Destaques, Notícias

Caçador aprisiona raposas para vender suas peles

“Sou um caçador, nasci caçador e está no meu sangue. Vou continuar fazendo isso até que eu esteja em um caixão”, disse ele

David Snead com as raposas que caçou. Foto BBC News

Embora a criação de peles tenha sido proibida no Reino Unido em 2000, a captura de peles ainda é legal para certos animais selvagens, como raposas, coelhos e vison, ou seja, não se pode criar animais para extração de suas peles, mas é permitido caçar um animal, consumir sua carne e utilizar sua pele.

David Sneade, do sul do País de Gales, está aprisionando legalmente raposa para atender uma demanda por peles na Europa e outros países. “Sou um caçador, nasci caçador e está no meu sangue. Vou continuar fazendo isso até que eu esteja em um caixão”, disse ele à BBC News.

Muitos ativistas pelos direitos animais disseram que ele está causando sofrimento às raposas e querem uma lei que proíba a prática. No entanto, a captura de raposas é permitida no país como uma forma de “controle de pragas”.

Um porta-voz do governo galês disse ao jornal: “Introduzimos um novo código de prática para armadilhas em 2015 e estamos considerando opções para regulamentar seu uso para ajudar a garantir que o código seja respeitado, mas não estamos planejando revisar os regulamentos atuais sobre aprisionar ou vender peles de animais como raposas e coelhos “.

Muito à vontade em caçar e matar raposas com autorização do governo, David Snead declarou: “Estou ajudando o meio ambiente mantendo a população de raposas baixa. Elas atacam as aves que nidificam no solo, ovelhas e ainda consomem um número considerável de cordeiros a cada ano “.

Em uma temporada de oito semanas a cada inverno, o caçador disse que pega cerca de 300 raposas. A maioria será exportada para a Suécia e a América do Norte, onde serão usadas como enfeites de peles para casacos ou como peles de raposa inteiras.

Imagens chocantes capturadas por ativistas e entregues à BBC mostraram uma raposa lutando em uma armadilha de Sneade que mata é visto matando o animal com uma vara de madeira. Enquanto o caçador prossegue com a matança alegando que nada tem a esconder, grupos de ativistas tentam convencer o governo sobre a crueldade explícita no controle de raposas.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More
Notícias

O jovem estilista Pedro Lourenço leva pele de raposa à passarela

(da Redação)

Pedro Lourenço apresenta peças com pele verdadeira na coleção para o Inverno 2011. Foto: Antonio Barros/UOL

É impressionante a insistência de alguns estilistas consagrados e de outros ainda em início de carreira em usar a crueldade para criar as suas coleções. Desta vez foi  Pedro Lourenço, um garoto de 20 anos, filho de Gloria Coelho e Reinaldo Lourenço, que distante da consciência, da ética e da compaixão usou pele de raposa em peças de seu novo trabalho.

Ele apresentou a nova coleção nesta sexta-feira (4), durante seu terceiro desfile na escola de Belas Artes em Paris, o segundo dentro do line-up oficial da Semana de Moda Francesa.

Logo após a apresentação em Paris, ele disse que este foi um desfile “mais maduro”. Uma pena que a maturidade tenha chegado com absoluta inconsciência. Ele mostrou ainda peças em couro e lãs felpudas.

​Read More
Destaques, Notícias

Patinador artístico desiste de usar peles de animais após ser pressionado por ativistas

Por Marcela Couto (da Redação)

O patinador artístico Johnny Weir, famoso pela polêmica que criou usando peles de animais em suas fantasias, decidiu que vai adotar a pele falsa nas competições a partir de agora.

Weir recebeu tantos protestos e emails furiosos de defensores dos direitos animais que não conseguiu suportar mais a situação.

“Gostaria de anunciar que, devido a pressões e ameaças sofridas por determinado grupo de defesa dos animais, eu trocarei a pele original de raposa da minha fantasia para os Jogos Olímpicos de 2010 por pele falsa”,  disse Weir em declaração oficial. “Tomei essa decisão para não colocar em risco minha imagem e a imagem da minha designer, não quero que algo tão bobo quanto um material de fantasia atrapalhe meu grande sonho de participar de uma Olimpíada.”

“Espero que esses ativistas entendam que isso não foi uma vitória deles, e sim um empate”, provocou Weir. “Não estou mudando minha opinião, apenas protegendo minha integridade.”

Priscilla Feral, presidente do Friends of Animals, garantiu à Associated Press que ninguém do grupo ameaçou o patinador.

“Estou feliz com a decisão dele de tirar a pele dos animais de suas fantasias, é uma notícia ótima e é muito bom ouvir isso”, disse Feral.

Weir já havia declarado antes à ESPN que era perseguido pelo PETA desde 2006, recebendo emails com vídeos mostrando os horrores das fazendas de pele.”Não me ataquem por minha escolha pessoal, vocês protegem os animais mas temos muitos soldados morrendo mundo afora.”

É uma pena que a escolha pessoal de Weir condene milhares de animais a uma morte torturante, e portanto não poderá ser respeitada como ele deseja. Os soldados mortos são uma criação nossa, e com certeza as raposas não têm culpa disso.

Mais uma vez temos a prova de que vale a pena manifestar-se contra atos de crueldade contra os animais, pois a atitude de Weir, mesmo arrogante, poupará vidas de raposas que seriam esfoladas vivas. E isso só aconteceu graças ao esforço e pressão exercida pelos ativistas.

Com informações de M&C

​Read More
Destaques, Notícias

Patinador usa pele de raposa e zomba do sofrimento animal nos EUA

Por Marcela Couto (da Redação)

A organização Friends of Animals publicou uma carta criticando o patinador artístico Johnny Weir por usar pele de raposa em uma de suas fantasias. A designer de roupas do artista também foi contatada, em um apelo para o fim dessa crueldade.

Foto: Elaine Thompson, File

“Eu conheço a sujeira toda da indústria de peles e como os animais são maltratados. Mas isso não é o tipo de coisa que eu coloque como prioridade na minha vida”, declarou Weir na terça-feira. “Humanos estão morrendo todo dia, veja só o que aconteceu no Haiti.”

O patinador ainda disse que “prefere concentrar sua energia na causa humana”, e pelo jeito para ele isso significa desprezar a vida dos animais como se fossem lixo.

Weir diz ser amante da moda, e suas fantasias tendem para uma linha mais avant-garde. Ele mesmo sugeriu que pedaços de raposa fossem costurados aos seus novos trajes.

Weir acha que sua fantasia é “adorável”, mas o Friends of Animals discorda. Raposas são eletrocutadas ou espancadas, e suas peles muitas vezes arrancadas quando ainda vivas.

“Elé formador de opinião para muitas pessoas, incluindo outros patinadores”, disse Priscilla Feral, presidente da Friends of Animals. “Ele zomba do sofrimento dos animais inflingido pela sua estúpida indústria da moda, as raposas são sacrificadas cruelmente para que ele possa usar pedacinhos de pele em seu traje.”

O Friends of Animal não foi o primeiro grupo a criticar Weir. A organização ETA já lhe enviou cartas e até vídeos mostrando as atrocidades cometidas em fazendas de pele.

“Todo patinador usa patins que foram feitos com couro de vaca”, disse Weir. “Talvez eu esteja usando raposinhas bonitinhas enquanto todos usam simples vacas, mas ainda assim estamos todos usando pele de animais.”

Pois é, Weir, as duas atitudes são igualmente condenáveis. Nenhum animal desse mundo deveria ser condenado a uma morte torturante em nome da sua “adorável” fantasia, muito menos em nome de alguns pares de patins.

Com informações de KansasCity.com

​Read More