Home [Destaque N2], Notícias

Elefantes são submetidos a processo torturante de implantação de presas

Reprodução

Que elefantes em cativeiro sofrem torturas e diversos abusos em relação à jornadas extensas de trabalho não é novidade. Esses animais são explorados para turismo, trabalho e entretenimento, sendo expostos em circos, sendo mortos por suas peles e marfim, e sendo obrigados a transportar turistas e cargas pesadas em troca de quantias ínfimas de dinheiro aos humanos que exploram os elefantes. Porém, além disso, denúncias de outras crueldades tem sido denunciadas contra esses belos animais.

Uma denúncia em vídeo publicado pela Sociedade do Bem-estar dos Elefantes mostra ainda mais tristeza na vida dos elefantes em cativeiro. Além de serem forçados em competições, a realizar interações sociais e serem mantidos em pequenas jaulas, imagens mostraram homens ajustando uma presa protética no coto do dente podre de um elefante.

Informações do One Green Planet explicam que essas presas artificiais são presas com parafusos e placas de metal. Certamente, um processo desconfortável e doloroso aos animais, além de completamente desnecessário e cruel. Este procedimento faz com que as gengivas do elefante fiquem gravemente inchadas e inflamadas. Além disso, os animais são obrigados a andar por ruas cheias de gente, cercados por ruídos e gritarias que intensificam ainda mais o estresse dos animais.

Proteção

Instituições de proteções de elefantes e animais selvagens estão organizando e se mobilizando para evitar todo e qualquer tipo de exploração e tortura animal, e nomes como a Sociedade para o Bem-estar dos Elefantes, a Fundação Save Elephant, a Proteção Animal Mundial, o David Sheldrick Wildlife Trust e o World Wildlife Fund estão entre as instituições que devem ser auxiliadas e acompanhadas para informações sobre a proteção desses animais.

Com a morte de inúmeros e inocentes animais, o trabalho escravo sofrido por elefantes já idosos e doentes e a caça que afronta a espécie, esses belos e fortes animais permanecem fortes na luta contra os seres humanos que buscam explorá-los. Infelizmente, a espécie ainda é alvo de muitas crueldades, mas ativistas lutam para que um futuro melhor e sem sofrimento os aguarde.

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Elefantes asiáticos são ameaçados pelo comércio de pele

Um grupo de defesa de elefantes no Reino Unido alegou que houve um aumento na demanda chinesa por produtos feitos de pele de elefante, e anunciou que isso está levando à morte estes animais selvagens.

A crescente demanda está criando uma ameaça ainda maior para os elefantes selvagens da Ásia do que o comércio ilegal de marfim, já que apenas os animais machos apresentam presas.

Em um relatório, o grupo Elephant Family disse que a ameaça aos elefantes asiáticos é maior em Myanmar, e alertou que os animais poderiam desaparecer completamente em metade das áreas onde eles vivem agora caso as condições de exploração desses animais nos comércios ilegais continuassem.

Relatório da Elephant Family denuncia o comércio de pele de elefantes na Ásia. A brutalidade pode prejudicar ainda mais os animais que o comercio de marfim. (Foto: Elephant Family/Divulgação)
Relatório da Elephant Family denuncia o comércio de pele de elefantes na Ásia. A brutalidade pode prejudicar ainda mais os animais que o comercio de marfim. (Foto: Elephant Family/Divulgação)

O relatório apontou ainda que a ameaça é maior aos elefantes até mesmo do que a do comércio de marfim na região. A Elephant Family informou que seus estudos mostraram que a pele do animal é transformada em partículas finas e vendida na China como ‘cura para a dor de estômago’, e que também pode ser moldada para uso em jóias.

Belinda Stewart-Cox, da Elephant Family, falou ao VOA News que assiste aos elefantes asiáticos em 2014, e que houve “um grande aumento da publicidade, campanhas publicitárias e vendas aparentes” dos animais.

A pesquisa identificou 50 comerciantes chineses individuais que vendem através das mídias sociais, e também que a Administração Florestal do Estado da China aparentemente aprovou permissões para alguns produtos que contêm pele de elefante.

“No momento em que a China mostrou compromisso em acabar com seu comércio interno de marfim, seria preocupante e perverso descobrir que, ao mesmo tempo, está criando uma nova demanda legal por produtos de pele de elefante”, denunciou Belinda.

Falta de controle das autoridades

A organização que realizou a pesquisa entrou em contato com autoridades chinesas e trabalhou em estreita colaboração com autoridades de Myanmar para levantar a questão.

A Elephant Family supõe que a atual população de elefantes silvestres de Myanmar está com cerca de 2 mil animais. O Departamento Florestal de Mianmar teria descoberto que as mortes de elefantes selvagens aumentaram nos últimos anos, de 26 em 2013 para pelo menos 61 em 2016. A organização diz que a maioria dessas mortes resultou da caça para exploração desses animais.

​Read More