As marcas Anthropologie e Express banirar a lã mohair (Foto: Divulgação)
Notícias

Marcas de moda Anthropologie e Express banem material de origem animal

As varejistas de moda Anthropologie e Express anunciaram que se juntarão a uma lista crescente de marcas que proíbem o uso de materiais de origem animal na confecção de seus produtos.

Essas duas marcas recentemente se comprometeram a não usar mais pelo de cabra em suas coleções. As marcas proibiram o uso de pelo de cabra depois que uma exposição divulgada pela organização de direitos animais People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) revelou trabalhadores em uma fábrica sul-africana matando e mutilando cabras chorando. Os varejistas se juntaram a várias marcas de moda – incluindo a Topshop, a Gap, a Old Navy, a Banana Republic, a Athleta, a Zara e a H&M Group – em colocar materiais derivados de animais na lista negra.

As marcas Anthropologie e Express banirar a lã mohair (Foto: Divulgação)
As marcas Anthropologie e Express banirar a lã mohair (Foto: Divulgação)

A violência nas fazendas de pelos de cabra é perpetuada pelos padrões da indústria, como pagar os tosquiadores pelo volume e não pela hora, o que os encoraja a trabalhar rapidamente, o que muitas vezes resulta em ferimentos nos animais. Segundo a PETA, o anúncio da proibição veio depois que a Anthropologie recebeu mais de 18 mil cartas de defensores da organização de direitos dos animais. A partir de março de 2019, a marca deixará de comprar ou produzir produtos de pelo de cabra.

A Express ainda não divulgou uma data oficial de proibição. “Nenhum suéter ou lenço vale o sangue e o choro de cabras”, disse Anne Brainard, diretora de Assuntos Corporativos da PETA. “A PETA está pedindo à Forever 21 e a todos os outros varejistas que se juntem à Anthropologie, Express e a outras grandes marcas para se recusarem a apoiar a cruel indústria de pelo de cabra.”

​Read More