos, disposta a passear e a brincar, e assim ela ficou também com outros animais. Petra, o cão que não queria nada com ninguém, estava agora mais do que pronto para ser amado.

Hoje, Petra é uma cadela dócil e que se permite ser amada. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)
Hoje, Petra é uma cadela dócil e que se permite ser amada. (Foto: Reprodução / The Dodo / Valia Orfanidou)

Hoje, Petra é um novo animal, completamente irreconhecível. Ela não é mais aquela cadela magra e cheias de sarna, e nem tem mais medo de interagir com as pessoas. Ela tornou-se o mais belo cão, tanto dentro como fora.

Só falta mais uma etapa para que Petra seja um animal completamente feliz, encontrar um lar definitivo com tutores que queiram ficar com ela para sempre.

Fonte: Portal do Dog

​Read More