Notícias

Cadela é adotada após ser atropelada e ficar presa em para-choque de carro

Apesar do acidente e do risco que a cadela correu, ela sofreu apenas ferimentos leves


Uma cadela ficou presa no para-choque de um carro após ser atropelada no Ceará. Os ocupantes do veículo voltavam de Icaraizinho em direção a Amontada no sábado (6) quando o animal foi vítima do atropelamento.

Foto: Arquivo Pessoal

Ao perceber que a cadela havia sido atropelada, o grupo de amigos levou o animal até uma clínica veterinária. Comovido com a história, um dos ocupantes do carro decidiu adotar a cadela. As informações são do G1.

O animal ficou preso no para-choque do veículo por bastante tempo, percorrendo vários quilômetros em situação de risco. Os amigos só perceberam que havia uma cadela presa ao carro quando chegaram ao seu destino.

Foto: Reprodução

“Eu não estou acreditando nisso aqui. Estou registrando”, disse um dos ocupantes do carro, surpreso com a presença do animal.

Apesar do acidente, a cadela sofreu apenas ferimentos leves e, após ser retirada do para-choque, andou normalmente.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques

Wombat é perseguido e atropelado por motorista em pista de corridas

Imagem ilustrativa | Foto: David Mariuz/EPA
Imagem ilustrativa | Foto: David Mariuz/EPA

Um vídeo perturbador divulgado na rede social Snapchat mostra um wombat (marsupial endêmico da Austrália) sendo perseguido e atropelado por um motorista em uma pista de corrida na Tasmânia.

As imagens gravadas por um celular mostraram um jovem provocando o wombat depois que ele foi atingido pelo um veículo dirigido por ele (um modelo grande e tração nas quatro rodas) na pista de corridas Baskerville Raceway, em Hobart, na noite de sábado (12).

O animal pode ser visto pendurado no para-choque do carro e a frente do veículo coberta de sangue.

O ataque ocorre em seguida de outra agressão envolvendo um animal da mesma espécie, onde um policial foi filmado rindo enquanto apedrejava o wombat até a morte no sul da Austrália no início deste mês.

Um homem no vídeo pode ser ouvido dizendo: “Acabei de dar um soco no traseiro do wombat, esse idiota fracote”.

O agressor então mostra a mão com sangue nas articulações.

O diretor do Santuário de Animais Selvagens, Bonorong Wildlife Sanctuary, Greg Irons, disse que ficou sem palavras depois de assistir ao vídeo na terça-feira (15).

“Você pega esses assassinos cruéis e desumanos como esse cara que vimos no vídeo, que são capazes de qualquer coisa para obter alguma notoriedade, querendo bancar tipo de imagem de durão, é nojento”, disse ele à ABC.

“Não há nada de durão nisso, você é o mais fraco dos fracos, ferir um animal que não pode se defender é covardia e 99,9% da comunidade concordaria comigo”, disse ele.
O vídeo foi compartilhado com um grupo da comunidade no Facebook, onde várias pessoas expressaram sua indignação.

Wombat | Foto: MLHARING/ISTOCKPHOTO
Wombat | Foto: MLHARING/ISTOCKPHOTO

“Há muita gente realmente chateada por aqui”, disse o administrador de uma página da comunidade ao 7NEWS.com.au.

Um porta-voz do Departamento de Indústrias Primárias, Parques, Água e Meio Ambiente disse ao Daily Mail Australia que o vídeo está sendo investigado.

“O Departamento está atualmente investigando um vídeo que está circulando nas mídias sociais em que um indivíduo é filmado causou danos a um wombat”, disse o porta-voz.

“O dano deliberado a qualquer fauna silvestre é completamente inaceitável, e todos os relatórios são consideradas agressões extremamente sérias pelo Departamento.”

O vídeo surgiu na esteira de outro ataque onde o policial Waylon Johncock, residente do sul da Austrália, foi filmado atirando pedras repetidamente em um wombat na Península de Eyre, no sul da Austrália.

Johncock, que estava de folga na época, foi visto perseguindo o animal indefeso enquanto um companheiro ria e filmava a agressão de um carro.

O homem que dirigia atrás de Johncock disse-lhe para “se aproximar ao máximo” antes que o policial pegasse uma pedra e a arremessasse contra o animal enquanto ele tentava fugir. O animal foi resgatado mas não resistiu aos ferimentos.

Johncock esta sob investigação da polícia, mais de 300 mil pessoas assinaram uma petição on-line pedindo que o policial fosse punido e exigindo uma revisão da lei de proteção à fauna silvestre com penas mais severas.

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Coala atropelado e arrastado em rodovia sobrevive e se recupera bem

Após ser atingido por um carro e arrastado em alta velocidade na estrada movimentada por quilômetros, o animal surpreendeu os cuidadores do hospital com uma rápida recuperação


 

A jovem coala de três anos chamada de Wazza | Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala
A jovem coala de três anos chamada de Wazza | Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala

A jovem coala estava tentando atravessar a rodovia Pacific Highway, ao norte de Kempsey, na costa norte de New South Wales, na Austrália, quando foi atropelada por um carro e ficou presa na grade de seu para-choque frontal.

Cheyne Flanagan, diretora clínica do Hospital Veterinário Port Macquarie Koala, disse que quando ouviu a equipe de socorro descrever que havia acontecido, esperava que o animal estivesse gravemente ferido.

“Não tenho certeza se o motorista sabia que a havia atingido ou não”, disse Flanagan.

“Ela foi arrastada por cerca de 10 km ao longo da estrada, com as pernas traseiras penduradas”.

Apesar do impacto, velocidade e distância, a coala conseguiu se libertar quando o motorista parou. Ao perceber o que havia acontecido, ele ligou para o hospital de animais imediatamente.

“Ele parou o carro, a coala pulou (fora da grade) e subiu correndo em uma árvore”, disse Flanagan.

“Eu já vi ferimentos em coalas arrastados por veículos antes, e é uma situação horrível, mas quando pegamos o animal e começamos a lidar com ela, não era tão ruim quanto pensávamos”.

Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala
Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala

“Acho que ela gastou meia dúzia de vidas nesse acidente”, acrescentou a diretora, “Uma onda de adrenalina e hormônios”.

Flanagan disse que a coala sofreu algumas queimaduras de fricção relativamente pequenas na parte inferior das pernas traseiras.

“Havia o que você chamaria de erupção cutânea severa, mas não quebrou nenhum osso ou qualquer coisa parecida”, disse ela.

“Ela ficou com a pele arranhada em muitos lugares e um pouco dos músculos ficaram a mostra, mas nenhum tendão foi exposto”.

“Poderia ter sido horrível – ela poderia ter perdido os pés”.

O diretor clínico assistente do hospital veterinário, Scott Castle, disse que a jovem coala surpreendeu a todos: “Não houve danos graves na cabeça, no cérebro ou no corpo, além do que, simplesmente sair do para-choque e subir em uma árvore – é sinal de que nada de grave tinha acontecido com ela”, disse ele.

Flanagan disse que a resposta de luta (defesa) ou fuga da coala provavelmente levou à sua subida imediata na árvore: “Puro medo – quero dizer, ela ficou apavorada ao ser arrastada pela Pacific Highway”.

“Coalas, cangurus e todos os tipos de animais quando são atingidos e sentem dor e medo, eles recebem essa grande onda de hormônios do estresse e adrenalina.

Descansando e se recuperando bem

A coala, chamada de Wazza, tinha apenas três anos de idade.

Ela está sob os cuidados da equipe do hospital veterinário desde o acidente, há uma semana e meia.

Os curativos das pernas e pés foram removidas e ela foi transferida da unidade de terapia intensiva para um dos pátios externos do hospital para poder se movimentar livremente.

Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala
Foto: Hospital Veterinário Port Macquarie Koala

“O grande problema é onde devemos libertá-la – não há muitas árvores no local de onde ela veio”, disse Flanagan.

“Quando pegamos um coala, tentamos colocá-la de volta em um raio de 500 metros do ponto de captura”.

“Eles têm territórios domésticos e, se você tentar colocá-los em qualquer lugar longe deles, eles voltarão para eles, e depois terão que enfrentar novamente os carros, o tráfego e as cercas, correndo perigo”.

Motoristas são alertados a tomar cuidado na época reprodutiva.

Flanagan pediu aos motoristas que tomem cuidado com os coalas, porque eles se tornam muito ativos agora que a época de reprodução já começou: “Por favor, tenha cuidado, observe quando estiver em qualquer lugar onde haja vegetação e examine os lados das estradas para garantir que não haja vida selvagem”.

“Tivemos muitos atropelamentos recentemente”, disse ela, “Temos outro que chegou esta manhã de Crescent Head que foi atingido durante a noite – ele não parece muito bem”.

“Com veículos motorizados, ataques de cães e coisas assim, é muito difícil que eles escapem ilesos. Muitas vezes, eles vêm aqui com lesões muito avançadas, mas fazemos o que podemos”.

Flanagan disse que os números de coalas estão em sério declínio em NSW (New South Wales) e Queensland: “A parte mais difícil é que 90% dos coalas atingidos por carros ou atacados por cães tendem a ser animais realmente saudáveis, porque estão se movimentando mais”.

“Então essa é a perda de uma vida e isso é simplesmente horrível”, concluiu ela.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como
esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Seis gatinhos cruzam estados escondidos no para-choque do ônibus de turnê de banda de rock

Foto: Facebook/Sister Hazel
Foto: Facebook/Sister Hazel

Enquanto os membros e a equipe da banda de rock Sister Hazel viajavam de Nashville, no Tennessee, para Ocala, na Flórida, ambos estados dos EUA, na semana passada, eles começaram a ouvir ruídos estranhos vindo de algum lugar em seu ônibus de turnê. Eles decidiram que provavelmente era apenas o compressor de ar agindo, e não pensaram mais nisso enquanto continuavam sua jornada.

Horas depois, enquanto a banda se preparava para o show no local de Ocala, um dos membros da equipe entrou, preocupando-se com o som novamente. O gerente de turnê e produtor da banda refletiu que provavelmente era apenas o compressor de ar de novo, mas só por segurança, ele foi até o ônibus e fechou tudo – e ainda podia ouvir o barulho, claro como o dia.

Foi quando ele e todos os outros perceberam exatamente qual era o som: minúsculos miados vindo de algum lugar dentro do ônibus.

Foto: Facebook/Sister Hazel
Foto: Facebook/Sister Hazel

“Eles rastrearam no compartimento da bateria, atrás do pala-choque na parte da frente do ônibus, abriram-no e havia SEIS gatinhos lá”, escreveu Ken Block, vocalista do Sister Hazel, na página do Facebook da banda.

Três dos gatinhos foram fáceis de alcançar e pegar, mas os outros três estavam um pouco mais presos no fundo e levaram mais tempo para chegar até eles. Eventualmente, porém, todos os seis gatinhos estavam fora do ônibus e em segurança, e toda a banda e equipe ficaram perplexos com a forma como isso poderia ter acontecido.

Depois de ligar para o dono do ônibus, a banda foi informada de que havia um gato morando no ônibus da turnê que havia dado à luz a filhotes. Ela havia sido vista com seus gatinhos em um ônibus abandonado no estacionamento, mas deve tê-los transferido para o ônibus da turnê quando ninguém estava olhando. Infelizmente, a mamãe gata tinha sido recentemente atropelada por um carro e não sobreviveu, então seus pobres gatinhos ficaram sozinhos e órfãos.

Foto: Facebook/Sister Hazel
Foto: Facebook/Sister Hazel

“Ela (mamãe gata) deve tê-los transferido para o nosso ônibus. O que isso significa é que eles estavam embaixo do ônibus que partiu de Nashville em uma noite de quarta-feira em uma viagem de nove horas até a Flórida, ficaram presos o dia todo e depois mais seis horas de carro até Ocala – e foram descobertos somente à tarde”, escreveu Block.

Os gatinhos sobreviveram a uma provação e tanto, mas uma vez finalmente encontrados, seus salvadores queriam garantir que começassem a receber o amor e o cuidado que mereciam o mais rápido possível.

Foto: Facebook/Sister Hazel
Foto: Facebook/Sister Hazel

Felizmente, alguém que trabalha no local onde ocorreu o show de Ocala também trabalha para o Centro de Resgate Melissa Bell, que recebeu todos os seis gatinhos. Eles agora estão sãos e salvos aos cuidados do centro de resgate, ficando mais fortes a cada dia, e todos os envolvidos com a banda Sister Hazel ficam muito satisfeitos em saber que seus pequenos gatinhos mascotes vão ficar bem.

“Queremos encorajar os fãs a procurar o Centro de Resgate Melissa Bell, se estiverem interessados em adotar os novos gatinhos Hazel Head”, escreveu Block. “E não se esqueça de esterilizar e castrar seus animais de estimação.”

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cão é atropelado, fica preso no para-choque do veículo e sai ileso de acidente

Um cachorro foi atropelado por um carro e saiu ileso do acidente, que aconteceu na manhã deste sábado (15), na BR-101 Rodovia Rio-Santos, em Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio de Janeiro.

Foto: Tobias Pencinato/Arquivo Pessoal

O motorista do veículo não conseguiu desviar do animal, que ficou preso na estrutura do para-choque.

Segundo ele, o cachorro apareceu atrás de um ônibus e acabou sendo atingido. Depois de andar por aproximadamente 20 metros, o condutor do veículo — que é instrutor de autoescola — encontrou o cachorro preso ao carro.

Depois do susto, o animalzinho foi solto e seguiu pela estrada, sem ferimentos.

Foto: Tobias Pencinato/Arquivo Pessoal

Fonte: G1

Nota da Redação: a ANDA orienta aos leitores que, em caso de atropelamento de um animal, parem para verificar o estado de saúde ele e prestem socorro, encaminhando-o a uma clínica veterinária e, posteriormente, adotando-o ou oferecendo lar temporário para ele até que ele encontre um novo lar. 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. Doe agora.


 

​Read More
Notícias

Raposa viaja 150 km presa a para-choque de carro em Caldas Novas (GO)

Uma raposa ficou presa ao para-choque de um carro e viajou por cerca de 150 km dentro dele, de Goiânia a Caldas Novas (GO), conforme acredita o motorista do veículo. Ela foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros.

Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

O motorista contou aos bombeiros que tinha saído de Anápolis com destino a Caldas Novas, onde trabalha como médico uma vez por semana. Ele relatou ter ouvido um barulho estranho quando passava pela BR-153, em Goiânia, mas não percebeu nada diferente no carro. As informações são do G1.

O médico contou ainda que só parou o carro no Setor São José, já na cidade de Caldas Novas. Foi nesse momento que ele descobriu que a raposa estava presa na grade do para-choque do veículo. Ele, então, acionou o Corpo de Bombeiros.

Os militares acreditam que a raposa foi atropelada. Eles tiveram dificuldade para resgatá-la. Presa ao para-choque, ela estava assustada, além de ferida e sangrando.

Após ser socorrida por um médico veterinário, a raposa está se recuperando. Ela foi medicada e deve ser solta na Serra de Caldas assim que estiver saudável.

​Read More
Notícias

Gatinho é resgatado após ficar preso dentro de para-choque de carro

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais pelo dono do veículo, o qual mostra um mecânico tirando um gatinho de dentro do para-choque traseiro do veículo.

Gato filhote é retirado com cuidado de dentro de para-choque
Gatinho é salvo de dentro de para-choque (Foto: Tesla)

“Eles resgataram esse belo gatinho que havia ficado preso no para-choque traseiro do meu carro por provavelmente mais de 14 horas, deram água imediatamente e um dos socorristas e sua família ofereceram-lhe uma nova casa amorosa”, contou.

Veja a seguir o vídeo do resgate:

​Read More
Notícias

Gato fica preso em para-choque de carro e é resgatado por bombeiros em Monte Carlos (MG)

Divulgação
Divulgação

Um gatinho foi resgatado por uma equipe do Corpo de Bombeiros após ficar preso no para-choque de um carro em Montes Claros, no Norte de Minas, na manhã desta quinta-feira (28).

O proprietário do veículo estacionou o carro na rua José Catulino, bairro Major Prates, no início da manhã. Um motoqueiro que passava pelo local avistou um gatinho preso no carro e acionou o Corpo de Bombeiros.

Quando o proprietário do veículo retornou, avistou os militares retirando o para-choque do seu carro. Ele foi informado sobre o que estava acontecendo e acompanhou a ação.

Após desmontar o para-choque, os militares conseguiram retirar o gato. Em seguida, o animal precisou ter sua pata imobilizada pela guarnição.  Após os primeiros socorros, o animal foi encaminhado para a sua tutora, que mora na região.

Fonte: O Tempo

​Read More
Notícias

Piloto salva filhote de gato preso em para-choque de viatura, na Inglaterra

08
Divulgação

Nick Grimmer é piloto e salvou um gatinho que estava preso no para-choque de sua viatura durante uma viagem de quase 200 quilômetros, entre o aeroporto de Birmingham, na Inglaterra, e a Base Naval de Culdrose, em Cornwall.

Batizado Tigger, o gato e o responsável pelo resgate acabaram causando agitação nas redes sociais por causa da beleza de ambos. “O lugar em que ele se sente mais confortável é no meu capacete de voo, é o único lugar em que ele é capaz de dormir”, disse Grimmer à BBC.

Agora, o piloto está tentando descobrir os tutores do animal. Caso isso não aconteça, ele a a sua equipe, os Flying Tigers devem adotar Tigger. O gatinho já é visto como parte do grupo.

Fonte: Notícias ao Minuto Brasil

​Read More
Notícias

Cão que ficou preso em para-choque volta a andar, mas segue sem tutor

Cachorra usa uma atadura após cirurgia no fêmur (Foto: Melissa Marchiori/ Arquivo Pessoal)
Cachorra usa uma atadura após cirurgia no fêmur (Foto: Melissa Marchiori/ Arquivo Pessoal)

A cachorra abandonada que sobreviveu após ficar 14 horas presa no para-choque de um carro em Santa Catarina, passou por uma cirurgia e voltou a andar, mas segue à procura de um tutor. A cadela foi atropelada no dia 21 de setembro por uma família carioca que passava férias em Balneário Camboriú. O acidente só foi notado no dia seguinte, quando um funcionário do hotel onde se hospedavam avisou que o cão estava vivo dentro da carroceria do automóvel.

Desde então, a cachorra ficou sob os cuidados da médica veterinária Melissa Marchiori, de 36 anos. Ao G1, ela disse nesta segunda-feira (7) que o animal se recupera bem e voltará a ter uma rotina normal em 30 dias.

“O procedimento cirúrgicono fêmur foi realizado na quarta-feira [1º] e foi colocado um pino na pata dela. Ela precisa de repouso, mas aos poucos irá voltar para a rotina normal. Ela vem recebendo os cuidados normais e agora precisa de um dono”, disse a veterinária.

A mobilização na cidade foi grande por causa da luta do animal para sobreviver. De acordo com Melissa, a população montou uma força tarefa para que a cadela voltasse a andar.

“Conseguimos a operação a preço de custo na clínica Mascotes e alguns clientes meus se juntaram para pagar o procedimento e os cuidados básicos. Estou dando apoio na recuperação dela, mas agora estamos empenhados para achar um lar para ela”, disse.

Família viu um vulto

De acordo com o motorista Carlos Roberto Vidal, o atropelamento aconteceu no trajeto de volta de um parque de diversões para o hotel. A família viu um vulto na estrada, mas não conseguiu identificar que era o animal.

Cachorra, de 5 meses, está sendo cuidada em clínica veterinária (Foto: Melissa Marchiori/ Arquivo Pessoal)
Cachorra, de 5 meses, está sendo cuidada em clínica veterinária (Foto: Melissa Marchiori/ Arquivo Pessoal)

“Não deu para ver direito o que era, eu estava a 80 quilômetros por hora e ainda estava chovendo. Como não observamos nenhuma manifestação, seguimos viagem. Em seguida, paramos para jantar e fomos para o hotel dormir”, contou o bancário.

No dia seguinte, quando o funcionário do hotel avisou, Carlos afirmou que imediatamente chamou o Corpo de Bombeiros da região para resgatar o animal.

“Fiquei espantado, surpreso com aquilo. O cachorro ficou ali dentro por mais de 14 horas e estava vivo. Eu tinha que voltar para casa e não podia ficar mais tempo na cidade, mas paguei a internação dele em uma clínica veterinária. Agora, estou procurando notícias com a veterinária”, disse.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cachorro fica preso em para-choque de carro na Bahia

 

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Um cachorro ficou preso no para-choque de um carro no inicio dessa semana, no interior da Bahia. O fato aconteceu depois que Júlio Cezar Siqueira Lima seguia de Itapetinga para Vitória da Conquista, no sudoeste baiano.

No caminho, ele percebeu que se chocou com algum objeto, mas não conseguiu identificar o que teria sido. Ao chegar ao seu destino, a Faculdade Independente do Nordeste (FAINOR), ele foi surpreendido com um cão preso na frente do seu veículo.

Integrantes do 7º Grupamento de Bombeiro Militar foram acionados e conseguiram retirar o animal com a ajuda de uma médica veterinária. O cachorro foi levado ferido para uma clínica de Vitória da Conquista.

Fonte: A Tarde

​Read More
Notícias

Tamanduá-bandeira é amarrado em para-choque e arrastado no interior de SP

Depois de ser torturado, um tamanduá-bandeira foi arrastado por um carro na noite de quarta-feira, no Parque da Cidadania, zona norte de Rio Preto.

Segundo a polícia, os torturadores teriam amarrado o rabo do animal  na traseira de um carro e arrastado o bicho por dois quarteirões. Parte dos pelos do bicho ficou no asfalto.

O animal, que foi atropelado antes de ser torturado, tem aproximadamente dez anos e pesa 15 quilos.

Apesar dos graves ferimentos nos olhos, patas e pernas, o tamanduá sobreviveu. Moradores do Parque da Cidadania que viram as cenas denunciaram a tortura. O bicho foi capturado pelo Corpo de Bombeiros e  encaminhado ao hospital veterinário da Unirp.

De acordo com a Tatiana de Andrade Cruvinel, médica veterinária do hospital da Unirp, o bicho teve um olho perfurado e corre risco de ficar cego.

“Ele chegou aqui todo ensanguentado. Estamos fazendo de tudo para ele sobreviver e superar as dores”, disse a veterinária.

A veterinária Tatiana Cruvinel examina tamanduá no hospital da Unirp (Foto: Hamilton Pavam/Agência BOM DIA)

191 animais são capturados

Pelo menos 191 animais foram capturados neste ano em Rio Preto. De acordo com a Polícia Ambiental, na maioria das vezes, o bicho está à procura de abrigo.

O tenente Alessandro Daleck, da Polícia Ambiental, afirma que na época das queimadas é comum encontrar animais perdidos na área urbana.

Os bichos mais comuns são jiboia, gambá, sagui, jabuti e tamanduá.

De janeiro até agora foram capturados 13 tamanduás. Desses, quatro eram da espécie mirim e o restante bandeira.

Na terça-feira, um tamanduá-mirim que havia fugido do Bosque Municipal foi recapturado em uma casa no bairro São Deocleciano. O animal não sofreu  ferimentos.

Fonte: Rede Bom Dia

​Read More