Notícias

Cães idosos são abandonados juntos em banheiro público

Foto: Carol Lair
Foto: Carol Lair

A gerente do supermercado de animais americano Petco percebeu que havia algo estranho em um casal que andava sem rumo pela loja em Allen Park, Michigan (EUA), no último sábado à noite.

O casal tinha dois cachorros grandes com eles, nenhum dos quais estava usando coleira. As guias dos cães tinham sido amarradas em um nó improvisado, juntas – o que significava um alerta vermelho para o gerente.

“Rachel [a gerente] se aproximou deles e questionou sobre o fatos dos cães não estarem usando coleiras”, escreveu Julie Sly em um post no Facebook. “O casal disse que as esqueceu em casa, e que eles só precisavam pegar algumas coisas e seguiram para a parte de trás da loja onde fica a comida de cachorro.”

Foto: Carol Lair
Foto: Carol Lair

O casal evasivo já estava longe quando os funcionários que estavam fechando a loja começaram a ouvir gritos chorosos vindos do banheiro. Eles abriram a porta e lá estavam os dois cachorros velhos, assustados e sozinhos.

A gerente ligou para a um resgate de animais local, mas eles estavam muito cheios para levar os cães, então ela postou um pedido de ajuda no Facebook. Carol Lair, membro do conselho do P.O.E.T Animal Rescue, viu o post e sabia que tinha que ajudar.

“Isso não me surpreende por se tratar de cães idosos”, disse Lair ao The Dodo. “As pessoas se cansam deles e querem se livrar deles.”

Foto: Carol Lair
Foto: Carol Lair

Quando Lair chegou ao Petco no domingo de manhã, percebeu claramente que o par de cães tinha sido claramente traumatizado por sua provação. “Eles estavam muito, muito assustados”, disse Lair. “Eles estavam tremendo e queriam ficar juntos o tempo todo.”

Lair os ajudou a entrar na parte de trás do carro, mas o mais velho dos dois cães ficou curioso e imediatamente pulou no colo de Lair. “Ela aprendeu a mover a janela para cima e para baixo, e então ela começou a mover também o assento para frente e para trás”, disse Lair. “Foi engraçado e terno ao mesmo tempo”.

Os dois cães, que os voluntários chamaram de Marigold e Daffodil, agora estão relaxando em segurança em um lar temporário.

Foto: Carol Lair
Foto: Carol Lair

Embora os dois cães pareçam bem alimentados, isso não significa que suas vidas tenham sido fáceis. “Parece que eles foram explorados para reprodução muitas, muitas vezes”, disse Lair. “Parece que eles foram muito usados por criadores inescrupulosos”.

Mas os dois cães parecem determinados a mostrar aos seus salvadores que ainda têm muito a oferecer. Eles adoram brincar de buscar o brinquedo e de cabo-de-guerra com sua família adotiva e de receber carinhos e afagos. No entanto, conhecer novas pessoas pode representar um desafio para o par.

“Eles gostam de estar com as pessoas, mas demoram um pouco para relaxar”, disse Lair. “Quando eles conhecem alguém diferente e ficam perto dessas pessoas, suas patas traseiras e quadris tremem muito. Isso parte meu coração”.

“Eles passaram por muita coisa”, acrescentou Lair. “Nós nem sabemos a bagagem que eles estão trazendo com eles.”

Uma vez que os cães estejam prontos para adoção ao final desta semana, eles serão esterilizados e vacinados, e começarão a procurar por um lar amoroso.

“Agora estamos apenas alimentando-os e mantendo-os aquecidos e seguros”, disse Lair.

Marigold e Daffodil são ambos dóceis e adoram interagir com gatos e crianças. Mas, considerando tudo o que passaram, Lair acredita que eles se sairiam melhor em uma casa onde receberão toda a atenção que merecem.

“Eu escolherei alguém que possa estar em casa com eles e onde eles não serão deixados sozinhos, porque eles precisam de confiança e apoio”, disse Lair. “Mas eu sinceramente acho que eles se sairiam bem em qualquer casa.”

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Poodle resgatado nos EUA estava tão maltratado que não parecia ser um cão

Quando o poodle Ripley foi encontrado por funcionários do abrigo, eles não sabiam dizer se o cãozinho era macho ou fêmea. O pelo estava tão emaranhado que ele sequer se assemelhava a um cachorro. Ripley foi um dos piores casos de resgate já visto em Houma, Louisiana (EUA).

O pequeno cachorrinho foi encontrado em uma pedreira no sul da Louisiana, em 18 de outubro. Depois que ele foi resgatado, integrantes do “My Heart’s Desire”, um grupo de resgate particular que ajuda animais, iniciou um grande tratamento veterinário para restabelecer a saúde de Ripley.

O estado em que ele foi encontrado era tão grave, absolutamente coberto de pelos, em virtude do longo tempo de abandono, que até hoje ele não sabe como reagir ao toque, nem percebe como andar na grama – ele não sentia o chão há muitos meses por contado excesso de pelos.

Veterinários de uma clínica próxima sedaram Ripley para poder limpá-lo. Ele foi completamente raspado. Embora ele ainda tenha algumas feridas, está se recuperando bem. E agora é apenas uma questão de tempo para deixar sua pele respirar e se curar.

Segundo os cuidadores, ele já ganhou um pouco de peso, e anseia por atenção humana. “Ele percebe que as pessoas são boas, e pede para que coloquemos ele no colo e o aconcheguemos”, diz uma das pessoas que o resgataram.

Apesar de Ripley, que deve ter cerca  de dois anos, não está ainda disponível para adoção, o grupo está trabalhando para encontrar um lar definitivo – de preferência sem filhos ou cães de grande porte.

Quando Ripley se juntar à sua nova família, ele vai ter garantido durante um ano banhos, alimentos, brinquedos e muito mais coisas que serão doados pela Fundação PETCO e “Ripley’s Acredite se quiser”.

Desde que encontramos o filhote, os funcionários decidiram chamá-lo de Ripley, porque “simplesmente não podiamos acreditar que havia um cão lá embaixo”, disse um representante daONG. Quando a história dele começou a ser divulgada, a Ripley’s entrou em cena oferecendo-se para ajudar a patrocinar o cão durante um ano.

Todos os que estão envolvidos no caso estão muito gratos pelos apoio e torcem muito pelo Ripley. “Nós não sabemos o início de sua história, mas sabemos o meio, e espero que tenha um final muito feliz.”

Fonte: PeoplePets

​Read More