Notícias

Onça parda morre após ser atropelada em rodovia em Várzea Grande

Foto: Carlos Renato/Arquivo Pessoal
Foto: Carlos Renato/Arquivo Pessoal

Uma onça parda foi encontrada morta em um trecho da BR-070, no município de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. O animal foi encontrado por moradores da região conhecida como ‘Cinquentinha’. Segundo eles, ela foi atropelada na quinta-feira (5) e não havia sido retirada da pista até sexta-feira (6).

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) informou, por meio de nota, que uma equipe foi enviada para fazer o resgate, no entanto, o animal não foi encontrado.

Segundo Júlio Cézar Torales Trindade, que é proprietário de uma fazenda na região, o animal ficou exposto na pista até a manhã de sexta-feira. A suspeita é o que animal tenha sido atropelado por algum veículo.

Em nota, a Sema informou que moradores relataram que uma pessoa passou pelo local e levou o corpo do felino. De acordo com o gerente da fauna da pasta, outros dois resgates de felinos foram feitos recentemente no local. “A região é um tipo de corredor ecológico frequentado por felinos, devido à abundância de presas e córregos”, disse.

Resgate de animais silvestres

Desde 2015, mais de 1,4 mil animais silvestres foram resgatados pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) em Mato Grosso, entre veados, aves, tamanduás, onças e jaguatiricas.

Os animais resgatados em todo o estado são acolhidos no Centro de Triagem da Sema, localizado em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. Desse total, mais de mil animais foram soltos na natureza e 140 morreram.

Entre os animais resgatados estão onças (pardas e pintadas), antas, tamanduás, veados, gatos mouriscos, gaviões de penacho e jaguatiricas.

De acordo com o governo, 151 animais ainda estão no Centro de Triagem e devem passar por exames. Outros 49 já foram levados para criadouros ou guarda provisória e 1.075 foram devolvidos à natureza. A maior parte dos animais resgatados é vítima de atropelamentos em rodovias ou vive irregularmente em casas na cidade.

Fonte: G1

 

 

​Read More
Notícias

Onça parda aparece em condomínio no bairro Uvaranas, em Ponta Grossa

Divulgação
Divulgação

Uma onça parda apareceu na zona urbana de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, na manhã desta quarta-feira (9). De acordo com a Polícia Ambiental, a suçuarana surgiu em um condomínio residencial na Rua Afonso Celso, no bairro Uvaranas.

O animal foi resgatado pelos policiais ambientais e deve passar por uma avaliação médica em uma clínica veterinária. Se estiver bem, pode ser solto na região do Parque de Vila Velha ainda durante a noite.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Morre onça parda que foi caçada por quatro homens em Rio Claro (SP)

Onça foi encontrada presa a uma armadilha na mata em Rio Claro (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Onça foi encontrada presa a uma armadilha na mata em Rio Claro (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

A onça parda que foi caçada por quatro homens em Rio Claro (SP) não resistiu aos ferimentos e morreu na noite de sexta-feira (21). O animal macho com pouco mais de 1 ano foi encontrado preso a uma armadilha na Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (FEENA).

Os quatro caçadores foram detidos em uma operação conjunta da Polícia Militar e Polícia Militar Ambiental. O grupo foi levado para a delegacia de Santa Gertrudes para prestar depoimento. Eles foram autuados em flagrante por caça em unidade de conservação e foram multados. O valor não foi informado. Os quatro homens vão responder pelo crime em liberdade.

A onça foi resgatada pela ONG Mata Ciliar. Segundo a Polícia Ambiental, os caçadores também estavam com um filhote de javaporco, que foi encontrado já sem vida, e duas armadilhas.

A polícia informou que a segurança do parque desconfiou que os homens estivessem armados e acionou a PM. O grupo foi abordado pelos policiais, que não encontraram armas.

Crime ambiental
A caça em Unidades de Conservação é crime ambiental previsto por Lei. Segundo o artigo 29, matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória pode gerar detenção de seis meses a um ano, além do pagamento de multa.

A Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade foi criada em 1909 e possui 2.230 hectares. Está localizada no limite leste da zona urbana de Rio Claro e cumpre importante papel no clima local da cidade. É conhecida como o “berço do eucalipto” e conta com a maior variedade de espécies de eucalipto, tendo cerca de 32 variedades de sete países diferentes do mundo.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Onça parda fica gravemente ferida ao ser atropelada por carro no Paraná

Divulgação
Divulgação

Uma onça parda ficou gravemente ferida ao ser atropelada por um carro no quilômetro 300 da PR-151, em Castro, na região dos Campos Gerais do Paraná, às 21h30 de quinta-feira (20). Segundo a Polícia Ambiental, o acidente foi próximo à localidade de Tronco. O motorista não ficou ferido.

A polícia chegou ao local, acompanhada de um veterinário, depois de ser chamada por um funcionário da concessionária que administra o trecho, a CCR Rodonorte.

Segundo a Polícia Ambiental, a o animal estava no acostamento. Ele foi sedada e depois levada para uma clínica veterinária em Ponta Grossa, também nos Campos Gerais, para fazer exames, para ser medicada e para receber um tratamento adequado em seguida.

O animal é um macho e pesa 41,3 quilos. De acordo com o veterinário que está cuidando da onça, Robson Klimiont, ela sofreu fraturas múltiplas na pelve. “Está em estado grave”, ainda conforme ele.

Ainda na manhã desta sexta-feira (22), segundo Klimiont, o animal continua internado e deve passar por mais exames. Conforme a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), que fez o registro do acidente, o motorista que atropelou a onça acionou os órgãos responsáveis logo depois da batida. O carro tinha placas de Ponta Grossa.

Divulgação
Divulgação

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Onça parda é encontrada morta na zona rural de Queiroz (SP)

12
Divulgação

O Corpo de Bombeiros localizou uma onça parda morta em um canavial da zona rural de Queiroz (SP), na quarta-feira (3). A corporação foi acionada para fazer o resgate do animal, que estava ferido. No entanto, quando os bombeiros chegaram ao local a onça já estava morta.

O Corpo de Bombeiros suspeita que o animal tenha sido atingido por um tiro. O projétil quebrou a perna traseira da onça, que não resistiu ao ferimento.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Documentaristas resgatam filhote de onça-parda abandonado na Amazônia

O filhote foi encontrado pelo grupo dentro de um tronco oco, perto de um rio no estado do Amazonas (Foto: Divulgação/Fernando Lara)
O filhote foi encontrado pelo grupo dentro de um tronco oco, perto de um rio no estado do Amazonas (Foto: Divulgação/Fernando Lara)

Brasileiros que participam de uma expedição para registrar a fauna da Amazônia interromperam os trabalhos no início deste mês para resgatar um pequeno filhote de onça-parda, encontrado abandonado na região do Rio Abacate, no estado do Amazonas.

De acordo com o documentarista Fernando Lara, da expedição Rotas Verdes Brasil, durante uma caminhada o grupo ouviu o choro do filhote, que foi encontrado perto da margem do rio, no interior de um tronco oco.

Como havia o risco da mãe do pequeno felino voltar a qualquer momento, a equipe monitorou o filhote durante quatro dias. Como a fêmea não retornou, o resgate foi feito.

O filhote foi levado para Manaus e ficou sob os cuidados do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). Ele será mantido no local até chegar a vida adulta, quando será tentada a reintrodução do animal no ambiente selvagem.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Filhote de onça é resgatado baleado e com corte na cabeça em Ribeirão Preto (SP)

Onça recebe tratamento no Zoológico de Ribeirão Preto (Foto: Divulgação/Zoológico de Ribeirão Preto)
Onça recebe tratamento no Zoológico de Ribeirão Preto (Foto: Divulgação/Zoológico de Ribeirão Preto)

É considerado estável, porém ainda grave, o estado de saúde de um filhote de onça parda resgatado com um corte no crânio e marcas de tiro na Zona Leste de Ribeirão Preto (SP). Na tarde desta terça-feira (10), o animal foi solto em um recinto no Zoológico Municipal, onde está internado, mas permaneceu deitado e não saiu da jaula.

A onça – um macho de aproximadamente 2 anos – foi capturada pelo Corpo de Bombeiros na noite desta segunda-feira (9) em uma chácara no Jardim Anhanguera. O animal foi encontrado com manchas de sangue e um corte profundo no crânio, provavelmente causado por golpe de arma cortante, segundo o zootecnista Alexandre Gouvêa, responsável pelo Zoológico Municipal.

Ainda de acordo com Gouvêa, a onça apresentava marcas de tiro no corpo. O animal passou por uma cirurgia e permanece em observação. Os veterinários do zoológico constataram que a onça sofreu traumatismo craniano. Além disso, o golpe atingiu a meninge, o que pode causar danos irreversíveis ao animal. O estado de saúde ainda é considerado grave.

Gouvêa afirma que a onça deve continuar em tratamento no zoológico por sete dias, quando será realizada uma avaliação para definir se o bicho poderá ser solto novamente. “O prognóstico do animal é muito desfavorável. Ele ainda não conseguiu andar. Nestes sete dias, ele ficará em observação e receberá mais curativos. É um período fundamental para termos ideia se ele vai poder ser solto”, diz.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Onça é devolvida à natureza após ser resgatada em SP

Soltura foi na manhã desta terça-feira (7). Animal passou 10 dias em tratamento na ONG Mata Ciliar, em Jundiaí.

Foto: G1

A onça capturada em Santa Rita do Passa Quatro, interior de São Paulo, está pronta para voltar à natureza. Durante dez dias, passou por tratamento na ONG Mata Ciliar, em Jundiaí, também interior. “Agora está ótima”, conta o veterinário Paulo Anselmo. O animal tem 1,60 metros e recebeu o nome de Rita, devido a cidade que foi capturada.

O onça viajou mais de 200 quilômetros até chegar na região que ganhou a liberdade nesta terça-feira (7). A área de mata escolhida é grande e tem outras sussuaranas. “Ela vai se dar bem, vai poder voltar a caçar”, diz Cristina Harume, coordenadora da Fauna Associação Mata Ciliar.

Captura

A operação para capturar uma onça-parda mobilizou o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e uma associação ambiental. O animal, que invadiu casas e assustou moradores, foi capturado após cerca de sete horas de muito trabalho.

Boa parte do bairro Jardim Itália parou para acompanhar a captura da suçuarana. Um cerco foi armado em uma casa onde ela estava desde a madrugada. “A minha mãe foi abrir o portão e gritou que tinha um animal no carro. Meu irmão começou a bater no capô, eu deitei no chão para olhar e vi a onça. Eu tremia muito, porque dar de cara com uma onça às 6h30 não é brincadeira”, disse a dona de casa Luciane Tacon.

Uma tentativa de capturá-la com uma rede não deu certo. O animal chegou a ficar enroscado, mas conseguiu se soltar e pular o muro da casa. Em seguida, o felino saltou a cerca elétrica de outra casa e causou pânico entre os moradores. O animal se movimentou pela terceira vez e deixou os moradores nervosos.

Enquanto a operação acontecia, a onça saiu de um terreno e correu quatro quarteirões em grande velocidade. Com medo, entrou em outra casa e o morador conseguiu fechar a porta. “Ela entrou, deu uma bufada e abriu a boca, mas eu dei conta do recado e fechei ela dentro”, disse o morador.

Biólogos da Associação Mata Ciliar de Jundiaí e de Santa Rita do Passa Quatro conseguiram acertar tranquilizantes na onça. Após alguns minutos, ela foi examinada com detalhes.

Assista à reportagem aqui.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Onça-parda fica mais de 7 horas no alto de árvore até ser resgatada no PR

Onça ficou em árvore desde às 10h30 desta segunda (24). (Foto: Christian Camargo/Divulgação)

A Polícia Militar Ambiental informou que a onça-parda encontrada em Tibagi, no Paraná, ficou mais de sete horas no alto da árvore até ser resgatada, na noite de segunda-feira (24). O resgate durou cerca de três horas e após a retirada ela foi encaminhada para uma reserva ambiental.

Participaram da ação a Polícia Militar Ambiental, Corpo de Bombeiros e biólogos da Usina de Mauá, em Telêmaco Borba, município vizinho de Tibagi. O animal foi sedado minutos antes com quatro doses de tranquilizante.

A onça apareceu durante a tarde no telhado da casa de um dos moradores. “Eu e meu esposo estávamos dentro de casa. Percebemos a ‘visita inesperada’ quando ouvimos o latido da cadela. Quando olhamos para cima, avistamos a fera” contou a dona de casa Nair Souza.

A Polícia Ambiental foi acionada, foi quando o animal saltou para o alto da árvore. A fêmea pesa 40 kg e tem um ano de idade.

Assista ao vídeo.

Onça deve ser solta nesta quarta-feira

Quase nove horas depois de ser avistada no alto da árvore a onça-parda que chamou a atenção dos moradores foi finalmente resgatada por equipe de biólogos e veterinários que trabalham na obra da Usina Mauá, em Telêmaco Borba.

Os especialistas tiveram de usar quatro dardos com sedativo para tentar imobilizar a Suçuarana, que despencou do galho no final do dia (segunda-feira, 24) e foi acolhida numa rede. Apesar de ter reagido e se debatido bastante, o felino que pesa entre 25 e 30 quilos foi capturado e levado a uma reserva ambiental na cidade vizinha.

Damil de Azevedo Filho, biólogo que participou do resgate, conta que o animal tinha um ferimento pequeno no pescoço e receberá atendimento especializado. “Nenhum dos quatro dardos penetrou bem a pele dela. Cada dardo soltou um pouco do anestésico no animal. O resgate foi bastante complicado porque em situação de estresse, o animal libera grande descarga de adrenalina”, relata.

A onça, também conhecida como Puma, ficará em observação por 48 horas e depois receberá nova avaliação médica. “Se o bicho não tiver lesão e seu estado de saúde for favorável, ele deve ser solto ainda nesta quarta-feira [26] na própria reserva”, garante o soldado Evaldo Correia, da Polícia Ambiental/Força Verde.

Além da equipe de biólogos, dois policiais da Força Verde participaram da ação de captura. Com uma escada, um deles tentou resgatar a onça no topo da árvore, mas ela fugiu e buscou abrigo em outra árvore. “É um animal com entre 10 a 12 meses de vida e bastante arisco”, relata Damil.

“É uma filhote, mas já não é totalmente dependente da mãe, está desmamada e sabe caçar”, defende, ressaltando que ela deve se adaptar novamente à vida na mata. “A reserva em que será solta tem grande quantidade de mamíferos de pequeno porte, que servem de alimentação”, acredita.

Para ele, acostumado a capturar animais na área da construção da usina, a situação foi inusitada. “Já vi onças passando perto do carro, mas ter contato mesmo foi a primeira vez. Um animal desse, predador, topo de cadeia, felino, é difícil de encontrar e vou lembrar sempre, carregar essa experiência para o resto da vida”, revela.

Com informações do G1 e Paraná Online

​Read More
Notícias

Condomínios e queimadas ameaçam felinos em São Paulo

Em uma manhã de segunda-feira, em setembro de 2009, Anhanguera parou o trânsito. A onça-parda, um macho, foi atropelada na altura do km 71 da rodovia de mesmo nome. Quebrou caninos, sofreu contusões e hoje é monitorada 24 horas por veterinários. Aguarda a chance de voltar à natureza.

Onça-parda, também conhecida como suçuarana (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Sua história se assemelha à de Goiabeira, outra onça-parda. O felino foi encontrado no quintal de uma casa em Jundiaí (SP). Acuado por humanos, subiu em uma goiabeira e ali ficou até ser capturado pelo Corpo de Bombeiros e levado à Associação Mata Ciliar, que mantém o Centro Brasileiro para Conservação dos Felinos Neotropicais e abriga também Anhanguera.

O acelerado processo de urbanização de regiões do interior paulista, como Jundiaí, Vinhedo, Louveira e Campinas,está fazendo com que uma cena inusitada se torne cada vez mais comum: a aparição de onças em áreas urbanas. Apenas nos últimos dois meses, três onças-pardas apareceram nessas regiões. E, no último fim de semana, também dois lobos-guarás.

Segundo informações do Centro Nacional de Conservação e Pesquisa de Mamíferos Carnívoros (Cenap), ligado ao Ministério do Meio Ambiente, nos últimos três anos tem ocorrido uma média de três aparições de onças em áreas urbanizadas a cada dois meses.

“Nos meses de inverno, especialmente entre julho e setembro, esses encontros se tornam mais frequentes. Há muitas queimadas, o que provoca um deslocamento maior dos animais”, explica Rogério Cunha de Paula, analista ambiental do Cenap.

Segundo a ONG Pró-Carnívoros, nos últimos dois anos foram registradas 20 aparições de onças-pardas em áreas urbanas de São Paulo e Minas Gerais. “Os animais estão encurralados”, resume Fernando Azevedo, pesquisador da Pró-Carnívoros.

Condomínios

Além das queimadas, a expansão dos condomínios residenciais – muitos com apelo ecológico – e dos canaviais está reduzindo o hábitat dos animais. “É um problema sério. Em 12 anos de atividades, nunca havíamos recebido chamados para resgatar onças. Há um ano isso se tornou comum”, diz Cristina Adania, coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar. Doutora em felinos pela Universidadede São Paulo (USP), a veterinária critica a expansão dos condomínios que avançam sobre áreas remanescentes de Mata Atlântica.

“As pessoas querem viver próximas à natureza, mas se assustam quando se deparam com um macaco ou onça no quintal. São os bichos que estão em uma encruzilhada”, diz Cristina. “As poucas áreas verdes que sobraram viraram jardins particulares dos condomínios”, critica.

A Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo, que compartilha com os municípios o licenciamento ambiental dos condomínios, minimiza o problema. “A maioria dos empreendimentos usa áreas degradadas, onde a paisagem já foi modificada, evitando ao máximo a supressão da vegetação”, diz Claudia Schaalmann, especialista em fauna da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais da secretaria. Ela adverte, porém, que é preciso que os empreendimentos monitorem a fauna e implantem corredores que facilitem o deslocamento dos animais.

Fonte: Estadão



​Read More
Notícias

Onça-parda é encontrada em fazenda em Resende (RJ)

Uma onça-parda, de aproximadamente um metro de comprimento, foi encontrada nesta sexta-feira (2) em Resende, no Sul do estado do Rio. O animal foi encontrado na parte da manhã em uma fazenda do distrito de Bulhões.

O responsável pela fazenda disse que o animal estava muito assustado, no alto de uma árvore. A onça foi levada para o quartel dos bombeiros de Resende.

Os bombeiros informaram que ela será solta no Parque Nacional do Itatiaia.

 Fonte: G1

​Read More
Notícias

Onça-parda capturada no interior de SP será solta nesta sexta-feira

O Corpo de Bombeiros de Orlândia (SP) capturou nesta quinta-feira (15) uma onça-parda de 70 quilos, em uma mata próxima de um bairro residencial em Sales Oliveira.

Um morador viu e chamou os bombeiros. Veterinários utilizaram tranquilizantes disparados por meio de um dardo de pressão, que alcançou o animal em cima de uma árvore.

“Ela subiu a uns oito metros de altura. Colocamos uma rede embaixo para pegá-la na hora da queda”, disse o bombeiro Eurípedes Caminotto.

A onça foi levada para a Polícia Ambiental de Orlândia e deve ser solta nesta sexta-feira.

Fonte: A Cidade

​Read More