Notícias

McCartney e Pachauri chamam atenção de políticos sobre o problema da carne

Por João Marcos Ezaquiel Nascimento     (da Redação)

Paul McCartney e Rajendra Pachauri estão convocando prefeitos e outros políticos a enfrentar o consumo excessivo de carne nos países ocidentais. Em uma carta, eles apontam a relação entre carne e mudanças climáticas e sugerem que os governos desenvolvam iniciativas para aumentar a consciência do problema entre os cidadãos. O ex-Beatle e o presidente do IPCC também falarão ao Parlamento Europeu em um evento chamado “Less Meat=Less Heat” – Menos Carne=Menos Aquecimento – no dia 3 de dezembro.

Na carta, McCartney e Pachauri apontam que a pecuária é responsável por 18% das emissões de gases estufa. Consequentemente, uma das mais poderosas armas contra as mudanças climáticas pode ser o nosso… garfo. No entanto, McCartney e Pachauri também colocam que esforços individuais, embora importantes, são limitados e que “é também responsabilidade de governos e indústrias assegurar que alternativas sustentáveis, como produtos baseados em vegetais estejam amplamente disponíveis a um preço acessível.” Eles listam várias iniciativas que governos tomaram, como a campanha do dia vegetariano semanal em Ghent e Hasselt (Bélgica), São Paulo (Brasil) e as campanhas Meat Free Monday (Segunda Livre da Carne) e Meatless Monday (Segunda Sem Carne) no Reino Unido e nos EUA respectivamente.

Em 3 de Dezembro, McCartney e Pachauri falarão ao Parlamento Europeu sobre o tópico “Less Meat=Less Heat”. Quatro dias antes da Conferencia da ONU sobre Mudanças Climáticas em Copenhague, o evento reflete a percepção que as mudanças climáticas precisam ser enfrentadas em todos os níveis – principalmente individual, mas também local, regional, nacional, ao redor da Europa e mundialmente.

De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), o setor pecuário está entre as três maiores causas de qualquer problema ambiental, incluindo degradação do solo, mudanças climáticas e poluição do ar, falta e poluição de água e diminuição da biodiversidade. Comer menos carne (e outros derivados animais) não é apenas saudável para o planeta, mas também para nosso corpo. Um estudo da OMC (Organização Mundial de Saúde) mostrou que uma diminuição de gordura saturada em apenas 1% resultaria em cerca de menos 13.000 mortes por problemas cardiovasculares na Europa a cada ano. E na última semana, um novo estudo, no Lancet, mostrou que um corte na produção pecuária em 30% poderia diminuir o número de mortes prematuras por doenças do coração em 17%.

Informações de contato sobre a carta:

Tobias Leenaert, EVA
(0032) (0)494 64 69 38
tobias@vegetarian.be

Fonte: Evana

​Read More