Crueldade da pesca com redes ficou evidente após imagens gravadas por organizações em investigação. (Foto: Divulgação)
Notícias

Investigação revela crueldade da indústria pesqueira com vídeos

Uma investigação na costa da Califórnia foi realizada pelas organizações Mercy for AnimalsTurtle Island Restoration NetworkSeaLegacy e Sharkwater. O esforço conjunto foi eficiente, e descobriram que, além do peixe-espada, alvo da pesca, outros animais também sofrem com a pesca com redes de deriva.

Imagens registraram golfinhos, leões-marinhos, tubarões e vários outros animais marinhos ficarem presos nas redes. Aves marinhas também são feridas ao ficarem emaranhadas, incapazes de se libertar. Além disso, as criaturas que não morrem ficam gravemente feridas com os furos dos ganchos de pesca.

Para cada peixe-espada capturado nas redes, o que é, afinal, o intuito da cruel pesca com redes, outras sete criaturas marinhas são mortas como ‘danos colaterais’. Matt Rice, presidente da Mercy for Animals, disse, em um comunicado, que esse tipo de rede “resulta no sufocamento e tortura de bilhões de animais marinhos conscientes, todos os anos”.

Além disso, ressaltou fortemente que é necessário acabar essa prática. “É hora de abolir o uso de redes de deriva em larga escala em todas as águas dos EUA e acabar com a crueldade que eles infligem à vida marinha”.

Paul Nicklen, co-fundador da SeaLegacy, também manifestou-se em comunicado, dizendo que “se um golfinho, baleia, tartaruga, espadarte, tubarão-debulhador ou tubarão nadar para essa rede, eles vão morrer”.

“A vida selvagem do oceano e as espécies ameaçadas são continuamente prejudicadas ou mortas por essa pesca perigosa e é hora de acabar com isso”, afirmou Nicklen.

Conforme informação do Live Kindly, os estados de Oregon e Washington (EUA), a pesca com redes de deriva já está proibida, e outros países ao redor do mundo, incluindo a Rússia, também proibiram a prática.

Agora é a vez do estado da Califórnia proibir a pesca com redes.

​Read More